Presentes para o Dia dos Namorados têm até 78,99% de impostos; saiba como escolher

O Dia dos Namorados, comemorado no Brasil em 12 de junho, está entre as melhores datas para o varejo, mas presentear a pessoa amada sem comprometer o orçamento é um dos desafios do consumidor, uma vez que alta carga tributária que incide em alguns produtos eleva bastante o preço final.

Os perfumes importados, por exemplo, têm 78,99% de impostos, mas os nacionais não ficam muito atrás, com 69,13% de tributos. Se o consumidor quiser gastar um pouco mais no Dia dos Namorados e dar de presente um smartphone, ele precisa saber que o produto tem uma carga tributária de 68,76%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

“Alguns itens têm mais impostos que outros por serem considerados supérfluos. Na hora de presentear, produtos como perfumes e roupas, que não são considerados essenciais, têm mais tributos que os da cesta básica. Uma questão a ser levantada é que o conceito de supérfluo muda com o tempo. Será que hoje um celular é um item supérfluo? Será que um notebook é um item supérfluo?

Será que alguns itens que eram absolutamente supérfluos na década de 1990 continuam sendo supérfluos nos dias de hoje? A definição do que é importante para a sociedade precisa evoluir de acordo com a própria evolução da sociedade. Essa questão tributária é um tema importante que demonstra a desatualização em relação àquilo que a sociedade entende do que é relevante para ela mesma”, avalia Eliardo Vieira, diretor do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF).

A boa notícia é que outros presentes comuns nesta época do ano têm o valor um pouco menos afetado pela carga tributária, a exemplo do buquê de flores naturais, cujos impostos são de 17,71%, e dos livros, com 15,52% de carga tributária. Mesmo assim, os impostos ainda têm um peso considerável no valor final para o consumidor.

“O tributo é, sem dúvida, o pedaço mais relevante que existe em um presente do Dia dos Namorados. Não é matéria-prima, não é folha de pagamento, não é geração de riqueza, não é lucro. O principal peso no preço de um produto é imposto. Eu costumo dizer para os empresários: ‘seu maior acionista não é o seu sócio. Seu maior acionista é o Estado, via tributação'”, destaca Eliardo Vieira.

Comemoração

O preço da comemoração do Dia dos Namorados também tem grande impacto dos impostos. Uma garrafa de champanhe, chocolates e um jantar em um restaurante, por exemplo, têm 59,49%, 39,61% e 32,31% de impostos, respectivamente. A comemoração em cinema ou teatro pode pesar menos no orçamento, uma vez que a carga tributária sobre os ingressos para esse tipo de entretenimento é de 20,85%, menor que a de um jantar fora, por exemplo.

Atenção ao orçamento

Na hora de comprar o presente da pessoa amada, o consumidor também deve estar atento ao seu orçamento para não gastar além da sua capacidade de pagamento. “O mais importante para o consumidor na hora de decidir o presente do Dia dos Namorados é estabelecer o quanto ele pode gastar sem extrapolar o seu orçamento. As lojas vão apelar para o lado emocional que essa data produz em cada um. Por isso, ele já deve sair de casa com a meta de quanto pode gastar. O consumidor deve pesquisar o preço do produto em diversas lojas e, claro, tentar um desconto para pagamentos à vista, se for possível”, orienta o especialista em finanças e assessor de investimentos da Conceito Investimentos, Davi Melo.

“O consumidor não deve basear sua decisão na carga tributária que ele paga no presente, mas já imaginou como seriam os preços dos produtos sem impostos? Um perfume importado custaria quase 80% menos, já um tênis importado custaria aproximadamente 60% menos. Com esses ‘descontos’, com certeza, seriam campeões de vendas no Dia dos Namorados”, acrescenta, destacando que os itens importados costumam ter altas taxas tributárias para que as empresas nacionais consigam ser competitivas.

Confira o ranking dos produtos para o Dia dos Namorados que têm a maior carga tributária:

Perfume importado: 78,99%

Maquiagem importada: 69,53%

Perfume nacional: 69,13%

Smartphone 68,76%

Champanhe ou espumante: 59,49%

Tênis importado: 58,59%

Relógio: 56,14%

Cosméticos: 55,27%

Maquiagem nacional: 51,41%

Joias: 50,44%

Tênis nacional: 44%

Porta-retrato: 43,47%

Bijuterias: 43,36%

Bolsa de couro: 41,52%

Calça jeans: 38,53%

Sapatos: 36,17%

Camisa: 34,67%

Bombons: 37,61%

Chocolate: 39,61%

Jantar em restaurante: 32,31%

Ingressos para cinema ou teatro: 20,85%

Buquê de flores naturais: 17,71%

Livros: 15,52%

Você também pode gostar leia