Higienização excessiva das mãos pode causar problemas de pele

 
Em meio ao surto do novo coronavírus, a higiene das mãos tornou-se uma das maiores preocupações da população. Isso porque a região é suscetível para a disseminação do vírus, já que estamos sempre manuseando objetos e em contato com o rosto.
Segundo a médica dermatologista, Hercília Queiroz, o uso de água e sabão na higiene das mãos pode sim acarretar problemas na pele como coceira, vermelhidão e descamação. “Esse dano da barreira cutânea pode ser através de fissuras ou rachaduras, causando uma solução de continuidade e como consequência risco de infecção bacteriana da pele.” , afirma a especialista que sugere manter a higiene associada ao uso de hidratantes adequados nas mãos.
Para realizar a higienização de uma forma correta e segura, alguns passos devem ser respeitados. O processo deve durar em média de 20 a 30 segundos e deve ser feito de forma cautelosa e atenta. É importante higienizar os dedos, esfregar as palmas e o dorso das mãos e fazer movimentos circulares nos polegares e nos punhos.
Além do sabão, outro produto vem sendo bastante utilizado. O álcool em gel. Para a dermatologista as opções caseiras estão descartadas, podendo causar risco de acidentes em domicílio, além de que se a porcentagem de álcool na fórmula não estiver adequada, pode ocasionar queimaduras severas na pele e mucosas. “Com os devidos cuidados, a atenção máxima a lavagem e higiene das mãos deve permanecer, a fim de evitar o aumento de casos e disseminação da CODIV-19.”, completa a especialista.

Você também pode gostar leia