Browsing Tag

Livro

A poesia que narra o lado obscuro e rebelde da vida

“Um rolezinho pelo lado selvagem” descreve em poesia 75 anos de seu autor, o psiquiatra e artista Luiz Teixeira Neto. Em 31 poemas, o autor revela os seus amores, as dores, o tesão e a paixão, que não se resume a amorosa. Ao som do  DJ Alan Morais, a obra será lançada no dia 31 de Agosto, a partir das 11h, no Florida Bar.

Um rolezinho pelo lado selvagem “é uma síntese de uma vida marcada não só pela poesia, mas pela coragem de experimentar e explorar abismos para, sem disfarces, poder apresentar o outro lado, o avesso das coisas e o rosto atrás das máscaras”, revela o autor. Com ilustrações do diretor de arte Saul Ferreira, que foram escolhidas cuidadosamente, os poemas retratam diferentes épocas e situações existenciais. 

A paixão de lutar por uma vida menos ordinária, por um mundo menos vazio, foram as inspirações para a criação dessa obra, que completa a trilogia iniciada com “Caminhos e Pegadas” (2017) e “Hannah e a Bailarina” (2018). Os poemas passeiam pelo tempo, desde meados dos anos sessenta até os dias atuais. O Autor fala sobre coisas que aconteceram com ele e com outras pessoas. “Cada obra leva pelo menos um ano para as ilustrações se encaixarem com as produções textuais. É um processo incrível de construção e desconstrução com Saul, que acabou se tornando um amigo e companheiro deste processo criativo”, conta Teixeira.

Entre as temáticas abordadas, destaca-se  as angústias políticas dos difíceis anos de 60, 70, os dilemas pessoais dos anos 80, 90, 2000 e a importância de suas musas, os afetos trocados com suas parcerias de sonho e de vida. “Esse livro é apenas um delírio poético. Uma ficção e realidade. Fala sobre sexo e drogas, como algo que foi bastante intenso na minha geração”, releva Luiz Teixeira. 

Sobre o autor 

Luiz Teixeira Neto, 75 anos, é médico psiquiatra e literato. Em 1983 lançou em livro um ensaio médico/científico que considera sua estreia na literatura.  O título do livro é A Dialética da doença e outros temas correlatos. Em 2007 lançou o livro bissextos, uma coletânea de poesias. Posteriormente publicou vários poemas em antologias e revistas literárias. Em 2014 lançou uma plaquete com o título: Um rolezinho pelo lado selvagem, que agora se transformou em livro.

Serviço:

Lançamento do Livro “Um rolezinho pelo lado selvagem”

Dia: 31 de Agosto

Hora: a partir das 11h
Local: Florida Bar – Rua Dom Joaquim, 68 – Centro

Onde comprar: após o lançamento, na Livraria Cultura

LIVRO CONTA A TRAJETÓRIA DE EVALDO GOUVEIA SERÁ LANÇADO DIA 28 DE AGOSTO

 A música popular brasileira rendeu grandes personagens. Cada um com sua particularidades e muitas histórias para contar. Entre eles, o cantor e compositor cearense, Evaldo Gouveia, escreveu seu nome da história da MPB. O autor de sucessos imortais, muitos ao lado do parceiro Jair Amorim tem a sua trajetória de vida e música contadas no livro O Que Me Contou Evaldo Gouveia, de autoria do comunicador, empresário e produtor cultural Ulysses Gaspar.

O evento de lançamento e noite de autógrafos acontecerá no dia 28 de agosto, às 19h30, na Livraria Leitura, no Shopping RioMar Fortaleza, que também contará com pocket show do cantor, Marcos Lessa, interpretando sucessos de Evaldo Gouveia que também estará presente.

Segundo o autor, não se trata de uma biografia, mas de um relato autobiográfico colhidos em 200 horas de gravação com Evaldo Gouveia acontecidas em encontros com Evaldo Gouveia em na casa do autor, em Fortaleza, e no Rio de Janeiro, na casa do compositor em 20017 e 2018.

As 237 páginas conduzem o leitor por curiosidades, às origens de Evaldo Gouveia no interior do Ceará, sua vinda para Fortaleza ainda criança, sua atuação no rádio na capital cearense, o Trio Nagô, o encontro com figuras que foram parte integrante de suas canções – o parceiro Jair Amorim e seu maior intérprete, o cantor Altemar Dutra, que imortalizou sucessos como, O Trovador, Sentimental, entre outros, até sua consagração como cantor e compositor de sucessos gravados por Nelson Gonçalves, Ângela Maria e  Alaíde Costa.

Aos 91 anos completados no dia  08 de agosto deste ano, Evaldo Gouveia segue influenciando novas gerações. O livro é prefaciado por outro grande nome da MPB, o compositor Paulo César Pinheiro, também parceiro do homenageado.

“Eu quero que o povo cearense conheça a história do maior ícone da música cearense, o cantor e compositor que levou a música do Ceará e do Brasil para o mundo. Depois dele veio a geração Pessoal do Ceará”, declara Ulysses Gaspar a respeito da missão maior do livro.

O Que Me Contou Evaldo Gouveia é uma realização da Leq Produções.

Serviço

Lançamento do livro O Que me Contou Evaldo Gouveia, de Ulysses Gaspar
Pocket show com Marcos Lessa interpretando Evaldo Gouveia.

Presença de Evaldo Gouveia.

Livraria Leitura –  Shopping RioMar Fortaleza (2º Piso)

Dia 28 de agosto, às 19h30

Endereço: Rua Des. Lauro Nogueira, 1500 – Papicu –  Fortaleza – CE

Livro à venda no local: R$ 50,00

Informações: 85 98690-9240

Jovem escritora de Pentecoste lança livro durante a Bienal

No Brasil, 51% das crianças abusadas sexualmente tem de 1 a 5 anos, segundo dados do Boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. Com o intuito de prevenir e combater o abuso sexual infantil, a jovem escritora de Pentecoste (CE), Mônica Mota, 22, lança o livro “Tom, Elis e Chico” no próximo dia 21, às 16h, durante a Bienal Internacional do Livro, no Centro de Eventos do Ceará.

Lançada pela editora Brasil Tropical, a obra narra a história de três macaquinhos irmãos que, após sofrerem abuso sexual, perdem toda a magia e a alegria da infância. Vítima de abuso sexual na infância, Mônica Mota usa a publicação para alertar a respeito da temática aos pais, crianças e educadores. A jovem é conhecida por ser a idealizadora da campanha “Todo Dia é 18 de maio” que tem como objetivo combater o abuso sexual infantil, além de já ter realizado ações em sua cidade que colocam em pauta o tema e mobilizam a sociedade.

“A publicação visa sensibilizar, mobilizar e conscientizar sobre essa causa. Desde 2014, me dedico a desenvolver ações que possam a ajudar a combater e prevenir o abuso sexual infantil”, explica a autora.

A história conta com as ilustrações da designer Lia Britto que usa em seus desenhos cores primárias e traços leves para atrair a atenção e compreensão das crianças. A publicação é destinada para crianças de 4 a 10 anos e está disponível para venda na Livraria Benfica (Shopping Benfica – Av. Carapinima, 2200 – Loja 06)  pelo valor de 36 reais.

Mônica Mota

Mônica Mota é natural de Pentecoste, interior do Ceará, da comunidade rural chamada Miguá -Terra. Vítima de abuso sexual na infância, vem se destacando por sua superação e por desenvolver ações que combater esse tipo de crime. A jovem de 22 anos promoveu a primeira audiência pública sobre o abuso sexual infantil e a primeira corrida de rua em Pentecoste para alertar acerca do tema, além de ministrar palestras para adolescentes, pais, professores e universitários sobre o temática.

Serviço

Lançamento do Livro Tom, Elis e Chico na Bienal Internacional do Livro

Data: 21 de agosto

Local: Centro de Eventos do Ceará Arena 1- Praça Iracema – Pavilhão Térreo

Horário: 16h

Entrada Gratuita

Marulhos, outros barulhos e alguns silêncios: Christovam de Chevalier celebra 20 anos de carreira literária lançando livro

Christovam de Chevalier costuma dizer que, na sua casa, vivem o jornalista e o poeta. “O primeiro é quem paga as contas, mas tenho fé de que, algum dia, ambos vão dividir as despesas”, completa ele com bom humor. O trabalho do poeta completa, este ano, duas décadas de perseverança. E a data é celebrada com o lançamento de “Marulhos, outros barulhos e alguns silêncios” (7 Letras), terceiro livro do escritor. A obra é dividida em três partes. A primeira, “Marulhos”, traz 18 poemas nos quais o mar é a metáfora de um amor que cumpriu seu ciclo – e que inspirou exposição homônima, exibida pelo Oi Futuro no início do ano. As outras partes são “Poema grito”, inspirado pela própria relação do autor com sua escrita, e “Cantares de amor às pessoas do meu tempo”, no qual canta amores findos e saúda artistas que perseveram no seu ofício criador. A orelha da obra é assinada pela crítica e curadora de arte Claudia Ahimsa, que chama a atenção para a qualidade da coletânea: “E impressiona o seu phatos, seu mundo reconstruído (…) assim como o aspecto formal estruturado, o metro, a rima, a sintaxe na linha do irretocável”.

O livro é aberto com “O momento presente (Motivo remix)”, espécie de prólogo no qual o autor leva à poesia a questão da ideologia de gênero. E inicia seu discurso evocando a figura de Cecília Meireles (1901-1964) – que quebrou o paradigma de a mulher ser tratada como poetisa. Mais exatamente o ponto de partida é o poema “Motivo”, da autora (daí o subtítulo do poema). “A poeta nos disse cantar porque existe/o instante e que sua vida estava completa/ E não importa, com sua licença, o que insiste/ em sermos agora. Se homem, mulher ou poeta”, provoca ele.

O leitor mergulha, em seguida, no primeiro dos livros que compõem a coletânea: “Marulhos”. Nessa obra, composta por 18 poemas, o mar é o pano de fundo (ou seria a personagem principal?) para o poeta falar de um amor, da euforia do encontro ao luto provocado por seu ocaso. “Um homem entregue à pena do mar/ ao degredo do mar/ ao indulto do mar/ Meu crime?/ Amá-lo acima dos homens”, entrega ele lançando-se no terreno do mar/amor. E como em toda aventura, há o fim – provocado pela partida do outro: “O marinheiro foi-se/sem deixar pistas de seu destino/ Foi-se como a vida esvai-se/ sem fazer (ou ter) nenhum sentido”.

“Poema grito” é a segunda parte da coletânea. Ela é também composta por 18 poemas, todos sem título, que podem ser lidos cada um individualmente ou formarem um longo e único poema. Nessa parte, o autor expõe sua luta/labuta com a escrita, com algo que é um lampejo daquilo que, quem sabe, pode vir a ser um poema: “Poema-grito que reverbere pelas paredes/ricocheteie nos edifícios/adentre apartamentos/ ensurdeça cada cidadão”.

Em “Cantares de amor às pessoas do meu tempo”, terceira e última parte do livro, o poeta joga luz sobre efemérides de sua vida – e nas de artistas aos quais está ligado. E essas efemérides abarcam desde o fim de mais uma relação amorosa (“Tuas ausências, tuas mentiras/o vazio que era você agora é imenso/ O que encontro de melhor em mim/ é algo que não te confesso) até celebrações, como as que inspiraram os poemas dedicados às cantoras Fhernanda Fernandes (“A propósito de um cantora”) e Laura Finocchiaro (“A artista e seu ofício”), em razão de terem completado, respectivamente, 35 e 30 anos de carreira.

Christovam de Chevalier é, aos 43 anos, apontado por nomes consagrados da literatura como o maior poeta da sua geração. E esses “Marulhos, outros barulhos e alguns silêncios” têm tudo para corroborar isso. É como diz Claudia Ahimsa sobre o novo livro do autor: “o conteúdo libertário, de alma ‘bravia feito o mar’, em versos de alta precisão. Navegar é preciso”.

Mais sobre o autor:

Christovam de Chevalier é autor de “Um livro sem título” (7Letras, 1998) e “No escuro da noite em claro (7 Letras, 2016). Tem também poemas publicados nas revistas “Rua”, da Unicamp, e da Biblioteca Nacional, além da coletânea “Agora como nunca”, organizada por Andriana Calcanhotto e editada no Brasil (Cia das Letras, 2017) e em Portugal (Cotovia).

Serviço:
Título: “Marulhos, outros barulhos e alguns silêncios”
Autor: Christovam de Chevalier
Local: Bienal Internacional do Livro – Arena 2 – Praça O Quinze / Pavilhão Térreo (Centro de Convenções do Ceará)
Editora: 7 Letras
Formato:  14 X 21cm
Número de páginas: 76
Preço: R$ 36

Ricardo Lotif lança livro na Bienal e em Irauçuba

Neste mês de agosto, Ricardo Lotif, fisioterapeuta e presidente  do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 6ª Região Ceará (Crefito-6), lançará seu primeiro livro, Trajetória de Ricardo Lotif Araújo, Fé, Gestão e Trabalho, em dois eventos: o primeiro, na Bienal Internacional do Livro do Ceará (dias 16 a 25), no Centro de Eventos; e o segundo, na cidade de Irauçuba (dia 30), sua terra natal, a 155 Km de Fortaleza. 

Em Irauçuba, o lançamento ocorrerá na Secretaria de Educação, e exemplares serão doados para as 38 escolas e para a Biblioteca Municipal do município. 

A publicação é um projeto pessoal do gestor, um sonho que por muito tempo não foi compartilhado, e que se consolidou após o incentivo de amigos, que enxergaram no homem simples, de fala segura e riso sempre presente, uma inspiração para muitas gerações. 

Ricardo Lotif tem 43 anos, é cearense, natural de Irauçuba,  casado, pai de dois filhos. Já escreveu e publicou diversos artigos e capítulos de livros na sua área de atuação. Formado em Fisioterapia, ele é mestre em Saúde Pública pela Universidade Estadual do Ceará, professor universitário, presidente de uma autarquia federal e atuante em diversas causas em favor da saúde, educação e dignidade humana. Conduz sua carreira de mais de trinta anos com muita fé, foco e espírito de liderança. Aos quinze anos veio para a capital com o objetivo de estudar e cuidar do irmão mais novo com apenas nove anos de idade.  Nascido em família de classe média alta, ele decidiu lutar não só pelos seus sonhos, mas para que todos ao seu redor tenham oportunidades e protagonismo social. 

Desde criança fui orientado a cuidar de mim e buscar meus objetivos. Saí do interior para estudar na capital e precisava ter disciplina para não perder o rumo dos meus objetivos, afinal estava longe da família “, diz. Para ele, as pessoas podem ser gestoras em coisas simples da vida, como casa, carreira, estudos e tarefas cotidianas. “O importante é sempre lembrar que o conhecimento é essencial, assim como sua busca por ele“, afirma.

Aos poucos o projeto, feito por “seis mãos” (contou com o trabalho da jornalista Cláudia Leite e do fotógrafo Jelbes Lima) foi crescendo, as entrevistas foram acontecendo e o livro foi tomando forma diante da história do homem que é pai, filho, marido, amigo, neto, esportista, professor, presidente de conselho e um incansável aprendiz da vida. “Estou muito feliz por poder compartilhar essa história com as pessoas, tenho muito orgulho de todo o trabalho árduo para chegar até aqui e dou graças a vida e a Deus, afinal, o universo conspira a favor de quem não conspira contra ninguém“, finaliza. 

Serviço:

Lançamento do livro ‘Trajetória de Ricardo Lotif Araújo, Fé, Gestão e Trabalho’ em Irauçuba

Data: 30 de agosto de 2019

Horário: 19h

Local: Secretaria de Educação de Irauçuba

XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará festeja a cidade e os livros em uma homenagem a Sérvulo Esmeraldo

Um barco exalando fumaça, uma mulher com cabelos esvoaçantes, uma sereia misteriosa… Quem vê a obra Femme-Bateau, de Sérvulo Esmeraldo, pode ter interpretações múltiplas. A criação do cearense permite diferentes leituras e isso chamou a atenção de Anna Dantes, editora carioca convidada para criar o selo e a identidade visual para a XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, que acontece de 16 a 25 de agosto em Fortaleza.

“Foi algo surpreendente, eu tinha outra proposta para a identidade visual, quando vi a Femme-Bateau  do Sérvulo ela tomou conta da ideia do selo. Ela é poética, potente e tem uma relação afetiva com a cidade. É uma imagem muito interessante, que se transforma a partir da leitura que se faz dela; pode ser rebocador que solta fumaça ou uma mulher barco. Como o Ela traz esse caminho de possibilidades”, comenta.

Segundo Anna Dantes, esta é a mensagem: “É uma Bienal voltada para o entendimento de que temos que abrir espaço para mundos possíveis, para cidades possíveis, e a Femme-Bateau, como disse o Sérvulo, é uma Femme-Bateau cuja missão é nos conduzir com segurança, fantasia, coragem e esperança”. No olhar da editora, o artista cearense, que começou sua trajetória fazendo xilogravuras, tem uma obra bastante gráfica. “Sua obra é uma escrita na cidade, suas esculturas ampliam muito o olhar entendendo relação entre formas, vazios, espaços e cores.

É muito importante ter um artista como o Sérvulo inspirando todas as peças gráficas da Bienal. A arte cinética é uma espécie de narrativa, de força em movimento, tem uma relação bastante literária. Ele é um artista de referência no Ceará e no Brasil, com uma rica relação com o mundo, com a cidade e com outros pintores e escritores”, destaca Anna Dantes.

Ela explica ainda que o projeto gráfico da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará busca a expansão da percepção das coisas baseado nas cores e na tipologia simples, que utiliza uma letra manual, do agora, do gesto de escrever. A  imagem do Sérvulo serviu de matriz de pensamento e de criação para uma oficina de criação imersiva realizada em julho com estudantes e professores dos cursos de Publicidade e Arquitetura da Universidade de Fortaleza.

“Durante o encontro desenvolvemos uma fonte com todo o alfabeto que estará na sinalização, na escrita de toda a Bienal. É um trabalho bem interessante cuja matriz é uma mulher-barco, uma mulher-cobra, uma mulher-canoa, relembrando o mito de origem da vida”, comenta.

A decisão de homenagear Sérvulo foi recebida com muita alegria por Dodora Guimarães, viúva do artista e presidente do Instituto Cultural Sérvulo Esmeraldo, criado em 2013 e responsável pelo acervo e legado do artista. “É uma homenagem linda e, porque não dizer, também muito poética. Sérvulo Esmeraldo amava os livros.

Há inclusive um texto seu no qual ele se apresenta como um livro. Os livros sempre estiveram presentes na vida dele. Na infância e juventude ele foi muito influenciado pelos livros, como leitor e pesquisador. Os livros eram suas fontes de estudos para projetos que intuiu menino ainda”, lembra.

Neste 2019, quando ele completaria 90 anos de vida, o Ceará celebra o Ano Cultura Sérvulo Esmeraldo. A homenagem é fruto de um projeto de lei encaminhado pelo governador Camilo Santana e aprovado pela Assembleia Legislativa. A “Femme Bateau” é sua escultura-biruta atracada nas longarinas da Ponte dos Ingleses (ela está sumida, mas voltará ao seu lugar, brevemente), e também uma marca da Praia de Iracema, uma imagem flutuante e misteriosa. 

Para Anna Dantes e Dodora, a homenagem da Bienal contribuirá para maior conhecimento e difusão da obra de Sérvulo Esmeraldo. Atividades didáticas também estão sendo pensadas no sentido de trabalhar a vida e a obra do cearense como o escultor das obras monumentais tão significativas para a capital cearense.

“O artista também foi um importante gravador em Paris, onde viveu por mais de 20 anos, o desenhista que desde menino traçou na mente a linha do horizonte da Chapada do Araripe (no Crato, onde ele nasceu em 1929), o artista da geometria, da matemática e da física, da precisão e da concisão. Acredito no projeto curatorial da Bienal, na força e na envergadura da sua programação”, acrescenta Dodora.  

Serviço
XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
De 16 a 25 de agosto, de 10h às 22h
Centro de Eventos do Ceará.

Sérvulo, um admirador dos livros

“Sérvulo Esmeraldo era apaixonado pelos livros e seus autores. No Crato ele se correspondeu com o escritor Érico Veríssimo. Ele gostava muito da palavra, da tipografia, do papel, do cheiro da tinta. Para ele, o livro era um objeto, antes de tudo, um objeto de desejo. Foi pelos livros que ele chegou a planejar a construção de um vulcão, ainda menino no Crato; que aprendeu a medir árvores; que chegou a Fortaleza, expulso do Ginásio Diocesano do Crato, por estar com um livro de Jorge Amado; que ele chegou a sua famosa série que chamou “Les Excitables”.

Antes, foi capista e ilustrador. Orgulhava-se de ter feito a capa da primeira edição do livro  “Ninguém escreve ao Coronel”, de Gabriel Garcia Marquez, publicado pela Gallimard, na França. Livros de Artistas foi uma das linguagens trabalhadas por Esmeraldo. Possuímos alguns livros-objetos feitos por ele. Tivemos eu e ele, no início dos anos 80, o sonho de uma pequena editora de livros de artista.

Eram livros com tiragem de 50 ou 60 exemplares, em papel feito a mão, que nós fabricávamos. Iniciamos duas coleções, “Códices” e “Rótulo”. A regra era um pequeno texto e um conjunto de xilogravuras ou estampas. Editamos álbuns dos artistas Aldemir Martins, Leonilson, Alberon e Sérvulo , e um livro de poemas concretista do Pedro Henrique Saraiva Leão, com introdução do José Alcides Pinto. Vale dizer que seu primeiro emprego foi como secretário do escritor e jurista Fran Martins, editora do Instituto do Ceará, em Fortaleza. 

Ele sempre cultivou uma boa biblioteca. Lia diariamente. Gostava dos clássicos e dos contemporâneos. Gostava de ler romances policiais,  livros técnicos e filosóficos. Mas, tinha um livro que era o seu xodó: “Les Matemathiques””.   

Dodora Guimarães, esposa do artista e  presidente do Instituto Sérvulo Esmeraldo

La Femme Bateau

A escultura foi engolida pelas ondas da ressaca do mar no dia 2 de março de 2018. “Com o seu naufrágio, constatou-se o grande amor que envolvia a Mulher-Barco e a cidade. Fortaleza pranteou a Femme Bateau. A imprensa, as mídias sociais  e os fotógrafos Gentil Barreira e Tibico Brasil fizeram plantão na expectativa do resgate, da volta do “Barquinho””, lembra Dodora. O salva-vidas José de Alencar a localizou num barranco de areia, sob as águas revoltas dos Verdes Mares. O Corpo de Bombeiros a resgatou. Da praia ela seguiu em caminhão aberto direto pra Metalúrgica para restauro.  

Inicialmente, “La Femme Bateau” foi desenvolvida em fibra de vidro com dimensões 1,5m x 5,5m e instalada originalmente na Ponte dos Ingleses em 1994. Após passar por outros dois naufrágios, a obra foi reconstruída em aço inox pintado pesando cerca de 400 kg. A obra nasceu de uma lembrança vivida em outros mares, foi sempre muito querida por ele, a quem tratava de “Barquinho”. Sobre ela escreveu: ” É uma Femme Bateau cuja missão é nos conduzir com segurança, coragem, fantasia e esperança”. “Isso é tão bonito, tão atual, tão necessário”, comenta Dodora.  

Mais sobre o Ano Cultural Sérvulo Esmeraldo

O Ano Cultural presta homenagem “in memoriam” para Esmeraldo, nascido em 27 de fevereiro de 1929, um artista pioneiro; inventor reconhecido nacionalmente e internacionalmente como desenhista, escultor, gravador, ilustrador e pintor cearense  sempre preocupado em difundir a cultura no Estado. Ele fez uso de seu prestígio como artista internacional, agindo em defesa da política cultural, bem como da classe artística. A agenda comemorativa prosseguirá até 27 de fevereiro de 2020. Para novembro está programado o Festival Sérvulo Esmeraldo 90 que acontecerá no Crato sua cidade natal. 

As obras de Sérvulo em Fortaleza

A lista de obras na capital cearense é extensa. O artista possui obras também no Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará, no Museu de Arte Contemporânea do Centro Dragão do Mar e na Coleção da Fundação Edson Queiroz. Neste momento ele tem obras em duas exposições em cartaz no Espaço Cultural Unifor: na mostra “Modernismo na Coleção Fundação Edson Queiroz” e na “Da Terra Brasilis à Aldeia Global”.

Algumas obras públicas ou integradas à Arquitetura

Mural Cinético, 1977

Painel em madeira policromada, 2,10 x 5,30m

Grupo J. Macêdo – Aldeota

Monumento ao Saneamento Básico da Cidade de Fortaleza, 1977-1978

Escultura em aço pintado, 11,20 x 33,90x 1,50m

Praia do Náutico – Meireles

Monumento ao 50º do Jornal O Povo, 1978

Escultura em aço pintado, 133,5 x 1,10m

Jornal O Povo – Joaquim Távora

Sem Título, 1978

Escultura pênsil em aço pintado, 2,40 x 3,16m

Sede Administrativa do Banco do Nordeste do Brasil –  Passaré

Portão/Mural, 1980                                                                                        

Escultura em aço pintado, 2,10 x 4,20m

Ed. Cnte. Vital Rolim – Centro

Quadrados, 1981

Escultura em aço pintado, 5,30 x  2,00 x 3,80m

Justiça Federal – Centro

Pirâmides, 1991

Escultura em aço pintado, 4,00 x 4,50m

Parque do Cocó – Cocó

Espiral, 1984

Escultura em aço pintado, 3,00 x 0,50m

Sede PAX – Centro

Infinito (homenagem a Brancusi), 1983

Escultura em aço pintado, 6,00 x 0,50 x 0,40m

Praça General Murilo Borges – Centro

Monumento ao Jangadeiro, 1992

Escultura em aço pintado, 6,00 x 3,00 x 1,00 m, Avenida Beira Mar

Cones, 1997

Escultura em aço pintado (PB), 6,50m de altura

Parque de Esculturas CDL, Rua 25 de Março – Centro

Ballet Gráfico, 2002

Escultura-fonte cinética em aço inox, medindo o maior cone 4,00 m de altura

Praça da Sé – Centro

Pirâmides, 1987-2008

Escultura em aço pintado, composta de três elementos móveis:

a. 5,00, altura – secção quadrada 20 x 20 cm;  b. 4,00m altura – secção quadrada

15 x 15 cm; c. 3,00, altura – secção quadrada 10 x 10 cm

Encosta do Seminário Crato CE

Tetraedros, 1989 – 2015.

Escultura em aço pintado, 78 x 300 x 75 cm

Campus Pimenta da URCA , Pimenta

Sem título, 1997-2012,

Escultura composta de dois elementos paralelos, medindo cada:  224 x 102 x 152 cm

Jardim Campus Unifor, Edson Queiroz

Dantes Editora
Empresa de Anna Paula Sampaio da Silva Martins, também conhecida como Anna Dantes, que trabalha com livros desde 1988, ano em que inaugurou sua primeira livraria de obras antigas, a Alfarrábio. Em 1994 a Dantes Livraria foi inaugurada e 1997 passou também a casa editorial. O primeiro livro publicado, O subterrâneo do morro do Castelo, de Lima Barreto, recebeu o prêmio Estácio de Sá de Literatura. O livro A verdadeira história dos nus selvagens… de Hans Staden foi considerado o Melhor Livro Brasil 200 Anos pela FNLIJ. Desde então, a Dantes é responsável por trabalhos de edição, tendo a pesquisa transdisciplinar como modelo. Em 2009 realizou o projeto O gabinete de curiosidades de Domenico Vandelli, que conciliou publicação de livros e exposições no Rio de Janeiro e em Inhotim (MG). Anna Dantes foi curadora também da exposição Glaziou e os jardins sinuosos, para o Ano França-Brasil, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A Dantes coordenou o laboratório Setor X nas Biblioteca Parque de Manguinhos, Alemão, Rocinha e na PUC. Há oito anos realiza, junto ao povo Huni Kuin no Acre, o projeto Una Shubu Hiwea, Livro Escola Viva que conta com parceiros como Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Itaú Cultural e tem dois livros publicados (Una Isi Kayawa ganhou o Prêmio Jabuti em Ciência da Naturesza), dois filmes, uma escola construída na aldeia Coração da Floresta, site e exposição no Itaú Cultural. Atualmente dedica-se também ao Selvagem, ciclo de estudos sobre a vida, rodas de conversas a partir de edição de livros que tratam das correspondências entre conhecimentos científicos, artísticos e tradicionais. Entre os 55 títulos publicados pela Dantes Editora, estão livros sobre arte, poesia, plantas, história natural e literatura. A extensão da experiência de edição para outros formatos – laboratórios, oficinas, revistas, curadorias, exposições, coleções de moda, ciclos de estudo e filmes – representa o compromisso da Dantes para transmissão de conhecimento e da memória.

Preto Zezé lança segundo livro “Das Quadras Para o Mundo”


De capacidade empreendedora singular, liderança e ativista natural e personalidade forte. Preto Zezé, como ele mesmo diz, é o mediador de realidades distintas e distantes, a juventude negra, pobre e marginalizada espalhada em todo o Brasil e, muitas vezes, escondida no cotidiano do preconceito.

No dia 3 de julho, às 18h, na Livraria Cultura na avenida Dom Luís, Preto Zezé apresenta seu livro “Das Quadras Para o Mundo” (Editora Cene, 192págs, R$ 39,90), onde apresenta em crônicas sua trajetória vivida na comunidade das Quadras, na Aldeota e seu trabalho à frente Cufa. Com prefácio de Celso Athayde, Ceo da Favela Holding e Fundador da Cufa, o evento de lançamento contará, ainda, com sessão de autógrafos e bate-papo com convidados e o secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Ceará Élcio Batista.

No prefácio, o leitor já poderá ter um pequeno aperitivo do tamanho e alcance do trabalho desenvolvido por Preto Zezé no Ceará e o Brasil. Segundo Celso Athayde, já no primeiro momento em que teve contato com o autor, começa a nascer o sonho de criar uma instituição de favelas.

“Num primeiro contato, recrutei, cooptei e apresentei ao Zezé uma realidade e um olhar diferenciado; contei minha história de vida, que também é parecida com a dele, apresentei-lhe o MV Bill, que se preparava para ser um dos maiores ativistas sociais do país. Preto Zezé era o meu maior e mais qualificado crítico, mas com o tempo percebeu que tínhamos mais semelhanças do que divergências e partiu para cima para somar nossos pontos em comum. Apesar de um olhar sempre crítico sobre a realidade que nos cerca, Zezé está sempre procurando construir pontes. Com certeza essa é sua maior característica”, escreve Athayde.

Atualmente, Preto Zezé é um dos representantes da Cufa Global, uma articulação internacional que liga dezessete países com sede das Nações Unidas – ONU.

Preto Zezé

Preto Zezé, 44 anos, nasceu em Fortaleza, entre as ruas de terra da favela das Quadras e o asfalto da Aldeota. Filho de pais retirantes do interior, mãe doméstica e pai pintor da construção civil, é o mais velho de uma família de cinco irmãos.

Seu primeiro projeto de empreendedor foi ser lavador de carros nas ruas da cidade; formou-se na cultura dos bailes funks e da pichação. Em 90 iniciou seu ativismo social na cultura Hip Hop, em particular na música rap. Criou o Movimento Cultura de Rua, como uma rede de jovens das favelas que atuavam pelos direitos civis nas favelas, através de ações culturais e sociais.

Produtor artístico e musical, lançou sete discos, sendo um deles premiado como revelação Norte e Nordeste no maior prêmio de Hip Hop do país, o Prêmio Hutuz.
Idealizou o Programa Se Liga, na TV Verdes Mares: O som do Hip Hop em parceria com a Universidade Federal do Ceará – UFC. Como produtor cultural, realiza diversas ações e projetos culturais como forma de construir uma agenda positiva nas favelas.

Preto Zezé é autor do livro Selva de Pedra: A Fortaleza Noiada, uma pesquisa oriunda do Documentário Falcão – Meninos do Tráfico, de Celso Athayde e MV Bill, onde é relatado o circuito do crack e os seus danos sociais. 

Em 2004, foi coordenador estadual da Cufa CEARÁ e em 2014 torna-se presidente nacional da entidade. Foi blogueiro do site G1 e repórter do quadro Vida Real – Talentos da Comunidade, da TV Verdes Mares (afiliada da Rede Globo – Ceará).
Atualmente, está na presidência internacional da CUFA GLOBAL com sede em Nova Iorque; é empresário e consultor de projetos para empresas e governos na área do desenvolvimento socioeconômico.

Trechos do livro

“Ser ignorado é a pior coisa do mundo; impor a invisibilidade para alguém é violência pura, e essa violência é daquelas que quase sempre não conseguimos nos defender, porque, diferente da violência física, a gente não vê concretamente e logo não consegue criar mecanismos de proteção. É como escrever sem borracha ou nunca ter comido de garfo e faca e chegar num restaurante cheio de requintes de elegância, onde você tem que seguir um enredo que nunca foi ensinado. Esse é o rascunho espinhoso do mundo do homem branco do asfalto.”


“A invisibilidade é um local não existente fisicamente. Ela é um sistema de diminuição e dominação  que controla as emoções, inibe sua ousadia e te faz menor que todos. Como você não se sente capaz, é impossível de você ter uma atitude proativa. Te imobiliza e aí, fisicamente, você some.”


“Minha luta diária é poder inspirar você para fazer a sua caminhada, para ter estímulo no seu objetivo e construir uma vida melhor para você e para os seus.”


“Não deixe a vergonha, a soberba e arrogância te consumirem. Por outro lado, seja ousado ao comemorar suas conquistas e se não puder ser o bom o tempo inteiro, procure sempre ser justo. As palavras provocam boas emoções, mas os exemplos arrastam e mudam o mundo.”

“Não permitam que ideias negativas te ganhem, nem que façam do seu sofrimento justificativa, da sua tragédia palanque e da revolta munição; você é melhor que isso e pode mais.”

Serviço:

Bate-papo e lançamento do livro “Das Quadras Para o Mundo” – Preto Zezé

Data: quarta-feira, 3 de julho

Horário: 18h

Local: Livraria Cultura – Avenida Dom Luís, 1010, Aldeota

www.editoracene.com.br

Fellipe Guerra lança livro sobre Empreendedorismo em parceria com sócios

O professor, contador e membro da Academia Cearense de Ciências Contábeis, Fellipe Guerra, apresenta seu segundo livro “Caminhos do Empreendedorismo” nesta terça-feira 25, às 19h. O Coquetel de lançamento da obra será realizado na BS Design na avenida Desembargador Moreira, 1300.

Caminhos do Empreendedorismo é um livro  voltado para empreendedores ou aspirantes a empreendedores e foi elaborado por Fellipe (coordenador científico da obra), com co-autoria de seus sócios, Vitória Leal, Rondinelly Coelho e Marcos Lima.

“Nosso objetivo é levar o máximo de experiência prática, dicas e insights para que os empreendedores consigam tirar as ideias do papel  e colocarem, de verdade, em execução. A gente sai do âmbito romantizado do empreendedorismo como sendo tudo fácil e entra em um aspecto bem operacional mesmo.

Falamos para o leitor sobre a importância de legalizar uma empresa, sobre a necessidade de ter uma gestão fiscal, contábil e de pessoas, assim como possuir um setor de marketing e comercial. Neste livro, vamos além do empreendedorismo motivacional, mostramos para quem realmente quer empreender os caminhos práticos para quem deseja montar um negócio e ter um empreendimento de sucesso”, comenta o professor.

Fellipe explica que o livro vem sendo idealizado há muitos anos e a inspiração para escrever a obra parte da rotina diária em que ele e seus sócios estão inseridos, com o contato direto com empresários, com a prestação de consultoria oferecida pela Compliance Contabilidade. O contador afirma já  ter vivenciado muitas dores dos empresários, muitos erros dos empreendedores, assim como muitos acertos. “O que a gente observa é que as pessoas que conseguem ter sucesso, são geralmente, aquelas que se preparam mais, e que colocam esses ensinamento que mostramos no livro em prática”, destaca, Fellipe.

A obra está dividida em capítulos que vão trabalhar temas voltados para a gestão. Primeiramente os autores iniciam explicando que o empreendedorismo é para qualquer pessoa que tenha coragem e disposição para colocar suas ideias, sonhos e objetivos em prática, para posteriormente adentrar os aspectos de fins práticos para nortear o empreendedor. Nas seções Gestão financeira do negócio – para que o empreendedor possa avaliar se o empreendimento dá lucro ou prejuízo; Gestão fiscal – como escolher a forma correta de tributação, como deve se preparar para pagar os impostos; Gestão de pessoas – como contratar profissionais, formalizar a contratação; Departamento comercial – a importância de ter vendas, processos bem estruturados; Setor de marketing – como atrair os clientes. O livro é finalizando abordando o tema “Tendências de Mercado”.

O livro Caminhos do Empreendedorismo ainda não está disponível para o mercado. A obra trata-se de uma edição especial, sendo neste primeiro momento destinada a presentear clientes, parceiros e prospects (futuros clientes).

Sobre  o autor e coordenador do livro, Felipe Guerra

Fellipe é um dos principais professores nas áreas contábil e tributária do Brasil com mais de 12 anos de experiência em contabilidade e gestão tributária. Já ministrou palestras em mais de 21 estados brasileiros. Contador e autor do Livro “Descomplicando o SPED”, Tributarista Formado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT, Mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará – UFC e faz doutorado em Ciências da Informação na Universidade Fernando Pessoa em Portugal. É coordenador do MBA em Contabilidade, Auditoria e Gestão Tributária do IPOG. Vice-presidente do CRC – CE, sendo eleito um dos contadores mais influentes da internet, com mais de 100 mil seguidores na sua conta do Instagram.

Serviço

Coquetel de lançamento do livro ” Caminhos do Empreendedorismo”

Data do evento: 25 de junho de 2019, 19h00 

Local do evento: BS Design

Av. Desembargador Moreira, 1300 – Fortaleza – CE

Ricardo Lotif lança livro sobre sua trajetória pessoal e profissional

No dia 28 de junho, às 19h no Espaço de Art & Cultura O Povo, o fisioterapeuta e então presidente  do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 6ª Região Ceará – Crefito-6, Ricardo Lotif, lançará seu primeiro livro, ‘Trajetória de Ricardo Lotif Araújo, Fé, Gestão e Trabalho’.

A publicação é um projeto pessoal do gestor, um sonho, que por muito tempo não foi compartilhado e se consolidou após o incentivo de amigos, que enxergam no homem simples, de fala segura e riso sempre presente, uma inspiração para muitas gerações.

Ricardo Lotif tem 42 anos, é cearense, natural de Irauçuba,  casado, tem dois filhos. Já escreveu e publicou diversos artigos e capítulos de livros na sua área de atuação. Formado em Fisioterapia, ele é mestre em Saúde Pública pela Universidade Estadual do Ceará, professor universitário, presidente de uma autarquia federal e atuante em diversas causas em favor da saúde, educação e dignidade humana. Conduz sua carreira de mais de trinta anos com muita fé, foco e espírito de liderança. Aos quinze anos veio para a capital com o objetivo de estudar e cuidar do irmão mais novo com apenas nove anos de idade.  Nascido em família de classe média alta, ele decidiu lutar não só pelos seus sonhos, mas para que todos ao seu redor tenham oportunidades e protagonismo social.

Seu espírito de liderança se pauta em perceber o que não é percebido, ouvir quem não é ouvido, falar por quem não tem voz e ensinar a lutar, quem ainda não tem as ferramentas para isso. Sua educação lhe fez ser um gestor. “Eu aprendi isso muito cedo. Desde criança fui orientado a cuidar de mim e buscar meus objetivos.  Saí do interior para estudar na capital e precisava ter disciplina para não perder o rumo dos meus objetivos, afinal estava longe da família “, revela. Para ele as pessoas podem ser gestoras em “coisas simples da vida'”, casa, carreira, estudos, tarefas cotidianas, etc. “o importante é sempre lembrar que o conhecimento é essencial, assim como sua busca por ele“, afirma.

Ao ser convencido a registrar sua trajetória num livro, pensou que poderia entrevistar os locais de onde recebeu prêmios, homenagens,comendas e agradecimentos. “Pensei que seria interessante que explicassem o motivo de me agraciar com tais homenagens, pois já teria uma parte da minha vida profissional contata por cada um deles“, diz o autor Ricardo Lotif. Ao todo o fisioterapeuta já recebeu mais de trinta premiações e reconhecimentos por sua atuação em na área profissional e em causas sociais. Como gestor já passou por diversos lugares, incluindo conselhos e associações.

Aos poucos o projeto, feito por “seis mãos”, como ele mesmo fala, pois contou com o trabalho da jornalista Cláudia Leite e do fotógrafo Jelbes Lima, foi crescendo, as entrevistas foram acontecendo e o livro foi tomando forma diante da história do homem que é pai, filho, marido, amigo, neto, esportista, professor, presidente de conselho e um incansável aprendiz da vida. “Estou muito feliz por poder compartilhar essa história com as pessoas, tenho muito orgulho de todo o trabalho árduo para chegar até aqui e dou graças a vida e a Deus, afinal, o universo conspira a favor de quem não conspira contra ninguém“, comemora.

Serviço:

Lançamento do livro ‘Trajetória de Ricardo Lotif Araújo, Fé, Gestão e Trabalho’

Data: 28 de junho de 2019

Horário: 19h

Local: Espaço de Art & Cultura O POVO – Endereço: Av. Aguanambi, 282 – Fortaleza-CE

Livro “A Formação do Analista – um sintoma da psicanálise” será lançado no próximo dia 02 de maio

 

 

O tema formação do psicanalista já foi amplamente debatido por autores no Brasil e no exterior com importantes trabalhos publicados, entretanto a temática está longe de ser esgotada. A problemática virou objeto do livro “A Formação do Analista – um sintoma da psicanálise”, escrito por Mônica Portugal e publicado pela Editora Escuta. O livro é fruto de pesquisa acadêmica do mestrado junto à Universidade Federal do Ceará (UFC). A obra vai ser lançada no próximo dia 02 de maio, na livraria Cultura, a partir das 19h.

A autora busca mostrar que a formação do analista é sintoma da própria psicanálise. O trabalho busca responder a que vem a psicanálise. Seria um meio terapêutico que possa aplacar a ira contra o mal-estar na cultura? Ou ela vem em busca de estabelecer para o sujeito a verdade de sua inexorável divisão? Caso a formação do analista siga o ritmo de uma profissão como outra qualquer, atendendo aos anseios e ao ritmo do mercado, a única resposta possível dirá respeito ao apequenamento da psicanálise, uma vez que esta estaria circunscrita a uma terapêutica.

“O livro mostra uma inquietação acerca do avanço de instituições ditas de psicanálise na grande rede com apelos para formar profissionais psicanalistas, os quais estão completamente afastados dos princípios e fundamentos que regem o ofício da psicanálise. Defendo que é necessário que se tenha uma profissão qualquer antes de se ocupar o lugar de analista, pois um analista é um efeito que só funciona no dispositivo analítico”, explica Mônica Portugal.

A obra é dividida em três partes. Na primeira, “A formação do analista”, há uma digressão acerca dos conflitos que rondam as experiências de Freud e Lacan relacionadas ao tema, situando a discussão em torno da verdade do sintoma. A segunda trata do conceito dos discursos em Lacan, cotejados às profissões que Freud asseverou como impossíveis: analisar, educar e governar, sabendo que essas três alicerçam a formação do analista, ou seja, uma análise, a apreensão teórica e a supervisão ou controle clínico.

Na última parte, a autora interroga sobre a inconsistência da formação de um “profissional” psicanalista, a partir da posição do discurso do capitalista. Neste ponto, as categorias tempo e dinheiro surgem como denominadores no processo, com a entrada de Marx, o qual assevera que o dinheiro confraterniza com as impossibilidades.

 

Sobre Mônica Portugal

Mônica Maria de Andrade Torres Portugal (58) nasceu em Fortaleza (CE). Formação em Ciências Econômicas; pós-graduada pela Fundação Getúlio Vargas em Gestão Financeira e Empresarial. Exerceu por mais de 25 anos o cargo de Auditora Fiscal da Receita Federal do Brasil, atualmente aposentada, e há 14 anos trilha o caminho da formação do analista.

A autora publicou o artigo ” Psicanálise: de uma necessária weltanschauung científica à impossibilidade de acomodação no âmbito da ciência”, no livro Filosofia da Ciência e Formação Humana (CHAGAS. E. e outros, Curitiba, Editora CRV, 2016), além de publicação e apresentação de escritos em diversos fóruns de psicanálise no Brasil. Foi membro fundadora da instituição Invenção Freudiana em Fortaleza e atualmente é membro do Espaço Moebius, em Salvador.

Modelo Plus Size internacional Fluvia Lacerda lança livro nesta terça-feira (23) na loja KN Sou Plus durante FMF

 

A modelo plus size internacional, Fluvia Lacerda, lançará, nesta terça (23), às 15h, na loja KN Sou Plus o seu livro “Gorda não é palavrão”. O público poderá participar de uma tarde de autógrafos no interior da loja durante o Festival da Moda de Fortaleza (FMF), um dos maiores eventos de moda do país que acontece até o dia 24 de abril no Maraponga Mart Moda.

Nascida no Rio de Janeiro, Fluvia lacerda é considerada a “Gisele Bündchen do plus size”. Fluvia trabalha como modelo desde 2003, quando foi descoberta por uma produtora de moda enquanto andava em um ônibus em Nova Iorque, onde morou com sua família aos 16 anos.

Única modelo brasileira do segmento plus size, foi estrela de marcas como Mar & Nua, Kmart, Tórrid, Igigi, Fashion Bug, entre outras, sendo capa de revistas como Beautiful e Vogue Itália, além de já ter sido fotografada em países como Espanha, Canadá, Alemanha, Austrália, França, Inglaterra e Jamaica. Em 2011 foi considerada a modelo plus size do ano, durante a Full Figured Fashion Week, evento idealizado em 2008 por Gewn DeVoe, e realizado no Metropolitan, em Nova Iorque, e, atualmente, integra o cast da Ford Models.

Livro infantil “Esquadrão dos anjos” será lançado no Shopping Iguatemi Fortaleza, no dia 13

 

Uma equipe de anjos é escalada a cada vez que uma criança precisa de uma nova medula óssea para seguir a vida brincando e feliz. A partir do encontro dessa turma com os pequenos que estão à espera do procedimento, muita história e tantas outras emoções se desenvolvem. Tudo isso é contado em Esquadrão dos anjos, primeiro livro infantil brasileiro que aborda o processo de transplante de medula óssea.

Escrito a quatro mãos, pela jornalista Nalu Saad e pelo médico Vanderson Rocha, a obra poderá ser conhecida em Fortaleza, no dia 13 de abril, a partir de 16 horas, em frente ao Magazine Luiza (piso inferior – L1), no Shopping Iguatemi. O livro com ilustrações de Iara Rachid, pela Páginas Editora, custa R$ 50,00. Toda a renda obtida com a venda dos exemplares será revertida para pesquisa e apoio a pacientes transplantados.

O livro trata essa delicada questão de forma lúdica e sensível, tornando menos áspera a temática sobre o cotidiano de quem depende do encontro de uma medula para sobreviver. Ainda mais quando são crianças. Por isso mesmo os autores não hesitaram em recorrer a elas para fazer uma obra que as alcançasse. Pequenos pacientes, como a cearense Lia Roma e a mineira Sara Sarradi, recém-transplantada, colaboraram na composição do livro e dos personagens. Algumas crianças deram entrevistas – até mesmo por vídeo – para aproximar a ficção da realidade de quem está nessa espera.

E não foram só os pequenos que ajudaram a compor essa obra tão intensa, o ator Reynaldo Gianecchini, que já passou por um transplante de medula óssea, assina o prefácio do livro. “Na obra, somos convidados a acompanhar de perto a história dos bravos jovens guerreiros que, cercados de anjos amigos, lutam valentemente pela cura”, escreve o ator.

Além de tocar na importância do transplante de medula óssea para tantas pessoas, os autores também buscam, com Esquadrão dos anjos, ajudar as crianças que terão de passar por esse procedimento, que gera muitos desgastes. Assim, Nalu e Vanderson também contaram com o apoio de uma grande equipe de profissionais – pediatras, nutricionistas, dentistas, psicólogos, enfermeiros –, para mostrar detalhes dos sintomas que se apresentam nos pacientes e do trabalho que esses especialistas fazem a cada novidade que surge. Tudo isso com o auxílio imprescindível de milhões – e muito mais que isso – de anjos zelosos, que não descuidam dos pequenos um minuto sequer. Porque a vida pede fantasia em meio a tanta realidade, certo? E essa mensagem de otimismo, esperança e coragem não pode ficar de fora dessa obra inspiradora para quem está na batalha pela vida.

 

 

Vanderson Rocha

Mineiro, de Belo Horizonte, é formado em Medicina e Hematologia pela UFMG. Mestre e Doutor pela universidade de Paris. Tem cerca de 300 artigos publicados. Na USP, é Professor Titular e chefe do serviço de Hematologia. É coordenador do setor de Transplante de Medula Óssea do Hospital Sírio Libanês e professor na Universidade Oxford, para onde viaja a cada 2 meses. Entre os pacientes, é conhecido como Dr. Anjo. É a primeira vez que escreve um livro infantil.

 

Nalu Saad

Jornalista mineira, pós-graduada em Novas Tecnologias da Informação e em Gestão Estratégica da Comunicação, foi fundadora e editora do caderno de Tecnologia do Jornal Hoje em Dia, colunista por 20 anos em TI e atualmente é coordenadora de Rede na Record Minas. Acumula prêmios nacionais no jornalismo investigativo policial e no jornalismo tecnológico. É coautora do livro Tico vai viajar, para ajudar as crianças a passarem tranquilamente pela perda do primeiro dentinho. É mãe de três filhos, que são a maior inspiração para as histórias que escreve.

 

Sobre o Iguatemi

O Shopping Iguatemi Fortaleza tem 36 anos de existência. Empresa do grupo JCC – Jereissati Centros Comerciais, que também controla shopping centers em Belém (PA) e Campo Grande (MS), o Iguatemi Fortaleza traz números bastante positivos. São mais de 450 lojas e quiosques que reúnem o mais completo mix de compras, lazer, gastronomia e serviços de Fortaleza em mais de 90 mil metros quadrados de área. Em corredores amplos e projetados para o melhor aproveitamento da iluminação natural, fazer um passeio pelo Iguatemi é experimentar conforto, comodidade e aproveitar o que a vida tem de melhor.

 

Serviço

Lançamento do livro Esquadrão dos anjos

Data: 13 de abril, sábado

Horário: 16 horas

Local: em frente ao Magazine Luíza (piso inferior – L1), Shopping Iguatemi Fortaleza

Editora: Páginas Editora

36 páginas

Tino Freitas lança, neste sábado (6), livro infantil “A TROMBA” em programação alusiva ao mês de conscientização do autismo

Foto: Andressa Anholete

 

O escritor, jornalista e músico Tino Freitas se une à programação do “Sábado de Diversão e Inclusão” e lança o livro “A TROMBA” com um pocket show e contação de histórias. O autor celebra 10 anos de trabalhos com literatura infantil com o lançamento do livro-brinquedo.

A programação será realizada neste sábado, dia 6 de abril, pela Associação Fortaleza Azul – FAZ, em uma parceria com o Projeto Ser do Bem, da C. Rolim Engenharia, dentro das celebrações pelo mês de conscientização sobre o Autismo. As atividades acontecem na Praça do Bem Estrelário (rua Leonardo Mota, 710, Meireles) a partir das 16h. O evento é gratuito e aberto ao público.

“A TROMBA” é uma história que mistura poesia, lenga-lenga e carta enigmática num projeto gráfico que brinca e dá ritmo à narrativa. A leitura propõe um jogo em que a linha do texto reúne palavras e imagines que juntas formam a frase (características da Carta enigmática) tendo como base uma lenga-lenga, que é um texto construído com frases curtas, que geralmente rimam, ajudando na sua memorização. Ela se baseia na repetição de sons, rimas, palavras ou expressões e estruturas textuais.

Para comemorar essa união de olhares e linguagens, o autor se une ao Sábado de Diversão e Inclusão. A programação conta com a realização de brincadeiras lúdicas, educativas e sensoriais, com a distribuição de mudas de árvores nativa e com um espaço para a disseminação de informações sobre o Autismo para todos os presentes. Entre os objetivos do projeto “Sábado de Diversão e Inclusão” estão o de oferecer uma oportunidade e um espaço de socialização e interação entre crianças – autistas ou não – e seus familiares, bem como o de chamar a atenção da sociedade para a importância de se conhecer e compreender melhor o Autismo.
Sobre os autores:
Tino Freitas é escritor, mediador de leitura, músico e jornalista. Vive enrolando e desenrolando sua tromba imaginária a cada vez que imagina livros como esse, recheados de humor e em que o suporte (papel, folha, o livro todo) é também importante elemento condutor da narrativa.

 

Alguns de seus livros receberam prêmios como o Jabuti (CBL) e o Glória Pondé (FBN), Selos como o Altamente Recomendável para Crianças da FNLIJ e o Distinção, da Cátedra Unesco de Leitura PUC-RIO, além participar de Seleções como Os 30 Melhores livros do Ano, da Revista Crescer. Em 2019, Tino celebra 10 anos da publicação do seu primeiro livro.

 

Debora Barbieri é designer editorial, faz livros para crianças e jovens há mais de 20 anos. Desde 2016 é integrante do coletivo de criação literária BabaYaga, por onde publicou os títulos Tanto faz, Tomás; Azul; Maia e Mia e A tromba. Também é mestranda em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP e pesquisadora do grupo (CNPq) A voz escrita infantil e juvenil: práticas discursivas.

 

 

Serviço:

Lançamento livro A TROMBA no Projeto “Sábado de Diversão e Inclusão” –

Data e Horário: Sábado, dia 6 de abril – a partir das 16 horas

Local: Praça do Bem Estrelário (rua Leonardo Mota, 710 – Meireles)

Data: 06/04

Evento Gratuito

Ficha técnica A TROMBA

Autores: Tino Freitas e Debora Barbieri
Magia: BabaYaga
Formato fechado: 8 X 12 cm
Formato aberto: 12 X vááários cm
Preço: R$ 38

Livro “O ser humano 10D” mostra que o futuro é de quem faz algo a mais

 

O ser humano nasce filho “D” alguém, se torna cônjuge “D” alguém, pai ou mãe de “D” alguém, colaborador ou empresário “D” alguma empresa. Embora nem sempre aconteça nessa metafórica ordem dimensional, quem poderia dizer que está errada? Esse é o ser humano definido como 4D.

Com a estratégia, o caminho e as histórias reais, Helda Elaine, autora do livro O ser humano 10D, convida o leitor a refletir profundamente sobre as escolhas que facilitam um próspero futuro, tanto nas demandas pessoais como no desafio de solidificar a carreira dos sonhos. Nesse sentido, mostra como sair da zona de conforto do 4D e aumentar as ambições para ser tornar um ser humano 10D.

Para Helda Elaine, o maior desafio da contemporaneidade são os relacionamentos, sejam eles amorosos, profissionais, ou até mesmo como se dá a relação com a crítica e com os desafios impostos pela vida diariamente. É preciso ter força e foco nas soluções para que seja possível alcançar os próprios objetivos. Para ela, problemas existem para serem resolvidos e é preciso que cada um assuma as rédeas da própria história.

Ao alcance das mãos e dos olhos estão as soluções inspiradas pelas pesquisas

da palestrante que sabe fazer “algo a mais”, pavimentadas por fatos e vitórias que, antes de sugerir ao leitor, ela vivenciou e conquistou. Por meio dessas histórias reais, a autora traz ao leitor um conteúdo palpável, com situações fáceis de se identificar e questionamentos comuns àqueles em busca de construir uma vida recheada de bons resultados.

Dentre tantas soluções apresentadas, não há, nas páginas do livro, uma só que não tenha sido testada e aprovada, pela autora ou por diversos empresários que já a contrataram. Abrevie caminhos, poupe dores, invista na leitura e se transforme em um ser humano 10D.

 

Sobre a autora Helda Elaine

Helda Elaine é considerada a mulher mais recontratada do mercado de palestras e conhecida no meio empresarial como a palestrante que entrega “algo a mais”.

É administradora, especialista em Comportamento e Desenvolvimento Humano, Marketing e Comunicação, Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio.

Foi comunicadora de rádio em renomadas emissoras. Em seguida, migrou para o corporativo, como gestora de marketing e comunicação. Convidada pelo setor educacional, foi professora universitária e deixou um inesquecível legado de transformação. Em suas palestras, Helda Elaine inspira e fortalece pessoas, conecta razão e emoção, levando o público a enxergar, acreditar, agir e fazer acontecer.

 

Serviço:

O ser humano 10D

Autora: Helda Elaine

Literare Books International – 2ª edição – 184 páginas – 2019 – R$ 34,90

Formato: 14×21 cm

ISBN : 978-85-9455-162-7

Empresário e palestrante, Paulo Neime, lança livro em que conta sua trajetória profissional e de superação nos negócios

 

A trajetória de um garoto que não teve oportunidades de ter um convívio paterno, um porto seguro para desenvolver a convicção de suas tomadas de decisões e passou a tomar essas decisões baseadas em suas experiências, erros e acertos. Essa é a história do empreendedor Paulo Neime que é contada em seu primeiro livro ” Eu sou o que decido ser”. O lançamento da obra na terça-feira (26), a partir das 19 horas, no Riomar Trade Center.

“Eu Sou O Que Decido Ser” fala sobre mindset (atitudes mentais), crenças limitantes, inteligência emocional, coaching, desenvolvimento da capacidade intelectual, mas o que o autor mais deseja é que o leitor mergulhe em cada experiência vivenciada por ele e encontre o seu propósito de vida. Uma linguagem simples e acessível, mas que acima de tudo traz inspiração a quem está lendo.

” No livro quero mostrar que mesmo com todas as dificuldades da vida, é possível você chegar onde você quer usando todas essas ferramentas. Quero inspirar pessoas a também vencerem na vida”, afirma Paulo. Atualmente ele é um dos maiores empreendedores de seu ramo, mas para isso teve que superar crenças e enxergar oportunidades em cada dificuldade sempre sob uma perspectiva positiva. No livro é relatado todos esses fatores e como as adversidades foram superadas.

Paulo por meio de perseverança, foco e determinação, quer demonstrar ao leitor que é possível sonhar, se comprometer e realizar. De menino tímido a grande empreendedor, ele decidiu ser o melhor que poderia ser. No livro há questionários onde o leitor responde perguntas sobre sua própria vida e pode detectar onde está falhando e assim promover sua própria mudança com as dicas presentes na obra.

Além do lançamento, o público que comparecer ao evento também terá a oportunidade de assistir a uma palestra do empresário sobre assuntos que são abordados no livro, entre eles equilíbrio e inteligência emocional, autorresponsabilidade, construção de um propósito e como desenvolver uma mentalidade vencedora.

O livro ” Eu sou o que decido ser” custa 40 reais e será vendido no dia do evento com dedicatória do autor. Além disso, haverá vendas de brindes e ao final será servido um coquetel aos convidados. Mais informações no site www.pauloneime.com.br

 

Sobre o autor

Paulo Neime é, antes de tudo, um visionário. Empresário, palestrante, professor, coach, trainer e corretor de seguros, Paulo é formado em Administração pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), com formação em Corretor de Seguros pela Escola Nacional de Seguros (FUNENSEG). Cursando Gestão Financeira, é também analista comportamental DISC e Analista Comportamental no Método MI3D. Possui formação internacional em PNL (Richard Bandler) e também Formação em PNL Sistêmica. Membro ABRH-BA.
Possui experiência de 25 anos na área comercial com 21 anos dedicados no mercado de seguros, com vários reconhecimentos pela contribuição na indústria securitária. Foi vice-presidente da Associação dos Corretores de Seguros do estado do Ceará. Diretor da Complex Seguros & Beneficios e da Paulo Neime Treinamentos.

 

Serviço

Lançamento do livro ” Eu sou o que decido ser”.

Data: 26/03 (terça-feira)

Horário: 19 horas

Local: Riomar Trade Center. 13 andar.

Inscrições no site www.pauloneime.com.br