Semace resgata macaco-prego e autua por cativeiro irregular em Trairi

Em Trairi, um Macaco-prego foi resgatado por fiscais ambientais da Diretoria de Fiscalização (Difis) da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) nesta terça-feira (20), na praia do Mundaú. Em condições irregulares, o animal encontrava-se sob posse de uma cidadã que o mantinha preso acorrentado em sua residência.

A ação foi motivada através de uma denúncia anônima. Na ocasião, os fiscais da Superintendência flagraram o crime ambiental, resgatando o animal e aplicando multa de R$ 5.000,00, como prevê o Decreto Federal n° 6.514/2008.

O macaco foi levado para um empreendimento de fauna regularizado, onde recebe prontamente cuidados de um veterinário.

“A Difis da Semace tem buscado coibir essa prática ilegal visto que a guarda de animais silvestres em cativeiro sem a devida autorização, além de irregularidade administrativa é crime ambiental passível de detenção de seis meses a um ano, além da multa”, informa a diretora do setor, Carolina Braga. Segundo aponta o Artigo 24 do Decreto Federal Nº 6.514/2008, para espécie constante na lista da CITES, a multa é de R$ 5.000,00 por indivíduo.

A operação da Semace contou com o apoio do Batalhão de Policiamento de Meio Ambiente (BPMA).

Macaco-prego

O Macaco-prego (nome científico Sapajus apella) faz parte da lista da Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagem em Perigo de Extinção (CITES). A espécie pertence à família Cebidae e tem ampla distribuição na América do Sul. São considerados um dos primatas mais inteligentes das Américas.

Denúncias

A Semace ressalta que denúncias de irregularidades ao meio ambiente podem ser formalizadas através do Disque Natureza: 0800 275 22 33, via site da Semace e aplicativo Semace Mobile.

Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail: atendimento.fauna@semace.ce.gov.br.

Você também pode gostar leia