Browsing Tag

Cineteatro São Luiz

MUSICAL FESTEJA 70 ANOS DE RAIMUNDO FAGNER

“Fagner – O Musical encenado por alunos da Fundação Raimundo Fagner (FRFagner) apresentará trajetória de vida e carreira do artista. Em Fortaleza, o espetáculo será realizado em um domingo (13) de outubro (aniversário do artista), às 18 horas, com a participação de jovens da Fundação e regência do maestro Eduardo Júlio Saboya, no palco principal do Cineteatro São Luiz.  No repertório 12 músicas escolhidas a partir das histórias das letras do artista Raimundo Fagner, que também vai fazer uma apresentação especial após o espetáculo. 

Ao todo, são 65 integrantes da Orquestra e Coro entre canto coral, flautas doce, violões e percussão. O musical elaborado pelo projeto pedagógico da FRFagner Aprendendo com Arte, premiado nacionalmente em 2009 na categoria Grande Porte e pelo Itaú Unicef, terá entrada gratuita com os ingressos disponíveis a partir do dia 08 de outubro na bilheteria do teatro. É solicitado para o dia do musical que o público leve junto com o ingresso uma lata de leite ninho, ato simbólico para o acesso livre ao equipamento cultural.

No Centro-Sul do Ceará

O festejo segue para Orós, no mesmo dia, cidade que acolheu um núcleo da Fundação. E com a regência do maestro Raimundo Nonato, Coordenador do Núcleo Musical, os estudantes vão se apresentam com um Concerto para os Oroenses, às 19 horas, na principal Praça Matriz da cidade. 

Linha do tempo

Presidente da Fundação Social Raimundo Fagner, o homenageado completa em  2019, 45 anos  de uma brilhante carreira, repleta de sucessos que fazem  parte  da história  da música nacional. Além da poesia romântica, as canções de Fagner contam com sensibilidade histórias sobre realidades múltiplas dos povos do Ceará adentro, de gente acostumada a intempéries sociais e climáticas que abraça o presente com garra e tem esperança de um futuro sempre melhor.

A Fundação, por sua vez, investe em projetos culturais alicerçados na arte-educação, e destinados a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Ao longo de 18 anos de atuação, essa metodologia tem demonstrado o enorme poder transformador da arte nos processos de resgate e desenvolvimento social, além de alavancar, nos jovens participantes do programa, o potencial de atuação em atividades culturais. O Grupo 3 Corações é o parceiro mantenedor da Fundação Raimundo Fagner. 

Repertório Fortaleza

§ Último Pau-de-arara – Vicente Celestino ( Arranjo: Ezequiel Moreira

§ Amém amém – Fagner (Arranjo – Ezequiel Moreira)

§ Vaca Estrela e Boi Fubá – Patativa do Assaré (Arranjo: Eduardo Saboya)

§ Lembrança de um beijo – Acioly Neto (Arranjo: Ezequiel Moreira)

§ Azulejo – Fagner/Zeca Baleiro/Sérgio Natureza (Arranjo: Eduardo Saboya)

§ Borbulhas de Amor – Juan L Guerra/Ferreira Gullar/Fagner (Arranjo: Ezequiel Moreira)

§ Mucuripe – Fagner/ Belchior (Arranjo: Eduardo Saboya)

§ Cavalo Ferro – Fagner/Ricardo Bezerra (Arranjo: Ezequiel Moreira – adaptação: Eduardo Saboya)

§ Dezembros – Fagner/ Zeca Baleiro/ Fausto Nilo (Arranjo: Eduardo Saboya)

§ Guerreiro Menino – Gonzaguinha (Arranjo: Ezequiel Moreira)

§ Jardim dos Animais – Fagner/Fausto Nilo (Arranjo: Eduardo Saboya)

§ Pedras que cantam – Dominguinhos / Fausto Nilo (Arranjo: Lucile Horn / Ezequiel Moreira)      

Musical ‘ELZA’ celebra prêmios e indicações com apresentações no Cineteatro São Luiz

A trajetória de Elza Soares é sinônimo de resistência e reinvenção. As múltiplas facetas apresentadas ao longo de sua majestosa carreira foram o ponto de partida para o musical “Elza”, indicado ao Prêmio Bibi Ferreira, que estreou em julho de 2018 no Rio de Janeiro, passou por 15 cidades. Agora, após imenso sucesso popular e a aprovação irrestrita da homenageada, fará apresentações em Fortaleza, no Cineteatro São Luiz, nos dias 5 e 6 de outubro.

Larissa Luz, convidada para a montagem, e outras seis atrizes selecionadas em uma bateria de testes (Janamô, Lu Fogaça, Ágata Matos, Khrystal, Laís Lacorte e Verônica Bonfim) sobem ao palco para celebrar o trabalho, as nove indicações ao Prêmio Bibi Ferreira, o recém-conquistado Prêmio Shell de Melhor Música, os dois prêmios CESGRANRIO (Melhor Direção – Duda Maia e Categoria Especial pelo Elenco), quatro troféus do Prêmio Reverência (Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Autor e Categoria Especial) e o Prêmio da APCA de Melhor Dramaturgia.

Em cena, as atrizes se dividem ao viver Elza Soares em suas mais diversas fases e interpretam outros personagens, como os familiares e amigos da cantora, além de personalidades marcantes, como Ary Barroso (1903-1964), apresentador do programa onde se apresentou pela primeira vez, e Garrincha (1933-1983), que protagonizou com ela um notório relacionamento.

Com texto inédito de Vinícius Calderoni e direção de Duda Maia, o espetáculo tem a direção musical de Pedro Luís, Larissa Luz e Antônia Adnet. Além disso, o maestro Letieres Leite, da Orquestra Rumpilezz, foi o responsável pelos novos arranjos para clássicos do repertório da cantora, tais como Lama, O Meu Guri, A Carne e Se Acaso Você Chegasse. O projeto foi idealizado por Andréa Alves, da Sarau Agência, a partir de um convite da própria Elza e de seus produtores Juliano Almeida e Pedro Loureiro.

Ainda que muitos dos conhecidos episódios da vida da homenageada estejam no palco, a estrutura de Elza foge do formato convencional das biografias musicais. Se os personagens podem ser vividos por várias atrizes ao mesmo tempo, a estrutura do texto também não é necessariamente cronológica. Da mesma forma que músicas recentes (A Mulher do Fim do Mundo, a emblemática A Carne e Maria da Vila Matilde) se embaralham aos sucessos das mais de seis décadas de carreira da cantora, como Se Acaso Você Chegasse, Lama, Malandro, Lata D’Água e Cadeira Vazia.
Marcada por uma série de tragédias pessoais – a morte dos filhos e de Garrincha, a violência doméstica e a intolerância –, a jornada de Elza é contada com alegria.

“A Elza me disse: ‘sou muito alegre, viva, debochada. Não vai me fazer um musical triste, tem que ter alegria’. Isso foi ótimo, achei importante fazer o espetáculo a partir deste encontro, pois assim me deu base para saber como Elza se via e como ela gostaria de ser retratada”, conta Vinicius Calderoni, que leu e assistiu a infindáveis entrevistas que a cantora deu ao longo da vida e também pesquisou a obra de pensadoras negras, como Angela Davis e Conceição Evaristo, cujos fragmentos de textos aparecem na peça.

O espetáculo foi desenvolvido ao longo de um período em que Elza se encontra no auge de uma carreira marcada por reviravoltas e renascimentos. Ao lançar seus últimos dois discos, A Mulher do Fim do Mundo (2015) e Deus é Mulher (2018), a cantora não somente ampliou ainda mais seu repertório e sua base de fãs, como conquistou, mais uma vez, a crítica internacional, e se consolidou como uma das principais vozes da mulher negra brasileira.

Vinícius Calderoni, autor do texto, chama a atenção para a coletividade presente em todo o processo de criação da montagem. Após ter escrito as primeiras páginas, ele começou a frequentar os ensaios e estabeleceu um rico intercâmbio com Duda Maia e as sete atrizes. ‘Hoje poderia dizer que elas são coautoras e colaboradoras do texto. São sete atrizes negras e múltiplas, como a Elza é. Diante da responsabilidade enorme, eu estabeleci limites de fala para mim, por exemplo, em relação a alguns temas. Limitei a minha voz e disse que não escreveria nada, queria os relatos delas e as opiniões. Pedi a colaboração delas, das experiências vividas por uma mulher negra. Do mesmo jeito que a Duda propôs muitas coisas, as atrizes também tiveram este espaço’, conta o dramaturgo.

Tal processo colaborativo se estendeu para a música, com a participação ativa das atrizes e das musicistas nos ensaios com os diretores musicais, e o maestro Letieres Leite, que liderou algumas oficinas com o grupo no período dos ensaios. O processo gerou ainda duas canções inéditas que estão na peça: Ogum, de Pedro Luís, e Rap da Vila Vintém, de Larissa Luz. Se a escolha de Pedro Luís para a função foi referendada pela própria Elza – que gravou e escolheu um verso do compositor para nomear seu último disco –, Larissa Luz já estava envolvida com o projeto desde o seu embrião.

SOBRE A EQUIPE DE CRIAÇÃO E PRODUÇÃO
A estreia de Elza marca o encontro da dramaturgia de Vinícius Calderoni com a direção de Duda Maia, dois nomes que se destacaram no recente panorama teatral brasileiro. Pela direção de Auê (2016), estrelado pela Cia. Barca dos Corações Partidos, ela conquistou os prêmios Shell, Cesgranrio e Botequim Cultural de Melhor Direção, além dos prêmios APTR e Cesgranrio de Melhor Espetáculo e o Bibi Ferreira de Melhor Musical Nacional. Enquanto isso, Vinicius já ganhou o Prêmio Shell de Melhor Autor por Ãrrã (2015), o APCA por Os Arqueólogos (2016) e coleciona outras indicações e troféus por espetáculos da companhia Empório de Teatro Sortido, que lidera ao lado de Rafael Gomes.

Em paralelo à carreira de escritor, Vinícius é também ator e músico – ele integra a banda 5 a Seco e tem dois discos lançados. A experiência musical foi determinante no processo de criação do texto. Já Duda trouxe todo o seu trabalho corporal para o desenvolvimento da linguagem da encenação.

A sintonia entre Duda e os diretores musicais Pedro Luís, Larissa Luz (esta também em cena) e Antonia Adnet foi determinada por uma característica fundamental: a escuta e a participação das intérpretes. ‘Foi um processo de ensaios muito vivo, em que partimos do princípio que a voz não é nossa, é das atrizes. Fizemos este trabalho para elas e a partir de propostas delas também. Precisamos olhar para o grupo, para a troca’, conta Duda, ressaltando que tudo só foi possível graças à parceria com a Sarau, produtora capitaneada por Andrea Alves.

Nos últimos anos, a Sarau foi responsável montagens tais como Gonzagão – A Lenda, Ópera do Malandro, Auê e Suassuna – O Auto do Reino do Sol, da Cia. Barca dos Corações Partidos, e Gota D’Água [a seco], dirigida por Rafael Gomes e protagonizada por Laila Garin. Sempre comprometida com a cultura nacional em seus mais variados aspectos, a produtora também assina a direção do Festival Villa-Lobos e do Toca, evento que teve a primeira edição neste ano e trouxe a canção brasileira para o centro da discussão, através de shows gratuitos, oficinas e debates.

Indicado ao PRÊMIO BIBI FERREIRA nas categorias: Melhor Visagismo em musicais – Uirandê de Holanda, Melhor Desenho de Luz em musicais – Renato Machado, Melhor Roteiro Original em musicais – Vinícius Calderoni, Melhor Arranjo Original em musicais – Letieres Leite, Melhor Direção Musical em musicais – Pedro Luis, Larissa Luz e Antônia Adnet, Melhor Direção em musicais: Duda Maia, Melhor Atriz em musicais: Larissa Luz, Melhor Musical Brasileiro, Melhor Musical.

Vencedor do PRÊMIO SHELL de Melhor Música (Pedro Luís, Larissa Luz e Antônia Adnet)

Vencedor do PRÊMIO REVERÊNCIA nas categorias Melhor Espetáculo, Melhor Direção (Duda Maia), Melhor Autor (Vinícius Calderoni) e Especial – Arranjos de Letieres Leite
Vencedor do PRÊMIO APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de Melhor dramaturgia (Vinícius Calderoni)
Vencedor do PRÊMIO CESGRANRIO nas categorias Melhor Direção (Duda Maia) e Categoria Especial – Elenco

FICHA TÉCNICA
Elenco: Janamô, Lu Fogaça, Ágata Matos, Khrystal, Laís Lacôrte, Verônica Bonfim e a atriz convidada Larissa Luz.
Direção: Duda Maia
Texto: Vinícius Calderoni
Direção Musical: Pedro Luís, Larissa Luz e Antônia Adnet
Arranjos: Letieres Leite
Idealização e Direção de Produção: Andréa Alves

SERVIÇO
Musical ELZA
Datas: 05 e 06 de outubro de 2019
Horários: Sábado às 20h; Domingo às 18h 
Local: Cineteatro São Luiz – Rua Major Facundo, 500 – Centro
Valor dos ingressos: Plateia Inferior – R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia); Plateia Superior – R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Vendas: na bilheteria do teatro (De terça a sábado, de 10h às 18h30. Domingos e feriados, horário sujeito a alteração, de acordo com a programação do mês) e no site www.tudus.com.br
Classificação: 14 anos
Duração: 150 minutos
Informações: 85) 3252-4138 / (85) 3252-2730
Assessoria de Imprensa: VP Comunicação

Francis e Olívia Hime em Encontros Musicais no Cineteatro São Luiz

Em “Encontros Musicais”, o pianista e compositor Francis Hime apresenta algumas de suas mais famosas canções e o processo de criação por trás delas, tocando e cantando juntamente com Olivia Hime. No formato de palestra-show, Francis dialoga com a plateia ao apresentar cada uma de suas composições, tendo como referência o livro “Trocando em miúdos as minhas canções”.

De autoria do próprio Francis, o livro aborda detalhadamente o processo de criação de suas obras, tanto na música popular como na erudita. O show que também terá a participação de Marcos Lessa, Adelson Viana, Eduardo Holanda e Thiago Rocha, ocorre no dia 22 de setembro (domingo), às 18h, no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), e está com ingressos à venda por R$30 (inteira) e R$15 (meia).

Na apresentação, com direção de Flávio Marinho, Francis reproduz para o público o conteúdo dos exemplos sonoros do livro, examina as semelhanças de uma maneira muito dinâmica, interagindo com a plateia e comparando suas canções com composições de outros criadores. Assim, embora parta de um roteiro recheado com seus muitos sucessos, como Atrás da Porta, Meu Caro Amigo, Passaredo, Vai Passar, entre outras, esta interação faz com que o espetáculo também seja construído em conjunto com o público.

Sobre Francis Hime

Francis Hime assumiu o papel de um dos principais protagonistas da música popular brasileira a partir da primeira metade dos anos 60. Especialmente dotado por uma versatilidade em compor sobre vários ritmos brasileiros, escrevendo sambas, frevos, modinhas, calangos, choros, etc., Francis conta com um eclético e talentoso grupo de parceiros para suas canções, tais como: Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Ruy Guerra, Geraldo Carneiro, Milton Nascimento, Olivia Hime, Gilberto Gil, Paulo César Pinheiro, Cacaso, Capinam, Adriana Calcanhoto, Paulinho da Viola, Lenine, Joyce, Moraes Moreira, Georges Moustaki, Livingston & Evans, Sergio Bardotti, entre outros.

A partir dos anos 80, Francis começou também a escrever peças eruditas. Em 2000, compôs a Sinfonia de Rio do Janeiro de São Sebastião, com estreia no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, tendo como solistas Lenine, Leila Pinheiro, Olivia Hime, Zé Renato e Sérgio Santos, com Francis regendo a orquestra sinfônica.

O compositor regeu esta sinfonia ainda em duas outras ocasiões: em 2002, na Praia de Copacabana, para um público de mais de 20.000 pessoas, e na UNESCO, em Paris, encerrando as festividades do ano França-Brasil de 2005. Já em 2008, Francis concluiu também a partitura da “Ópera do Futebol”, ópera em 4 atos, com “libretto” de Silvana Gontijo, ainda inédita. 

No campo da música popular, em 2014, Francis lançou pelo selo SESC o CD “Navega Ilumina” em comemoração aos seus cinquenta anos de carreira. Trata-se de um CD de músicas inéditas em parceria com Geraldo Carneiro, Olivia Hime, Thiago Amud,  Joana Hime, e uma letra antiga e inédita de Vinicius de Moraes que Francis achou em seus guardados, “Maria da Luz”. Em 2015, lançou pela gravadora Biscoito Fino o CD e DVD “Francis Hime 50 Anos de Música”, em comemoração aos seus 50 anos de carreira. 

Serviço:

Data e horário: domingo(22), às 18h
Classificação indicativa: Livre
Duração: 90 min
Entrada: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia) – À venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus (https://checkout.tudus.com.br/cineteatro-sao-luiz-encontros-musicais–francis-e-olivia-hime/selecione-seus-ingressos).Local: Palco do Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)

Fotos: https://drive.google.com/drive/folders/1XJbBm7o2MsDnjrk3hPZqZrUjTahSTy8P?usp=sharing

Orquestra Contemporânea Brasileira convida David Valente para concerto no Cineteatro São Luiz


Imagine assistir a um concerto, cuja orquestra principal traz como convidado um instrumentista que, por suas condições de saúde, aprendeu a tocar teclado e acordeon com os dedos dos pés. O músico, David Valente, se une à Orquestra Contemporânea Brasileira (OCB) em uma apresentação a ser realizada no dia 15 de setembro, às 10h30, no Cineteatro São Luiz. Os concertos compõem a Temporada 2019 e são parte da programação da residência artística que a orquestra realiza no Cineteatro, equipamento da Secretaria da Cultura do Ceará (SECULT).

Tendo como conceito o diálogo entre música erudita e popular, a orquestra vem atraindo cada vez mais um público diversificado. A primeira parte do concerto privilegiará obras de compositores da chamada “música clássica”, com destaque para composições do período Barroco escritas para orquestra de cordas. Na segunda parte do concerto, o cantor e instrumentista cearense David Valente participa do espetáculo, interpretando músicas de Frank Sinatra, Luis Miguel, Roberto Carlos e Dominguinhos.

Portador de uma deficiência físico-motora congênita (artrogripose), que o impossibilita de usar suas mãos normalmente, David Valente desenvolveu e aprimorou essas habilidades especiais com os pés, que o possibilitam escrever, digitar e tocar os instrumentos. Com diversos CD´s e DVD´s gravados, ele tem se apresentado no Brasil e exterior, cantando e tocando sucessos da música brasileira e internacional e emocionando o público que lhe acompanha.

Ainda no mês de setembro, no dia 18, a Orquestra Contemporânea Brasileira realizará mais um concerto didático, às 9 horas, no Cineteatro São Luiz, onde os estudantes terão a oportunidade de conhecer o funcionamento de uma orquestra, o papel de um regente e a sonoridade dos instrumentos. A cada apresentação, escolas convidadas levam seus alunos para apreciar o evento.

Os concertos didáticos fazem parte de uma estratégia mais ampla no sentido de contribuir com a educação e profissionalização de jovens de diversos municípios do Ceará. Além do núcleo de formação musical em Fortaleza, outro núcleo foi iniciado em setembro, em Limoeiro do Norte, através de parceria com a prefeitura municipal. A Orquestra também possui núcleos em Pindoretama e São Gonçalo do Amarante, este com patrocínio da EDP Brasil (Energia de Portugal) e apoio do Instituto EDP, organização responsável pela gestão dos investimentos socioambientais da Empresa.

“Um dos focos do Instituto EDP é usar a arte e a música como meio de formar, capacitar e cuidar das comunidades onde atua, e é com essa visão que apoiamos os núcleos didáticos da Orquestra no Ceará, pois acreditamos no potencial do projeto para o desenvolvimento de centenas de crianças e adolescentes na região”, comentou Paulo Ramicelli, assessor de diretoria do Instituto EDP. O núcleo apoiado pelo Grupo atende hoje cerca de 160 jovens em situação de vulnerabilidade social.

A OCB se formou em 2016, como fruto de uma ação cultural do Sistema Brasileiro de Bandas e Orquestras (Sinfonia.br), em parceria com a Associação dos Amigos da Arte (AAMARTE). A direção artística é do maestro Arley França, doutor em Educação, mestre e licenciado em Música, e responsável pela criação de mais de 40 bandas e orquestras infantojuvenis no Ceará, além da direção de concertos na Alemanha e Noruega. Orientou-se em regência em cursos realizados na Inglaterra, Itália e Estados Unidos, e integra o projeto Orquestrando o Brasil, do maestro João Carlos Martins. 

Sala com a maior média de espectadores por sessão de cinema no Brasil, o Cineteatro São Luiz em seu primeiro ciclo de gestão desde sua reabertura pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (maio de 2015 a dezembro de 2018) recebeu 602.437 espectadores em 2.667 atividades, chegando a média diária de 450 espectadores. Sendo capaz de abrigar, em alta performance, diversas linguagens artísticas em seus “seis palcos”, o equipamento rebatizado de Cineteatro chega em março de 2019 aos 61 anos em plena atividade.

Serviço:
Concerto da Orquestra Contemporânea Brasileira com David Valente 
Local: Cineteatro São Luiz
Data: 15 de setembro Horário: 10h30
Valor: R$ 20,00 inteira / R$ 10,00 meia entrada
Realização: Sinfonia BR e AAMARTE
Apoio cultural: Cineteatro São Luiz, Instituto EDP
Patrocínio: EDP
Contatos: Arley França (Maestro da OCB) 98899.1061 / Giovana de Paula (Assessora de
Comunicação) 99982.0608

A banda cearense Samadhi Spirit Band, de blues progressivo, faz show de lançamento do seu primeiro disco em Fortaleza

Os amantes do bom blues poderão conferir o show de lançamento do disco “O Mundo do Amor” da banda cearense “Samadhi Spirit Band”, no próximo dia 14 de setembro, no Cineteatro São Luiz, às 19 horas. A banda tem a frente o veterano músico Marco Aurélio Holanda, uma referência do rock e blues de Fortaleza, que faz história tocando nas bandas Íris Sativa e Gang da Cidade. Além de apresentar as 12 faixas do novo disco, a banda “Samadhi Spirit Band” receberá no palco músicos da cena local, proporcionando um grande encontro musical.

A banda “Samadhi Spirit Band” é composta pelo músico Marco Aurélio Holanda no baixo, violões e vocais, além de Joaquim Bastos na guitarra solo e Léo Henriques e Marilia Lima nos vocais. Ricardo Marinho também toca violões e baixo, enquanto Netto Sousa dá o tom na guitarra base e Léo Vasconcelos nos teclados. A bateria fica por conta de Roquenei Mota e a narração é de Paulo Calhado.

As pedras vão rolar com o bom rock da banda Iris Sativa, que também sobe ao palco com o guitarrista Gersinho, o baixista Marco Aurélio e a voz de Zezé Medeiros. Nos teclados, João Paulo e na bateria, Roquenei. A noite terá mais participações especiais: Roberto Pinheiro e Idilva Germano nos vocais e Marco Maia na guitarra.

Numa produção independente, o disco “O Mundo do Amor” foi gravado em junho de 2018 e possui 12 canções de blues progressivo, compostas por Marco Aurélio em parceria com o guitarrista Joaquim Bastos. São elas: Saber viver, Glória de Deus, Ideias da criação, Mulher, A força do amor, Aprender amar, Amor infinito, Feitos para amar, Delírios da paixão, Sonhos, Vida eterna Love.

“O amor jamais será outra coisa, mas todas as coisas um dia serão amor”. É nesta vibração do amor que Marco Aurélio Holanda descreve a atmosfera do seu novo disco. A relação dele com a música começou na infância, quando estudou piano, depois violão até começar a tocar baixo. Nos anos 80 tocou no grupo Nave, no grupo Chá de Flor e fundou com o irmão Gersinho, o grupo Iris Sativa. Chegou a acompanhar o cantor norte americano J.J.Jackson e o cantor e compositor Gerson Conrad dos Secos e Molhados. Nos anos 90 participou do grupo The Cows e fundou junto com Laerte Duarte, Juninho (neo pineu) e Celso Antoni o grupo de blues Gang da Cidade.

Serviço:

Show de lançamento do CD “O Mundo do Amor”

Data: 14 de setembro (sábado)

Local: Cineteatro São Luiz

Horário: às 19h

Ingressos – Preço: R$15,00 e R$30,00

BILHETERIA: de terça a sábado de 10 às 18h30 – Fone: 3252.4138

INTERNET: www.tudus.com.br 

Cineteatro São Luiz recebe o espetáculo “Caio do Céu” na programação da Bienal do Livro

“Caio do Céu”, da Companhia de Solos & Bem Acompanhados com Deborah Finocchiaro, é um espetáculo sobre Caio Fernando Abreu e que expõe e questiona os valores da sociedade e, principalmente, as questões da alma humana, da morte e da vida. A programação faz parte do “Curta Mais Teatro” e da “Bienal do Livro” (Bienal Fora da Bienal), acontece no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), no dia 21/8, às 19h, e está com ingressos à venda por R$20 (inteira) e R$10 (meia).

Caio Fernando Abreu é visceral, sincero, confessional, um biógrafo do emocional, um fotógrafo da fragmentação contemporânea, um tradutor do seu tempo. Escreveu, principalmente, sobre o tema que mais lhe despertava a imaginação: a condição humana. Caio do Céu transpõe seu universo para o palco através de crônicas, cartas, contos, poemas, textos teatrais, depoimentos, música ao vivo e projeções. Traz para a cena o próprio artista, por meio de vídeos, com trechos de suas entrevistas. O roteiro prioriza parte da obra que valoriza a vida em todos os seus aspectos, apresentando também uma face pouco conhecida do autor: um homem vibrante e solar, que se revela desperto para o milagre da existência diante da iminência da morte – muitas vezes abordada com humor, leveza e profundidade.

Caio Fernando Abreu (1948/1996), um dos autores mais populares da literatura nacional, foi ator, dramaturgo, jornalista e escritor. Traduzido para o alemão, espanhol, francês, inglês, italiano e holandês, mesmo depois de sua morte, segue conquistando uma incrível legião de fãs. Suas frases e pensamentos são compartilhados incansavelmente nas redes sociais por jovens e adultos que reconhecem a profundidade e atualidade da sua obra. A montagem é dirigida pelo experiente e premiado diretor Luís Artur Nunes, amigo pessoal de Caio.

Serviço

Espetáculo Caio do Céu (Bienal Fora da Bienal)

21/08, às 19h

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) – À venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus.

‘CARTAS PARA GONZAGUINHA – O MUSICAL’ CHEGA A FORTALEZA

Depois do sucesso de público na temporada de estreia, no Rio de Janeiro, o espetáculo “Cartas para Gonzaguinha – O Musical” desembarca em Fortaleza. O poeta do povo brasileiro é homenageado numa história que tem como pano de fundo o Brasil no fim da ditadura militar. São 22 atores em cena, que cantam as inesquecíveis canções do compositor. São três apresentações nos dias 27 e 28 de julho (sábado e domingo) no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Tão carioca quanto o homenageado, a peça “Cartas para Gonzaguinha” é uma realização do Ceftem. A direção e a direção de movimento são assinadas por Rafaela Amado, e a direção musical por João Bittencourt (que é idealizador do projeto). A cantora e filha de Gonzaguinha Nanan Gonzaga é responsável pela pesquisa e participa, também, como assistente geral. O texto é de Tiago Rocha.

Para elenco e equipe de direção, levar a peça para a capital cearense é uma alegria. A tradição de Gonzaguinha e do ilustríssimo pai Luiz Gonzaga é fortemente celebrada no estado (e em todo Nordeste). Vale lembrar que Gonzagão nasceu na cidade de Exu, no sopé da Serra do Araripe, que fica bem na divisa de Pernambuco e Ceará. “Gonzaguinha fala ao coração do povo brasileiro, e nós esperamos que o público de Fortaleza se emocione e cante junto com a gente essas canções tão icônicas”, diz a diretora, Rafaela Amado.

Sobre a peça

O ano é 1981, e a retomada da democracia avança lentamente pelo país, ainda com forte repressão, principalmente à ação sindical. Numa fábrica na cidade grande, os trabalhadores se empolgam com uma pergunta posta por Gonzaguinha na grande mídia: “O que é a vida?”. As respostas mais criativas podem se tornar versos de uma nova música.

Os trabalhadores lutam para garantir o salário, e quem sabe, levar para casa um pouco mais do que só o feijão. Mas um escândalo de corrupção envolvendo o dono da fábrica desestabiliza o negócio, e traz à tona o tão temido fantasma da demissão. Cumprindo horas extras não remuneradas, os operários se articulam. Alguns vão para o olho da rua, e outros podem encontrar um destino ainda mais trágico.

Em meio a essa luta e a condições precárias de trabalho (e de vida), resiste a possibilidade de refletir sobre o que é a vida. Cada um dos trabalhadores responde, por escrito, à pergunta: “o que é a vida para você?”. Eles têm a esperança de serem escolhidos por Gonzaguinha, que sempre teve como matéria-prima de seu trabalho o ser humano em sua essência mais pura.

“Gonzaguinha era humano. Queremos trazer a simplicidade do olhar dele quando fala das pessoas do cotidiano”, pontua o diretor musical João Bittencourt.

Serviço:

‘CARTAS PARA GONZAGUINHA – O MUSICAL’ EM FORTALEZA

Dia 27/7 (sábado) – duas sessões, uma às 16h e a outra às 20h

Dia 28/7 (domingo) – sessão às 18h

Cineteatro São Luiz: Rua Major Facundo, Centro, Fortaleza (CE)

Telefone: (85) 3252-4138

Ingressos: plateia inferior – R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) / plateia superior – R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

Vendas: no site www.tudus.com.br e na bilheteria do teatro

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 150 minutos (com intervalo de 15 minutos)

Facebook: facebook.com/cartasparagonzaguinhaomusical

Instagram: instagram.com/cartasparagonzaguinhaomusical

A programação especial de cinema do mês chega em sua última semana de exibição com entrada gratuita

A faixa de programação de cinema “Férias no São Luiz” chega a sua última semana no Cineteatro, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), exibindo, em sessões gratuitas, oito filmes que acabaram de sair do circuito comercial: “Aquaman”, “Capitã Marvel”, “Bumblebee”, “Os Incríveis 2”, “Wi-fi Ralph – Quebrando a Internet”, “O Touro Ferdinando”, “Uma Aventura Lego 2” e “Como Treinar o Seu Dragão 3”.

Tendo seu início no ano de 2016, a faixa de programação de cinema “Férias no São Luiz” é realizada sempre nos meses de férias escolares, janeiro e julho, e oferece, gratuitamente, conteúdo diversificado e voltado prioritariamente para o público infantojuvenil. Promovendo a democratização do acesso, a formação de público e de repertório cultural, a programação de cinema do equipamento da Secult ultrapassou, nas três primeiras semanas deste mês de julho, a marca dos 30 mil espectadores vindos dos mais variados bairros de Fortaleza e também de outras localidades, como foi o caso das caravanas que vieram dos municípios de Pentecoste e Itapajé.

“Eu acho super importante esta programação. É uma forma de, também, revitalizar a nossa cidade. A Praça do Ferreira mesmo tendo sua importância histórica, as vezes fica esquecida e ela é o coração, é o point, é o mais histórico dos históricos da nossa cidade. É preciso trazer as pessoas pra cá e esse tipo de evento é importante porque muita gente que vem para essa programação não conhece o coração da nossa cidade. Essa programação é gratuita e é uma oportunidade para trazer as crianças para o Centro. Venham, tragam suas famílias, é seguro e um ambiente super família.”, afirma Silvia que trouxe seu filho João Gabriel. Ele veio ao São Luiz pela primeira vez e, segundo Silvia, havia acabado de estudar sobre a cidade de Fortaleza: “Trazer João para a programação é uma forma dele viver na prática o que viu na teoria”, destacou.

O Férias no São Luiz é um projeto que já tem corpo e alma, como afirma Milton Sobreira, produtor do São Luiz: “É uma grande produção para o Cineteatro, temos de 3 a 4 sessões por dia e uma média de público que varia de 400 a 1000 espectadores por sessão. Muitas famílias já conhecem a programação dos meses de férias e sempre veem, outras muitas estão vindo pela primeira mês e percebemos isso pelos olhares encantados de quando entram no Hall. Nosso desejo é que todos conheçam o São Luiz, todas as pessoas de todos os bairros da cidade.”

Para ter acesso a programação gratuita basta apresentar documento de identificação com foto e retirar o ingresso na bilheteria do equipamento, que começa a ser distribuído uma hora antes do início de cada sessão.

Veja a programação da última semana do “Férias no São Luiz”:

DIA 23/07 (TERÇA-FEIRA)

9h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | AQUAMAN

Classificação indicativa: 12 anos | Legendado

13h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | AQUAMAN

Classificação indicativa: 12 anos | Dublado

16h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | CAPITÃ MARVEL

Classificação indicativa: 12 anos | Dublado

DIA 24/07 (QUARTA-FEIRA)

10h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | BUMBLEBEE

Classificação indicativa: 10 anos | Dublado

13h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | OS INCRÍVEIS 2

Classificação indicativa: Livre | Dublado

16h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | WIFI RALPH – QUEBRANDO A INTERNET

Classificação indicativa: Livre | Dublado

DIA 25/07 (QUINTA-FEIRA)

10h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | O TOURO FERDINANDO

Classificação indicativa: Livre | Dublado

13h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | UMA AVENTURA LEGO 2

Classificação indicativa: Livre | Dublado

16h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | COMO TREINAR O SEU DRAGÃO 3

Classificação indicativa: Livre | Dublado

SINOPSES

CAPITÃ MARVEL

Classificação indicativa: 12 anos

Direção: Anna Boden, Ryan Fleck | Ação, Fantasia | EUA | 2019 | 2h04

Sinopse: Carol Danvers (Brie Larson) é uma ex-agente da Força Aérea norte-americana, que, sem se lembrar de sua vida na Terra, é recrutada pelos Kree para fazer parte de seu exército de elite. Inimiga declarada dos Skrull, ela acaba voltando ao seu planeta de origem para impedir uma invasão dos metaformos, e assim vai acabar descobrindo a verdade sobre si, com a ajuda do agente Nick Fury (Samuel L. Jackson) e da gata Goose.

AQUAMAN

Classificação indicativa: 12 anos

Direção: James Wan | Ação, Fantasia | EUA | 2018 | 2h24

Sinopse: Filho do humano Tom Curry (Temuera Morrison) com a atlante Atlanna (Nicole Kidman), Arthur Curry (Jason Momoa) cresce com a vivência de um humano e as capacidades metahumanas de um atlante. Quando seu irmão Orm (Patrick Wilson) deseja se tornar o Mestre dos Oceanos, subjugando os demais reinos aquáticos para que possa atacar a superfície, cabe a Arthur a tarefa de impedir a guerra iminente. Para tanto, ele recebe a ajuda de Mera (Amber Heard), princesa de um dos reinos, e o apoio de Vulko (Willem Dafoe), que o treinou secretamente desde a adolescência.

BUMBLEBEE

Classificação indicativa: 10 anos

Direção: Travis Knight | Ação, Fantasia | EUA | 2018 | 1h54

Sinopse: 1987. Refugiado num ferro-velho numa pequena cidade praiana da Califórnia, Bumblebee, um fusca amarelo aos pedaços, machucado e sem condição de uso, é encontrado e consertado pela jovem Charlie (Hailee Steinfeld), às vésperas de completar 18 anos. Só quando Bee ganha vida ela enfim nota que seu novo amigo é bem mais do que um simples automóvel.

OS INCRÍVEIS 2

Classificação indicativa: Livre

Direção: Brad Bird | Animação | EUA | 2018 | 1h58

Sinopse: Quando Helena Pêra é chamada para voltar a lutar contra o crime como a super-heroína Mulher-Elástica, cabe ao seu marido, Roberto, a tarefa de cuidar das crianças, especialmente o bebê Zezé. O que ele não esperava era que o caçula da família também tivesse superpoderes, que surgem sem qualquer controle.

WIFI RALPH – QUEBRANDO A INTERNET

Classificação indicativa: Livre

Direção: Rich Moore, Phil Johnston | Animação | EUA | 2019 | 1h53

Sinopse: Ralph, o mais famoso vilão dos videogames, e Vanellope, sua companheira atrapalhada, iniciam mais uma arriscada aventura. Após a gloriosa vitória no Fliperama Litwak, a dupla viaja para a world wide web, no universo expansivo e desconhecido da internet. Dessa vez, a missão é achar uma peça reserva para salvar o videogame Corrida Doce, de Vanellope. Para isso, eles contam com a ajuda dos “cidadãos da Internet” e de Yess, a alma por trás do “Buzzztube”, um famoso website que dita tendências.

O TOURO FERDINANDO

Classificação indicativa: Livre

Direção: Carlos Saldanha | Animação | EUA | 2018 | 1h49

Sinopse: Ferdinando é um touro com um temperamento calmo e tranquilo, que prefere sentar-se embaixo de uma árvore e relaxar ao invés de correr por aí bufando e batendo cabeça com os outros. A medida que vai crescendo, ele se torna forte e grande, mas com o mesmo pensamento. Quando cinco homens vão até sua fazenda para escolher o melhor animal para touradas em Madri, Ferdinando é selecionado acidentalmente.

UMA AVENTURA LEGO 2

Classificação indicativa: Livre

Direção: Mike Mitchell (V) | Animação | EUA | 2019 | 1h48

Sinopse: Cinco anos após os eventos do primeiro filme, a batalha contra inimigos alienígenas faz com que a cidade Lego torne-se Apocalipsópolis, em um futuro distópico onde nada mais é incrível. Neste contexto, Emmet constrói uma casa para que possa viver ao lado de Lucy, mas ela ainda o considera ingênuo demais. Quando um novo ataque captura não apenas Lucy, mas também Batman, Astronauta, UniKitty e o pirata, levando-os ao sistema planetário de Manar, cabe a Emmet construir uma espaçonave e partir em seu encalço. No caminho ele encontra Rex Perigoso, um navegante solitário que decide ajudá-lo em sua jornada.

COMO TREINAR O SEU DRAGÃO 3

Classificação indicativa: Livre

Direção: Dean DeBlois | Animação | EUA | 2019 | 1h44

Sinopse: Decidido a fazer de Berk um verdadeiro libelo ao ideal da convivência pacífica entre homens e dragões, Soluço e seus amigos seguem atrás de caçadores, para não só libertar suas presas mas também impedir a matança desenfreada dos animais. O esforço do grupo desperta a atenção de Grimmel ao descobrir que entre eles está Banguela, um legítimo Fúria da Noite. O vilão então desenvolve um plano para capturá-lo a todo custo, usando como arma uma fêmea capturada, da mesma espécie.

‘A vida invisível de Eurídice Gusmão’, de Karim Aïnouz, é escolhido para abrir o 29º Cine Ceará


“A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, longa de Karim Aïnouz premiado como melhor filme na mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes, foi escolhido para abrir o 29º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, em Fortaleza. O festival acontece de 30 de agosto a 6 de setembro.  O longa de Aïnouz será exibido dia 30 de agosto, no Cineteatro São Luiz.

Após vencer o prêmio de melhor filme na mostra Un Certain Regard de Cannes – primeiro filme brasileiro a receber o prêmio máximo na categoria, o projeto foi contemplado com o também inédito CineCoPro Award no Filmfest München, na Alemanha. O longa conta a história das irmãs inseparáveis Guida, que sonha em casar e ter uma família, e Eurídice, a mais nova, pianista prodígio. Um dia, as duas são separadas para sempre e passam suas vidas tentando se reencontrar, como se somente juntas fossem capazes de seguir em frente. 

“É uma felicidade imensa realizar a primeira exibição nacional de “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão” na minha cidade natal, e no Nordeste, uma região catalisadora do cinema e da cultura brasileira, e estou ansioso para ver e ouvir as reações do público cearense. A trajetória internacional deste longa tem me emocionado muito também, com ótima receptividade dos espectadores em diversos países, que estão abraçando o filme de uma forma muito especial. A participação em alguns dos mais importantes festivais do mundo e a conquista do prêmio inédito em Cannes comprovam a sua força e universalidade, conta o diretor Karim Aïnouz.

“Estou ansioso para acompanhar a recepção do público brasileiro, e começar essa história em Fortaleza na abertura do 29º Cine Ceará é muito especial. ‘A Vida Invisível’ tem um elenco incrível que revela novas atrizes, como a Julia Stockler e a Carol Duarte, e também poder contar com a atuação e a presença de Fernanda Montenegro, Gregorio Duvivier, Maria Manoella, Bárbara Santos,Flavia Gusmão, Flavio Bauraqui, entre outros. O filme aborda um assunto urgente, sobre como o patriarcado pode ser tóxico na sociedade, e tenho certeza de que será uma sessão muito acolhedora e importante para o projeto”, afirma o produtor Rodrigo Teixeira.

Livre adaptação do romance homônimo de Martha Batalha, o longa já recebeu elogios de algumas das mais prestigiosas publicações do segmento de cinema no mundo, como o The Hollywood Reporter, Screen Daily e Variety. Além de Cannes e Munique, o filme esteve nas seleções oficiais dos festivais de Sydney, do Midnight Sun, na Finlândia, e de Karlovy Vary, na República Tcheca, e será exibido no Transatlantyk Festival, na Polônia, e no Festival de Cinema da Nova Zelândia.

O longa é uma produção da RT Features, de Rodrigo Teixeira, em coprodução com a alemã Pola Pandora, braço de produção da The Match Factory, de Michael Weber e Viola Fügen, além da Sony Pictures Brasil, Canal Brasil e Naymar (infraestrutura audiovisual), e conta com o financiamento do fundo alemão Medienboard Berlin Brandenburg e do Fundo Setorial do Audiovisual/Ancine. A Sony Pictures será a distribuidora responsável pelo lançamento no Brasil em 31 de outubro.

SINOPSE
Rio de Janeiro, 1950. Eurídice, 18, e Guida, 20, são duas irmãs inseparáveis que moram com os pais em um lar conservador. Ambas têm um sonho: Eurídice o de se tornar uma pianista profissional e Guida de viver uma grande história de amor. Mas elas acabam sendo separadas pelo pai e forçadas a viver distantes uma da outra. Sozinhas, elas irão lutar para tomar as rédeas dos seus destinos, enquanto nunca desistem de se reencontrar.   


SOBRE O DIRETOR
Formado em Arquitetura pela Universidade de Brasília, Aïnouz fez mestrado em Teoria e História do Cinema pela Universidade de Nova York e participou do Whitney Independent Study Program. Cineasta premiado e celebrado mundialmente, roteirista e artista visual, realizou diversos curtas-metragens, documentários e instalações. Dirigiu os longas-metragens ‘Madame Satã’ (2002), ‘O Céu de Suely’ (2006), ‘Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo’ (2009, codirigido com Marcelo Gomes), ‘O Abismo Prateado’ (2011, produzido pela RT Features), ‘Praia do Futuro’ (2014), além do documentário ‘Aeroporto Central’ (2018). O próximo longa-metragem, ‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’, tem previsão de lançamento para outubro de 2019.

Para a televisão, codirigiu com Sergio Machado a minissérie ‘Alice’, filmada no Brasil e transmitida pelo canal HBO em 2008. Aïnouz é um dos tutores do laboratório de roteiros do Porto Iracema das Artes em Fortaleza e membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. 

SOBRE A RT FEATURES  
Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de conteúdo cultural e entretenimento para cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil, e escritório em Nova York, nos EUA. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens ‘O Cheiro do Ralo’ (2006), ‘O Abismo Prateado’ (2010), ‘Tim Maia’ (2014), ‘Alemão’ (2014), ‘O Silêncio do Céu’ (2016) e a série ‘O Hipnotizador’ (para a HBO Latin America em 2015).     

No mercado internacional, a RT Features produziu os longas ‘Frances Ha’ (2013), ‘Love is Strange’ (2014), ‘Love’ (2015), ‘Mistress America’ (2015), ‘The Witch’ (2016), ‘Patti Cake$’ (2017) e o indicado ao Oscar ‘Call Me By Your Name’ (2017). Em 2018 a RT Features produziu o novo filme de James Gray, ‘Ad Astra’, e no Brasil o longa-metragem ‘A Vida Invisível de Eurídice Gusmão’, de Karim Ainouz, ambos com previsão de estreia em 2019.     

Dedicada a trabalhar com jovens e talentosos diretores desde a sua criação, a RT Features formou uma joint venture com a Sikelia Productions, de Martin Scorsese, com o objetivo de produzir filmes de cineastas emergentes em todo o mundo. O primeiro longa-metragem desta parceria, ‘A Ciambra’, estreou na última edição da Quinzena dos Realizadores, e os próximos estão em fase de produção.

O 29º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC), Secretaria Estadual da Cultura, e da Prefeitura de Fortaleza através da Secultfor. Conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, através da SP Combustíveis, M. Dias Branco, Café Santa Clara e Cegás. Agradecimentos: Enel.  A realização é da Associação Cultural Cine Ceará, Bucanero Filmes e da Secretaria Especial da Cultura – Governo Federal.

SERVIÇO
29° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 30 de agosto a 06 de setembro de 2019 em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465 e 99134-1101. Toda a programação tem acesso gratuito.

Vinte e cinco filmes com entrada gratuita fazem parte da programação de férias do Cineteatro São Luiz

No mês de julho, o Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), realiza o “Férias no São Luiz”, faixa de programação que alia entretenimento, cidadania e democratização de acesso, formação de público e repertórios simbólicos. Neste mês, serão exibidos 13 filmes, sendo que 9 acabaram de sair do circuito comercial de cinema, todos com foco no público infanto-juvenil e entrada gratuita.

Os filmes que serão exibidos são: “Capitã Marvel”, “Aquaman”, “Bumblebee”, “Os Incríveis 2”, “Wifi Ralph – Quebrando a internet”, “O Touro Ferdinando”, “Uma Aventura Lego 2”, “Como Treinar o Seu Dragão 3”, “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”, “Nasce uma Estrela” e Mostra Matrix 20 anos (com exibição dos filmes “Matrix”, “Matrix Reloaded” e “Matrix Revolutions”).

Ainda na linguagem cinema, a programação traz, em parceria com o “Cine Ceará  – Festival Ibero-americano de Cinema”, a Mostra Popular de Filmes Finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Ao todo, serão exibidos 22  filmes nas quatro categorias competitivas da mostra, duas delas nesse mês de julho; as outras duas acontecerão na primeira quinzena de agosto. A Academia Brasileira de Cinema busca, com a “Mostra Popular de Filmes Finalistas”, incentivar, promover e aproximar o público da produção audiovisual brasileira. Através do Voto Popular, o público participa nas quatro categorias.

Os filmes que serão exibidos neste mês, com entrada gratuita, na categoria Melhor Longa Metragem Estrangeiro são: “A Forma da Água”, “Bohemian Rhapsody”, “Eu, Tonya”, “Infiltrado Na Klan”, “Me Chame  Pelo Seu Nome”, “The Square – Arte Da Discórdia” e “Três Anúncios para Um Crime”. Já em Melhor Longa Metragem Ibero-Americano: “A Noiva Do Deserto”, “Alguém Como Eu”, “As Herdeiras”, “Cachorros” e “Uma Noite de 12 Anos”.

Compondo a programação do mês, os shows a serem realizados são: “Um Quarto de Lua – 25 anos” com Olímpio Rocha (Dentro do Som), Argonautas Convidam Zé Renato, “Cantigas” com Laya e Concerto da Orquestra Contemporânea Brasileira que este mês recebe o flautista cearense Marcelo Leite.

A Sessão Sonora de julho, faixa de programação que une cinema e show, exibe o filme “Os Irmãos Cara de Pau” de John Landis e traz show de Artur Menezes. 

O Curta São Luiz realiza uma única edição, com o músico David Valente, artista que usa os pés para tocar teclado e acordeon. “Cartas Para Gonzaguinha – O Musical” ganha três sessões e a “Visita Guiada” continua, no entanto, a edição de julho terá três horários: 9h, 10h e 11h.

Atenção: Os ingressos para as sessões gratuitas começam a ser distribuídos uma hora antes de cada sessão na bilheteria do Cineteatro, mediante apresentação de documento de identificação com foto. Cada pessoa pode retirar até 2 ingressos. Mais informações sobre ingressos neste link

CINETEATRO SÃO LUIZ RECEBE ESPETÁCULO ‘CARTAS PARA GONZAGUINHA – O MUSICAL’ EM JULHO

Depois do sucesso de público na temporada de estreia, no Rio de Janeiro, o espetáculo “Cartas para Gonzaguinha – O Musical” desembarca em Fortaleza. O poeta do povo brasileiro é homenageado numa história que tem como pano de fundo o Brasil no fim da ditadura militar.

São 22 atores em cena, que cantam as inesquecíveis canções do compositor. São três apresentações nos dias 27 e 28 de julho (sábado e domingo) no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

As vendas já estão abertas e os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do cineteatro ou pelo site www.tudus.com.br. Os ingressos para a plateia inferior custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) e para a plateia superior, R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

Serviço:

‘CARTAS PARA GONZAGUINHA – O MUSICAL’ EM FORTALEZA

Dia 27/7 (sábado) – duas sessões, uma às 16h e a outra às 20h

Dia 28/7 (domingo) – sessão às 18h

Cineteatro São Luiz: Rua Major Facundo, Centro, Fortaleza (CE)

Telefone: (85) 3252-4138

Ingressos: plateia inferior – R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada) / plateia superior – R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

Vendas: no site www.tudus.com.br e na bilheteria do teatro

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 200 minutos (com intervalo de 15 minutos)

Facebook: facebook.com/cartasparagonzaguinhaomusical

Instagram: instagram.com/cartasparagonzaguinhaomusical

Espetáculo “Somos Todos Nós Assim” reúne compositores cearenses

Três grandes compositores e cantores, de distintas gerações da música brasileira feita a partir do Ceará, se reúnem em um novo e intenso espetáculo. SOMOS TODOS NÓS ASSIM é o mote/tema/mantra da união de vozes, violões, poesia e canções entre Isaac Cândido e Davi Duarte (desde os anos 1990, dois dos mais aclamados compositores cearenses, autores de canções reconhecidas por sua força dramática e criatividade harmônica, melódica e poética) e Pedro Frota, uma das vozes de mais belo timbre da nova cena musical cearense, chamando atenção pela beleza e sensibilidade de suas interpretações.

Unidos pela ousada opção em fazer uma música que não encontra fronteiras em modelos, tendências, nichos ou rótulos, os três artistas se entregam no palco ao público, ao mesmo tempo em que o provocam, instigam, conclamam: “Ei, você, parado nessa plateia…”. “Cômicos de bar, mágicos de Oz, místicos demais, sôfregos de dor… Somos todos nós assim. Somos todos nós, enfim”.

O espetáculo lança foco, em um formato inovador, sobre os atrativos líricos e musicais das composições de Isaac Cândido, em parceria com autores como Marcus Dias, Alexandre Silva, Rogério Lima e Dalwton Moura, e das canções de Davi Duarte, ambos compositores consagrados no Ceará desde a chamada geração 90, que também contou com nomes como Kátia Freitas, Edmar Gonçalves, Serrão, Paulo Façanha, Marcus Caffé, Aparecida Silvino, Marcílio Homem, entre muitos outros.

Muitos deles se haviam lançado na música desde a década anterior, mas foi principalmente a partir de 1995 que muitos deram forma mais definida ao seu projeto poético, harmônico, melódico, a partir do lançamento de dezenas de discos autorais, na esteira do primeiro grande momento catalisador de novos álbuns a partir da lei estadual de incentivo à cultura.

Passados mais de 20 anos, Isaac Cândido e Davi Duarte, consolidados como compositores aclamados e referências para as gerações que se seguiram, se unem no palco, em uma parceria criativa inédita, e recebem de braços abertos outro compositor, cantor e violonista que chama atenção pelo talento e pelo timbre de voz: o jovem Pedro Frota, que vem trabalhando com nomes como o pianista Thiago Almeida e o contrabaixista Miqueias dos Santos. Sempre chamando atenção pelo belo e sensível e suave vocal, assim como pela presença no palco e pelas composições que, mesmo bastante jovem, já se acostumou a cultivar.

Isaac, Davi, Pedro. Essa trinca de nomes bíblicos se propõe fazer do palco um chão sagrado para semear canções e convidar os ouvintes e espectadores a uma fruição mais atenta, potente, detalhada. Como que a compor junto o repertório, cantar junto mesmo sem soltar a voz, cuidar para que os silêncios, contrapontos, percepções, imagens, respiros também façam parte da tessitura incerta, improvisada e imprevisível do novo espetáculo. Que traz um esmero em elementos como figurino e presença cênica, mas faz questão de manter, como cerne e como objetivo, como origem e como fortaleza, a intensidade plena da palavra e da música.

“Se você faz a música pra cantar… Se você faz a música pra virar palavra”, anunciava Davi Duarte em seu belíssimo segundo álbum, não por acaso intitulado Palavra música. “Verbo azul, verbo encarnado, como amar, sofrer, mentir. Dizer que não procura mais o verbo. E que ele vem naturalmente”, cantava Isaac em seu disco de estreia, escandindo sobre melodias e harmonias complexas as intrigantes palavras do poeta Marcus Dias.

Com direito a clássicos do repertório de Isaac e parceiros (como MáquinaDescontroleBrisaQuaseCoroaDisneylândiaOutros motivos, entre muitas outras), de Davi (Outra cançãoBússolaNoiteNenhum medoO que eu queria, entre várias possibilidades) e a canções inéditas de autoria de Pedro Frota, o show também revela ao ouvinte músicas até hoje intocadas pela mão do tempo, sejam novas composições ou gemas guardadas nas paredes da memória e nos baús de chaves de há muito escondidas, esperando o sol brilhar.

SOMOS TODOS NÓS ASSIM, o espetáculo, que conta com direção dos próprios Isaac, Davi e Pedro, em parceria com o compositor e jornalista Dalwton Moura e com o jornalista e crítico de música Marcos Sampaio, expressa renovada certeza da enorme qualidade da música brasileira feita no Ceará. Propõe um reencontro do público local com três dos grandes nomes dessa cena. Mais do que isso: expõe a urgência desse (re)conhecimento, diante da extrema qualidade, da indisfarçável beleza, do incontido sentimento do mundo presente e potente nessas canções. Que o Brasil precisa conhecer e cantar e viver e amar. A hora é agora. Ao ouvinte, o convite está feito. Sejamos todos nós enfim!

> Quem somos nós

Davi Duarte

Cantor, compositor, instrumentista e produtor musical, o cearense Davi Duarte já afirmou que não se prende a nenhum estilo musical, estando aberto a todas as tendências. Lançou três CDs solo independentes e participou de diversos projetos coletivos do Ceará. De 1997, seu primeiro álbum, Dentro do Sonho mostra uma renovação poética e musical na Música Popular Brasileira. O segundo álbum, 2 em 1, com 17 faixas, mistura canções do primeiro álbum – Nenhum MedoBússolaNoiteMatiz, entre outras – com faixas bônus. Suas composições já foram gravadas por conterrâneos como Kátia Freitas (Babe Baby), Daniela Montezuma (Pela Vida), Edmar Gonçalves (Bússola) e Marcus Brito (Matiz). Em 2003, a música O que eu Queria, do álbum 2 em 1, tornou-se sucesso de execução nas rádios de Fortaleza e, posteriormente, ganhou regravação na voz de Marcos Lessa. David Duarte venceu importantes festivais de música em Fortaleza e foi finalista no Festival Canta Nordeste, promovido pela Rede Globo, com a músicaCódigo. Também ganhou o prêmio de melhor intérprete masculino, no 4° Prêmio NelSons do Ceará, em 2004. Em 2006, no III Festival de Inverno da Serra de Meruoca (CE), na mostra competitiva de música, o cantor teve sua canção Dor pra Cantarapontada pelo júri como a melhor do festival.

Isaac Cândido

Isaac Cândido é cantor, compositor, instrumentista e produtor cultural, nascido em Orós (CE). Seu trabalho é marcado pela ousadia e diversidade, através de ricas melodias, sofisticadas harmonias e textos de forte influência concretista. São mais de 350 composições numa fusão de choro, baião, tango, salsa, baladas, rock. Isaac Cândido lançou seu disco de estreia em 1995, trazendo alguns de seus principais sucessos: DescontroleQuase e a inesquecível Os Bêbados. Em 2005, foi a vez de Algo Sobre a Distância e o Tempo, álbum que reafirma a parceria de Isaac com o poeta Marcus Dias. Produzido pelo baterista Pantico Rocha, o disco apresenta canções como BrisaSóbrio e Enquanto, além de uma versão inédita de Asa Partida, com participação de Raimundo Fagner. Os trabalhos realizados de forma independente já foram apresentados em palcos do Rio de Janeiro – Rival BR (RJ), Teatro Municipal de Niterói, Bar do Tom, Lona Cultural Gilberto Gil e Hermeto Pascoal – e em Brasília. Em 2011, a cantora Simone Guimarães gravou o disco Cândidos, apenas com composições de Isaac e parceiros. De Isaac e Marcus Dias, a músicaEnquanto entrou na trilha sonora do filme Área Q.

Pedro Frota

Pedro Frota é cantor, violonista e compositor. Desenvolve trabalho interpretando composições próprias, numa linguagem contemporânea inspirada na tradição da Musica Popular Brasileira. Com seu primeiro show autoral, Influência, foi selecionado para integrar a Temporada de Arte e Cultura do Governo do Estado do Ceará. O show foi apresentado no Anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar, Centro Cultural Bom Jardim, Teatro do Sesc Iracema, foyer do Teatro José de Alencar, Teatro Sesc Emiliano Queiroz e Centro Cultural Banco do Nordeste. Participou do Tributo a Chico Pinheiro, no projeto Jazz em Cena (CCBNB). Participou do show solo do baixista Miqueias dos Santos, no projeto Por do som (Dragão do Mar). Durante temporada em Londres se apresentou em tradicionais pontos da cena inglesa, como Ronnie Scott´s Bar, Primo Bar e The Spice of Life.

Serviços:

“Somos Todos Nós Assim”

Dia 30 de junho

Às 18h

No CineTeatro São Luiz

Luciana Mello faz apresentação única no Cineteatro São Luiz

Neste domingo (16), às 18h, Luciana Mello se apresenta no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), em show que celebra 35 anos de sua carreira: repleta de sucessos, respeito e amor à música e à cultura brasileira. Os ingressos já estão à venda por R$20 (inteira) e R$40 (inteira) na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus.

Filha de Jair Rodrigues, Luciana traz em suas canções a influência do samba e da black music e é considerada uma das grandes cantoras da música popular brasileira. Com apenas 5 anos de idade Luciana Mello gravou sua primeira música, “O Filho do Seu Menino” (Hildo Hora), ao lado do pai. Desde então, nunca mais parou de de cantar. Hoje, são 7 discos solos, 2 álbuns de projetos especiais, inúmeras participações em discos de artistas consagrados como Luiz Melodia, Jair Rodrigues, Sandra de Sá, Tom Zé, Pedro Mariano, Jair Oliveira entre outros; 4 peças de teatro musical, apresentações em programas de televisão e muitos, muitos shows por palcos brasileiros e internacionais.

SERVIÇO

Luciana Mello em apresentação única no Cineteatro São Luiz

16/06/2019, às 18h

Ingressos: R$20 (meia) e R$40 (inteira)À venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus (https://checkout.tudus.com.br/cineteatro-sao-luiz-luciana-mello–/selecione-seus-ingressos)

Visite Ceará apoia concerto da Orquestra Sinfônica da UECE no Cineteatro São Luiz

Nesta sexta-feira (24), a Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (UECE), recebe a cantora internacional Uxía para um concerto no Cineteatro São Luiz.

O evento conta com o apoio do Visite Ceará, entidade que promove e divulga ações que tratam sobre turismo de evento no Estado. Os ingressos estão à venda na bilheteria e no site do Tudus (https://checkout.tudus.com.br/cineteatro-sao-luiz-uxia-e-orquestra-sinfonica-da-uece/selecione-seus-ingressos).

O Visite Ceará prospecta, desenvolve e incrementa eventos já existentes e que se enquadrem nos objetivos traçados pela entidade, além de promover a integração das atividades culturais e artísticas em geral, relacionadas a congressos, eventos e simpósios.

Em apresentação única, o concerto marca o reencontro entre a formação orquestral cearense e a cantora natural da Galiza, Espanha. Uxía é considerada a grande dama da música e da poesia galega e uma de suas maiores embaixadoras.

Serviço
Data: 24 de maio de 2019

Horário: 19h

Entrada: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia)

Classificação indicada: Livre

Local: Cineteatro São Luiz

Soledad lança seu novo disco, Revoada, no Cineteatro São Luiz

Revoada é o segundo disco de Soledad, que saiu no dia 26 de abril de 2019, nas plataformas digitais. Se em seu disco de estreia, Soledad tinha Fernando Catatau (Cidadão Instigado) tocando guitarra em algumas das faixas, agora a parceria se firma com ele assinando a produção musical do disco.

O show do lançamento do álbum acontece no dia 1º de junho, às 19h, no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), e está com ingressos à venda nos valores: R$15 (meia) e R$30 (inteira).

“Trabalhar com Fernando era um desejo antigo. Me identifico muito com o que ele propõe poeticamente e musicalmente. Os timbres de guitarras, o romance e a intensidade das letras, a psicodelia”, comenta Soledad.

O álbum traz uma cantora mais experimental, dando voz à um belo recorte da cena contemporânea. Ela interpreta composições de Alzira E e arrudA (“Próximos ao Máximo”), Alessandra Leão e Xico Sá (“Pássaros, Mulheres e Peixes”), Jonas Sá, Negro Leo e Santiago Botero Rodriguez (“2013”), Junio Barreto, Otto e Bactéria (“Amigos Bons”), Giovani Cidreira (“Dança na Chuva”), Luis Capucho (“Céu”), Vitor Colares (“O Silêncio é o Espaço Vazio Entre as Bocas”) e até do próprio Fernando Catatau (“Por Amor)”. Este último foi lançado como single e ganhou clipe.

Em “Revoada” Soledad experimenta novas sonoridades. Traz para o estúdio instrumentos inusitados como uma mesa altec, um órgão minami, um echoplex e um microfone electro-voice Re 15 vintage. Tudo isso traz um timbre diferente. Uma assinatura forte da cearense com raízes em São Paulo há 4 anos.

“Esta cidade me colocou dentro de um espaço/tempo/desejo diferentes. Andar nas ruas, a Casa do Povo, as manifestações, os filmes embebidos de vinho no Cinesesc, as amizades que me abraçaram, o Loki Bicho, o Ocupeacidade, a saudade do mar, de minha mãe… tudo tudo tudo é um atravessamento poético e se encontra no meu desejo pela música. Revoada é o coletivo de pássaro. É o vôo desse bando. Esse disco fala sobre a minha arribação. Sobre voar junto, compreendendo as necessidades coletivas e as nossas relações/necessidades afetivas. sobre a libertação da mulher, de nossos desejos”, complementa.

Soledad é acompanhada pela banda formada por Xavier Francisco, Allen Alencar, Felipe Faraco e Davi Serrano.

Serviço
Evento: “Revoada” de Soledad
Data: 01/06 às 19h
Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia) – ingressos à venda na bilheteria do Cineteatro (de terça a sábado, das 10h às 18h30) e no site da Tudus (https://checkout.tudus.com.br/cineteatro-sao-luiz-revoada–soledad/selecione-seus-ingresso)
Classificação indicativa: Livre
Duração: 60 min.
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)

Serviço:
● Evento: Sessão Sonora Erasmo Carlos
● Data: 09/06 (domingo)
➜ 15h30 [CINEMA] Exibição do filme “Minha Fama de Mau”
Entrada: mediante compra do ingresso da Sessão Sonora / Obs.: Entrada permitida até 30 minutos após o início do filme | Classificação Indicativa: 12 anos
➜ 18H [SHOW] “…AMOR É ISSO” – ERASMO CARLOS
Entrada: mediante compra do ingresso da Sessão Sonora Classificação indicativa: Livre | Duração: 90 min
● Entrada: R$50,00 (inteira), R$ 25,00 (meia) – assentos numerados | limitação de 40% de meia-entrada e de dois ingressos por CPF. (À venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus.)