Browsing Tag

Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Paineis temáticos, palestras e prestação de serviços marcam no sábado (13) a Jornada da FAZ celebrando o mês do Autismo

 

Com o tema “Autismo: múltiplos olhares” e dentro das comemorações do mês alusivo à conscientização sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), a Associação Fortaleza Azul promove neste sábado, dia 13 de abril, a partir das 11h, no shopping RioMar Fortaleza, a III Jornada FAZ, com uma programação totalmente gratuita.

Além de reunir profissionais de saúde de diversas áreas ligadas ao tema, o destaque do evento será a realização de painéis de discussão de temas como Educação, Sexualidade, Mercado de Trabalho, Família e Esporte com a participação de adolescentes e adultos autistas juntamente com profissionais de mercado e pais.

Em paralelo, haverá um dia de prestação de serviços e informações com equipes da AMC e da ETUFOR. Lançamentos de livros e apresentações culturais completam o dia de atividades. Um espaço kids com atendentes voluntários será disponibilizado para as crianças, permitindo aos pais participarem da programação com tranquilidade. A III Jornada FAZ será realizada na Praça de Eventos do Piso L3. Informações pelo site: www.faz.org.br

Estima-se que o Autismo afete atualmente cerca de 2% da população mundial. O termo geral é utilizado para descrever um grupo de desordens do desenvolvimento do cérebro conhecidos como Transtornos do Espectro do Autismo (TEA). Apesar de estar cada dia mais presente no cotidiano de muitas famílias brasileiras, o Autismo ainda é pouco compreendido socialmente e alvo de preconceito ou desconhecimento. A III Jornada FAZ tem como objetivo principal levar informação para a sociedade, tirando dúvidas, reunindo e socializando pais, adolescentes e crianças autistas com profissionais da saúde e interessados em conhecer mais sobre o assunto

Na área de saúde, foram convidados profissionais reconhecidos no mercado que se uniram à Associação e estão dedicando seu tempo e conhecimento para os presentes em painéis temáticos. São Médicos Neurologistas, Nutricionistas, Psicomotricistas, Educadores, Psicopedagogos, Psicólogos, Fonoaudiólogos, Terapeutas Ocupacionais e Fisioterapeutas. Entre os temas escolhidos estão “O Autismo está aumentando? Por que?”, “Mitos e Verdades sobre o ABA (Terapia Analítico Comportamental)”, “Estimulando as Habilidades Sociais e as Atividades de Vida Diária” e “Dicas para Superar a Seletividade e a Recusa Alimentar”, entre outros.

Em paralelo, os painéis de discussão serão momentos de ricas trocas entre profissionais de mercado e adultos/adolescentes/crianças autistas e suas famílias, contribuindo com suas ricas experiências pessoais e demonstrando seus talentos e visões de mundo

A III Jornada FAZ é parte de uma série de atividades que celebram o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril, e tem como objetivo ajudar a conscientizar e informar as pessoas sobre o que é o Autismo e como lidar com o transtorno. “Estamos muito felizes com mais essa parceria com o shopping RioMar Fortaleza para a nossa Jornada, pois acreditamos estar levando informação e conhecimento para muito mais pessoas do que as nossas cerca de 300 famílias associadas, e que se juntarão neste movimento em defesa do respeito e da compreensão aos indivíduos com Transtorno do Espectro Autista”, explica Fernanda Cavalieri, presidente da Associação Fortaleza Azul (FAZ).

 

Sobre o Autismo

Autismo é um termo geral utilizado para descrever um grupo de desordens do desenvolvimento do cérebro, hoje conhecidos como Transtornos do Espectro do Autismo (TEA).

Esses distúrbios se caracterizam por prejuízos em duas áreas: comunicação social e comportamento estereotipado (repetitivo, restrito, com hiperfocos podendo haver movimentos estereotipados, alterações sensoriais e atraso do desenvolvimento da coordenação fina). Embora todas as pessoas com TEA apresentem tais dificuldades, o comprometimento nos indivíduos se apresenta em intensidades diferentes.

Essas características geralmente aparecem antes dos três anos de vida e podem ser óbvias desde o nascimento ou tornarem-se visíveis ao longo do desenvolvimento.

 

Sobre a FAZ

A Associação Fortaleza Azul (FAZ) existe desde 2015 e tem como objetivo reunir familiares de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) para ações de conscientização, informação e inclusão desses indivíduos na sociedade. Atualmente, a entidade conta com cerca de 200 famílias associadas.

III Jornada da FAZ – “Autismo: múltiplos olhares”

Data: sábado, dia 13 de abril (das 11 horas às 20h40)

Local? Shopping RioMar Fortaleza – Praça de Eventos Piso L3

Programação; palestras, Paineis Temáticos, Prestação de Serviços, Espaço Kids, Apresentações Artístico-Culturais, Lançamento de Livro

Evento GRATUITO. Sujeito à lotação do espaço

Informações pelo site: www.faz.org.br

 

 

Autismo: diagnóstico nos primeiros meses de vida é peça-chave do tratamento

 

Mais incidente em homens, o Transtorno do Espectro Autista (TEA) atinge cerca de 2 milhões de brasileiros, diz ONU. Lembrada com ênfase este mês, a limitação pode ser constatada por atraso do chamado “sorriso social” ou ansiedade, alertam especialistas

Abril é um mês especial para a conscientização acerca do autismo: nele, são celebrados o Abril Azul e o Dia Mundial da Conscientização Sobre o Autismo, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que ocorre sempre no dia 2 de abril. Dados da entidade publicados em 2018 apontam que o Transtorno do Espectro Autista (TEC), mais costumeiro em homens que em mulheres, atinge cerca de 7 bilhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, segundo o órgão, o número chega a 2 milhões. Com o objetivo de desmitificar o autismo e tornar a inclusão de seus portadores uma realidade, poder público e sociedade civil de diversos países do mundo realizam atividades durante este período.

A limitação tem como características principais a dificuldade de uma convivência regida por regras sociais convencionais e a redução da capacidade comunicacional dos portadores. Ainda não é possível afirmar as causas específicas do autismo, há mais de 60 anos objeto de estudo da ciência. Segundo a psicóloga infantil Felícia dos Santos, o isolamento é um potencial alerta do autismo. “Pontos como depressão, dificuldades de socialização, bullying na escola e ansiedade ou fobia sociais são tópicos que pais e responsáveis precisam ficar atentos. Caso eles ocorram, há sinal de que algo não está bem e que é necessário buscar ajuda.”

Não se reconhecer pelo nome, não reclamar ao ser deixado sozinho e ter fisionomia pouco expressiva e comportamentos repetitivos são ocorrentes em pessoas autistas. Dificuldades de coordenação motora e de atenção – bem como problemas fisiológicos, a exemplo de engasgamento, transtornos de sono, distúrbios gastrointestinais, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), dislexia ou dispraxia – são possíveis consequências do autismo.

 

Diagnóstico: quanto antes, melhor

A pediatra Vanuza Chagas explica que o diagnóstico do TEA é realizado a longo prazo, mas que os sinais costumam manifestar-se já nos primeiros meses de vida do bebê. “O atraso no sorriso social, o desinteresse na face humana, não sustentar o olhar, se sentir mais confortável no berço isolado e irritabilidade quando é ninado pela mãe, entre outros aspectos, podem ser sinais precoces do autismo.” Aos 18 meses, complementa a médica, deve ser investigado qualquer atraso de linguagem verbal ou não verbal, movimentos repetitivos e dificuldades de interagir com outras crianças, por exemplo.

A triagem de uma criança com suspeita de autismo deve acontecer a partir de uma análise clínica de um pediatra, que o encaminhará para equipe multidisciplinar composta por neuropediatra, psiquiatra infantil, fonoaudiólogo, psicólogo e terapeuta ocupacional. “Quanto mais cedo a criança for levada à estimulação, melhor a evolução. Muitas dessas crianças quando estimuladas de maneira célere saem do espectro autista e passam a ter desenvolvimento normal. Então, a busca por profissionais com experiência em diagnósticos do TEA não deve ser adiada”, frisa.

 

Carinho e atenção também para os pais

Vanuza argumenta que estimular cotidianamente a criança com brincadeiras que favoreçam a socialização é uma das medidas que podem ajudar no tratamento do autismo. Os cuidados psicológicos, esclarece a médica, devem estender-se aos pais, a fim de que eles lidem melhor com o quadro. “A busca por grupos de pais de crianças com TEA também é uma forte aliada, pois nessa troca de experiências eles se fortalecem e buscam, cada vez mais, estratégias para o acompanhamento de seus filhos.”

Associação Fortaleza Azul (FAZ) receberá homenagem na Câmara Municipal de Fortaleza e solenidade terá apresentação do cantor Marcos Lessa

 

 

A Associação Fortaleza Azul ( FAZ) será agraciada durante sessão solene, nesta quarta-feira (13), na Câmara Municipal de Fortaleza. O evento, requerido pelo vereador Célio Studart (PV), é uma homenagem pelos 3 anos da Associação. “Muito feliz em propor essa merecida homenagem a FAZ, que desenvolve um lindo trabalho, reunindo familiares de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) para ações de conscientização, informação e inclusão dessas pessoas na sociedade”, ressaltou Célio.
Além da homenagem, a programação do evento contará com a apresentação do cantor Marcos Lessa e do Ato de Cantar (Grupo terapêutico para pessoas com TEA e familiares), coordenado pelo Musicoterapeuta Glairton Santiago.
A sessão solene está marcada para as 19h, no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza.

 

SERVIÇO:
Sessão Solene em homenagem aos 3 anos da Associação Fortaleza Azul ( FAZ)

Data: 13/06/2018

Local: Auditório da Câmara Municipal de Fortaleza

Horário: 19h