Browsing Tag

Meio ambiente

Reforçando sua agenda ESG, MRV integra o Índice Carbono Eficiente da B3 pela 5ª vez consecutiva 

A MRV, plataforma de soluções habitacionais, foi selecionada, mais uma vez, para participar da 11ª carteira do Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3) da bolsa. Integrante do índice desde setembro de 2019, a companhia é a única construtora que, pela quinta vez consecutiva, é reconhecida por se preocupar e trabalhar para minimizar os efeitos causados pela emissão de gases de efeito estufa na atmosfera num trabalho contínuo para reforçar sua agenda ESG

O novo índice foi divulgado pela B3 na segunda-feira, dia 4 de janeiro, e vigora até 30 de abril de 2021. Neste ano, a nova carteira do ICO2 B3 aumentou o número de setores, passando de 13 para 22, reunindo 62 ações de 58 companhias. Além disso, a cada quatro meses, a carteira poderá sofrer alterações, com o objetivo de contemplar apenas ações que estão entre as 100 mais negociadas.

“Fazer parte de um índice tão importante como esse nos mostra que estamos seguindo o caminho correto, ao investir em práticas que englobem e fortaleçam a agenda ESG. De forma transparente, temos como foco reconhecer nossas ações em relação ao meio ambiente e promover discussões e engajamento sobre a mudança do clima no país”, afirma Raphael Lafetá, diretor executivo de Relações Institucionais e de Sustentabilidade da MRV.

Signatária do Pacto Global da ONU desde 2016, a MRV tem por propósito mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção de medidas ESG, tendo como base os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável). “Além disso, desde 2016, a MRV atua fortemente para combater as mudanças climáticas, com a compensação de 100% dos gases de efeito estufa referentes às suas emissões diretas e aquisição de energia, por meio da compra de créditos de carbono”, explica Lafetá.

Eco da Gente startup de sustentabilidade inicia atividades em Uruoca e Graça

 

Em tempos de pandemia, com o acúmulo e o volume de resíduos sólidos, os gestores públicos municipais já preocupados com o descarte e o manuseio destes materiais, têm apoiado iniciativas que geram o fortalecimento da economia, como a geração de expectativa de vida às centenas de famílias que vivem da reciclagem e da coleta seletiva.

A Startup Eco da Gente, criada como um negócio de impacto socioambiental, tem por finalidade minimizar e resolver os problemas coletivos ambientais e sociais de pequenos municípios, gerando empregabilidade local, proporcionando uma sociedade sustentável no longo prazo.

“Reduzimos duas das principais mazelas existentes em nossa sociedade e nos pequenos municípios, a disposição inadequada do “lixo” e a vulnerabilidade social dos catadores de materiais reciclados através de ações socioambientais. Um bom negócio para o bem de todos, levando em consideração o impacto produzido e o baixo custo do contrato aos municípios.  Somos um projeto permanente de educação ambiental e de coleta seletiva”, reforça o Gestor de Negócios da Eco da Gente, Igor Furtado.

A Eco da Gente garante a redução da vulnerabilidade social dos catadores locais, garantido renda mínima de 01 (Um) salário mínimo aos participantes integrados e a compra garantida de toda a produção dos catadores associados. Após termo firmado de abandono do lixão, os catadores recebem apoio, fardamento, EPI´S e o acompanhamento do time de gestão social da Eco de Gente composto por assistentes sociais, pedagogos, psicólogos e médico do trabalho.

Para Igor Furtado, a tecnologia é utilizada em favor do meio ambiente e da comunidade local. “Trazemos eficiência e inteligência artificial para o processo por meio de uma plataforma mobile que otimiza o cadastro das casas, dos grandes geradores e parceiros por georreferenciamento, o que possibilita uma análise em tempo real da participação da população nos dias da coleta seletiva”, disse Igor.

No Ceará, os municípios de Uruoca e Graça, já iniciaram a implantação do projeto piloto. A celeridade das ações de implantação é um marco e uma característica trazida pelo seu criador, Igor Furtado, que desenhou um processo rápido para este fim, já que o problema de saúde pública é real e urgente por conta dos lixões a céu aberto.

Igor Furtado é profissional da administração, com mais de 10 anos de experiência no âmbito público, e também, é especialista em Gestão Ambiental e Gestão de Projetos e formou time multidisciplinar que garante o sucesso da proposta.

Para o prefeito de Uruoca, Francisco Kilsem, “Vamos contribuir para o fortalecimento da saúde ambiental para a redução de riscos à saúde humana no município e para o desenvolvimento sustentável, por meio da qualificação das políticas de resíduos sólidos, educação ambiental e saúde ambiental”, disse o prefeito.

“Promovemos a educação em saúde, a educação ambiental e a participação das comunidades na gestão das políticas ambientais, de saúde e de resíduos sólidos por meio de campanhas, ações educativas e iniciativas congêneres”, completa o secretário do meio ambiente de Graça, Helton Lopes Alcantara.

“É uma das nossas preocupações criar iniciativas de apoio aos catadores, como capacitar a gestão municipal sobre as políticas de resíduos sólidos e meio ambiente, por meio do fortalecimento institucional de seus órgãos gestores e da ampliação da participação da sociedade civil”, disse Helton.

Os municípios de Uruoca e Graça, estão prontos para construir políticas públicas mais inclusivas e sustentáveis. Com a construção do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), também realizada pela Eco da Gente, os municípios poderão conhecer detalhadamente os resíduos gerados, e então, traçar estratégias para uma gestão eficiente conforme a realidade local, contando com a participação social e governamental.

“Estamos caminhando com pequenos municípios na implementação de uma gestão socialmente inclusiva e ambientalmente adequada. Mais de 65% do que é enviado aos lixões são materiais com potencial de aproveitamento”, finaliza o Gestor de Negócios da Eco da Gente Igor Furtado.

 

Instituições de preservação do meio ambiente lançam campanha “Bosques da Memória” em homenagem às vítimas da COVID-19


Com o objetivo de plantar árvores e recuperar florestas, como um gesto simbólico em homenagem  às vítimas da COVID-19 e aos profissionais da linha de frente da saúde no Brasil, instituições voltadas à preservação do meio ambiente lançam, dia 12 de dezembro, a campanha “Bosques da Memória: homenagem da Mata Atlântica às vítimas da Covid-19”. Em Icapuí, no Ceará, a Fundação Brasil Cidadão liderando a  iniciativa com a plantação de um bosque de mangue com 100 plantas.

A iniciativa ocorre em razão dos incêndios que destruíram, principalmente, o Pantanal e a Mata Atlântica. A ideia é transformar esse momento de tristeza em grande gesto de esperança. É possível homenagear uma pessoa querida levada pela Covid-19 plantando uma árvore para ela em um bosque da memória.

A campanha, uma promoção conjunta da Rede de ONGs da Mata Atlântica (RMA); da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) e do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, é desenvolvida de forma participativa e colaborativa e está aberta às pessoas e instituições interessadas, contando desde o início com várias entidades parceiras, entre as quais a Associação em Defesa do Rio Paraná, Afluentes e Mata Ciliar (Apoena) e a Associação Mico-Leão-Dourado (AMLD).

É também um espaço de divulgação de outras iniciativas que têm o mesmo objetivo e que vem sendo desenvolvidas por famílias, grupos e instituições.

A Campanha Bosques da Memória, além de buscar a transformação desse momento de tristeza e devastação em esperança, dá início, na Mata Atlântica, à Década da Restauração de Ecossistemas 2021-2030 declarada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

SERVIÇO:

Lançamento da campanha “Bosques da Memória: homenagem da Mata Atlântica às vítimas da Covid-19”
Data: 12 de dezembro
Horário: manhã
Mais informações: www.bosquesdamemoria.com

Natura e parceiros lançam aliança de empreendedorismo na Amazônia para a promoção da economia de floresta em pé

Nesta terça-feira (1), foi anunciado o lançamento de uma aliança para ativação, fortalecimento e criação de novos negócios na Amazônia durante o V Jirau Agroecológico Baixo Tocantins – Pará, evento que aborda os desafios da sustentabilidade e promove a agroecologia. O objetivo dessa união é estimular negócios que conservem a biodiversidade e melhorem a qualidade de vida das pessoas na região.

Chamada “Nós da Floresta”, a iniciativa reúne a marca Natura, o programa Saúde e Alegria, a Rede Jirau de Agroecologia e a ONG Conexsus – Conexões Sustentáveis. A aliança irá atuar para fortalecer o ecossistema de inovação e de empreendedorismo na região amazônica pelo diálogo e interação com instituições para desenvolvimento de políticas públicas locais, regionais e nacionais.

Entre as metas desenhadas estão aumentar o faturamento das organizações comunitárias; ampliar a participação de organizações comunitárias nos editais de mercado da região; fomentar novos negócios locais – especialmente iniciativas lideradas por mulheres e jovens; solucionar impasses em cadeias produtivas; medir o progresso social nas comunidades envolvidas; contribuir com a conservação da floresta por meio dos projetos e negócios.

“Nós sabemos que a Amazônia tem um grande potencial para gerar inovação e negócios a partir da economia de floresta em pé, com respeito à biodiversidade e às pessoas que moram nessa região. Com o projeto Nós da Floresta, queremos alavancar indicadores sociais, culturais, econômicos e ambientais”, explica Denise Hills, diretora global de sustentabilidade da Natura.

Denise destaca que ao proporcionar novas conexões e estreitar os vínculos entre os diferentes atores – como empreendedores familiares e individuais, associações comunitárias, instituições financeiras, empresas, universidades, governos e organizações internacionais – será possível estabelecer uma visão compartilhada de cultura de negócios e inovação para atingir metas comuns. “Para isso, investiremos em ampliar diálogos para buscar soluções conjuntas, além de expandir boas práticas, replicar experiências bem-sucedidas, avaliar a criação de novas formas de crédito e congregar múltiplas agendas em projetos de interesse coletivo”, exemplifica Hills.

“A Rede Jirau propõe um contraponto à prática de desmatamento da floresta ao demonstrar que as experiências agroecológicas são fundamentais para agregar valor ao bioma e frear um cenário de aumento crescente de perda do bioma”, afirma Franquismar Marciel, coordenador executivo da Rede Jirau de Agroecologia. “Buscamos que a aliança trace caminhos para o equilíbrio da floresta, soberania nacional e segurança alimentar”, conclui.

Caetano Scannavino, coordenador do programa Saúde e Alegria, reforça que para frear o desmatamento é preciso pensar em modelos de negócios mais amigáveis ao meio ambiente e inclusivos. “Queremos somar esforços para alavancar a bioeconomia. Já está comprovado que ativos como açaí, cacau, óleos vegetais, essenciais, tem potencial produtivo extremamente competitivo. Além disso, pode ser cultivado conservando a floresta em pé e valorizando os povos tradicionais, de forma condizente com as vocações amazônicas”, argumenta.

Para Carina Pimenta, diretora executiva da Conexsus, a aliança ativa o grande potencial de empreendedorismo para produtos da sociobiodiversidade na região com a coordenação de diferentes frentes para expandir o impacto positivo nos territórios. “A aliança é essencial para desenvolver as articulações necessárias para formar uma rede que leve visibilidade e geração de valor para os negócios comunitários e seus territórios”, afirma.

Toyota do Brasil anuncia metas ambientais até 2025

Trilha verde localizada na unidade da Toyota em São Bernardo do Campo / FOTO: divulgação.

A Toyota do Brasil compartilha com clientes, fornecedores, distribuidores, comunidades e parceiros seu mais novo objetivo de desenvolvimento sustentável, estabelecido de forma ampla no sétimo Plano de Ação Ambiental da empresa. Ele traz um conjunto de compromissos, dentro de seis desafios distintos, para temas como água, resíduos e emissões, com extensão de metas agressivas de reduções em cada elemento até 2025, sendo o início de sua execução a partir de 2021.

No Brasil, a empresa organiza ciclos de metas ambientais estabelecidos a cada cinco anos por meio do Plano de Ação Ambiental. Na sexta edição, que se encerra em dezembro deste ano, a Toyota registrou uma série de aprendizados e melhorias que estão refletidas na sétima edição, que traz um conjunto de contramedidas que visa preparar a operação e toda a cadeia para um novo ciclo de desenvolvimento sustentável no longo prazo.

O sétimo Plano de Ação Ambiental foi inspirado e construído com base nos pilares do Desafio Ambiental Global 2050 da Toyota, no qual tem como meta final estabelecer uma sociedade livre de carbono e convivência em plena harmonia com a natureza. Os seis desafios centrais do 2050 são a diretriz para este sétimo plano da Toyota do Brasil.

No primeiro desafio da sétima edição do plano da operação brasileira, que diz respeito a emissões de CO2 provenientes de veículos comercializados pela marca, a companhia propõe aumento das vendas de modelos eletrificados no País. A expectativa é atingir, até 2025, cerca de 166 mil unidades híbridas vendidas em todo território nacional. O aumento deste tipo de veículos circulando pelas cidades brasileiras, por sua vez, contribuirá para a redução de até 83 mil toneladas de CO2 na atmosfera, já que carros híbridos, como o Corolla, por exemplo, emitem até 30% menos gás carbônico, quando comparado com um modelo de mesmo porte.

No segundo desafio, a Toyota se compromete a trabalhar para engajar toda sua cadeia de valor na busca pela sustentabilidade. A empresa vem atuando no desenvolvimento de novos métodos e ferramentas de avaliação, a fim de medir impactos de concessionárias, fornecedores, cadeia logística e demais parceiros de negócios, por meio de coleta de dados. Em 2020, por exemplo, a Toyota implementou uma calculadora ambiental para avaliar números de performance ambiental nas operações de seus fornecedores e, com isso em mãos, a partir de 2021, estabelecer metas exatas de indicadores.

No terceiro desafio, a redução de impactos causados pelas operações industriais foi amplamente discutida. A meta é reduzir em 25% o total de CO2 emitidos na produção de automóveis, na comparação com dados de 2013 até 2025. Além disso, reforçará o uso de energia elétrica 100% renovável nas quatro plantas industriais no País – São Bernardo do Campo, Indaiatuba, Sorocaba e Porto Feliz, todas localizadas no Estado de São Paulo.

Utilizada como insumo na linha de montagem, o consumo de água é um dos eixos centrais, abrindo o quarto desafio. A meta até 2025 é reduzir em 35% o uso de metros cúbicos por veículo que sai das suas fábricas, indo de 2,12 m3/veículo para um nível de utilização de 1,38 m3/veículo produzido.

No quinto desafio, que visa a construção de uma sociedade baseada em reciclagem, a Toyota do Brasil avança estudos para armar ciclos de reciclagem de veículos e, para isso, entregará um projeto de desmontagem funcional até 2025. Ao mesmo tempo, atuará para reduzir em até 25%, contando série desde 2013, o desperdício de materiais utilizados na produção de veículos que saem da linha de montagem, reaproveitando ao máximo cada insumo.

Por fim, para constituir uma sociedade em harmonia com a natureza, que abre o desafio número seis, a companhia estreitará seu relacionamento com as comunidades por meio de projetos sociais que contribuam com engajamento e educação para práticas socialmente responsáveis.

A companhia mantém um Comitê de Meio Ambiente que conta com a participação de diretivas e gerências de áreas como Compras, Logística, Comercial, Meio Ambiente, Produção, Assuntos Governamentais, Regulamentação, Marketing e Comunicação Corporativa, com encontros frequentes de acompanhamento dos indicadores-chave e engajamento que se multiplica a todo o negócio.

“Planejar, executar bem e melhorar continuamente os nossos resultados é a maneira que a Toyota opera em todos os países em que está presente. Mais do que isso, aquilo que consideramos bom para nós, também compartilhamos com nossa cadeia de valor. Queremos buscar a sustentabilidade unidos. Trabalharemos e aprenderemos juntos, e buscaremos soluções conjuntas para os dilemas complexos que vivemos”, afirma Viviane Mansi, diretora regional de comunicação e sustentabilidade da Toyota.

As iniciativas deste sétimo Plano de Ação Ambiental da Toyota do Brasil colaboram diretamente para os seguintes Objetivos de Sustentabilidade das Organizações das Nações Unidas: 9 (indústria, inovação e infraestrutura); 11 (cidades e comunidades sustentáveis); 12 (consumo e produção responsáveis); 13 (ação contra a mudança global do clima).

Sobre o Desafio Ambiental Global 2050

A Toyota assumiu o compromisso global de atuar com iniciativas de curto, médio e longo prazo para diminuir o uso de recursos naturais em todo o ciclo de vida útil de seus produtos para atender às necessidades do planeta.

Para constituir uma sociedade em harmonia com a natureza, em 2015, a marca idealizou o Desafio Ambiental 2050, com metas ambiciosas para zerar a emissão de CO2 em toda extensão da cadeia automotiva e incentivar impacto positivo no conjunto social, por meio de seis desafios, sendo eles: 1- Zerar emissão de novos veículos; 2- Ciclo de vida com emissão zero (da cadeia até logística de entrega de veículos e serviços); 3- Emissão zero nas fábricas (energia limpa); 4- Minimizar o uso de água nos processos industriais; 5-Constituir uma sociedade baseada na reciclagem; e 6-Construir uma sociedade em harmonia com a natureza (investimento em projetos de incentivo, conscientização e influência e reforçar parcerias em prol da preservação).

Para acessar este press release, bem como todo o material de imprensa da Toyota do Brasil, como fotos e vídeos, visite www.toyotaimprensa.com.br.

______________________________________________________________

A Toyota do Brasil Ltda. conta com quatro unidades produtivas nas cidades paulistas de Indaiatuba, Sorocaba, Porto Feliz e São Bernardo do Campo, cidade que também abriga um Centro de Pesquisa Aplicada e um Centro de Design. A empresa conta ainda com três centros de distribuição de veículos em Guaíba (RS), Vitória (ES) e Suape (PE), um centro de distribuição de peças em Votorantim (SP), um escritório de representação em Brasília (DF), e mais de 6.000 colaboradores. Fundada em 1937, a Toyota Motor Corporation (TMC) é uma das fabricantes de veículos para passageiros e comerciais mais representativas do mundo. Com produção em 28 países e regiões e vendas em mais de 160 países, a empresa é detentora das marcas Toyota, Lexus, Daihatsu e Hino. A Toyota possui ações nas Bolsas de Valores de Tóquio, Nagoya, Osaka, Fukuoka e Sapporo (Japão), Nova Iorque (EUA) e Londres (Reino Unido) e emprega atualmente mais de 344.000 colaboradores em todo o mundo. Mais informações podem ser obtidas nos sites http://www.toyota-global.com/ e www.toyota.com.br ou www.facebook.com.br/toyotadobrasil.

Multiplay investe em projetos que incentivam o cuidado com o meio ambiente

 

Viver em uma cidade agradável e limpa é algo que todas as pessoas desejam, mas, infelizmente, nem todas contribuem para um espaço público saudável assim. Por isso, ações voltadas para a limpeza e para a conscientização do cuidado com o meio ambiente são necessárias, bem como organizações que apoiem a causa. A Multiplay Telecom, companhia de telecomunicações cearense que oferece serviços de TV por assinatura, internet fibra e telefonia digital, é uma das empresas que investem em projetos com o objetivo de manter a cidade limpa.

Dentre as iniciativas apoiadas está o projeto Pooblicão, totens instalados nas calçadas de condomínios de Fortaleza com dispensadores de saquinhos biodegradáveis feitos do bagaço da cana de açúcar, para serem usados no recolhimento das fezes dos cachorros quando eles saem para passear com seus donos. Ao todo são 135 totens espalhados pela cidade localizados, majoritariamente, em regiões onde a Multiplay possui rede de cabeamento, cumprindo um importante papel social e ambiental.

A Multiplay é uma das apoiadoras também do Ceará Sup Club, grupo que dá aulas de Stand Up Paddle na avenida Beira-Mar. No último dia 19 de setembro, o grupo realizou, em parceria com o projeto Abrace Sua Cidade, voltado para os cuidados com o meio ambiente, a terceira edição do “Salve-se”. A ação reuniu dezenas de voluntários para realizar a limpeza da orla marítima na Beira-Mar. No total, foram retirados da praia aproximadamente 100 quilos de lixo.

Sobre a Multiplay Telecom

Fundada nos anos 1990, a Multiplay Telecom é uma empresa genuinamente cearense, com uma história consolidada no Estado. Ao longo dos seus 30 anos de atuação, acompanhou e apresentou ao mercado grandes mudanças, sempre valorizando a qualidade dos serviços ofertados. Em 2008, torna-se uma prestadora de serviço triple play: TV por assinatura, Banda Larga e Telefonia VoIP, através de uma rede segura de tecnologia híbrida de fibra ótica e cabo coaxial (HFC). Em 2015, a empresa passa a integrar o grupo Acon Triple Play Telecom, proprietário de outras operações triple play no Brasil, com atuação em estados como Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia, São Paulo e Minas Gerais.

Tendo como CEO Gilbert Minionis, executivo venezuelano com larga experiência no setor de telecomunicações, a Multiplay Telecom atua no Ceará nos segmentos residencial e corporativo, ampliando sua rede de abrangência com crescimento e melhoria contínua da tecnologia oferecida, estando atualmente em mais de 60 bairros da capital cearense, bem como em Caucaia, Eusébio, Aquiraz, Maracanaú e Pacatuba.

No Dia da Árvore, Ford reforça seu compromisso com a preservação ambient

A Ford aproveita a comemoração do Dia da Árvore, 21 de setembro, em suas fábricas para reforçar os valores e iniciativas da marca voltadas à preservação do meio ambiente. Com ações que vão da coleta seletiva à produção de mudas para florestamento, a empresa é uma referência na indústria em sustentabilidade, como mostra este vídeo

No Complexo Industrial Ford Nordeste em Camaçari, na Bahia, além de manter 2,4 milhões de m² de áreas verdes internas a empresa desenvolve um programa de florestamento que já produziu mais de 286 mil mudas e plantou mais de 353 mil árvores ao redor da fábrica. A unidade conta ainda com um Centro de Educação Ambiental que recebe anualmente milhares de estudantes e professores da comunidade para difundir conhecimento e práticas de conservação ambiental.

O mesmo cuidado é visto nas demais unidades da Ford no Brasil, a Fábrica de Motores e Transmissões de Taubaté e o Campo de Provas de Tatuí, no interior paulista. Em Tatuí, os 933.000 m² de áreas verdes servem de habitat para diferentes espécies da fauna local. Em Taubaté, a área preservada de 540.000 m² inclui um lago artificial com água reciclada que serve de refúgio e alimentação para aves nativas e migratórias.

Desde 2016 a Ford zerou o envio de resíduos para aterros sanitários em suas fábricas no Brasil e também promove o tratamento de insumos dos restaurantes para a produção de composto orgânico. Outro exemplo é a reciclagem da água utilizada nos processos industriais, que nos últimos quatro anos já reaproveitou cerca de 213 mil m³, o equivalente ao consumo anual de 970 famílias com até quatro pessoas.

A empresa também investe constantemente na pesquisa de materiais renováveis e sustentáveis de alta qualidade para aplicação em seus veículos. Entre outras inovações, esses estudos já levaram ao desenvolvimento dos bancos com espuma à base de soja do Mustang e dos tapetes, carpetes e isoladores do Ka e do EcoSport, que utilizam cerca de 6 kg de PET reciclado na sua composição.

Hard Rock Hotel & Casino Punta Cana faz campanha para preservação de tartarugas marinhas

Existe no mundo sete espécies de tartarugas marinhas e seis delas estão correndo sérios riscos de extinção, vivendo em oceanos tropicais, indo para as costas para fazer ninhos sua população diminuiu drasticamente por diversos motivos, como caça ilegal, perda de habitat ou mudança climática.

Por esta razão, o Hard Rock Hotel & Casino Punta Cana, desenvolveu um programa de proteção às tartarugas marinhas, como parte do projeto de manejo da fauna silvestre, conservar e recuperar a população de três espécies de tartarugas que constroem seus ninhos nas praias do hotel.

Com uma área privativa que garante bastante tranquilidade aos hóspedes, o hotel está fazendo uma ação de conscientização e apelo aos colaboradores e visitantes das praias para relatar o avistamento de ninhos e/ou tartarugas na praia, a fim de proteger o espaço pois  tartarugas marinhas apresentam um complexo ciclo de vida marcado por extensas migrações entre as áreas de alimentação e de desova.

“Essas ações de conservação da biodiversidade silvestre, principalmente dessas espécies, contribuem para os aspectos mais próximos do desenvolvimento sustentável e do bem-estar ecológico, social, científico, educacional, cultural e recreativo”, afirma o Hard Rock Hotel & Casino Punta Cana por meio de comunicado.

Na região continuam a ser desenvolvidas estratégias para contribuir para o aumento do número de tartarugas marinhas, uma vez sua população na República Dominicana está em estado crítico, com menos de 30 fêmeas por ano nas principais costas de desova.

Para conhecer mais, acesse https://es.hardrockhotelpuntacana.com/

Sobre RCD Hotels:

A RCD Hotels é a empresa responsável pelo marketing e comercialização de resorts de luxo na Flórida, incluindo o Eden Roc Miami Beach Resort e o Nobu Hotel em Miami Beach. Em breve, o grupo contará, também, com o Nobu Chicago. As propriedades da marca Hard Rock no México e Caribe pertencem e são operadas pela RCD Hotels sob o regime de concessão de licenças acordados com a Hard Rock International. Entre as propriedades estão Hard Rock Hotel & Casino Punta Cana (o primeiro Hard Rock Hotel All Inclusive do mundo), na República Dominicana e as propriedades no México: Hard Rock Hotel Cancun, Hard Rock Hotel Vallarta, Hard Rock Hotel Riviera Maya, Hard Rock Hotel Los Cabos. Opera, ainda, o Nobu Los Cabos e UNICO 20º 87º Hotel Riviera Maya, empreendimento com marca própria e proposta hoteleira focada na exclusividade e luxo All Inclusive. Para mais informações, visite http://www.rcdhotels.com

Leroy Merlin apoia Dia Mundial da Limpeza

Movimento lançado na Estônia, o Word Cleanup Day ou Dia da Limpeza, ganha cada vez mais adeptos no mundo todo. O evento ocorre no neste sábado, dia 19 de setembro, e tem o intuito de alertar a população sobre os impactos do lixo no meio ambiente.

Devido a pandemia de COVID-19, este ano a ação mundial de limpeza ocorrerá de forma digital, com o conceito “Eu cuido do meu quadrado”. A proposta é que os voluntários realizem ações práticas dentro de casa, como limpezas nos quintais, nos aparelhos eletrônicos e em sua mente, e acompanhem lives sobre diversos temas relacionado a essas práticas.

Em dois anos de participação ativa, a Leroy Merlin já mobilizou mais de 400 pessoas em oito cidades. Mais uma vez, a empresa apoia a iniciativa, que é liderada pelo movimento global  Instituto Limpa Brasil – Let’s do It! e mobilizado  Teoria Verde. Cientes de que os participantes estão impedidos de se juntarem fisicamente e sair para limpar as ruas, praias e parques das cidades, a empresa incentiva seus Colaboradores a adotarem ações para a limpeza do nosso planeta, promover o cuidado com o meio ambiente e o diálogo sobre sustentabilidade.

Na véspera do dia nacional do Cleanup Day, a Leroy Merlin convidou seus Colaboradores a participem de uma conversa digital com especialistas em consumo e descarte consciente, abordando as melhores práticas para redução da geração de lixo doméstico, como criar hábitos de consumo consciente e o descarte consciente de materiais. O objetivo é que todos estejam mais conscientes para que a sociedade tenha menos lixo e mais futuro. Afinal de contas, essa casa só temos uma.

 

 

Ame Digital apoia o combate às queimadas no Pantanal

 

Frente ao atual cenário de queimadas que devastam o Pantanal, maior planície alagável do planeta e Patrimônio Natural da Humanidade reconhecida pela Unesco, a Ame Digital fez parceria com o Instituto Homem Pantaneiro. O Objetivo é ampliar a arrecadação de recursos, que serão revertidos em doações para apoiar o trabalho da Iniciativa Brigada Alto Pantanal na luta contra as chamas.

Neste mês, mais de 2.200.000 hectares da região do Pantanal foram atingidos pelo fogo, o que representa o equivalente a 13% de todo o bioma. Fora de controle, a situação vem piorando a cada dia. Segundo Angelo Rabelo, coordenador do projeto de combate às queimadas, a ideia de criar a brigada surgiu para apoiar os estados, uma vez que a contratação de brigadistas pelo IBAMA e ICMBio ocorre de forma sazonal, entre julho e dezembro, e não consegue ter mão de obra suficiente para atuar nas regiões mais remotas e menos habitadas do Pantanal.

Diante da catástrofe ambiental, a Ame Digital está oferecendo uma forma segura e rápida de realizar doações. Para apoiar a causa é preciso apenas acessar a área de Doações, disponível dentro do menu Transações, clicar em Meio Ambiente e selecionar o Instituto Homem Pantaneiro. A quantia mínima é de R$ 5,00, e os valores ajudarão a manter o projeto, monitorar os focos de calor no Pantanal, deslocamento e alimentação de técnicos e brigadistas em campo, combater os incêndios florestais e preservar a fauna pantaneira.

O Pantanal está em chamas, e para ajudar acesse: www.amedigital.com ou www.brigadaaltopantanal.org.br

Sobre a Ame –
 A Ame é uma fintech e plataforma de negócios mobile criada para simplificar a maneira como as pessoas e empresas se relacionam com o dinheiro. Com pouco menos de dois anos de existência, já tem presença nas mais de 1.600 unidades da Lojas Americanas em todo o país, além dos sites Americanas.com, Submarino, Shoptime, Sou Barato e em diversos outros lojistas do mundo físico. Além de possibilitar o pagamento via celular com uso do QR Code, a Ame também apresenta o cashback, benefício no qual uma parte do dinheiro de todas as compras volta para a conta Ame do cliente.

Com o app Ame Digital também é possível fazer pagamentos de contas e boletos bancários, compra de cartão de transporte, recarga de celular e depósito de dinheiro em espécie. Na versão Ame Plus, destinada para quem quer vender com o app, os lojistas podem realizar transferência de valores da sua conta Ame para sua conta bancária. Uma das primeiras iniciativas da IF – Inovação e Futuro, Ame conta com mais de 10 milhões de downloads e oferece serviços e soluções que facilitam o dia a dia das pessoas.

Natura anuncia parceria com Quebrando o Tabu para o Dia de Proteção às Florestas

 

Em meio à pandemia de Covid-19, os impactos ambientais em territórios e comunidades da Amazônia vêm se tornando cada vez mais evidentes. O número de queimadas em junho foi o maior observado para o mês desde 2007, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). As queimadas aumentaram em 19,6% em relação a junho de 2019 e nos primeiros seis meses de 2020 foram registrados 10.395 focos ativos pelo país, sendo 2.248 apenas no último mês. A conservação da Amazônia sempre esteve ligada às causas da Natura e, em referência ao Dia de Proteção às Florestas no Brasil, celebrado em 17 de julho, a marca realiza uma parceria com o ‘Quebrando o Tabu’ – veículo de comunicação com atuação nas principais redes sociais, também conhecido pelo incentivo ao debate sobre questões que envolvem a sociedade.

O resultado dessa união será a divulgação de conteúdos exclusivos que abordam a gravidade da situação em que se encontram as florestas brasileiras (especialmente a Amazônia) nas mídias sociais do Quebrando o Tabu.  No perfil do Instagram, será divulgado um vídeo “SAC Meio Ambiente”, que também estará disponível no YouTube e no Facebook. O conteúdo pretende solucionar dúvidas, relacionadas ao tema, enviadas pelos seguidores. Também serão expostos ciclos de produção sustentável e ações de conservação da Amazônia por Natura Ekos. No final de cada conteúdo, será possível aprender sobre iniciativas executadas por Natura Ekos, a única marca brasileira de cosméticos com o selo da União para o BioComércio Ético (UEBT, estabelecida como uma iniciativa da ONU ).

Desde o Dia do Meio Ambiente (05/06), a Natura e o Quebrando o Tabu vêm trabalhando em conjunto para a produção de conteúdos que expõem o que vem acontecendo na Amazônia. O objetivo da parceria é mostrar a importância que a floresta tem para o país e para o planeta, compartilhando informações sobre modelos de negócio conscientes como o da Natura Ekos, que visa trabalhar com a Amazônia estimulando a economia da floresta em pé.

 

Dia de Proteção às Florestas

As florestas ocupam cerca de 30% da superfície terrestre e são indispensáveis para o equilíbrio ecológico. Elas são o lar de diversas espécies, são essenciais para a qualidade de vida das pessoas e servem como fontes de pesquisas científicas e de recursos naturais. A Amazônia, por exemplo, é a maior floresta tropical do mundo e exerce um grande papel na regulação climática e influencia diretamente no regime de chuvas da América do Sul. A capacidade de regeneração natural das florestas, no entanto, acaba não conseguindo acompanhar os altos índices de desflorestamento. Assim, para chamar a atenção da população brasileira para as causas ambientais, foi criado o Dia de Proteção às Florestas. O intuito é estimular a criação de ações que visam acabar com a exploração ilegal da biodiversidade e conter o desmatamento, causado pelo processo acelerado de urbanização, crescimento populacional e a propagação de áreas de cultivo e pastagem.

 

O que mais a Natura tem feito?

Para a Natura, é importante reconhecer a importância de iniciativas capazes de reduzir as mudanças climáticas ao minimizar os efeitos da emissão de gases causadores do efeito estufa. Desde 2007, a empresa possui o Programa Natura Carbono Neutro, que diminui consideravelmente a emissão de gases de efeito estufa, garantindo produtos 100% Carbono Neutro – isso significa que a emissão de poluentes é compensada. Além disso, a Natura oferece opções de refil para 200 dos seus produtos dos setores de cuidados pessoais e perfumaria, evitando a emissão de mais de 560 toneladas de carbono. A meta atual da empresa é zerar suas emissões de gases de efeito estufa nos próximos dez anos.

A Amazônia também é fundamental para a Natura. Atualmente, a empresa utiliza 38 bioativos da biodiversidade amazônica fornecidos através do relacionamento com 5.136 famílias de 33 comunidades. Todas as ações locais respeitam o ritmo da floresta, contribuindo para que o ecossistema se mantenha regulado. Dessa forma, junto a uma rede de parceiros, 1,8 milhão de hectares na Amazônica foram conservados, o que é equivalente a 2,5 milhões de campos de futebol e 12 vezes a cidade de São Paulo.

Com o surgimento da pandemia de Covid-19, a Natura decidiu se comprometer a garantir contratos de fornecimento, assegurando a renda de comunidades e cooperativas locais, independente da produção e da colheita. A empresa também forneceu auxílio para as cooperativas fornecedoras parceiras com o intuito de prevenir a infecção e apoiar pessoas que venham a se infectar. Além de orientações, também estão sendo efetuadas doações: já foram doados cerca de 87.131 unidades de sabonetes e 10 mil frascos de 200ml de álcool em gel.

Em relação aos bioativos utilizados, alguns exemplos se destacam. A Natura já viabilizou a conservação de ucuubeiras em suas áreas de atuação, seguindo as diretrizes do Projeto de Conservação da Ucuuba; decidiu coletar apenas 50% das sementes de Andiroba para que a outra metade seja semeada em prol da manutenção da espécie; contribuiu para gerar prosperidade para comunidades e para a conservação da mata ciliar em uma área equivalente a 1.200 hectares de floresta de várzea, graças a linha Natura Ekos e o uso do açaí; instruiu fornecedores para que eles selecionem até 80% dos patauazeiros, deixando o restante para regeneração e alimentação de animais, já que a planta se desenvolve lentamente e leva até cinco anos para produzir frutos.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Líder no setor de venda direta no Brasil, com mais de 1,7 milhão de consultoras, faz parte de Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Natura, Avon, The Body Shop e Aesop. A natura foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação BCorp no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. É também a primeira empresa brasileira a conquistar o selo “The Leaping Bunny”, concedido pela organização de proteção animal Cruelty Free International, em 2018, que atesta o compromisso da empresa com a não realização de testes em animais de seus produtos ou ingredientes. Com operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México, Peru e Malásia, os produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as Consultoras, por meio do e-commerce, app Natura, nas lojas próprias ou nas franquias “Aqui tem Natura”. Para mais informações, visite www.natura.com.br ou acesse os perfis da empresa nas redes sociais: LinkedIn, Facebook e Instagram.

Dia Nacional de Proteção às Florestas: O  Boticário fica “invisível” no Instagram para alertar sobre o risco de desaparecimento das florestas

Salto Morato, Reserva Natural Salto Morato, Guaraquecaba, Parana, Brasil, foto de Ze Paiva, Vista Imagens.

 

 

Neste dia 17 de julho, data em que é comemorado o Dia de Proteção às Florestas, o perfil de O Boticário no Instagram amanhecerá vazio para impactar e alertar seus mais de 8 milhões de seguidores sobre o risco de desaparecimento das florestas. O objetivo da ação é conscientizar a audiência sobre a importância de proteger essas áreas, que cobrem 58% do território nacional e têm no desmatamento a sua maior ameaça.

O único post encontrado por quem acessar o perfil da marca trará um pequeno trecho de floresta. “A sensação de ‘vazio’ e ‘perda’ que geramos com a ação é uma provocação: nossas florestas, que garantem inúmeros benefícios sociais e econômicos, podem sumir de uma hora para outra”, explica a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes, ressaltando que a causa do meio ambiente é abraçada pela empresa há 30 anos, quando foi criada a Fundação.

 

Florestas

Dados do Relatório de Avaliação Global dos Recursos Florestais de 2020 da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), apontam que 12% das florestas do mundo estão no Brasil, totalizando 497 milhões de hectares. Somente em 2019, de acordo com o Relatório Anual do Desmatamento no Brasil, do MapBiomas, cerca de 1,2 milhão de hectares foram desmatados em todos os biomas. Mais de 60% estão relacionados à Amazônia (770 mil hectares), seguido pelo Cerrado (408,6 mil), Pantanal (16,5 mil), Caatinga (12,1 mil) e Mata Atlântica (10,6 mil).

Considerando apenas as áreas com vegetação nativa, a economia das florestas gerou, em 2018, 11.638 empregos formais no Brasil. Em 2017, produtos coletados sem a necessidade de derrubada de árvores movimentaram R$ 1,3 bilhão. Os dados são do Serviço Florestal Brasileiro (SFB). “Diante deste contexto, o Grupo Boticário almeja que sociedade, empresas e órgãos públicos entendam a importância das florestas em pé e defendam a sua conservação em todo o País. Além do âmbito econômico, elas minimizam o impacto de gases de efeito estufa, estocam carbono, oferecem serviços ambientais e garantem maior resiliência e mais saúde para a população. Pessoas e negócios vivem mais e melhor com florestas conservadas”, afirma Malu.

 

Impacto

As pessoas impactadas pela ação serão conduzidas à página da Fundação Grupo Boticário, onde compreenderão mais e melhor a relevância do trabalho conduzido pela instituição – uma história que reflete a causa ambiental abraçada pelo Grupo Boticário como um todo. A iniciativa foi construída em parceria com a Fundação e a agência W3Haus, responsável pelos canais digitais da Fundação e O Boticário. “Esse projeto de conteúdo traz como aprendizado o papel que a discussão em prol da proteção da natureza pode ter no meio digital, aproximando as conversas sobre o meio ambiente de uma forma contemporânea”, destaca o diretor de criação da W3Haus, Andrey Dutra.

Com três décadas de atuação a favor da proteção do meio ambiente, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera.

Diageo lança uísque em garrafa de papel em 2021

A Diageo, proprietária das marcas Johnnie Walker, Smirnoff, Ypióca e Tanqueray, acaba de apresentar a primeira garrafa de destilados do mundo 100% livre de plástico. A embalagem fará sua estreia no mercado no início de 2021 com scotch, Johnnie Walker.

Também foi anunciada, nesta segunda-feira, uma nova parceria com a Pilot Lite, uma empresa de venture management, para lançar a Pulpex Limited, nova líder mundial em tecnologia de embalagens sustentáveis e responsável por desenvolver a garrafa à base de papel escalável “inédita”, que pode ser totalmente reciclada.

“Estamos orgulhosos de termos criado essa embalagem inédita. Buscamos constantemente nos superar, e essa embalagem sustentável tem o potencial de ser um grande marco. Há muito sentido em estreá-la com a Johnnie Walker, uma marca que sempre abriu caminhos para a inovação em seus 200 anos de vida”, diz Ewan Andrew, diretor global de Sustentabilidade da Diageo.

A embalagem foi projetada para conter uma variedade de produtos líquidos e fará parte do compromisso da Diageo com a meta 12 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas de consumo e produção responsáveis.

A Pulpex Limited estabeleceu um consórcio com principais empresas de FMCG (Fast Moving Consumer Goods) do planeta em diferentes categorias, incluindo Unilever e PepsiCo, para garantir que a inovação possa ser usada de forma abrangente. A tecnologia desenvolvida permitirá produzir uma variedade de garrafas de molde único sem plástico para uma variedade de bens de consumo, possibilitando que as marcas repensem seus designs de embalagens ou que essas passem a ser de papel, sem comprometer a qualidade existente do produto.

A expectativa é que os parceiros do consórcio lancem suas próprias garrafas de papel, com base no design e na tecnologia da Pulpex Limited, em 2021.

“Estamos entusiasmados por atuar com os líderes globais de marcas deste consórcio. Ao trabalharmos juntos, podemos usar o poder coletivo das marcas para ajudar a minimizar as marcas ambientais das embalagens, alterando os comportamentos de fabricação e de consumo”, Sandy Westwater, diretora da Pilot Lite.

Beba com Inteligência. Não compartilhe com menores de 18 anos.

No mês do Meio Ambiente, Grupo Aço Cearense reforça seu compromisso com o desenvolvimento sustentável

Com forte atuação no desenvolvimento e na conservação do meio ambiente, o Grupo Aço Cearense tem investido em sustentabilidade, construindo capital econômico, natural e social, com a missão de atuar no mercado do aço de forma sustentável, dinâmica e com excelência.

“A Gestão Ambiental está na nossa Política de Gestão Integrada, que norteia as decisões da organização quanto aos relacionadas aos aspectos ambientais que envolvem nossas atividades. Os colaboradores são envolvidos desde a sua entrada na empresa, com treinamento de integração, em que são sensibilizados quanto à importância de agir de acordo com a política na empresa”, destaca Carlos Yves Cavalcanti, gerente de Sustentabilidade da Aço Cearense.

A política de gestão integrada adotada apoia-se no princípio de gerenciar os aspectos e os  impactos ambientais das atividades, preservando o meio ambiente. Focando nesse compromisso, o Grupo Aço Cearense tem feito várias ações para a melhor gestão dos recursos disponíveis e para a destinação adequada dos resíduos gerados nas unidades industriais e comerciais.

“As ações de nossas áreas de gestão ambiental e gestão de resíduos são previamente planejadas através de planos de comunicações elaborados em conjunto com a nossa área de Comunicação, estabelecendo o que divulgar, qual o público alvo, como divulgar e quando divulgar. Como esse compartilhamento é elaborado de forma estruturada, racional e educativa, inclusive através de treinamentos periódicos para cada assunto tratado, além de fazermos auditorias internas para acompanhamento e medições da evolução de cada projeto, podemos afirmar que o nível de adesão é bastante satisfatório, demonstrando o alto nível de qualidade das ações que nos propomos a executar, explica Carlos Yves.

Entre as ações executadas pela companhia estão o consumo de coprodutos através de sinterização; o uso da logística reversa com baterias e pneus; o sistema de captação e de tratamento de efluentes que garante 98,35% de água recirculada nos processos industriais, e a aplicação de metodologias para destinação correta e redução dos resíduos gerados, como óleo para rerrefino e escória para recuperação de vias públicas.

Há uma preocupação de praticar a gestão ambiental competente e eficaz e difundi-la entre colaboradores, familiares e todas as comunidades com as quais a Aço Cearense tem relacionamento direto ou indireto. Para Carlos Yves, os avanços são perceptíveis nas atividades industriais e comerciais das empresas localizadas nos Estados do Ceará, Pará e Tocantins, permitindo um excelente relacionamento com a sociedade como um todo e, especificamente, com os órgãos ambientais que, visivelmente, reconhecem as ações em defesa do meio ambiente.

“Melhoramos a nossa destinação de resíduos e coprodutos com uma destinação mais adequada de reciclagem, reaproveitamento e envio para coprocessamento, investimentos expressivos foram realizados em controle de emissões atmosféricas. Assim como mantemos um robusto sistema de tratamento e recirculação de água, que garante um uso adequado dos recursos hídricos. Diante desse novo modelo que se está configurando o cenário mundial e local, temos o desafio de nos tornarmos ainda mais sustentáveis, com um olhar para o negócio, onde as questões ambientais se tornam um vives importante das tomadas de decisão”, complementa Junimara Chaves, coordenadora de Gestão Ambiental da SINOBRAS.

“Hoje, no momento em que vivemos um completo estresse mundial, estamos mais ainda observando como é bom ter boas práticas. A atmosfera está mais limpa, os rios e as baías com águas mais transparentes, menor uso de motores à combustão de combustíveis fósseis, levando-nos cada vez a sermos mais criativos e inovadores de forma a, inclusive, avançar nessa nova realidade para termos um mundo melhor onde nossas gerações atuais e futuras possam ter uma vida mais agradável e sustentável”, comenta Carlos Yves Cavalcanti.

Veja algumas ações que o Grupo Aço Cearense realiza:

·       Produção de redutor bioenergético de forma sustentável, com 15 fazendas próprias de plantio de eucalipto em uma área de 25.100 hectares.

·       Plantio de carnaubeiras em uma área de 100 mil m² de preservação ambiental, atendendo a legislação vigente.

·       Consumo de coprodutos através de Sinterização, assim reaproveitando materiais e reduzindo demanda de matérias primas e energia na produção de ferro gusa;

·       Uso da logística reversa para baterias e pneus;

·       Substituição de lâmpadas fluorescentes por led;

·       Sistema de captação, tratamento e recirculação de água, que garantem 98,35% de água recirculada nos processos industriais;

·       Aplicação de metodologias que melhoram o desempenho e o acompanhamento das destinações e reduções dos resíduos gerados, como a destinação de óleo usado para rerrefino e escórias para recuperação de vias públicas;

·       Sistema de coleta, armazenamento em reservatórios artificiais de grande porte, bombeamento e tratamento de águas pluviais em Estação de Tratamento de Água – ETA, assegurando integralmente o abastecimento para consumo humano e industrial;

·       Todas as empresas do Grupo Aço Cearense possuem Estações de Tratamento de Efluentes Industriais – ETEI, assegurando o adequado tratamento desses efluentes e seus descartes nos mananciais em completo atendimento aos requisitos legais.

·       Para a gestão dos resíduos sólidos e líquidos, temos projetos de coleta seletiva nas nossas empresas, um exemplo é o Projeto Reciclo realizado na Aço Cearense.

·       Doações de centenas de mudas de árvores de espécies nativas, florestais, frutíferas, medicinais e ornamentais aos colaboradores. Com palestras e treinamentos de educação ambiental.

 

Sesc abre inscrições para Grupos de Estudos Ambientais

 

Com o objetivo de promover educação e cidadania ativa, o Sesc Fortaleza em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), por meio do curso de Ciências Ambientais, Laboratório de Biogeografia e Estudos da Vegetação e Instituto de Ciências do Mar (Labomar), está com inscrições abertas para o Grupo de Estudos Ambientais (GEA). Gratuito e totalmente online, o projeto é subdividido em três categorias: infantil, iniciante e intermediário, possibilitando o acesso a todos os públicos.

Os interessados podem se inscrever até a próxima sexta-feira, 12, através de preenchimento do formulário no link: https://bit.ly/3hcZ4oM, e as vagas são limitadas. De acordo com Clarice Araújo, analista assistencial do Sesc Fortaleza, a sustentabilidade é o ponto de partida para os três grupos, mas cada um tem suas especificidades.

“Para o público infantil, temos uma abordagem lúdica sobre recursos naturais e importância de fauna e flora. Com os iniciantes serão discussões sobre práticas sustentáveis domésticas e tudo o que está relacionado ao cotidiano. Já no grupo intermediário o debate é sobre biodiversidade, conservação da natureza, áreas de proteção de forma mais aprofundada”, explana.

O diálogo ambiental é uma oportunidade para os pais que querem incentivar os filhos nos cuidados com o Planeta. O grupo das crianças tem duração de um mês, com encontro online semanal às quartas-feiras de 14h30 às 15h, e tem como foco alcançar um público infantil com idade entre 6 e 10 anos.

Para aqueles que possuem interesse pela temática ambiental, mas ainda não tem muito contato com o assunto, o GEA tem vagas para iniciantes. Com duração de três meses, os encontros acontecem às quintas-feiras de 18h às 18h40, de forma online. Para o público intermediário, que já estuda ou trabalha com temáticas ambientais, a troca de conhecimento acontece às quartas-feiras de 18h às 19h, tendo duração de seis meses.

 


Serviço:

Inscrições abertas para Grupos de Estudos Ambientais

Vagas limitadas

Período: até dia 12 de junho

Formulário de inscrição: https://bit.ly/3hcZ4oM