Interesse por Pessoas

Por Mísia Rocha

 

Quando se fala de “Interesse por Pessoas” no mundo corporativo, a grande maioria pensa que diz respeito à gestão do RH, que é coisa de Desenvolvimento Humano, para psicólogas ou gente que tem tempo de cuidar da vida alheia. Bem, as melhores práticas de Liderança hoje rezam que não é mais assim.

 
Dedicar-se as pessoas, ter um interesse genuíno por elas, é papel dos grandes e melhores líderes, segundo Dale Carnegie, autor do best-seller “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”. Esse interesse genuíno também se retroalimenta fazendo com que tanto mais você tenha interesse em pessoas, mais as pessoas terão interesse em você e mais ainda você terá interesse por elas, naturalmente.

 
O sucesso da organização onde está inserido, do seu projeto, ou do seu departamento depende não apenas de números, dos resultados que são gerados, mas de suas potencialidades e de como alcançar o máximo de sua equipe. As pessoas são problema de líder sim. Elas tem feito um bom trabalho? Ótimo! Mas podem fazer mais e melhor?
Interesse genuíno do líder é saber como está, dar um bom dia caloroso e sincero, é entender quando algo está errado na vida pessoal afetando o humor e o comportamental dos liderados.

 

É compreender, saber motivar, dar ânimo, ser honesto, fazer o que diz, ser exemplo. É ser amigável. Entenda, não é ser trouxa e perder prazos, deixar que a equipe domine, nada disso. É cobrar de forma não abusadora, não autoritária e sim, ter sua equipe pronta para os desafios que estarão com vocês, num time onde todos ganham ou todos perdem, juntos e sem desculpas.

 
Anime-se! Não há nada mais empolgante do que a equipe reconhecer o próprio líder empolgado genuinamente para completar o desafio que é de todos! Só depende de vocês!

Você também pode gostar leia