Ministro Ronaldo Nogueira defende agilidade na reforma trabalhista

Em uma plateia formada por empresários, durante o seminário “A Reforma Trabalhista e o Impacto na Geração de Empregos no Brasil”, promovido pelo LIDE Ceará e CDL Fortaleza, com patrocínio do Grupo SERVNAC, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, voltou a defender a urgência da reforma trabalhista.

Defendeu, ainda, a necessidade de modernização das leis trabalhistas brasileiras e pediu engajamento para que fossem concretizadas.

“Consideramos fundamental o Brasil ter essa reforma aprovada o quanto antes. A intenção do governo é que o texto seja aprovado já na semana que vem. A partir da reforma trabalhista, nós criaremos as condições para que o capital empreendedor do país possa empreender sem medo”, afirmou o ministro.

Em sua exposição, Ronaldo Nogueira também rebateu algumas críticas que a reforma vem recebendo. “não é verdade que a jornada de trabalho vai aumentar. É uma irresponsabilidade induzir a sociedade a pensar desse modo. A reforma vai modernizar a legislação a favor do Brasil”, disse. “A partir da reforma, o trabalhador vai, por exemplo, escolher a forma mais vantajosa de usufruir de seus direitos”, complementou.

A presidente do LIDE Ceará, Emília Buarque, defendeu a modernização da legislação brasileira. “É preciso encarar com coragem a mudança. A base de nossa legislação trabalhista vem dos anos 1940. Cobramos uma reforma coerente, que não tenha lado, e venha para ajudar a aliviar a situação de desemprego no país”, explicou.

O presidente da CDL Fortaleza, Severino Ramalho Neto, ressaltou a mudança do contexto do trabalho em todo o mundo. “A questão trabalhista não é um problema apenas no Brasil. Vêm surgindo novas formas de relação entre empregados e empregadores. Além disso, estamos em um contexto com nuances diferentes, como produção automatizada, comércio eletrônico, educação à distância, dentre outras. Temos urgência: o Brasil precisa de uma reforma que estimule a diversificação de oportunidades, flexibilização e democracia nas negociações”, disse.

Sobre o LIDE CEARÁ  

Com o intuito de conectar empresários, difundir e fortalecer os princípios éticos de governança corporativa no Brasil, o LIDE foi criado em 2003, composto por CEOs e VPs de grandes empresas. O LIDE conta, atualmente, com mais de 1.700 empresas filiadas que, juntas, representam cerca de 50% do PIB privado brasileiro.  

Presidido por Emília Buarque, o LIDE CEARÁ possui atualmente cerca de 40 empresas filiadas, que representam 150 líderes associados. A entidade vem promovendo debates atentos às principais questões do país, do Estado e dos empresários cearenses. A entidade já trouxe ao Ceará nomes como Cláudio Lottenberg, Sônia Hess, Luíza Helena Trajano, Sandra Costa e Gui Telles. Os debates visam colocar o Estado no mapa dos negócios mais robustos, das empresas mais profissionalizadas e dos mercados mais corporativizados. 

 

Você também pode gostar leia