Browsing Tag

Arte

EXPOSIÇÃO (RE)CONHECENDO A AMAZÔNIA NEGRA, DE MARCELA BONFIM, SEGUE ATÉ 23/12, NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

“Geração Maloney”, foto de Marcela Bonfim (2016)

 

A exposição (RE)Conhecendo a Amazônia Negra, da fotógrafa Marcela Bonfim, segue em cartaz até o dia 23 de dezembro, na CAIXA Cultural Fortaleza. A mostra traz 55 fotografias que ilustram as mais diversas identidades e culturas presentes entre os povos negros da Amazônia e a importância social das religiões de matriz africana na construção do Brasil.

As obras trazem de maneira sensível e original as mais diversas expressões dos grupos que residem na região Norte do País, dentre eles remanescentes quilombolas, afroindígenas, barbadianos e haitianos. Todos carregam em seus traços as heranças socioculturais de uma parcela importante da população brasileira que ainda não é reconhecida historicamente.

As fotos foram produzidas a partir de 2013, durante visitas feitas por Marcela Bonfim a comunidades quilombolas, tradicionais, indígenas e urbanas, além de terreiros e festejos religiosos na região do Vale do Guaporé (RO), em um processo que coincidiu com o próprio reconhecimento da fotógrafa enquanto mulher negra. Segundo Marcela, “Mais que fotografia, o aspecto fundamental da proposta é a crítica ao percurso da história oficial sobre a negritude brasileira. Apesar do importante papel que os negros desempenharam e ainda desempenham para o desenvolvimento econômico, cultural e social do País, há mais de 500 anos, ainda padecem com as ambiguidades e injustiças causadas inicialmente pela seletividade das informações contidas nos livros de história e demais registros de memória, o que é um projeto de degradação e inferiorização destas populações, dos seus costumes e cultura”, aponta.

 

Expressões de fé

A exposição propõe um verdadeiro mergulho na cultura e subjetividade dos povos negros da Amazônia, trazendo histórias de vida e também de expressões religiosas de matriz africana. Logo na entrada, o visitante irá encontrar um altar trazendo alguns dos objetos de variadas religiões, encaminhando-o à primeira parte da mostra.

As imagens seguintes revelam variadas expressões de fé impressas nos detalhes de mãos, pés e semblantes de um povo que mantém fortemente suas tradições e festas religiosas. Elementos como espadas-de-são-jorge e sal grosso também irão compor a expografia, no intuito de apresentar ao público um pouco dos costumes presentes no cotidiano dos povos fotografados.

 

Incentivo à cultura:

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

A CAIXA Cultural Fortaleza oferece, desde 2012, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania.

O espaço, situado em um prédio histórico na Praia de Iracema, conta com um cine-teatro com 181 lugares, três amplas galerias de arte, sala de ensaios, salas para oficinas de arte-educação, foyer, café cultural e livraria, além de um agradável jardim e espaços para convivência e realização de eventos.

 

Serviço:

Exposição (Re)Conhecendo a Amazônia Negra

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema

Data: até 23 de dezembro de 2018

Horário: terça-feira a sábado, das 10h às 20h | domingo, das 12h às 19h

Classificação indicativa: Livre

Entrada gratuita

Paraciclo disponível no pátio interno
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

FERNANDO MENDES E WALDONYS SE APRESENTAM NO 5º VILA SONORA, EM AQUIRAZ

 

Acontece nos dias 30 de novembro e 01 de dezembro em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, a quinta edição do evento Vila Sonora. Com quatro edições anteriores realizadas sempre na cidade de Aquiraz, o Vila Sonora se constitui num evento anual que já faz parte do cronograma cultural desse município e contribui de forma significativa para dinâmica cultural da cidade. Com uma programação de difusão e formação cultural, o 5º Vila Sonora apresenta um conjunto de atividades totalmente gratuitas e divididas entre seminários, oficinas e shows.

O evento tem início na tarde desta sexta-feira, 30, com a realização de 2 seminários: às 15 horas, Seminário 1 com o tema: 15 Anos do Mapeamento Cultural de Aquiraz (2003-2005) e Histórias de Vida (Jovens do Mapeamento Cultural de Aquiraz (2003-2005), homenagem a Saulo Vinícius de Oliveira Noronha; e às 16 horas, Os Registros Sonoros de Aquiraz (Coco do Iguape, Congo Real de Aquiraz e Sons de Aquiraz) e Relatos de Produção com Pingo de Fortaleza, produtor musical dos Registros Sonoros de Aquiraz. Os seminários acontecem no Centro Cultural Tapera das Artes, Rua Antônio Gomes dos Santos, s/n, Centro, Aquiraz.

Ainda na sexta, ocorrerão 3 shows na Praça das Flores (centro de Aquiraz): Às 20 horas , Graça Santos, destaque na cena artística de Aquiraz; às 21 horas, o bloco Luxo da Aldeia, nome consolidado no Carnaval cearense por interpretar canções de compositores e cantores do Ceará, e encerrando, às 22 horas, o cantor e compositor Fernando Mendes, um dos artistas mais populares do Brasil, que se destacou na década de 1970 com a música “Cadeira de Rodas”, “Você não me Ensinou a Te Esquecer”, que vendeu mais de 1 milhão de cópias, sendo executada nas rádios de todo o país.

No sábado, 01 de dezembro, o Vila Sonora tem uma programação de oficinas: no período da manhã, às 08 horas, oficina 1: Maracatu Cearense – História e Estética, facilitador, Pingo de Fortaleza. Oficina 2, às 09 horas, Prática de Batuque de Maracatu, tendo como facilitadores, Descartes Gadelha e Levi Magalhães. À tarde, às 14 horas, Práticas de Dança de Maracatu, facilitador Gil Rodrigues. Às 16 horas, oficina Confecção de Adereços e Fantasias de Maracatu, tendo como facilitador, Fabrício Oliver. Às 18h, Prática de Cortejo de Maracatu, com Descartes Gadelha e às 20h, Prática de Maracatu, com Artur Guindugli. Todas as oficinas acontecerão no Centro Cultural Tapera das Artes.

Na noite de sábado, a programação inicia às 20h, com o grupo Aembé, em seguida, às 21h, oMaracatu Solar, com sua diversidade rítmica, apresenta o espetáculo “Um Cada Um…Um Cada Sol”, que estreou em outubro de 2018 no Cineteatro São Luiz em Fortaleza, ocasião da gravação Ao Vivo de seu DVD e CD, com repertório autoral, uma característica do grupo. Encerrando, às 22 horas, o palco do Vila Sonora, recebe o acordeonista, cantor, compositor, Waldonys, artista cearense, que gravou com grandes nomes da música brasileira, tais como: Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Fagner, Marisa Monte, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Adriana Calcanhotto, entre outros

A produção executiva e curadoria do projeto Vila Sonora é de Arnóbio Santiago (radicado na cidade de Aquiraz-CE), coordenação geral de Pingo de Fortaleza (cantor, compositor e produtor cultural), sendo sua quinta edição aprovada pelo X Edital Mecenas do Ceará, da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, com realização da Associação Cultural Solidariedade e Arte – SOLAR e co-realização da Secretaria de Cultura de Aquiraz. Agradecimentos: Coca-Cola.

 

Serviço

5º Vila Sonora

Dias 30 de novembro e 01 de dezembro

Seminários e oficinas:

Dia 30 de novembro, a partir das 14 horas

Dia 01 de dezembro, a partir das 08 horas

Local: Centro Cultural Tapera das Artes, Rua Antônio Gomes dos Santos, s/n, Centro, Aquiraz
Shows

Graça Santos, Luxo da Aldeia e Fernando Mendes (Dia 30/11)

Aembé, Maracatu Solar e Waldonys (Dia 01/12)

A partir das 20 horas na Praça das Flores, Centro, Aquiraz (CE)

Toda a programação é gratuita

Cariri receberá entre os dias 04 e 8/12 o 2º Festival Internacional de Máscaras do Cariri (FIMC)

 

Em 04 de dezembro, Mascareiros de todos os cantos do Brasil, Portugal, Canadá e África chegam ao Cariri contribuindo com a construção e a difusão das identidades culturais, para colorir mais esse lugar de tantas histórias, durante os quatro dias de atividade que integram o 2º Festival Internacional de Máscaras do Cariri (FIMC).

Co-realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, a Vila da Música, a Solibel e o Instituto Dragão do Mar, o FIMC conta com Apoio Institucional da Prefeitura Crato, Prefeitura Juazeiro do Norte, Prefeitura Aquiraz, URCA, e Apoio Cultural do Theatro José de Alencar, Quitanda das Artes, Casa Ninho, o FIMC chega ao Cariri inovando uma proposta artística bastante diversificada e com debates com grandes pesquisadores.

“Nossa proposta é ocupar as cidades por meio de espetáculos, exposições, oficinas, colóquio, desfile de máscaras, encontros, e visibilizar a máscara em sua expansão, investindo na criação, pesquisa e no afeto”, ressalta Dane de Jade, curadora da atividade.

Em sua 2ª edição, que ocorre de 04 a 08 de dezembro, no Cariri, o Festival trará diversos artistas e grupos trazendo em suas bagagens a máscara como principal elemento. Será uma semana inteira voltada ao intercâmbio cultural, reunindo mais de 50 atividades de diversas linguagens artísticas, com grupos de teatro e pesquisadores de todo o país que atuam na área.

O Festival Internacional de Máscaras do Cariri é o único no Brasil em sua linguagem, e se potencializa em intercâmbios, formação e fruição, aliando gastronomia, turismo, economia e desenvolvimento no território Cariri. É resultado de uma parceria com o já tradicional Festival Internacional de Máscaras de Quebec – Masq’alors, no Canadá.

Esta é uma realização da ONG Beatos & Ato Cultural. Com o apoio da Apoio do Senac, IFCE, Sítio Barreiras, Pasárgada Hotel, Cena em Trânsito, Betha Produções, P&C.

Maiores Informações:
www.fimc.com.br
www.instagram.com/fimc_cariri
www.facebook.com/fimcariri

CONFIRA PROGRAMAÇÃO

PRÉ FIMC

DATA

LOCAL

ATIVIDADE

GRUPO

ORIGEM

26 a 30/11

Escolas

Articulação Educativa

Equipe FIMC

Fortaleza/CE

30/11 e 01/12

ONG Beatos às 19h.

Espetáculo “Bispo” baseado na História de Artur Bispo do Rosário

João Miguel

Salvador/BA
01/12

Tenda SET às 20h.

Música na Tenda

Vila da Música

Crato/CE
ABERTURA FIMC EM 04 DE DEZEMBRO 2018

HORA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

LOCAL

16h

Desfile de Máscaras com diversos grupos: Reisados de Crato, Juazeiro do Norte, Potengi, Assaré, Santana do Cariri e Quixadá. Grupo de Mateu de Teatro/Barbalha e Caretas de Arajara. Banda de Música Municipal, Maracatu Winú Erê e Grupo Rosas borboletas e pássaros, entre outros.

Diversos

Diversas

Saída: Praça São Vicente

Percurso:

Dr. João Pessoa, Rua Dr. Miguel Lima Verde, Praça da Sé, Av. Duque de Caxias, Rua Ratisbona, RFFSA.

20h30

Abertura Oficial

Apresentação do Espetáculo REPRISE
La Mínima
São Paulo/SP
RFFSA
A RUA É O PALCO – CRATO

DIA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

LOCAL

04/12

16h – Desfile de Máscaras FIMC

Todxs

Diversas

Pça São Vicente

20h30- Reprise

La Mínima

São Paulo/SP

Largo da RFFSA

05/12

16h – Les Mariés Corbeaux

Emilie Version Solo

Canadá

Comunidade do Gesso

17h30 – Circo dos K’os – Os clássicos da Palhaçaria

K’os Coletivo

Fortaleza/CE

Largo da RFFSA

06/12

16h – Bacafuzada na Rua

Cia dos Bondrés

Rio de Janeiro/RJ

Comunidade do Gesso

17h30 – Xulé à La Carte

Trupe Arlequim de Circo Teatro

João Pessoa/PB

Largo da RFFSA

07/12

16h – Tempestade

Silvia Moura

Fortaleza/CE

Comunidade do Gesso

17h30 – Alguém nos Louvre

Cia Dois Palitos

Campinas/SP

Largo da RFFSA

08/12

17h30 – Batalha de Improvisação com Máscaras

Cia dos Bondrés

Rio de Janeiro/RJ

Largo da RFFSA
TEATRO RACHEL DE QUEIROZ/SCAC CRATO – 19H

DIA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

05/12

Fiu-Fiu – Um Encontro Entre Pássaros

Grupo Tibanaré

Cuiabá/MT

06/12

Sítios

Nenhuma Cia de Teatro

Belo Horizonte/MG

07/12

Habite-Me

Carolina Garcia

Brasil/Canadá

08/12

Alguém nos Louvre

Cia Dois Palitos

Campinas/SP
TEATRO CCBNB – 19H EM JUAZEIRO DO NORTE

DIA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

04/12

Boi – Guido Campos

Sertão Teatro Infinito

Goiânia/GO

05/12

Sítios

Nenhuma Cia de Teatro

Belo Horizonte/MG
TENDA SET BELMONTE – 20H30EM CRATO

DIA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

05/12

Batalhinha de Máscaras para Crianças

Cia dos Bondrés

Rio de Janeiro/RJ

06/12

Reza de Maria

Maracatu Mecatrônico

Dextape

Juazeiro do Norte/CE

07/12

Batalha de Improvisação com Máscaras

Cia dos Bondrés

Rio de Janeiro/RJ
GALERIA RFFSA – CRATO

DIA

ESPETÁCULO

GRUPO

ORIGEM

04 a 08/12

Exposição de Máscaras Tradicionais de Juazeiro do Norte

Secult Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte/CE

05 e 06/12

20h30 – Imobilhados

Máscara em Cena

Porto Alegre/RS

07/12

20h30 – Boi

Sertão Teatro Infinito

Goiânia/GO

08/12

20h30 – Clownssicos – Uma Nova Velha História de Amor

Cia dos Clownssicos

João Pessoa/PB
MOSTRA FIMC FESTCINE – 19H – ENCOSTA DO

SEMINÁRIO EM CRATO

DIA

FILME

DIRETOR

ORIGEM

05/12

Pagliacci – Homenagem La Mínima – Fernando Sampaio e Domingos Montagner

La Mínima

São Paulo/SP

06 a 08/12

Curadoria FIMC/FESTCINE

Afonso Celso

Ceará
CENTRO DE ARTES DA URCA – CRATO

DIA

ATIVIDADE

GRUPO

ORIGEM

04 a 08/12

Exposição Projeto Desmascaramento: Varandas do Olhar

Michael Sasso
Rio de Janeiro/RJ
Oficina A Menor Máscara do Mundo de 10h às 13h.

João Miguel/ Fernando Sampaio/ Nanêgo Lira/ Angelo Santiago

Salvador/BA, São Paulo/SP, João Pessoa/PB
ONG BEATOS – CRATO

DIA

ATIVIDADE

GRUPO

ORIGEM

04/12

22h – Intercâmbio FIMC

Todxs

Diversas

04 a 08/12

Mascaramento Holístico e Terapêutico

Lima Filho

Fortaleza/CE

05 a 07/12

Residência FIMC

Carol e Emilie

Brasil/Canadá

08/12

Vem pra Beatos!!

Nego Roots

Crato/CE
OFICINAS

DIA

HORA

ATIVIDADE

MINISTRANTE

LOCAL

04 a 08/12

10h

Oficina A Menor Máscara do Mundo

João Miguel/ Nanêgo Lira/ Angelo Santiago

Centro de Artes da URCA Crato

05/12

10h

Oficina de Palhaçaria e Comicidade Física

Fernando Sampaio

Centro de Artes da URCA

04 a 08/12

14h

Oficina Meia Máscaras

Márcio Silveira/RS

Comunidade do Gesso

05 a 08/12

09h

Oficina Commedia Dell Arte

Fernando Martins

Casa Ninho

07 a 08/12

14h

A Expressividade das Máscaras e a Improvisação como Jogo Cênico

Lucas Prado e Dê Jota

Vila da Música
II COLÓQUIO MASCARAMENTO NA CENA

EXPANDIDA – CENTRO DE ARTES URCA – 09H – DIA

06/12

COMUNICAÇÕES

PARTICIPANTES

ORIGEM

9h: Abertura do Colóquio

Apresentação da Aula-espetáculo: Trançados de Memória de uma Atriz-Brincante.

Coordenação do II FIMC e II Colóquio

Flávia Gaudêncio

Crato/CE – Natal/RN

Salvador/BA

9h50: Conferência de Abertura

António Tiza

Porto/Portugal

Mesa 1:

11h: Participante 1

Sávio Farias

URCA – Crato/CE

11h15: Participante 2

Diocélio Barbosa

João Pessoa/PB

11h30: Participante 3

Márcio Silveira

PPGT – UDESC
Florianópolis/SC

11h45: Diálogos

Convidados da Mesa e público

Diversas

Mesa 2:

14h: Participante 4

Ana Aschar

UNIRIO – Rio de Janeiro/RJ

14h15: Participante 5

Claudia Sachs
UFRGS – Porto Alegre/RS

14h30: Participante 6

João Miguel

Salvador/BA

Mesa 3:

15h: Participantes 7

Fernando Martins e Felipe de Galisteo

Centro de Pesquisa da Máscara – São Paulo/SP

15h15: Participante 8

Franciele Busico

USP – São Paulo/SP

15h30: Participante 10

Melissa Lopes

UFRN – Natal/RN

15h45 – Apresentação Festival Internacional de Máscaras de Quebec/Canadá

Hildegund – Masq’alors! Festival de Masque

Quebec/Canadá

16h15 Debate final com os participantes do período da tarde e

Encerramento do II Colóquio

Mediação Melissa Lopes e Dane de Jade

Crato/CE – Natal/RN
ARTES VISUAIS

DIA/HORA

ATIVIDADE/EXPOSIÇÃO

EXPOSITOR

LOCAL

04 a 08/12

Máscaras de Papel Machê e Papietagem

Felipe Arruda

Vila da Música

04 a 08/12

Projeto Desmascarando: Varandas do Olhar

Michael Sasso

Centro de Artes URCA

04 a 08/12

Máscaras Tradicionais

Secult Juazeiro do Norte

Galeria RFFSA
AÇÕES DIVERSAS

DIA

PROGRAMAÇÃO

ATIVIDADE

05/12

9h – Encontro SET na Vila da Música

Encontro do Sistema Estadual de Teatros do Ceará.

06/12

18h – Lançamento de Livros no Centro de Artes da URCA

1 – Mascaramento na Cena Expandida – FIMC/CE;

2 – Um Artista de Rua faz mais que um Ministro da Cultura, de Márcio Silveira/RS;

3 – O bufão e suas artes: artesania, disfunção e soberania, de Bya Braga e Jozé Tonezzi/MG;

4 – Arte da Cena – Estudos Sobre Atuação e Encenação – Diocélio Barbosa;

5 – Simbologia Maçónica dos Rituais de Inverno, de António Tiza

04 a 08

Tablóide FIMC “Masq’calor”

Boletim informativo diário sobre o FIMC.

04 a 08

Feira Cariri Criativo

Feira Vila da Música

Feira Trama

RFFSA

Vila da Música/Belmonte

ONG Beatos
TERREIRADA DE ENCERRAMENTO

DIA

TERREIRO

08/12

Terreiro do Mestre Raimundo Aniceto

18h – Forró dos Anicetos

19h – Malassombros – Teatro e Retalho – Arco Verde/PE
OBS: Programação sujeita a alterações

Exposição Zé Tarcísio em cartaz, em Quixadá

 

A Casa de Saberes Cego Aderaldo, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe, em Quixadá, em uma realização com o Museu de Arte Contemporânea do Ceará – MAC, através do projeto Museu em Fluxo de seu educativo, um recorte curatorial da exposição Zé – Acervo de experiências vitais, tecida a partir de uma longa pesquisa e convivência no acervo de obras, matérias e entrevistas do artista Zé Tarcísio.

Além da exposição, uma série de ações educativas sobre acessibilidade, mediação, curadoria e expografia já vêm sendo realizadas no mês de novembro na Casa!

A abertura oficial da exposição será nesta quarta-feira, 28, através de uma visita guiada com a Curadora Assistente Cecilia Andrade e o artista Zé Tarcísio.

 

Serviço: Abertura da Exposição Zé- Acervo de Experiências Vitais
Dia 28/11/2018
Hora: 19:00
Local: Casa de Saberes Cego Aderaldo
Rua Pascoal Crispino, 167 – Centro, Quixadá/CE

FESTIVAL PONTO.CE ACONTECE EM MARACANAÚ

 

O rock invade a cidade de Maracanaú neste final de semana, com o aquecimento do Festival Ponto.CE. O público vai conferir os shows das bandas Estereoh, Cães de Caça, Banda F-Zema, Barco Velho e Rocca, neste sábado, 24 de novembro, a partir das 18h, na Praça da Estação de Maracanaú. O acesso é gratuito.

Festival Ponto.CE acontece entre os dias 29/11 e 02/12, em Fortaleza, com atrações como, Pennywise (EUA), Sepultura e Gabriel Pensador e mais de 25 shows de atrações locais e regionais com shows no Complexo Armazém, na Praça Verde do Centro Dragão do Mar e no Órbita Bar.

Antes, o Festival faz um aquecimento, neste sábado, 24 de novembro, a partir das 18h, na Praça da Estação de Maracanaú.

O Festival Ponto.CE XII foi aprovado no X Edital Mecenas do Ceará, e conta com apoio do Órbita Bar, Governo do Estado, da Enel, e do Centro Dragão do Mar de Arte Cultura e é uma realização da Empire e da Bandeira R.

 

Serviço

PONTO.CE MARACANAÚ

Dia 24 de novembro – a partir das 18 horas

Local: Praça da Estação (Centro de Maracanaú)

Bandas: Estereoh – Cães de Caça – Banda F-Zema – Barco Velho e Rocca

Gratuito

Realização: Prefeitura Municipal de Maracanaú

Apoio: Banana Seca Records

REDES SOCIAIS

Facebook: /PontoCE

Instagram e Twitter: @pontoce

Site: www.pontoce.com.br

Youtube/user/PONTOCE

Spotify Festival Ponto.CE

XII ENCONTRO MESTRES DO MUNDO TERÁ AMPLA PROGRAMAÇÃO CULTURAL E SHOWS DE ANTÔNIO NÓBREGA, ZABUMBEIROS CARIRIS E CALÉ ALENCAR

Entre os dias 21 e 24 de novembro (quarta a sábado) o município de Aquiraz recebe o XII Encontro Mestres do Mundo, que vai reunir os Tesouros Vivos da Cultura do Ceará, representados pelos 69 Mestres e Mestras da Cultura vivos, 11 grupos e 2 coletividades, reconhecidos como detentores dos saberes da cultura popular tradicional e do patrimônio imaterial do Estado do Ceará. A ação é uma iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) e oferece uma vasta programação cultural gratuita e aberta ao público durante os quatro dias de evento, com atrações regionais, nacionais e internacionais.

As atividades iniciarão logo na manhã da quarta-feira (21) com o cortejo dos Mestres pelo centro de Aquiraz, cidade que foi a primeira capital do Estado e que sedia pela primeira vez o evento. Na tarde do dia 21 (quarta), o teatro da ONG Tapera das Artes irá receber uma vivência com o multiartista pernambucano Antônio Nóbrega, os Mestres dos Sons e os alunos aprendizes da ONG. A abertura oficial ocorrerá às 19h, na Arena dos Mestres, com homenagens às personalidades do XII Encontro Mestres do Mundo, seguida por apresentações artísticas dos grupos Coco do Iguape, do Mestre Cabral (Iguape-CE); Reisado São Miguel, de Mestre Tarcísio (Juazeiro do Norte-CE); Banda Cabaçal São José (Missão Velha-CE) e da Compañía de DanzasQuillary (Peru).

Antônio Nóbrega encerrará as apresentações artísticas de 21 de novembro acompanhado pelos músicos Edmilson Capelupi (cordas), Olivinho (acordeom) e Léo Rodrigues (percussão), apresentando um show especialmente produzido para o encontro, com a participação dos Mestres dos Sons e dos aprendizes da Tapera das Artes. No show, Nóbrega reunirá canções dos seus vários espetáculos, promovendo uma viagem através do seu universo musical e poético, com uma reunião de baiões, choros, sambas, ponteios e peças instrumentais presentes em seu repertório.

A manhã da quinta-feira (22), das 9h às 12h, será dedicada às vivências entre os Tesouros Vivos e o público. Na EMEF Laís Sidrim haverá a ação Rodas Sementes, voltada ao repasse dos saberes tradicionais dos Mestres da Cultura às crianças e jovens da rede pública de ensino de Aquiraz e ao público em geral. Em paralelo, o Espaço de Saberes Múltiplos, localizado no Centro Histórico de Aquiraz (Praça da Matriz, Largo da Independência e Mercado Municipal) será o palco para uma manhã de trocas de conhecimentos e afetos entre os Mestres dos Sons, das Mãos, da Oralidade, do Sagrado e do Corpo, memórias vivas das tradições do povo cearense.

À tarde, a partir das 14h, a Escola Francisca Holanda Costa, de Pindoretama, recebe o Macaratu Az de Ouro para a aula espetáculo “Maracatu e o Saber do Mestre Juca do Balaio”. Já a EMEF Rita Paula, na Prainha – Aquiraz, sediará a oficina Nau Perdida em Busca de Afetos, promovendo uma rica experiência com canto, dança, teatro de fandangos e a marujada cearense presentes no litoral com o Pescador Seu Manoel para as crianças e jovens filhos dos pescadores locais.

Também a partir das 14h, o teatro da Tapera das Artes irá receber o Seminário Interdisciplinar de Patrimônio Imaterial, coordenado por Eliza Gunther, e no Espaço Encantados, no Anexo do Museu Sacro São José de Ribamar, o Mestre Galvão (Juazeiro do Norte-CE) apresentará a aula espetáculo “Sanfoninha Pé de Bode, o Saber do Mestre Chico Paes”.

As apresentações artísticas da quinta-feira começarão às 16h, no Palco Largo da Independência, localizado entre o Museu Sacro e seu Anexo, com shows de Mestre Macaúba (Caucaia-CE) e Cana Verde do Iguape (Aquiraz-CE). Na Arena dos Mestres, a programação será com o Brincantes Sementes, programação infantil resultante da oficina Nau Perdida em Busca de Afetos, a partir das 18h30.

Mestre Macaúba também se apresentará no palco principal, seguido de Mestre Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre (Fortaleza-CE), Cacique Venâncio, Pajé Luís Caboco, Cacique Pequena (CE) e Povo Pankararu (PE), Guerreiro Joana D’arc de Mestra Margarida (Juazeiro do Norte-CE), Baile de Congo de São Benedito-Ticumbi (Conceição da Barra-ES) e Cavalo Marinho Estrela de Ouro (Condado-PE). Encerrando a noite, os Zabumbeiros Cariris (Juazeiro do Norte-CE) farão show cujo repertório conta com arranjos que dialogam do tradicional ao contemporâneo. Sua música tem o sabor do campo e do asfalto, do inverno e da seca, das dores da escassez e da alegria da fartura, remontando as festas do interior, das quermesses e romarias de Juazeiro do Norte.

A manhã da sexta-feira (23) será dedicada a cuidar da alma e louvar a ancestralidade de matriz africana e indígena, com uma série de vivências no Território Jenipapo-Kanindé. A Caminhada Nativa Sob a Flor do Jenipapo irá ocupar a Terra Kanindé da Encantada, suas Mangueiras, a Lagoa e o Morro do Urubu, com diversas atividades conduzidas pela Mestra Cacique Pequena: sob as Mangueiras, haverá o Toré/Torém, ritual sagrado indígena, e pintura corporal da tribo dos Jenipapo-Kanindé.

Na Lagoa da Encantada serão cantados Pontos de Jurema, Oxum, Oxóssi e Caboclos das Matas e haverá uma vivência com o Sagrado Afro-Indígena, com as Mestras Cacique Pequena e Mãe Zimá, seguida de trilha no Morro do Urubu. De volta às Mangueiras, os Tesouros Vivos da Cultura terão um momento de confraternização, com abraço coletivo e homenagem musical feita pelo músico Calé Alencar, junto ao batuque do Maracatu Nação Fortaleza, apresentando a loa Salve Mãe Pequena Jenipapo-Kanindé, e por Ângela Linhares, com a Ciranda do Caminho.

Às 14h, a EEMTI Custódio da Silva Lemos, no distrito de Guanacés, em Cascavel-CE, receberá a aula espetáculo “Reisado Boi Coroação do Mestre Luciano”, de Ocara-CE, que há quatro décadas mantém os folguedos do Bumba Meu Boi vivos no Estado. Às 15h, no Espaço Encantados será realizada a oficina O Saber dos Encantados: “Jangadas e Pescadores – O Saber de Mestre Oliveira”, com Mestre Chico do Mozart.

Os shows de encerramento do XII Encontro Mestres do Mundo começarão às 16h, no Palco Largo da Independência, com apresentação da Banda Cabaçal Todos os Santos (Barbalha-CE). Às 18h30, na Arena dos Mestres, o Brincantes Sementes será atração para toda a família com o show de Chico Bento Calungueiro (Trairi-CE). Em seguida, Alberto da Prainha do Canto Verde (Aquiraz-CE) irá apresentar ao público as cirandas, seguidas pelo Coco do Iguape do Mestre Casueira (Aquiraz-CE), pelo Boi Coroação (Ocara-CE) e pelo Maracatu Az de Ouro (Fortaleza-CE).

Às 21h30, serão compartilhados com o público os resultados da vivência/residência Uma Experiência Entre Afetos e Arte, realizada exclusivamente para os Mestres e Mestras da Cultura para promover uma maior integração, troca de conhecimentos e afetos entre os Tesouros Vivos da Cultura Cearense, seguida de apresentação de bandoneón com Carlos Quilici (Argentina).

Encerrando a noite, Calé Alencar subirá ao palco com o show Aos Mestres, com Carinho, especialmente concebido para o XII Encontro Mestres do Mundo, com repertório afetivo, marcado por lembranças do aprendizado de Calé com os mestres da cultura tradicional do Cariri e de Fortaleza, passeando pelos diversos ritmos da cultura popular com uma textura sonora contemporânea. No show, Calé será acompanhado pelos músicos Alan Kardec (guitarra, viola brasileira e bandolim), Beto Gibbs (bateria), Edson Távora (teclado e sanfona), Giltácio Santos (clarineta, sax e flauta), Gustavo Portela (baixo elétrico), Rami Freitas (percussão).

O sábado (24), último dia de atividades do XII Encontro Mestres do Mundo, será dedicado à segunda sessão do Seminário Interdisciplinar de Patrimônio Imaterial, coordenado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), com apresentação dos trabalhos em Gastronomia Tradicional Popular; Religiosidade Popular; Danças e Folguedos Tradicionais; Oralidade, Dramas e Outros Saberes; Música e Tradição Oral.

Durante todos os dias de evento, das 18h às 22h, o espaço Arena dos Mestres, localizado na Praça da Igreja Matriz de Aquiraz, traz ao público a Feira de Artesanatos com produtos dos Mestres, artesãos de Aquiraz e rendeiras, e a Feira de Gastronomia Tradicional com moradores da comunidade apresentando preparos da culinária local.

Também diariamente, a partir das 15h30, o Museu Sacro São José de Ribamar irá abrir as portas ao público e receberá a ação Casa do Capitão – Mor Casa do Patrimônio com as atividades Valores do Meu Lugar, voltadas à Educação em Patrimônio, lideradas pela professora Lourdes Macena, curadora do XII Encontro Mestres do Mundo. Ainda nas tardes pelo Museu, a exposição Mestres da Cultura composta por xilogravuras de Otávio Meneses, e o Espaço Encantados em tributo aos 26 Mestres da Cultura já falecidos.

O XII Encontro Mestres do Mundo é uma realização da Secretaria da Cultura do do Estado do Ceará, com produção do Instituto Assum Preto e apoio cultural do Fórum de Cultura Popular Tradicional, Comissão Cearense de Folclore, Tapera das Artes, Museu Sacro São José de Ribamar e Prefeitura Municipal de Aquiraz, com reconhecimento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) através do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Mais sobre o Encontro Mestres do Mundo

O Encontro Mestres do Mundo é um evento realizado pela Secult desde 2005 como uma importante iniciativa de interiorização da cultura. Em onze edições, o Encontro e suas ações já foram acolhidos pelas cidades de Limoeiro do Norte, Jaguaruana, São João do Jaguaribe, Russas, Barbalha, Juazeiro do Norte e Crato, entre outras, reunindo a cada edição os Mestres da Cultura, titulados como Tesouros Vivos da Cultura do Ceará, em diálogo com brincantes, estudantes, professores, pesquisadores e mestres de outros estados e países, com uma programação riquíssima voltada ao encontro e troca de saberes.

O Encontro é uma oportunidade singular de vivenciar a diversidade da cultura popular tradicional através da convivência com os guardiões que mantêm vivas as tradições. Conta com a participação de mestres, mestras e grupos locais, regionais e internacionais, promovendo a integração e a troca de experiências. Expressões de linguagens variadas se juntam em uma arena onde os mestres apresentam e transmitem seus saberes e seus fazeres.

São momentos mágicos, onde o público participante trava contato com memórias, narrativas e práticas por meio de uma programação ampla de atividades práticas e teóricas, no intercâmbio de saberes, contando com a mediação de pesquisadores da cultura popular. São variados momentos em que os Tesouros Vivos da Cultura do Estado do Ceará recebem os convidados, mostrando para a comunidade local os seus costumes e a sua arte.

As noites são marcadas por uma grande diversidade de apresentações de grupos e mestres oriundos das 14 macrorregiões do Ceará, bem como atrações nacionais e internacionais. Ao longo das edições, ocorreram ainda diversas oficinas de repasse dos conhecimentos tradicionais, cursos e ações de educação patrimonial junto a estudantes e professores de escolas públicas, seminários temáticos com reflexões acadêmicas, exposições de fotografias e objetos relacionados às tradições, feirinha para comercialização de artesanatos feitos pelos mestres e outros produtos relacionados às culturas tradicionais, cortejos nas ruas da cidade, encontros de gestores culturais, dentre outras atividades.

 

Serviço

XXII Encontro Mestres do Mundo

Data: de 21 a 24 de novembro de 2018

Local: Aquiraz (CE)

Horário: De 9h às 00h

Aberto ao público

* Programação completa: https://www.secult.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/43/2018/11/Confira-a-programa%C3%A7%C3%A3o-completa-do-XII-Encontro-Mestres-do-Mundo-OK.pdf

CAMILO SOBREIRA DE SANTANA
Governador do Estado do Ceará

MARIA IZOLDA CELA DE ARRUDA COELHO
Vice-governadora do Estado do Ceará

FABIANO DOS SANTOS PIÚBA
Secretário de Estado da Cultura

SUZETE NUNES
Secretária adjunta da Cultura

ANDRÉA ROCHA
Secretária executiva da Cultura
ALÊNIO CARLOS NORONHA ALENCAR
Coordenador de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural

VALÉRIA CORDEIRO
Coordenadora de Artes e Diversidade Cultural da Secult

MÁRCIA ARAÚJO
Coordenadora de Fomento e Incentivo à Cultura

ERNESTO GADELHA
Coordenador de Conhecimento e Formação
GORETH ALBUQUERQUE
Coordenadora de Políticas de Livro, Leitura e Bibliotecas
WALQUÍRIA SANTIAGO
Coordenadora Administrativa Financeiro

IVNA GIRÃO
Coordenadora de Comunicação

DALIENE FORTUNA
Coordenadora Jurídica

ANDRÉ LOPES
Coordenador de Governança Digital

Co Laboratório em Artes Circenses realiza ciclo especial de atividades formativas a partir desta sexta-feira, 23

 
Pensando o circo, os corpos podem alcançar o inimaginável. A reflexão acrobática inaugura a temporada das possibilidades lançando o convite: O projeto de formação experimental CoLaboratório em Artes Circenses (Colab Circo) realiza, a partir desta sexta-feira, 23, uma série de aulas e atividades voltadas para a investigação de processos criativos.

Compõe a programação especial deste mês o seminário “O Risco Que Vem”, um curso de acrobacias no equipamento quadrante e o laboratório Circo Futuro. Gratuitas e com públicos-alvos variados, as ações se estendem até 30 de novembro, no Galpão da Vila, Benfica, sede do CoLab Circo.

Segundo o artista Eric Vinicius, um dos organizadores do Colab Circo, as ações devem contribuir para fortalecer o panorama do circo em Fortaleza a partir do aumento de possibilidades de escolhas para artistas que já atuam e para os que desejam ingressar na área. “O circo na cidade de Fortaleza ainda é uma linguagem frágil no que diz respeito à diversidade da formação, apesar de termos grupos bastante sólidos nas suas carreiras, ainda precisamos de uma variedade maior de modalidades praticadas na Cidade.” Observa, considerando que o ciclo de atividades especiais de novembro preza pela diversidade.

O seminário “O Risco Que Vem” marca o início da programação ocupando o Galpão da Vila na noite do dia 23, a partir das 18 horas. Ministrado por Eric Vinicius, o colóquio propõe diálogos sobre o cotidiano dos artistas de circo e sobre a relevância de ambientes de formação, e é direcionado a artistas de variadas linguagens e demais interessados em artes circenses.

Também no dia 23, acontece a primeira de uma série de aulas de “quadrante”, técnica acrobática desenvolvida em aparelho homônimo. O curso, que terá duração de três dias e nível básico, é voltado aos alunos do Colab Circo que estão completando um ano de participação no projeto. Conduzido pelo artista brasiliense Daniel Lacourt, o curso deve proporcionar uma apreciação da modalidade, que está entre as opções elegíveis pelos alunos do CoLab para prática durante os próximos dois anos.

Encerrando o ciclo de ações formativas extra-curriculares do Colab em novembro, o Galpão da Vila recebe, entre os dias 26 e 30, a primeira edição do laboratório internacional de artes circenses Circo Futuro em Fortaleza. O programa contemplará propostas autorais de 12 artistas com tutoria para a investigação de noções de composição e dramaturgia na área do circo. Os participantes do Circo Futuro foram selecionados em convocatória lançada em outubro.

O ciclo de atividades formativas é uma realização do CoLaboratório em Artes Circenses, projeto desenvolvido mediante parceria entre Artelaria Produções, Galpão da Vila e Grupo Fuzuê, com o apoio do Governo do Estado do Ceará por meio do edital Escolas da Cultura para o triênio 2018-20.
Serviço

Ciclo de atividades extra-curriculares do Colab Circo para novembro

Período de realização: entre 23 e 30 de novembro

Local: Galpão da Vila – Rua Joaquim Magalhães, 115, Vila Demetrius, 01, Benfica.

Atividades:

Seminário O Risco Que Vem

Data e horário: 23 de novembro, a partir das 18h

Ministrante: Eric Vinicius

Público-alvo: Artistas de todas as linguagens e outros interessados em artes circenses

Curso de acrobacias em quadrante

Data e horário: de 23 a 25 de novembro, das 14h às 18h

Ministrante: Daniel Lacourt

Público-alvo: alunos do CoLaboratório em Artes Circenses

Laboratório Circo Futuro

Data e horário: de 26 a 30 de novembro, das 14h às 18h

Ministrante: Beatrice Martins

Público-alvo: artistas circenses com três anos de atividades ininterruptas aprovados em convocatória realizada em outubro

Todas as atividades são gratuitas.

Festfilmes chega a Fortaleza, com exibições no Cineteatro São Luiz, dias 20 e 21/11

Após passar pelo Cariri, por Redenção e Baturité, a terceira edição do Festfilmes, Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro, chega a Fortaleza, com exibições gratuitas no Cineteatro São Luiz, terça e quarta, 20 e 21 de novembro. Todos são convidados a comparecer, assistir aos filmes e participar do festival que conta com 92 obras, de cineastas de 24 estados brasileiros, de Portugal e Moçambique.

A presença do festival no Cineteatro São Luiz destaca a convergência de objetivos com a política de acesso de crianças e jovens ao audiovisual, já responsável por levar mais de 85 mil estudantes ao cineteatro, com o projeto Escola no Cinema, parceria entre as Secretarias da Cultura e da Educação, do Governo do Estado.

A terceira edição do Festfilmes é composta por 8 mostras de cinema, sendo 3 mostras competitivas e 5 mostras paralelas. As mostras competitivas são a Mostra Iracema, exclusiva para os realizadores cearenses ou residentes no Estado; a Mostra Nascente, que tem caráter nacional e exibe filmes de estreia de realizadores naturais ou residentes em qualquer município brasileiro; e a Mostra Atlântica, voltada para filmes de curta-metragem de realizadores naturais ou residentes em qualquer um dos países que compõem a CPLP: Angola, Brasil,Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, Timor Leste e São Tomé e Príncipe.

As mostras paralelas, por sua vez, dividem-se entre a Mostra Animada, voltada para o público infantojuvenil; a Mostra CPLP, composta por filmes que retratam aspectos históricos e culturais das nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP); a Mostra Retrospecto, com obras que se destacaram nas edições anteriores do festival; a Mostra Verde, com filmes com temática socioambiental, e a Mostra dos Festivais, que exibe filmes oriundos de festivais de cinema atuantes no âmbito da CPLP, desta feita destacando o Festival de Cinema de Jericoacoara – Jeri Digital, cuja sexta edição aconteceu em 2017.

 

Programação no Cineteatro São Luiz

Na terça-feira, 20/11, a programação do Festfilmes no Cineteatro São Luiz começa às 9h e segue ao longo de todo o dia. Às 10h acontece, no auditório do Cineteatro, o seminário “Programação e Curadoria de Salas Públicas de Cinema: Desafios e Perspectivas”, com Letícia Santinon, gerente de Difusão do Circuito SPCINE, de São Paulo, e Duarte Dias, diretor do Festfilmes, cineasta, curador de cinema do Cineteatro São Luiz e coordenador de audiovisual do Governo do Estado

Às 9h o público já pode curtir cinema de graça, com a Mostra Animada (classificação indicativa: 10 anos). Serão exibidos os filmes “3×3” (de Nuno Rocha, de Portugal), “O Gigante” (de Julio Vanzeler e Luís da Matta Almeida, coprodução de Brasil, Portugal e Espanha), “Disque Quilombola” (de David Reeks), “Cabeça Papelão” (de Quiá Rodrigues), “Até a China” (de Marão).

Os mesmos filmes serão apresentados na sessão de 14h30 no Cineteatro São Luiz, também com entrada franca, gerando oportunidade para nova plateia.

Às 16h acontece a Mostra Retrospeco, também com entrada franca e com classificação indicativa de 14 anos. Serão exibidos os filmes “O Refugiado” (de Rui Cardoso, de Portugal), “A Navalha do Avô” (de Pedro Jorge, Brasil), “A Fábrica” (de Aly Muritiba, Brasil), “Preto ou Branco” (de Aliso Zago, Brasil), “O Céu no Andar de Baixo” (de Eduardo Cata Preta, Brasil), “Fotograma 23” (de Victor Santos, de Portgual), “Amor em Pedaços” (de Felipe de Oliveira, Brasil), e “Tejo Mar”, de Bernard Lessa, do Brasil.

Fechando a programação da terça-feira, 20/11, no Cineteatro São Luiz, acontece Às 19h a Mostra CPLP, dedicada a filmes das nações integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A classificação indicativa é de 12 anos. Será exibido o longa-metragem “Exodus – De Onde eu Vim Não Existe Mais”, coprodução Alemanha-Brasil, de 2017, dirigida por Hank Levine.

Acompanhando as jornadas de seis refugiados, Napuli, Tarcha, Bruno, Dana, Nizar e Lahtow, esta é uma observação sobre o estado do mundo frente à crise dos refugiados que se espalhou por todo o planeta, visto que cada vez mais pessoas deixam seus lares para fugirem de motivos diversos como guerras e epidemias, buscando um porto seguro para recomeçar suas vidas.

Na quarta-feira, 21/11, às 19h, fechando o Festfilmes no Cineteatro São Luiz, será feito o anúncio dos filmes vencedores das mostras Iracema, Nascente e Atlântica. Logo após, será exibido o filme “Padre Cícero: Os Milagres de Juazeiro”, de 1975, dirigido por Helder Martins. A exibição desse filme foi um dos momentos mais marcantes da etapa do Festfilmes no Cariri, no começo de novembro.

A produção mostra a primeira metade da vida e da obra religiosa da figura polêmica e excêntrica de Cícero Romão Batista, mais conhecido como Padre Cícero, um padre que sempre exerceu suas funções às margens das diretrizes da Igreja Católica, tornando-se um personagem político influente e um líder religioso fervorosamente adorado por milhões de fiéis até os dias de hoje.

ESPETÁCULO CADELA BRANCA ESTREIA EM FORTALEZA

 
“Você será devorado por uma cadela branca!”. A frase chega como profecia aos ouvidos do personagem Diego, doce e inocente figura que acompanhamos desde o nascimento até a morte, no espetáculo Cadela Branca, que estreia no  dia 17 de novembro na Casa da Esquina.
A obra é o trabalho de conclusão da segunda turma do Curso Livre de Práticas Teatrais (CLPT), que, durante oito meses, desenvolveu formação em teatro com aulas de improvisação, interpretação, voz, teatro popular, dramaturgia e, por fim, pesquisa e montagem. De acordo com o diretor Luís Carlos Shinoda, o espetáculo traz um teor filosófico, mas sem perder o bom humor. “Cadela Branca brinca de teatro aos olhos público, a montagem joga com a questão da fragmentação de personagens e de situações, com uma proposta de encenação bem dinâmica e divertida, fazendo o público pensar junto com a peça, criando códigos e relações”, aponta o diretor.
A dramaturgia da peça é assinada por Rafael Barbosa, um dos professores do curso, que escreveu um texto original a partir de provocações criadas pelos alunos como exercício de escrita dramatúrgica. “O texto de Rafael Barbosa traz uma crítica social relacionada à violência e opressão com a metáfora da Cadela Branca, ou seja, o “mundo cão” e a tentativa de sobrevivência, sem sermos devorados. Diego representa um pouco de nós mesmos, sua ingenuidade e inocência às vezes cria empatia, mas também angústia, suas ações dentro da história nos permitem pensar sobre como agiríamos se fosse conosco”, relata Shinoda.
Metateatro

Um diferencial da apresentação é o desenvolvimento do metateatro para formação do elenco. Segundo o diretor do espetáculo, a técnica é utilizada para reforçar o teor teatral da encenação, deixando claro ao espectador todo o jogo cênico. “Os atores estão sempre manipulando os materiais de cena: trocando de roupas, movendo cenário, revezando as personagens e intervindo nas cenas. Não escondendo o que há na maquinaria do teatro”, destaca.

O espetáculo, realizado pelo Cangaias Coletivo Teatral fica em cartaz na Casa da Esquina, sede dos grupos Bagaceira e Teatro Máquina, nos dois últimos finais de semana de novembro, com sessões às 18h e às 20h.
Sinopse

Cadela Branca conta a saga do personagem Diego do nascimento até a morte. Nesse percurso, a figura ingênua e delicada de Diego precisa suportar os baques da vida, a fase escolar, o primeiro amor, a busca por emprego e as pessoas rudes que encontra em um mundo complexo e cruel.
Intervenção urbana

Espalhada em diversos pontos da cidade, a frase profética dita o destino daqueles que, assim como o personagem principal, seguem resistindo ao insensível. Criados pelo designer e fotógrafo Tim Oliveira, os “lambes” colados nos muros e espaços públicos traduzem a arte no caos urbano, cenário-referência para cenas do espetáculo.
Serviço:

Espetáculo Cadela Branca

Dias 17, 18, 24 e 25 de novembro

Sessões às 18h e às 20h

Local Casa da Esquina (Rua João Lôbo Filho, 62 – Bairro de Fátima)

Ingressos* R$ 20 (inteira) / R$ 10 (meia)

Mais informações: cangaiascoletivoteatral@gmail.com / (85) 988383763 / 996064124
*Os ingressos estão sendo vendidos antecipadamente pela turma.

Sulamericana lança o clipe do da música “Céu AzuL”

 

Foto: Eduardo Abreu

A Sulamericana acaba de lançar o clipe de “Céu Azul”, música e trabalho do segundo EP da banda, “Seu Caminho Novo”, que será lançando em dezembro deste ano. Composta por Lucas Espinola e Zylton Sena, integrantes do grupo, e Leandro Paiva, “Céu Azul” fala sobre cobranças e exigências de um padrão imposto para se encontrar a felicidade, mas ao mesmo tempo como é possível ser maior do que isso.

“Às vezes, nos precipitamos em decisões erradas na ânsia de conquistar algo o mais rápido possível, sem perceber que, essas mesmas decisões, podem ser tomadas sem precisar ofuscar as coisas que de fato nos fazem felizes”, explica Lucas.

O clipe de “Céu Azul”, que será exibido no dia do show, foi produzido pela Plataforma Zero, com direção de Roger Capone. A inspiração surgiu de forma despretensiosa, quando os integrantes da Sulamericana, Tiago Gnomo (baixo), Hugo Lage (guitarra) e Ian Antunes (bateria), além de Lucas Espinola (voz e guitarra) e Zylton Sena (teclado), viram e ouviram o grupo que o pai do guitarrista participava na década de 1980. A ideia, assim, foi a de retratar esses grupos cearenses, que se apresentavam nos antigos programas de calouros, como os clássicos Irapuan Lima e Terral, inclusive com a participação especial do próprio apresentador Will Nogueira.

“Com humor e um quê de nostalgia, o clipe resgata a estética dessas atrações, bem como o figurino usado pelos músicos, que brincam com a moda da época”, pontua Tiago Gnomo.

 

Sobre o grupo

A Sulamericana é uma banda de indie rock cearense formada no início de 2013, a partir da junção de amigos músicos com o intuito de fazer um som que aliasse as influências e gostos musicais de cada um. O grupo lançou, em 2015, o seu primeiro EP. Desde então, se apresentam nos principais eventos de rock do Ceará, além de passar por diversas casas de shows e bares renomados da cidade, com destaque para o Garage Sounds, Ponto CE, Órbita Bar, Hey Joe Food’n’Bar e Let’s Go. Em dezembro de 2018, a Sulamericana vai lançar o segundo EP a carreira, “Seu Caminho Novo”.

I´Music chega à segunda edição trazendo muita diversão e boa música nas férias de janeiro

 

 

A tão aguardada segunda edição do I´Music já está com datas e atrações confirmadas. Depois do grande sucesso do evento deste ano, o próximo festival de música promovido pelo Shopping Iguatemi agitará Fortaleza nos dias 18, 19 e 20 de janeiro de 2019 reunindo nove cantores e bandas nacionais, com três apresentações por dia, além de DJs, shows pirotécnicos e espaços com roda gigante e experiências sensoriais, repetindo o sucesso da edição de estreia.

No primeiro dia de I´Music (18/01), apresentam-se o rapper Hungria, a cantora Ludmilla e o DJ Dennis, fenômenos nas redes sociais e sucesso entre o público jovem. No sábado (19/01) sobem ao palco em três shows imperdíveis a banda Blitz, o cantor Lulu Santos e o cantor Nando Reis, fechando a noite com o imperdível show Bailão do Ruivão. No domingo (20/01), será a vez de relembrar os grandes sucessos de Biquini Cavadão, Capital Inicial e Cidade Negra, três bandas que fizeram história na música brasileira.

Segundo Benjamim Oliveira, gerente corporativo de Marketing do Iguatemi, o festival foi pensado para unir e entreter pessoas de idades e estilos musicais diferentes, oferecendo três dias de imersão na boa música brasileira, revivendo os inesquecíveis grandes musicais. “A primeira edição do I´Music foi um sucesso e queremos repetir este presente para nossos cliente em 2019. Nosso objetivo é atrair o público para vivenciar de perto shows de artistas que são ícones da música do nosso país, por um valor acessível, em um evento cultural marcante. É uma grande oportunidade para os fortalezenses e também para os turistas que visitam a cidade nas férias de janeiro”, completa.

 

 

Ingressos com preço acessível para quem compra no Iguatemi

A partir do dia 16 de novembro os ingressos já poderão ser adquiridos nos dois quiosques do festival, localizados próximos à Zara Home e à Casa dos Relojoeiros. O ingresso para cada dia do I´Music custará R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia). Para esta segunda edição, o Iguatemi Fortaleza oferecerá aos seus clientes uma oportunidade diferenciada de unir as compras de final de ano com a possibilidade de assistir aos grandes shows. A cada R$ 150 em compras no Iguatemi o cliente poderá comprar até dois ingressos a R$ 50,00 cada.

 

 

Sobre o Iguatemi

O Shopping Iguatemi Fortaleza tem 35 anos de existência. Empresa do grupo JCC – Jereissati Centros Comerciais, que também controla shopping centers em Belém (PA) e Campo Grande (MS), o Iguatemi Fortaleza traz números bastante positivos. São mais de 450 lojas e quiosques que reúnem o mais completo mix de compras, lazer, gastronomia e serviços de Fortaleza em mais de 90 mil metros quadrados. Distribuídos por corredores amplos e projetados para o melhor aproveitamento da iluminação natural, fazer um passeio pelo Iguatemi é experimentar conforto, comodidade e aproveitar o que a vida tem de melhor.

Musical sobre a vida de Renato Russo chega ao Theatro Via Sul Fortaleza


Sucesso de crítica e público, o espetáculo Renato Russo – O Musical chega ao Theatro Via Sul Fortaleza para apresentações nos dias 15 e 16 de dezembro. Há quase 12 anos em cartaz, o musical embala canções e conta a história de vida e obra de um dos maiores poetas do rock nacional.

Sucesso de crítica e público por onde passa, promete muita emoção embalada pelas canções e histórias sobre a vida e a obra do grande poeta, do Rock nacional, Renato Russo. O grande sucesso do musical também se dá pela combinação perfeita das músicas que marcaram toda uma geração, somados a Dramaturgia de Daniela Pereira de Carvalho, Direção consagrada de Mauro Mendonça Filho, Iluminação de Wagner Pinto, Cenário de Bel Lobo e Bob Neri, além da banda Arte Profana que toca ao vivo para delírio dos fãs, com direção Musical de Marcelo Alonso Neves e também para os novatos que ainda não conhecem a fundo a grande importância do astro do rock nacional no cenário artístico brasileiro.

Protagonizado por Bruce Gomlevsky que há quase 12 anos interpreta o cantor e emociona a plateia que canta junto todas as 22 canções. A banda Arte Profana é formada por teclado, guitarra, baixo, bateria e a peça que conta a história de Renato Russo desde a juventude “punk” em Brasília, quando fundou a banda Aborto Elétrico e ficou por dois anos em uma cadeira de rodas até o sucesso da Legião Urbana. O quebra-quebra num show em Brasília e os problemas com drogas estão na encenação.

Depoimentos, reportagens, entrevistas, livros e imagens de shows serviram como base para a concepção da obra biográfica, que estreou no centro do Rio há mais de 10 anos. “Renato é um grande poeta, e é por isso que continua causando comoção nas gerações de hoje. Sua obra gera um impacto enorme na nossa cultura”, afirma Gomlevsky.

“Sem a menor dúvida o que move o espetáculo é a força do Renato e o legado que deixou na Legião Urbana, através das composições, que são a cada dia mais atuais. Os fãs se renovam e hoje temos além de adultos e idosos na plateia, jovens e adolescentes que se emocionam a cada sessão”, conta Bianca De Felippes, produtora do musical e do longa metragem “Eduardo e Mônica”, que será lançado em 2019. Renato Russo- O Musical percorreu mais de 50 cidades, já foi assistido por mais de 400 mil pessoas em mais de 500 sessões. Após apresentação gratuitas em praças públicas em diversos estados como: Brasília, Porto Alegre, BH, Vitória, Curitiba, Recife, São Paulo, a peça chega a Fortaleza. Reproduzindo toda a energia e brilhantismos das obras deste grande poeta e pensador que fez história e que até hoje segue como sendo um dos nomes mais importantes da história do rock nacional.

Renato Russo – O Musical percorreu mais de 50 cidades e já foi assistido por mais de 400 mil pessoas em mais de 500 sessões.
Serviço:

RENATO RUSSO – O MUSICAL

Datas: 15 e 16 de dezembro de 2018
Horário: 21h (sábado); 19h (domingo)
Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4335 – Edson Queiroz
Ingressos: Plateia Inferior R$ 120 (inteira) | R$ 60 (meia entrada); Plateia inferior alta: R$ 80 (inteira) | R$ 40 (meia entrada); Plateia superior central: R$ 60 (inteira) | R$ 30 (meia entrada); Plateia superior lateral R$ 50 (inteira) | R$ 25 (meia entrada)
Capacidade do Teatro: 732 Pessoas
Informações: (85) 3099-1290
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.
Estacionamento no Shopping Via Sul

Instituições e sociedade discutem prevenção de homicídios na I Semana Cada Vida Importa

 

 

De 12 a 17 de novembro, as cidades de Fortaleza, Maracanaú e Juazeiro do Norte realizarão uma série de atividades alertando para o direito à vida e a prevenção de homicídio na adolescência, dentro da programação da Semana Estadual de Prevenção aos Homicídios de Jovens no Ceará. A Semana foi aprovada pela Lei N.º 16.482, de 19.12.17 (D.O. 26.12.17) e tem início há exatos três anos da Chacina do Curió, que vitimou 11 jovens, nove dos quais adolescentes, na madrugada de 12 de novembro de 2015, mortos por agentes policiais no bairro da Messejana em Fortaleza.

Dentre as atividades, será realizada audiência pública para discutir prevenção de homicídios na adolescência, bem como as chacinas ocorridas no Estado – no período de janeiro a julho de 2018 foram registradas 7 chacinas; cine debate com a presença dos produtores do filme “Nossos mortos têm voz” (produzido por jovens do Bom Jardim); oficinas em escolas; a VI Marcha da Periferia e a 1ª Virada Cultural do Centro Cultural Bom Jardim, com 24h de atividades culturais.

Esse ano a Semana possui como tema – Cada Vida Importa – mote que nomeou o relatório do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA) e tem servido de inspiração para outras ações em torno da pauta na cidade de Fortaleza.

O Comitê surgiu da soma de esforços da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Governo do Estado do Ceará e outras instituições do poder público e da sociedade civil visando compreender o os elevados índices de assassinatos de adolescentes que o Ceará e Fortaleza registraram nos últimos anos.

Procurou-se observar a fundo a trajetória de vida dos adolescentes que foram atravessadas pela violência letal precoce, a partir da análise de quatro importantes aspectos da vida: individual, familiar, comunitário e institucional. Dedicou-se, assim, ao diagnóstico e à interpretação da situação que levou a proposição de 12 recomendações para prevenção de homicídios na adolescência.

Em 2017, o cenário se agravou quando 981 adolescentes foram assassinados no Estado, sendo 414 em Fortaleza, o que contabiliza mais de um homicídio por dia na Capital de jovens de 10 a 19 anos. De 2011 a 2017, 6.369 adolescentes foram mortos no estado do Ceará.

A Semana Cada Vida Importa é uma realização do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência, Fórum DCA, Unicef, Fórum Popular de Segurança Pública, Assembleia Legislativa do Ceará, Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca) e Governo do Estado do Ceará (Ceará Pacífico, Secretaria de Educação, Secretaria da Cultura, Centro Bom Jardim de Arte e Cultura, Porto Iracema e Cineteatro São Luiz).

 

Programação
Semana Cada Vida Importa

Dia 12 (segunda-feira)

FORTALEZA

14h30min – Cineteatro São Luiz

Cine Debate

Exibição dos filmes: “Nossos mortos têm voz” e de curta-metragem produzidos por jovens moradores do Bom Jardim. Debate com a presença dos produtores Fernando Sousa e Gabriel Barbosa, Mães do Curió e de jovens do Bom Jardim.

Exposição

“Todas as vidas importam!” – A partir de diferentes materiais a exposição traz trajetórias de vida de jovens assassinados. Curadoria: Fórum Popular de Segurança Pública (FPSP)

Apresentação musical do coletivo feminino Nós, Vós , Elas

14h – Centro Cultural Bom Jardim

Oficina de estêncil (parte I) e roda de conversa sobre juventudes e violência.

MARACANAÚ

8h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Grupo de Discussão – Grupo de Estudos Subjetividade Juventude e Violência – Tema: Juventudes e Violência

14h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Cinema Independente e Popular – CinIDEP – Tema: Extermínio da Juventude Negra – Contextualização

Dia 13 (terça-feira)

FORTALEZA

9h – Granja Lisboa (CAIC Maria Alves Carioca, Escola Patativa Assaré), Bom Jardim (EEFM Michelson Nobre da Silva, Escola Santo Amaro, Escola Profissionalizante Ícaro Marreira), Granja Portugal (Escola Jocie Caminha, Escola São Francisco), Canindezinho (Escola Júlia Alves, Escola Osires Ponte), Siqueira (Escola Paulo Elpídio, Escola Eudes Veras)

Fórum das Escolas do Grande Bom Jardim

9h – Exibição do curta-metragem: “Não Pare de Sonhar”, de Josenildo Nascimento

9h30min – Debate sobre prevenção de homicídios

10h30min – Apresentações culturais e artísticas: “Cada Vida Importa”

14h – Complexo das Comissões Técnicas – Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Audiência Pública sobre a I Semana Cada Vida Importa

Tema: “Prevenção de homicídios – destacando as chacinas ocorridas no Estado”

14h – Escola Júlia Alves

Oficina de Stencil nas Escolas do Fórum de Escolas pela Paz

Parceria: Jovens Agentes de Paz, Projeto Vivo Cidadania e Bonja Roots

Apoio: Pacto por um Ceará Pacífico

14h – Centro Cultural Bom Jardim

Cine Debate
Exibição do filme ” Do que aprendei com minhas mais velhas”, seguida de bate-papo com a Mãe de Santo Zimá, e o Pai de Santo Miguel Ferreira Neto, conhecido com Pai Neto, sobre suas práticas religiosas de Umbanda e Candomblé.

16h – Praça Santos Dias – Av Fernandes Távora, S/n

Oficina “Grafitando pela Paz”

Organização: Pacto por um Ceará Pacífico

16h30 – Centro Cultural Bom Jardim

Oficina de estêncil (parte II)

18h – Centro Cultural Bom Jardim

Oficina de Mandala

Tema: “Racismo e gênero”

MARACANAÚ

8h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Cinema Independente e Popular – CinIDEP

Tema: Extermínio da Juventude Negra – Identidade

14h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Oficinas temáticas

9h às 13h – Praça do Ferreira

Livros no Tamarindeiro – Cada Vida Importa – Leitura Literária em Voz Alta

Unidos ao movimento cada Vida Importa, que é uma ação contra a violência e os homicídios na adolescência, a Coordenadoria das Políticas do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) e a Biblioteca Pública do Ceará – Espaço Estação realizarão uma manhã de leitura literária em voz alta debaixo das árvores da Praça do Ferreira, nesta manhã você poderá escutar as mais belas frases dos contos, poemas e poesias, acreditando que a literatura e a arte tem o poder de transformar o seu dia, o seu momento. Venha ler e escutar poesias na Praça, pois Cada Vida Importa.

Dia 14 (quarta-feira)

FORTALEZA

8h – Centro Cultural Bom Jardim

1ª VIRADA CULTURAL DO CCBJ

Contará com 24 horas de atividades culturais a partir do horário de início

Debate LGBTQI+; Sarau Guetto Queen; Sessão especial de lançamento “Não pare de sonhar” – curta feito pelos alunos do do curso de cinema e vídeo do CCBJ nas escolas E.T.I. Jociê Caminha, CAIC Maria Alves Carioca e Osires Pontes; Apresentação da turma de baby class e da Escola de Dança do CCBJ; Exibição em looping dos videos, desenhos, animação para crianças e animação stop motion; Exposição do curso de fotografia básica do CCBJ; Trilha sonora da sessão especial de lançamento “não pare de sonhar”; Apresentação das turmas de balé do Espaço Geração Cidadã; Apresentação do espetáculo “As palavras não dão conta” da Escola de Dança do CCBJ; Apresentação do grupo de danças urbanas “Dreamers”; Encontro de grupos de zumba: o CCBJ recebe alunos do Cuca Jangurussu, Cuca Mondubim e Cuca Barra; Banda Caixeiros Viajantes; Camerata de violão; Aula aberta com a turma de tribal fusion; Apresentação da turma de ginástica rítmica da Vila Olímpica; Espetáculo infantil com o mágico Goldini; Visita Guiada – exposições “Memória Rock e Noite na Toca Good Garden cores e sons”; Masterclass – o que faz um produtor técnico com Jones Cabó; Workshop do Passinho do Reggae com Ecléticotv; Futrica Literária: lançamento do livro “Pensão das Crônicas Dadivosas” com Ricardo Kelmer e convidado; Mesa de debate: conecta passinho – dança urbana periférica, como ser um sucesso nas redes sociais. Mediador: Bruno DLX. Convidados: Wesley Uber, Ecléticotv e Ballet MTD; Voz e violão com João Vitor; I Mostra Bom Jardim de Cinema; Bandas Pausa Pro Café, Trem de Zion, Silvero Pereira e Mulher Barbada (Minhas Regras Tour), Kátia Cilene (a alma e a voz de uma geração), show de humor com caboré – baú de molecagem; Sessão especial de lançamento – documentário “Lgbtqi+ para além do território”; Sessão de videoclipes; Sessão da Escola de Audiovisual 2018.1 (Marcas, Toca Good Garden e Fumaça da Mata); Tambor de Crioula Filhos de Mãe Maria Devotos de São Benedito; Intervenção circenses, Festival do Passinho com apresentação de danças urbanas – meu corpo resiste; Batalha do Passinho e Baile do Passinho: Afoxé Acabaca; Ginástica laboral com Prof. Viana.

13h – Escola Michelson Nobre (Avenida Oscar Araripe, 3037)

Oficina “Grafitando pela Paz”

Organização: Pacto por um Ceará Pacífico

14h – Escola São Francisco, Canindezinho

Oficina de Stencil nas Escolas do Fórum de Escolas pela Paz

Parceria: Jovens Agentes de Paz, Projeto Vivo Cidadania e Bonja Roots

Apoio: Pacto por um Ceará Pacífico

14h – Escola Júlia Alves

Oficina de Stencil nas Escolas do Fórum de Escolas pela Paz

Parceria: Jovens Agentes de Paz, Projeto Vivo Cidadania e Bonja Roots

Apoio: Pacto por um Ceará Pacífico

15h – Campus Itaperi – UECE (Concentração)

VI MARCHA DA PERIFERIA : “E se fosse seu filho? E se fosse sua filha? Todas as vidas importam!”

MARACANAÚ

8h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Grupo de Discussão – Grupo de Estudos Subjetividade Juventude e Violência

Tema: Juventudes e Violência

14h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Cinema Independente e Popular – CinIDEP

Tema: Extermínio da Juventude Negra – Polícia

JUAZEIRO DO NORTE

17h – Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri

Roda de Conversa

Tema: Prevenção de Homicídio para Jovens LGBT

Dia 15 (quinta-feira)

RUSSAS

20h – Galpão das Artes

Espetáculo Re-talho, de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – CPBT do Theatro José de Alencar

Dia 16 (sexta-feira)

FORTALEZA

9h – Napaz – Curió (Rua Euclides Ferreira 59)

Oficina “Grafitando pela Paz”

Organização: Pacto por um Ceará Pacífico

14h – Centro Cultural Bom Jardim

Oficina de estêncil (parte III) e roda de conversa “estigmas e organização da juventudes periféricas”

14h – Escola Porto Iracema das Artes

Cineclube Âncora

Facilitador: Arthur Leite

18h30- Igreja Presbiteriana Independente de Messejana (Rua Gilberto de Carvalho, 337 – Jangurussu)

Encontro Aberto
Encontros com Igrejas Evangélicas da Grande Messejana

Facilitador: Visão Mundial

MARACANAÚ

8h30min – CREAS Maracanaú (Avenida X, nº 415 – Jereissati II)

Cinema Independente e Popular – CinIDEP

Tema: Extermínio da Juventude Negra – Mobilização e Enfrentamento

Dia 17 (sábado)

FORTALEZA

8h – Lagoa da Viúva

Projeto Rua de Possibilidades – 3ª Edição

14h – Centro Cultural Bom Jardim

Roda de conversa sobre respeito às diferenças e belezas sem estereótipo com as meninas do projeto Princesinha da Favela;

16h – NAPAZ Vincente Pinzon (Rua Doutor Antônio Carneiro, 763)

Oficina “Grafitando pela Paz”

Organização: Pacto por um Ceará Pacífico

16h – Centro Cultural Bom Jardim

Sessão fotos com as juventudes do CCBJ;

16h – Sala Hugo Bianchi no Anexo Cena – Theatro José de Alencar

Cenas do espetáculo Re-talho e conversa sobre o processo de montagem

Programação do Theatro de Portas Abertas – Gratuito

Capacidade: 50 pessoas

18h – Centro Cultural Bom Jardim

Reggae contra o extermínio das juventudes preta e periférica do Bom Jardim.

Inscrições abertas para Oficina teatral pelo AMOK Teatro na CAIXA Cultural Fortaleza


A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 15 a 25 de novembro de 2018, o espetáculo teatral Os Cadernos de Kindzu, com sessões de quinta a sábado (19h) e domingo (18h). Sob direção de Ana Teixeira e Stephane Brodt, a nova criação do Amok Teatro tem como ponto de partida a obra “Terra Sonambula” e o universo do escritor moçambicano Mia Couto, integrando ainda a turnê comemorativa pelos 20 anos do grupo teatral.

Além do espetáculo, o grupo realizará a oficina Treinamento – Improvisação (Os Caminhos do Ator no Amok Teatro), que acontece no dia 17 de novembro, das 14h às 18h, na Sala de Ensaio da Caixa Cultural Fortaleza. Conduzido por Ana Teixeira, pedagoga, diretora do Amok Teatro e da Casa do Amok, o encontro propõe um olhar sobre a improvisação no jogo do ator, como um caminho que articula técnica e organicidade. O Treinamento também objetiva desenvolver a presença cênica do ator, conhecer e edificar sua individualidade, acessar uma determinada linguagem cênica ou ainda, auxiliar diretores e atores na investigação de processos poético-pedagógicos.

As inscrições podem ser feitas até 11 de novembro, pelo e-mail oficina@amokteatro.com.br. Podem participar atores com experiência, estudantes de artes cênicas e demais interessados a partir de 18 anos. O resultado da seleção sai no dia 12/11 e os participantes vão ser informados pela produção por telefone e também pela divulgação da lista dos selecionados na página do grupo Amok Teatro no Facebook (https://www.facebook.com/amok.teatro/).

 

*LINK: www.amokteatro.com.br

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

CAIXA CULTURAL FORTALEZA RECEBE EXPOSIÇÃO (RE)CONHECENDO A AMAZÔNIA NEGRA, DE MARCELA BONFIM

Foto Marcela Bonfim (2016)

 

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, entre 02 de novembro e 23 de dezembro, a exposição (RE)Conhecendo a Amazônia Negra, da fotógrafa Marcela Bonfim. A mostra traz 55 fotografias que ilustram as mais diversas identidades e culturas presentes entre os povos negros da Amazônia e a importância social das religiões de matriz africana na construção do Brasil.

As obras trazem de maneira sensível e original as mais diversas expressões dos grupos que residem na região Norte do País, dentre eles remanescentes quilombolas, afroindígenas, barbadianos e haitianos. Todos carregam em seus traços as heranças socioculturais de uma parcela importante da população brasileira que ainda não é reconhecida historicamente.

As fotos foram produzidas a partir de 2013, durante visitas feitas por Marcela Bonfim a comunidades quilombolas, tradicionais, indígenas e urbanas, além de terreiros e festejos religiosos na região do Vale do Guaporé (RO), em um processo que coincidiu com o próprio reconhecimento da fotógrafa enquanto mulher negra. Segundo Marcela, “Mais que fotografia, o aspecto fundamental da proposta é a crítica ao percurso da história oficial sobre a negritude brasileira. Apesar do importante papel que os negros desempenharam e ainda desempenham para o desenvolvimento econômico, cultural e social do País, há mais de 500 anos, ainda padecem com as ambiguidades e injustiças causadas inicialmente pela seletividade das informações contidas nos livros de história e demais registros de memória, o que é um projeto de degradação e inferiorização destas populações, dos seus costumes e cultura”, aponta.

 

Expressões de fé

A exposição propõe um verdadeiro mergulho na cultura e subjetividade dos povos negros da Amazônia, trazendo histórias de vida e também de expressões religiosas de matriz africana. Logo na entrada, o visitante irá encontrar um altar trazendo alguns dos objetos de variadas religiões, encaminhando-o à primeira parte da mostra.

As imagens seguintes revelam variadas expressões de fé impressas nos detalhes de mãos, pés e semblantes de um povo que mantém fortemente suas tradições e festas religiosas. Elementos como espadas-de-são-jorge e sal grosso também irão compor a expografia, no intuito de apresentar ao público um pouco dos costumes presentes no cotidiano dos povos fotografados.

 

 

Incentivo à cultura:

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

A CAIXA Cultural Fortaleza oferece, desde 2012, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania.

O espaço, situado em um prédio histórico na Praia de Iracema, conta com um cine-teatro com 181 lugares, três amplas galerias de arte, sala de ensaios, salas para oficinas de arte-educação, foyer, café cultural e livraria, além de um agradável jardim e espaços para convivência e realização de eventos.

 

Serviço:

Exposição (Re)Conhecendo a Amazônia Negra

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema

Abertura: 1º de novembro, às 19h, com visita guiada por Marcela Bonfim

Data: 02 de novembro a 23 de dezembro de 2018

Horário: terça-feira a sábado, das 10h às 20h | domingo, das 12h às 19h

Classificação indicativa: Livre

Entrada gratuita

Paraciclo disponível no pátio interno
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

 
Acesse o site www.caixacultural.gov.br
Siga a fanpage: www.facebook.com/CaixaCulturalFortaleza

Baixe o aplicativo “Caixa Cultural”