Dia Mundial da Síndrome de Turner é lembrado no Hospital Universitário Walter Cantídio com cuidados especiais

A Síndrome de Turner é uma condição decorrente da ausência parcial ou completa de um cromossomo X que acomete uma em cada 2.500 mulheres nascidas vivas. Estima-se que, no Ceará, existam mais de 1.700 mulheres portadoras. Para celebrar o Dia Mundial da Síndrome de Turner (28/08), o Núcleo de Atendimento Multidisciplinar e Apoio à Síndrome de Turner do Hospital Universitário Walter Cantídio (Namast/HUWC) realizará a ação “O que te desafia é o que te transforma” nesta quinta, 29. O objetivo é alertar as pacientes sobre os riscos do sedentarismo e do consumo de alimentos altamente processados para a saúde cardiovascular.

A programação se iniciará às 7h30, na praça em frente ao Bloco dos Ambulatórios do HUWC (Rua Coronel Nunes de Melo, s/n, ao lado da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand), com um aulão de ritmos para as pacientes, os acompanhantes e a equipe de colaboradores do Namast. Em seguida, as pacientes e os acompanhantes terão uma atividade interativa com nutricionista sobre hábitos alimentares saudáveis. Após o lanche, será realizado o atendimento médico das pacientes agendadas.

A importância do diagnóstico precoce

Os estigmas característicos da Síndrome de Turner, tais como pescoço curto e alado, edema de mãos e pés, pregas epicânticas (pregas de pele das pálpebras superiores cobrindo o canto interior dos olhos), malformações cardíacas e renais, quando estão presentes e são observados desde o nascimento contribuem para o diagnóstico precoce. No entanto, a maioria pode apresentar somente a baixa estatura e o atraso ou a ausência de desenvolvimento puberal, o que leva, muitas vezes, a um diagnóstico mais tardio. A expectativa de vida dessas mulheres é inferior à da população em geral e decorre de problemas cardiovasculares.

O acompanhamento deve ser multidisciplinar por toda a vida e envolve o uso de hormônio de crescimento, reposição de esteroides sexuais e diagnóstico e tratamento de comorbidades (doenças relacionadas), como perda auditiva, osteoporose, hepatopatia, síndrome metabólica e doenças autoimunes.

Atendimento especializado no HUWC

No Hospital Universitário Walter Cantídio, o Núcleo de Atendimento Multidisciplinar e Apoio à Síndrome de Turner assiste, nos ambulatórios especializados, cerca de 100 pacientes portadoras. Esse projeto de extensão é coordenado pela endocrinologista Eveline Fontenele e envolve 22 profissionais de saúde de diferentes áreas.

Sobre a Ebserh

O Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) faz parte da Rede Hospitalar Ebserh desde novembro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Os hospitais universitários são, por sua natureza educacional, campos de formação de profissionais de saúde. A Rede Hospitalar Ebserh não é responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país, apenas atua de forma complementar ao SUS.

SERVIÇO:

Ação “O que te desafia é o que te transforma”

Dia Mundial da Síndrome de Turner é lembrado no Hospital Universitário Walter Cantídio com atividade física e cuidados com a alimentação

Local:  Praça em frente ao Bloco dos Ambulatórios do HUWC (Rua Coronel Nunes de Melo, s/n, ao lado da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand)

Data: 29 de agosto de 2019

Horário? A partir das 7h30

Você também pode gostar leia