Browsing Tag

uece

CriarCE realiza campanha para confecção de EPIs

O projeto “Inovação contra a Covid-19”, da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, realizado pelo Criarce e instituições parceiras, lançou campanha para arrecadar fundos que serão utilizados na confecção de equipamentos de proteção individual e equipamentos médicos, que são utilizados no combate ao novo coronavírus.

Toda a sociedade é convidada a ser protagonista nesta ação, para que mais EPIs sejam produzidos e enviados aos profissionais que estão atuando na linha de frente da pandemia. Doações de qualquer valor podem ser transferidas para a conta do IDESCO (instituto sem fins lucrativos ligado à UECE): Banco do Brasil, Agência: 3515-7, C/C: 15.695-7, CNPJ: 05.980.053/0001-30, Instituto Desenvolvimento, Estratégia e Conhecimento – IDESCO.

Para produzir os EPIs, o CriarCE conta com o apoio de voluntários e comunidade civil, que têm doado ainda materiais e mão-de-obra. Com esta parceria, mais de 4 mil Face Shields já foram entregues, para cerca de 100 unidades de saúde, em 22 cidades do Ceará e de outros Estados. Além das faces shields, está sendo validada a produção de óculos de proteção, vídeo laringoscópio de baixo custo e ventiladores pulmonares em 3 linhas diferentes: automatizado do Ambu, ar comprimido direto e pneumático.

Toda a produção é entregue de forma 100% gratuita a hospitais e profissionais da saúde que solicitam a demanda via formulário.

Crefito-6 comemora aula inaugural de Terapia Ocupacional na UECE

Nesta terça-feira, 25, das 14h às 17h, no Auditório Renorbio – UECE Campus Itaperi, será realizada a aula inaugural do recém aberto curso de Terapia Ocupacional da Universidade Estadual do Ceará.

O início da graduação acontece completando exato um ano de autorização para implantação do curso, durante pronunciamento do governador em sua live do Facebook, no dia 12 de Junho de 2018. A turma inicia o semestre de 2019.1 com 40 alunos matriculados e preenchimento total das vagas, após processo seletivo com concorrência de 6,89.

A vice-presidente do Crefito-6, a terapeuta ocupacional, Dra. Luzianne Feijó declara que esta é uma grande conquista para a população cearense. “Pela pela primeira vez no Ceará o poder público se responsabiliza pela formação de terapeutas ocupacionais com a qualidade padrão Uece.

Isso tanto fortalece a profissão quanto torna mais acessível aos estudantes que desejam  cursar Terapia Ocupacional quanto à população que necessita dos serviços deste profissional! A sensação é de dever cumprido em estarmos condizentes com uma das metas nacionais para a Terapia Ocupacional, que é a abertura minimamente de um curso público por estado”, relata.

O momento é de comemoração para o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Crefito-6, que após quase 13 anos de luta, compartilhada com a Associação Brasileira de Terapia Ocupacional – Abrato-CE e terapeutas ocupacionais liberais e demais apoiadores como acadêmicos e políticos, vê a concretização de um projeto, que é fundamental para a saúde pública do Ceará.

A Organização Mundial da Saúde estabelece que para uma atenção de qualidade e maior acessibilidade a proporção de profissionais de saúde por número de habitantes seja de: 1 um por 1000 hab. Entre eles está o terapeuta ocupacional, que no estado do Ceará tem o total de 807 profissionais, para mais de 8 milhões de habitantes. Apenas uma instituição particular de Fortaleza formou terapeutas ocupacionais por 43 anos.

Sobre o conselho

O Crefito 6 é uma Autarquia Pública Federal, Instituição de Controle Social, tendo como missão garantir os direitos da população assistida pela Fisioterapia e pela Terapia Ocupacional através da normatização e fiscalização do exercício profissional visando a plena atuação terapêutica com qualidade e humanização.

Serviço:

Aula Inaugural da turma de Terapia Ocupacional da UECE

Data: terça-feira, 25

Horário: 14h às 17h

Local: Auditório Renorbio – Av. Dr. Silas Munguba, 1700 – Campus Itaperi

CREF5 e UECE promovem discussão sobre a Educação Física no desenvolvimento da sociedade

 
Com mais de 1000 inscritos, inicia hoje o XVII Congresso de Ciências do Desporto e de Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, na Universidade Estadual do Ceará (UECE). Realizado pelo curso de Educação Física da UECE e pelo Conselho Regional de Educação Física da 5ª Região (CREF5) até a próxima sexta-feira, dia 28, o evento reunirá profissionais renomados nacional e internacionalmente para uma discussão sobre o papel do Desporto e da Educação Física no desenvolvimento de uma sociedade mais humana.

 

O tema do Congresso, neste ano, é: “Cuidar da Casa Comum: da Natureza, da Vida, da Humanidade. Oportunidades e responsabilidades do Desporto e da Educação Física” e a cerimônia de abertura acontece logo mais, a partir das 18 horas, no auditório do Hotel Recanto do Wirapuru.

 
Como explica o professor Doutor Adriano César Carneiro Loureiro, Presidente do XVII Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física de Países de Língua Portuguesa, o Desporto e a Educação Física, através de seus preceitos, princípios e fundamentos alicerçam e promovem essa discussão salutar e necessária em tempos atuais. “É preciso discutirmos a essência da área, traspassando do início do contato com o Desporto e a Educação Física na escola ao momento da Performance, do desempenho atlético, pois em toda essa trajetória existem fatores éticos, morais, estéticos, sociais, motores, cognitivos em prol de ajudar no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e que consiga cuidar de si e de sua morada”.

 
De acordo com Jorge Henrique Monteiro, presidente do CREF5, cada vez mais, precisamos de discussões que contribuam para tornar a vida em sociedade mais justa, humana e solidária. E, para isso, é preciso que a Educação Física esteja envolvida como uma ferramenta para esse desenvolvimento em sociedade. “A partir de discussões como as que acontecem no Congresso, os profissionais e estudantes de Educação Física podem despertar para essa missão que temos com o que nos cerca e com os outros. Ao mesmo tempo, a sociedade pode conhecer a relevância do trabalho de um profissional habilitado e registrado e exigir que os exercícios físicos sejam orientados por aqueles que se formaram academicamente para isso”.

 

Mais informações sobre a programação em:
www.congressocdefplp2018.com

Serviço:
XVII Congresso de Ciências do Desporto e de Educação Física dos Países de Língua Portuguesa
Data: 25 a 28 setembro de 2018
Local: Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Cerimônia de abertura
Data: 25 de setembro
Local: Auditório do Hotel Recanto do Wirapuru – Avenida Alberto Craveiro, 2222, Castelão.

 

Mais informações sobre a programação em:
www.congressocdefplp2018.com

Governo do Ceará autoriza implantação do curso de Terapia Ocupacional na UECE

Após quase 12 anos de luta, compartilhada entre o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Crefito 6, Associação Brasileira de Terapia Ocupacional – Abrato-CE, Associação Cearense dos Terapeutas Ocupacionais – ACTO e terapeutas ocupacionais liberais e demais apoiadores como acadêmicos e políticos, será aberto o curso de graduação em Terapia Ocupacional, na Universidade Estadual do Ceará (UECE).

 

A autorização para as condições de implantação à abertura da turma foi anunciada pelo governador Camillo Santana, por meio da live semanal, realizada em seu perfil no Facebook e confirmada durante o Congresso Nordeste de Saúde da Família, realizado na última semana. Antes dessa decisão, o conselho universitário da UECE já havia autorizado a abertura do curso.

 
Para a vice-presidente do Crefito 6, a terapeuta ocupacional Luzianne Feijó, essa foi uma verdadeira saga por um sonho. “Ofertar uma formação de qualidade aos futuros profissionais da terapia ocupacional e uma assistência de qualidade a saúde da população cearense”, afirma. A Terapia Ocupacional é uma profissão com inserção ampla em várias portarias e resoluções do Ministério da Saúde, da Assistência Social e da Educação. A Organização Mundial da Saúde estabelece que para uma atenção de qualidade e maior acessibilidade a proporção de profissionais de saúde por número de habitantes seja de um por 1000 hab.

 

Entre eles está o terapeuta ocupacional, que no estado do Ceará tem o total 807 profissionais, para para mais de 8 milhões de habitantes. Apenas uma instituição particular de Fortaleza firmou terapeutas ocupacionais por 43 anos.
Para o reitor da UECE, professor Jackson Sampaio, que muito incentiva a prática do profissional da Terapia Ocupacional, para a universidade é sua missão oferecer educação superior para o Ceará e no caso específico dessa profissão, a instituição completa a formação da equipe básica de saúde para todas as políticas públicas de saúde do país.

 
Ele chama atenção para a grande importância da abertura do curso. “O número de cursos de Terapia Ocupacional no Nordeste está diminuindo. Há dez anos eram nove cursos, um por estado, dos quais apenas um era público na Universidade Federal de Pernambuco e hoje são apenas cinco cursos. Ao longo de dez anos foram suspensos quatro cursos, inclusive o da UECE. Desta maneira a Universidade Estadual do Ceará cumpre uma responsabilidade pública”, informa o reitor.

 

A previsão para o início da turma é o segundo semestre letivo de 2019, no final de maio. Antes disso, segundo Jackson Sampaio, serão realizadas reuniões para elaboração de cronograma de implantação, seleção de professores, vestibular e negociações com governo para investir em equipamentos, é necessária a construção de quatro laboratórios específicos para o curso.

 
A ausência de uma instituição formadora no estado e a ausência desse profissional acarreta em diversos problemas como:
– Aumento do tempo e custo de internações hospitalares;

– Maior probabilidade de sequelas físicas e/ou emocionais, tempo maior em internações hospitalares;

– Contribuição para aumento nos índices de reprovação escolar, comprometimento do desenvolvimento infantil na primeira infância o que acarretará problemas na adolescência e vida adulta;

– Maiores possibilidades de quadros depressivos, demenciais e outras comorbidades crônico-degenerativas ou não, presentes na população idosa com o aumento no número de quedas, o que aumenta os custos em toda a rede de saúde e assistência social (medicação, internação, etc);

– Aumento dos índices de adolescentes cooptados para o mundo das drogas e da criminalidade; privação do bom prognóstico e possibilidades de independência e autonomia na vida de pessoas com deficiência e privação do desenvolvimento das habilidades e capacidades necessárias ao retorno à escola e ao trabalho, para adequada emancipação e participação social, entre outras.

 
Sobre o conselho
O Crefito 6 é uma Autarquia Pública Federal, Instituição de Controle Social, tendo como missão garantir os direitos da população assistida pela Fisioterapia e pela Terapia Ocupacional através da normatização e fiscalização do exercício profissional visando a plena atuação terapêutica com qualidade e humanização.