Browsing Tag

Obra

Editora ESA/OAB estreia com a livro O Ordenamento Jurídico e a Dinâmica do Tecido Social no Estado de Direito

 

Os advogados Marcell Feitosa, Ricardo Bacelar e Vanilo Cunha de Carvalho Filho apresentam, na sexta-feira, 28, a obra “O Ordenamento Jurídico e a Dinâmica do Tecido Social no Estado de Direito”. O lançamento ocorrerá às 16h30, no auditório da nova sede da Escola Superior de Advocacia do Ceará (ESA/CE).

A publicação também estreia o selo da Editora ESA/OAB Ceará e integra as ações de comemoração pelos 30 anos de fundação da Escola, idade compartilhada com a Constituição da República Federativa do Brasil.

A obra reúne 11 artigos que trazem como centro temático o sistema normativo jurídico e sua relação com a dinâmica dos arranjos sociais. Os autores são: Achernar Sena de Souza; Denise dos Santos Vasconcelos Silva; Amanda de Sousa de Saboya; Ana Jéssica; Romero da Frota Levy; Bruna Thalyta Ferreira Ramos; Carla Núbia Nery de Oliveira; Cinthia Greyne Araújo da Silva; Edson Pereira Portela Neto; Ísis Lopes Aragão; João Marcelo Negreiros Fernandes; Samara de Oliveira Pinho.

Ciente de que a constante renovação dos estudos jurídicos se faz imprescindível, Marcell Feitosa pondera sobre a importância da obra para o momento atual: “A consolidação desta publicação e a proposição do sistema normativo jurídico como centro temático de nossas investigações não constituem mera casualidade, indubitavelmente, é tempo de celebração. No entanto, o pensamento científico, bem como a própria conformação da Lei, somente encontra sentido com a observância dos arranjos sociais. Vivemos tempos difusos. Os descontentes exigem respostas e a Lei necessita corresponder.”

 

SOBRE OS ORGANIZADORES

Marcell Feitosa Correia Lima: advogado tributarista, diretor executivo da Escola Superior de Advocacia do Ceará, acadêmico da Academia Brasileira de Cultura Jurídica e da Academia Cearense de Cultura. Sócio do Escritório Mota Massler & Advogados.

Ricardo Bacelar Paiva: Advogado: conselheiro federal da OAB e membro da 1a Câmara de Julgamento (2016-2019). Também é membro do Conselho Estadual de Política Cultural do Estado do Ceará, da Academia Cearense de Letras Jurídicas, da Academia Cearense de Retórica, da Academia Cearense de Cultura, da Academia Brasileira de Cultura e do Instituto dos Advogados do Ceará.

Vanilo Cunha de Carvalho Filho: Advogado, especialista e mestre em Direito Constitucional, professor.

 

Serviço:

Lançamento do livro O Ordenamento Jurídico e a Dinâmica do Tecido Social no Estado de Direito.

Dia: 28 de setembro

Hora: 16h30

Local: auditório da nova sede da ESA/CE – Av. Washington Soares, 800, térreo

 

Dias de Sousa constrói unidade do Mercadinhos São Luiz no Guararapes

 

Ao longo dos anos, o Guararapes consolidou-se como ponto estratégico e escolha certa para as construções da Dias de Sousa. Área de grande fluxo de pessoas e fácil acesso às principais vias da cidade, o bairro já conta com oito empreendimentos da construtora. Colaborando com a manutenção da qualidade de vida dos moradores da região, com a comodidade de ter tudo perto de casa, a Dias de Sousa está construindo uma unidade moderna e conceito do Mercadinhos São Luiz, que deve ser entregue ainda este ano.

A obra supre uma necessidade da região, que já conta com diversas opções de serviços, educação e conveniência, mas possui a demanda de um supermercado de qualidade. A unidade do Mercadinhos São Luiz Guararapes está sendo construída em uma parceria entre as duas empresas e fica na Av. Miguel Dias, 1300.

A nova unidade do supermercado tem extensa área, com mais de 2000 m² de construção e 6000 m² de terreno, e conta com 95 vagas de estacionamento. Entre os diferencias da obra estão a utilização de uma Estação de Tratamento de Água (ETA), na qual toda a água residual do rebaixamento de lençol freático será tratada e reaproveitada na unidade, o que traz benefícios ecológicos e de economia financeira. Esse sistema já foi contemplado com prêmio da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

 

Sobre a Dias de Sousa

A Dias de Sousa aposta em grandes investimentos na área de incorporação, lançando empreendimentos comerciais e residenciais de alto padrão que unem as mais atuais tecnologias de construção a um inconfundível padrão de qualidade. Com a premissa Construindo dias melhores, a empresa busca diferenciais e desafios no mercado.

Sempre colocando como prioridade a entrega de produtos diferenciados, a construtora tem tradição na formação de lares e em construções sustentáveis. Atenta às modernidades e às ações de sustentabilidade, a Dias de Sousa é membro do selo Green Building e adotou a filosofia Lean Construction em suas obras, prezando pela construção que garante o cuidado com o meio ambiente e a obra sem desperdícios de materiais.

Além da construção propriamente dita, a Dias de Sousa valoriza o capital humano, papel evidenciado pelo Instituto Graça Dias, fundado como projeto Descobrindo Saberes, que integra a plataforma sustentável da empresa e leva educação aos filhos dos colaboradores, com lições de cidadania e expressão sociocultural como leitura, dança, esporte e teatro.

 

 

MRV investe R$ 100 mi em urbanização e transforma realidade das regiões onde atua

 

A MRV Engenharia encerrou o primeiro semestre deste ano com investimentos expressivos nas diversas cidades que recebem os empreendimentos da companhia. O total aplicado em obras de urbanização e infraestrutura alcançou a ordem de R$ 100 milhões. Com este valor, a construtora atingiu o marco de meio bilhão de capital empregado nas mais de 150 cidades onde atua somente nos últimos três anos. Em Fortaleza, a empresa já realizou diversas obras de revitalização, a mais recente no bairro Mondubim, reformando uma praça e urbanizando o seu entorno. Somente nesta obra, próxima a dois empreendimentos da MRV (Fluence Parque e Parque Fiori) foram investidos mais de R$ 35 mil.

“A iniciativa mudou o cenário na região com novas guias; construção da calçada; aplicação de bancos e mesas, para incentivar a ocupação da praça pela população; e revitalização do paisagismo existente”, destaca Leonardo Pacheco, gestor executivo de obras.
Juntamente com a construção dos empreendimentos, a MRV investe em obras que oferecem qualidade de vida não só aos seus clientes, mas para todos os moradores das regiões onde está presente com o intuito de transformar essas localidades em ilhas de excelência quando o assunto é qualidade de vida para a população. O capital investido foi destinado para melhorar as cidades, bairros e comunidades que receberam pavimentação de vias urbanas, estações de tratamento de esgoto, construção de escolas e ciclovias, reforma e construção de praças, revitalização de áreas de lazer, unidades básicas de saúde, entre outras melhorias de acordo com a demanda de cada município e mediante acordo com poder executivo local.

Somente nos primeiros seis meses de 2018, R$ 27 milhões foram destinados para reformas e construções de infraestruturas viárias e mais R$ 42 milhões para obras de saneamento, drenagem, abastecimento de água e instalação de redes elétricas. Tornar as cidades mais verdes e sustentáveis é uma premissa dos negócios da MRV, que aplicou R$ 11 milhões para implantação e reparo de praças, parques e paisagismo. Na educação, R$ 10 milhões foram empregados na reforma e ampliação de escolas e creches. Este valor é independente ao investimento já realizado no setor pelo Instituto MRV, instituição sem fins lucrativos criada em 2014, que possibilitou o crescimento de importantes projetos apoiados pela companhia e a abertura de novas oportunidades para crianças e jovens de todo o Brasil.

Para o Diretor Executivo de Produção da MRV Engenharia, Homero Paiva, ao investir em urbanização a empresa busca atender algumas necessidades das cidades para respeitar suas particularidades e para avançar de forma sustentável. “Quando realizamos tratativas sobre investimentos para melhorias nos municípios, buscamos, junto ao poder público, descobrir quais são as carências locais e quais as principais reinvindicações da comunidade. Um dos pilares para o avanço do nosso negócio é a sustentabilidade e entendemos que a busca por soluções dos problemas urbanos deve ocorrer através do diálogo com os agentes sociais”, explicou.

 

Sobre a MRV Engenharia

Fundada em outubro de 1979, a MRV Engenharia é líder nacional no mercado de imóveis econômicos e a primeira construtora da América Latina a oferecer energia fotovoltaica para seu segmento de atuação. Presente em mais de 150 cidades de 22 Estados e no Distrito Federal, em seus 38 anos de atividade já vendeu mais de 300 mil unidades.

Livro “Desenvolvendo Organizações” será lançado dia 26 na FIEC e mostra o papel de uma visão transpessoal para a melhoria do desempenho e a motivação humana

 

 

 

Seja nas mega corporações, nas grandes empresas familiares, nas microempresas ou mesmo nas modernas start-ups, as pessoas buscam cada vez mais motivação para cumprir suas jornadas de trabalho e se sentirem participantes e engajadas. No livro “Desenvolvendo Organizações: Uma Abordagem Transpessoal”, os autores Marcos Mendes e Yunare Marinho mostram como as organizações empresariais são vistas cada vez mais como seres coletivos. E como as que inserem uma visão transpessoal e valorizam a espiritualidade podem ser consideradas mais produtivas e eficazes. Com o apoio institucional da FIEC, o lançamento do livro será realizado no próximo dia 26 de junho (terça-feira), às 18h30, no auditório José Flávio Costa Lima, na sede da Federação, com um talk-show reunindo os autores.

Ao longo de dez capítulos, a obra “Desenvolvendo Organizações” questiona os motivos de tantas pessoas, dentro das organizações, se sentirem desanimadas e temerosas ao futuro, abordando ainda as diversas mudanças pelas quais as organizações passaram ao longo do século XX e como manter a motivação tem sido um dos grandes desafios das instituições no tecnológico século XXI.

No primeiro capítulo, as diversas teorias sobre a motivação humana são apresentadas e comparadas entre si. No capítulo dois, o conceito de psicologia transpessoal é trazido para o ambiente organizacional, com destaque para a vivência das quatro funções psíquicas do homem (REIS – Razão, Emoção, Intuição e Sensação) e o papel delas na ampliação da consciência. Na sequência, os aspectos transpessoais na motivação do trabalho são identificados e a cultura de melhoria contínua passa a ser destacada, especialmente por meio da metodologia japonesa chamada de Manutenção Produtiva Total (TPM).

No capítulo cinco, os planos de sucessão e de carreira em uma organização são descritos pelos autores, fazendo uma interligação do tema com a manutenção da felicidade e da harmonia no ambiente organizacional. A partir do capitulo seis até o oito, Yunare Marinho e Marcos Mendes trazem à luz a realidade das organizações transpessoais no mundo atual. E destacam como a visão espiritual do ser humano e os aspectos holísticos incorporados às empresas podem ser uma maneira possível de se manter as pessoas engajadas, felizes e conscientes de seu papel no mercado de trabalho e naquelas organizações onde atuam. Um quadro ao final do capítulo oito sintetiza a mudança de paradigma das empresas convencionais para as empresas espiritualizadas.

Os dois últimos capítulos do livro apresentam as diversas fases do desenvolvimento das organizações, sendo estas cada vez mais vistas como seres vivos. Neste sentido, valorizar a espiritualidade nas organizações empresariais ou sociais faz com que se aproxime o lado humano do dia-a-dia das empresas, possibilitando a transformação de padrões, sentimentos e comportamentos das pessoas no ambiente de trabalho.

 

Sobre os Autores

Marcos Mendes – Natural de Campinas (SP), Graduado em Ciências Contábeis e Administração de Empresas (Universidade Católica de Campinas), com Pós-Graduação em Psicologia Transpessoal. Atua como consultor organizacional em empresas de todo o país.

Yunare Marinho – Cidadão Luso-Brasileiro, nascido em Campina Grande (PB). Graduado em Engenharia Mecânica (Unifor), com Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e Psicologia Transpessoal. Mantém desde 1998 trabalhos na área de qualidade em empresas do Brasil, Portugal, Espanha, França e Holanda. É Gerente de Processos Industriais no Grupo M. Dias Branco.

 

Serviço:

Lançamento do livro “Desenvolvendo Organizações: Uma Abordagem Transpessoal”

Autores: Marcos Mendes da Rocha e Yunare Marinho Targino

Data: 26 de junho de 2018 (terça-feira)

Horário: 18h30

Local: Auditório José Flavio Costa Lima – FIEC (Av. Barão de Studart, 1980 – Aldeota)

Livro à venda no local – R$ 40,00

Emi de Morais traz espionagem e muito romance em seu novo livro ‘A Decodificadora’

 

A escritora sumareense Emi de Morais lançará nacionalmente no próximo dia 12 (dia dos namorados) o romance “A Decodificadora”, pela Editora Charme. O romance traz como enredo a história de Murilo Marconi, um agente que se apaixona pela peça chave de sua missão, Babi Savi. Com muito romantismo e ação, a versão em e-book chegou a 26º posição dos e-books mais vendidos pela Amazon.

O enredo começa com o agente Marconi desembarcando em Boston para atender a convocação do mais importante comandante da segurança nacional americana. Entretanto, o que, inicialmente, parecia ser uma excelente oportunidade de trabalho acabou se transformando em uma operação perigosa, quando ele se vê dominado por sentimentos inesperados em relação à decodificadora do cartel: a pequena e deslumbrante Babi Savi, que era a chave do sucesso da missão, mas que não se mostrou propensa a colaborar.

Atraídos um pelo outro, Marconi e Babi enfrentam a batalha do coração e também a realidade de estarem trabalhando para lados opostos da lei.

Paixão, razão e adrenalina fazem de A Decodificadora um romance envolvente e sensual. O primeiro livro de uma série policial que vai te arrebatar da primeira até a última página. Uma história repleta de adrenalina, fortes emoções e tons de comédia. O mocinho é bruto, possessivo e nem um pouco dócil. Com esse jeito nada delicado foi que Babi caiu na teia feita por esse agente secreto.

 

Sobre a escritora

“Apaixonei-me pelos livros ainda muito pequena, encantada pelas histórias contadas pela minha mãe, que criava personagens e mundos fantásticos para incentivar eu e minhas irmãs a ler os livros exigidos na escola e, assim, adquirir o hábito da leitura”, contou a escritora sumareense.

“Mais tarde, formei-me em Letras, para que pudesse estudar Literatura mais a fundo. Me senti incentivada a escrever depois de ler um livro cujo final me indignou e, de tanta raiva, quis fazer minha própria história para dar o final que eu quisesse. Dessa pequena revolta, nasceu o primeiro livro da série dos Agentes do BSS – A Decodificadora. E, o que começou como uma brincadeira terapêutica, acabou virando um projeto sério e uma meta para minha vida.

A busca por ‘finais felizes’ teria motivado a escritora a começar a escrever. “Sempre quis ter minhas histórias para que eu pudesse criar meus próprios “Finais Felizes” pra todas elas. Me atrevi escrever romances policiais porque gosto de romance e ação na mesma trama e sentia uma grande carência no mercado nacional de autores para este gênero. Os enredos simplesmente apareceram na minha cabeça e eu vou colocando no papel e construindo as narrativas até que estejam prontas”, afirmou.

Sobre a protagonista, Emi conta que se identifica com ela em vários quesitos. “Neste primeiro livro a força de vontade de vencer os obstáculos. A Babi é uma mocinha forte, decidida e com muita força de vontade. Nisso somos parecidas”, conclui.

No dia 12 de junho, o livro começará a ser distribuído nas livrarias de todo o país.

O livro ‘O Magnífico Curupira”, obra de ficção/fantasia da autora está disponível gratuitamente na plataforma Wattpad e chegou em primeiro lugar entre os mais lidos da ferramente na categoria fantasia.

 

SERVIÇO

A Decodificadora (Série: Os Agentes da BSS) – Livro 1 – Emi de Morais

Editora Charme

https://loja.editoracharme.com.br/a-decodificadora

L’acqua di Fátima Condominium é o segundo empreendimento a ser entregue esse ano pela Construtora Magis

 

 

A Construtora Magis entrega, nesta quarta (04), mais um empreendimento. É o L’acqua di Fátima Condominium, localizado em uma das regiões mais valorizadas de Fortaleza, o Bairro de Fátima. O evento é voltado para clientes e convidados. Esse é o segundo empreendimento a ser finalizado pela construtora esse ano, e é seguido da entrega do Lafitte Condomínio Parque, no Guararapes, ocorrida no último mês de março.

O L’acqua di Fátima possui área total de 2.016,02 m² e 64 unidades com apartamentos de 111,34 m².

O empreendimento faz parte da campanha “Tá Pronto Magis”, que une todos os empreendimentos já finalizados ou em fase de finalização assinados pela construtora em diferentes bairros de Fortaleza, como Parangaba, Fátima, Guararapes e Cocó, além do Wai Wai, no Cumbuco.

 

Sobre a Magis

Fundada em 2007, a Construtora Magis é uma empresa atuante na construção civil cujos diferenciais vão da localização privilegiada ao acabamento, passando por plantas adaptáveis, facilidades de negociação e amplas estruturas de lazer. Todos esses pontos reafirmam a força da construtora no mercado local.

MEMBRO DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS LANÇA LIVO EM FORTALEZA

 

 

O  escritor e diplomata João  Almino, imortal da Academia Brasileira de Letras, lança neste sábado, 18, às 19h, na Livraria Leitura, do Shopping RioMar Fortaleza, seu mais recente livro, “Entre Facas, Algodão”. 

ENTRE FACAS, ALGODÃO

Quase trinta anos depois de seu primeiro romance e após seis romances ambientados em Brasília, João Almino escreve, em texto que prima pela linguagem, uma história que se passa principalmente no seu Nordeste natal. Um advogado em fim de carreira, habitante de uma das cidades do entorno de Brasília, abandona sua mulher e vai ao encontro dos fantasmas e fantasias de sua infância pobre ao comprar parcela da fazenda que pertenceu a seu padrinho, no interior potiguar e próxima à cidadezinha de Várzea Pacífica, onde também viveu. Segue em busca de um antigo amor, da vingança pelo assassinato de seu pai e de êxito no trabalho agrícola.

Um painel de dramas familiares, educação sentimental, ciúmes, ganância e disputas políticas vai se desenhando na sua memória, às vezes falha, ao longo da viagem de regresso a sua terra. Após a chegada, em meio ao contraste entre o velho e o novo, se depara pouco a pouco com surpresas que mudam não apenas seu futuro, mas também seu passado, levando-o a confrontos judiciais. Quem ele é realmente? De quem é filho? Quem foi o verdadeiro responsável pelo assassinato que ele veio vingar? A volta a Brasília se faz em situações dramáticas que lhe trazem nova perspectiva do que foi e será sua vida.

 

Sobre o autor

João Almino nasceu em Mossoró (RN). Diplomata e um dos nomes mais importantes da literatura nacional,  tem sido aclamado pela crítica por seus romances Ideias para onde passar o fim do mundo (indicado ao Jabuti e ganhador de prêmio do Instituto Nacional do Livro), Samba-enredo, As cinco estações do amor (Prêmio Casa de las Américas 2003), O livro das emoções (indicado ao 7o Prêmio Portugal Telecom 2009), Cidade livre (Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon 2011; finalista do Jabuti e do Portugal Telecom) e Enigmas da primavera (finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2016; prêmio Jabuti, 2.o colocado, pela edição em inglês).

Entre facas, algodão é seu mais recente romance (2017). Alguns desses romances foram publicados na Argentina, Espanha,  EUA, França, Itália, México e em outros países. Seus escritos de história e filosofia política são referência para os estudiosos do autoritarismo e da democracia. Também autor de ensaios literários, doutorou-se em Paris, orientado pelo filósofo Claude Lefort. Ensinou na UNAM (México), UnB, Instituto Rio Branco, Berkeley, Stanford e Universidade de Chicago. Em 2017 foi eleito para a Academia Brasileira de Letras.

 

INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O AUTOR:

http://vbmlitag.com.br/index.php/project/joao-almino/

 

http://vbmlitag.com.br/index.php/project/joao-almino/

 

 

Serviço

Lançamento do livro – “Entre Facas, Algodão”, de João Almino

Livraria Leitura – Shopping RioMar Fortaleza
Dia 18 de novembro, às 19h

Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500 – Papicu

Acesso gratuito

— 

Mãe Rainha Urbanismo entrega mais um empreendimento em Sobral

 

 

A Mãe Rainha Urbanismo, referência no mercado imobiliário de Sobral, entrega mais um empreendimento na região, o loteamento Moradas do Planalto II. A obra é fruto do sucesso de vendas do Moradas do Planalto I e está pronta para construir.

O empreendimento apresenta área total de 225.309,61m² e 564 lotes, contando com estrutura completa de iluminação pública, sistemas de água e esgoto, drenagem de águas pluviais, avenida asfaltada e ruas pavimentadas. Além disso, o empreendimento também oferece áreas verde e de lazer, praça com equipamentos para exercícios físicos e esportivos, playground para  a diversão das crianças e área para passeio de animais.

EDITORA SENAC CEARÁ LANÇA “ALFAIATARIAS: RADIOGRAFIA DE UM OFÍCIO INCOMPARÁVEL”

 

A Editora Senac Ceará lançou, durante o maior evento de moda autoral no país – o DFB Festival 2017, o livro Alfaiatarias: Radiografia de um ofício incomparável, da autoria de Eduardo Motta. A obra é um registro desse ofício, desde o século XIX, e traz também entrevistas concedidas por profissionais que atuam hoje em áreas distintas da alfaiataria no Brasil e no exterior.

O autor, que é consultor do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Ceará (Senac/CE), destaca que várias camadas se superpõem neste livro. A primeira registra a alfaiataria do século XIX, abordada como alfaiataria vitoriana. A segunda trata da alfaiataria modernista, livremente tomada como aquela praticada do começo do século XX até 1980. Era gloriosa para os alfaiates e também aquela que, ao final, os colocou em ameaça de extinção.

A terceira volta as lentes para os exercícios de desconstrução da alfaiataria. A partir das últimas décadas do século XX, revelar o avesso e a montagem, distorcer a silhueta e a função ou embaralhar os elementos de gênero são procedimentos que se tornariam frequentes entre alguns criadores. Eles inauguraram uma fase iconoclasta de experimentação que deu origem à alfaiataria que aqui foi chamada de contemporânea.

A quarta camada é de entrevistas concedidas por profissionais que atuam em áreas distintas da alfaiataria no Brasil e no exterior. Comparecem o alfaiate clássico, praticante e defensor da alfaiataria artesanal, o empresário alfaiate, o designer que usa técnicas tradicionais e o que utiliza a versão industrial. Também estão presentes mulheres que se dedicam ao ofício e a professora que ensina como fazer. Para que este material alcançasse sua melhor forma, faltava ainda apresentar a todo tipo de interessado, e particularmente ao aluno de moda, parte da prática envolvida na alfaiataria.

Nessa quinta e última camada, a opção foi por apresentar o processo de montagem de um casaco, e não sua modelagem, observando como as regras da alfaiataria aportam ainda hoje de forma tão imprescindível na execução de uma peça de roupa.

“Por meio dos resgates de documentação histórica, de histórias de vida vivida e de depoimentos em entrevistas, o texto de Eduardo associa requinte e prazer em redescobrir um novo tempo do fazer, de experimentar técnicas de construção e articulação de corpos que se vestem e revestem frente à contemporaneidade”, afirma a Presidente da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (Abepem) e representante do Setorial de Moda no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC), Kathia Castilho.

Já para a diretora regional do Senac Ceará, Ana Cláudia Martins, “como instituição responsável pela promoção da educação profissional dentro do Sistema Fecomércio, a nossa editora vem a somar na disseminação do saber, com mais esse projeto de Eduardo Motta, voltado para estudantes, profissionais e interessados no rico e criativo universo da moda”.

 

Sobre o autor

Eduardo Motta estudou Artes Visuais na Universidade Federal de Belas Artes de Minas Gerais. É consultor e editor de moda, diretor criativo e de conteúdos da Radar – Inteligência e Projetos de Moda. Autor dos livros: História do calçado no Brasil: um olhar histórico, RS, 2004, O lugar maldito da aparência, Editora Estação das Letras, SP, 2013, Meu coração coroado: Mestre Espedito Seleiro, Editora Senac Ceará, CE, 2016.

 

Sobre a Editora Senac Ceará

Para melhor cumprir sua missão de educar para o trabalho e proporcionar excelência no aprendizado, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Ceará – Senac/CE, fundou, no ano 2006, a Editora Senac Ceará. Publicando obras de referência, que contribuem para a difusão do conhecimento e o aprimoramento de competências de pessoas e organizações em todas as suas áreas de atuação, a Editora Senac Ceará tem um forte compromisso com a cultura e a educação profissional.

Por meio de sua editora, o Senac Ceará oferece publicações dirigidas às mais diversas áreas do conhecimento – administração e negócios, beleza e estética, comunicação e artes, design, turismo e hotelaria, gastronomia e enologia, informática, meio ambiente, moda, saúde, entre outros. Comportamento, política, esporte e cultura, em suas várias manifestações, também fazem parte do acervo produzido pela Editora Senac, contemplando temas relevantes que vão além da sala de aula. São estudos, teorias, livros didáticos, produções acadêmicas, pesquisas e uma variedade enorme de trabalhos dirigidos a um público exigente, e interessado em aprimorar seus conhecimentos.

A editora tem como objetivo principal a publicação de títulos e obras que permitam o repasse de informação, com foco na melhoria contínua do setor do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Seus projetos visam ainda grande alcance social, educativo e cultural, funcionando como mais uma ferramenta que ajuda o Senac a cumprir sua missão de desenvolvimento profissional.

Entre os diversos títulos publicados pela Editora Senac Ceará se encontram os livros “Alfaiatarias: radiografia de um ofício incomparável”, “Novas tecnologias aplicadas a moda”, “Em busca dos sabores perdidos”, “A espetacular arte de desenhar quadrinhos”, “Receitas para Lara”, o catálogo “A hora do Brasil”, a coletânea “Padre Cícero Romão Baptista e os Fatos de Joaseiro”.

* O Senac/CE é uma entidade mantida pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo

Programa Literatura em Revista apresenta “O guarda-roupa de Frida Kahlo” com jornalista Izabel Gurgel

 

 

Na terça-feira (9),  às 17h30, a jornalista Izabel Gurgel vai falar, no Programa Literatura em Revista, usando a condição de leitora,  sobre “O guarda-roupa de Frida Kahlo: acervo, arquivo, edição” a partir do livro “El ropero de Frida”, publicado em 2007 na Cidade do México.

O bate papo vai acontecer no Centro Cultural Banco do Nordeste CCBNB Fortaleza (Rua Conde D´Eu, 560, Centro – mesmo local do antigo Mercado Central) e vai contar com a mediação de Talles Azignon .

Na condição de leitora, a jornalista Izabel Gurgel vai falar sobre “O guarda-roupa de Frida Kahlo: acervo, arquivo, edição” a partir do livro “El ropero de Frida”, publicado em 2007 na Cidade do México.  A fala vai percorrer um livro, um arquivo, uma coleção. E algumas das edições possíveis do acervo adquirido, criado, usado e legado pela pintora mexicana Frida Kahlo (1907 – 1954).

O livro tem coordenação editorial de Denise e Magdalena Rosenzweig, da Zweig Editoras. A primeira edição foi publicada há dez anos, por iniciativa dos museus Dolores Olmedo e Frida Kahlo, Conarte – Conselho para a Cultura e para as Artes de Nuevo León e Zweig Editoras.

Ainda sem edição no Brasil, “El ropero de Frida” só se tornou possível depois da abertura do mítico banheiro da Casa Azul, a casa de Coyoacán onde a pintora viveu grande parte de sua vida. O banheiro permaneceu fechado durante quase 50 anos abrigando um mundo de peças de vestuário, fotografias e objetos dos mundos de Frida Kahlo.

Na casa de Coyoacán Frida viveu grande parte de sua vida e morreu ao amanhecer do dia 13 de julho de 1954. Quando da morte da artista, o pintor Diego Rivera (1886 – 1957), com quem Frida casou duas vezes, Rivera separou, então, alguns objetos para transformar a casa no Museu Frida Kahlo. Todo o resto, guardou em um dos banheiros da casa, recomendando que só fosse aberto 15 anos depois da morte dele.

Rivera morre em 1957. A Casa Azul abriu em formato de Museu Frida Kahlo em 1958. O banheiro ficou fechado até abril de 2004. Uma vez aberto, origina publicações. Uma seleção das mais de 6 mil fotos encontradas, por exemplo, gerou o livro “Frida Kahlo – Suas fotos”. Das cerca de 200 peças de roupa, foi elaborado o livro “El ropero de Frida”, tema do encontro no CCBNB.

 

Mundos México

“Como uma constelação de bordados sobre um mapa, as peças dão relevo ao saber estético, têxtil, de um México mais vasto do que suas fronteiras físicas”, diz Izabel, citando textos do livro. “Para além de um comentário sobre atitude, moda ou performance, as roupas, os modos de vestir da artista, constituem uma singular elaboração de uma persona artística. Corpo cotidiano, corpo em festa, corpo em ato político, Frida aprimora sua ornamentação pessoal, zela por ela, como alguns povos da América cultivaram uma arte plumária em uma larga experiência de tempo, que abrange desde muitos séculos antes da chegada dos europeus”, diz Izabel em diálogo com outros livros e publicações sobre Frida Kahlo.

A partir das peças e objetos guardados (protegidos, alterados ou danificados pelo pó do tempo), o trabalho de profissionais de campos diversos – restauração, fotografia, antropologia, museologia  etc. -, vai transformar um acervo pessoal em arquivo passível de uso comum, acessível, acessável. Catalogadas, as peças passam a fazer parte do acervo do Museu Frida Kahlo.

Através da própria obra da pintora – uma grande parte dela formada por autorretratos -, através de fotografias e descrições textuais, podemos perceber a edição contínua que Frida fazia do que lhe caía nas mãos. “Isso vale para o guarda-roupa que construiu para si. Isso vale para as pinturas votivas (ex-votos) que colecionou e cuja ideia básica de composição reelaborou em suas pinturas”, diz Izabel.

“Leituras sobre Frida Kahlo geram novas edições. A edição é ofício de todx leitxr, sabemos”, comenta Izabel. “Desde estudos ampliados de sua vida-obra à apropriação e usos, de uma vida-obra que não cessa de vibrar no lastro de memórias (re)inventadas, em suportes/meios/linguagens os mais diversos, como o grafite e a dança, por exemplo. Memória aqui como um tráfego – tráfico incessante entre lembrar e esquecer, uma rede de edição de acessos possíveis”.

Em Fortaleza, para apreciação da vida – obra de Frida Kahlo a partir de livros, incluindo um exemplar do livro “El ropero de Frida”, Izabel recomenda o acervo do Plebeu Gabinete de Leitura, na sede da Associação Cearense de Imprensa (rua Floriano Peixoto, 735, quinto andar, Centro, quase esquina com Liberato Barroso). “Para passear pelos mundos Frida Kahlo, o Plebeu Gabinete de Leitura tem os melhores destinos, pontos de passagem, deliciosas paradas”, diz. São livros, catálogos, revistas etc.

“O Plebeu e o acervo Frida como uma estação de embarque – de partidas e chegadas -, com variadíssimas possibilidades de conexão”, explica. “O acervo sobre Frida Kahlo no Plebeu, como no mundo, vai se conectando com livros e outras publicações sobre história social e política da América Latina, movimentos libertários, enfim, uma rede de leituras em ação.”

“Bacana também em Fortaleza é pensar que o lugar do CCBNB hoje abrigou o Mercado Central da cidade”, segue Izabel. “Sabemos que o que chamamos artes, tradições, saberes populares são não só uma grande parte do nosso patrimônio público mas fonte que não cessa de brotar. Artistas, artesãos, brincantes são zeladorxs da beleza do mundo. Frida Kahlo não só bebia como cuidava dessa fonte, quase sempre anônima, tantas vezes invisível”.  Em agosto de 2016, Izabel Gurgel ministrou também no CCBNB o curso “O sumo da flor – a vida calada doadora de mundos: livros e leituras sobre Frida Kahlo”.

O livro “El ropero de Frida” é um dos quatro livros básicos a partir dos quais se realiza o curso. Os outros são o já citado “Frida Kahlo – Suas fotos”, a edição fac-similar do diário íntimo da artista, publicado no Brasil, e “Las fiestas de Frida Y Diego”, de Guadalupe Rivera Marín e Marie-Pierre Colle Corcuera, ainda sem edição no Brasil.  Quem chegar mais cedo ao CCBNB dia 9 vai encontrar uma mesa com publicações sobre a pintora mexicana. “Sempre levo livros para sessão degustação”, diz Izabel.

 

 

Ficha técnica do livro

El ropero de Frida

Primeira edição: 5.000 exemplares (194 pág., cor, 31cm x  24cm)

 

Zweig Editoras, 2007, Metepec, Estado do México

Coordenação editorial: Denise Rosenzweig, Magdalena Rosenzweig

 

Fotografia: Pablo Aguinaco, Graciela Iturbide

Desenho: Mónica Zacarías Najjar

 

Cuidado da edição: Alberto Alazraki Pfeffer

Direção de arte: Natalia Lavalle Minvielle

Marianne Basurto Rosenzweig

 

Retoque fotográfico: Juan Haquet Galdiño

Restauração: Marichu Blanco Pfiter, Gabriela Fuentes Orozco, Claudia del Río Olache, Rosa Lorena Román Torres, Denise Rosenzweig, Magdalena Rosenzweig

 

Textos* (*títulos em livre tradução de Izabel Gurgel): Carlos Philips Olmedo (apresentação), Denise e Magdalena Rosenzweig (Os achados no banheiro de Frida Kahlo; A seleção e os primeiros trabalhos), Teresa del Conde (Os looks de Frida Kahlo), Os enxovais de Frida Kahlo: ecletismo e etnicidade (Marta Turok).

 

Com fotos de Manoel Álvarez Bravo, Lola Álvares Bravo, Florence Arquin, Imogen Cunningham, Giséle Freund, Claudia Garza, Juan Guzmán, Liebman Hermann, Guillermo Kahlo, Antonio Kahlo, Berenice Kolko, Leo Matiz, Agustín Maya, Tina Modotti, Nickolas Muray, Leonel Reiss, Alejandro Vallejo G., Edward Weston e fotos sem autor oriundas de Coleção Cristóbal Arias, Archivo Cenidiap, Banco de México, 51 Inferior/Coleção Gustavo de Rosenzweig T., Coleção Francisco Ysita del Hoyo.

 

Edifício BS Design inicia construção da ponte de ligação entre as duas torres

O edifício BS Design Corporate Towers, em construção pela BSPAR Incorporações desde 2015, está iniciando mais uma etapa das obras: a estrutura metálica de interligação entre as torres Norte e Sul, um dos principais diferenciais do projeto arquitetônico do prédio. O BS Design é o primeiro empreendimento de Fortaleza com conceito A+, que reúne o mais alto nível de tecnologia, segurança e conforto.

O edifício é uma idealização do empresário Beto Studart e conta com o traço arquitetônico inovador de Daniel Arruda. Nesta fase, a construção do BS Design está gerando 450 empregos diretos e mais de 1300 indiretos, com um investimento até o momento de cerca de R$ 97 milhões. Até a entrega do empreendimento, em 2019, serão gerados, ao todo, 600 empregos diretos e outros 1800 indiretos.

Com cerca de 35% de obras concluídas e 80% comercializado, já foram finalizadas as etapas de escavações, fundações e construção das lajes do subsolo. As duas torres estão em fase avançada de construção, com cinco pavimentos de subsolo, um Mall, onze pavimentos privativos na Torre Sul e oito pavimentos na Torre Norte concluídos.

Agora chegou a vez de dar início a ponte que fará a ligação das torres. Para se ter ideia do tamanho da obra, já foram utilizadas 50 mil toneladas de concreto, quantidade equivalente ao preenchimento de oito piscinas olímpicas. Além disso, para a estrutura metálica, já foram usados 300 de 1350 toneladas de aço previstas.  Na estrutura de concreto, foram utilizadas 1900 toneladas de aço (vergalhão). Já foram retiradas 13 mil carradas de escavação, material que foi reutilizado na construção da CE-010, em Sabiaguaba.

 

Aspectos ambientais

A sustentabilidade é um dos pilares da BSPAR e não poderia ser diferente no BS Design. A preocupação com o meio ambiente existe desde os primeiros rascunhos do projeto, tanto que, hoje, o empreendimento é pré-certificado com o selo Leed (Leadership in Energy and Environmental Design Liderança em Energia e Projeto Ambiental), que orienta e atesta o comprometimento de uma edificação com os princípios da sustentabilidade para a construção civil e é concedido pela Organização Não Governamental (GNG.) americana U.S. Green Building Council (USGBC).

Na etapa de construção, algumas ações já estão sendo executadas: há lava-rodas para evitar que os caminhões transfiram resíduos da obra para as vias públicas, também um lava-bicas, para evitar que os caminhões betoneiras sujem as vias com restos de concreto, além de umidificação das vias de circulação dentro do canteiro a fim de conter a poeira, proteção dos taludes. O BS Design também faz grande aproveitamento da iluminação e ventilação naturais, assim como o reaproveitamento da água produzida pelos aparelhos de ar-condicionado na irrigação das áreas verdes.

Já o projeto contempla iniciativas como o uso de vidros reflexivos de alta performance nas fachadas para maior incidência de luz, isso permitirá eliminação do calor por conta da racionalização do uso de luz e de ar-condicionado. O empreendimento também vai disponibilizar ainda vagas exclusivas para carros elétricos e espaço destinado para a coleta seletiva de resíduos. Outro ponto sustentável é a automação para controle de iluminação de fachadas, iluminação de áreas comuns, pressurização e acionamento das bombas d’água. Os Jardins também serão irrigados automaticamente, com racionalização do uso de água pelo condomínio.

 

Planejamento

O planejamento de execução das obras do BS Design foi pensado com mais de 20 meses de antecedência, visto que o local da obra tem trânsito intenso e está próximo a um hospital. Por essa razão, todas as etapas envolveram diversos especialistas em movimentação e transporte de terra, planejamento de obra de grande porte, além da utilização de recursos como o BIM (Buiding Information Model), processo que viabiliza a tomada de decisões nas etapas iniciais do projeto, avaliando as melhores alternativas, bem como o uso de maquetes eletrônicas.

 

Impactos

Uma das prioridades do BS Design é mitigar os impactos no entorno do empreendimento. Com relação à mobilidade urbana, todo o trânsito de caminhões é feito durante o período da noite, entre 20:00h e 5:00h. Outro cuidado é com relação ao barulho. O transporte de terra foi feito apenas por veículos credenciados pela Emlurb (vistoriados pelo Inmetro), que retiram todos os sinais sonoros, minimizando o barulho. Ainda nesse sentido, outra ação é a realização periódica de medições de ruídos sonoros, garantindo que o trabalho seja feito com ruídos dentro dos índices de tolerância permitidos.

No tocante ao bloqueio temporário de trechos de ruas no entorno da obra, sempre que é preciso fazê-lo, os moradores são avisados com antecedência e todos os detalhes são divulgados nas redes sociais da BSPAR. Todos os bloqueios são feitos em comum acordo com os órgãos públicos responsáveis.

 

Método Construtivo

O BS Design terá duas torres e 21 pavimentos, onde serão distribuídas 708 salas comerciais e 18 lajes corporativas, com áreas que variam de 22m² a 326m². Para tanto, o empreendimento foi planejado utilizando o Building Information Model (BIM), metodologia inovadora que simula todo o processo de construção, possibilitando a compatibilização de todos os projetos. Durante a fase de escavações, a obra utilizou escavadeiras hidráulicas de 36 e 50 toneladas. Para se ter ideia, o modelo comumente utilizado para obras do porte do BS Design é a de 20 toneladas, ou seja, o trabalho de escavações foi feito em um período muito mais curto.

O sistema de contenções periféricas é um dos mais modernos do Brasil, foi utilizado nos principais prédios comerciais do país (Torre Matarazzo, São Paulo Corporate Towers, Pátio Malzoni, Birmann 32, Parque da cidade – Office, todos em São Paulo). A alta performance estrutural e arquitetônica permite deixar consolidado o desenho dos subsolos,  que consiste em painéis de concreto com 3,20 m de comprimento, 50 cm de espessura e 20 m de profundidade. Elas serão executadas com auxilio de três guindastes de 80 toneladas.

 

Diferenciais do empreendimento

O BS Design é um empreendimento único. As áreas comuns do empreendimento contarão com automatização de iluminação e lâmpadas e luminárias de baixo consumo e alto rendimento tipo LED e fluorescente T5, garantindo maior eficiência energética. Já os elevadores são de altíssima performance, com sistema de antecipação de chamada e de geração de energia regenerativa, reduzindo o consumo de energia próprio. Serão 25 elevadores no total, sendo 18 sociais e climatizados, com velocidade de 180 metros por minuto.

O empreendimento contará ainda com sistema de extração de fumaça em todos os pavimentos. Dois Porte cochères com acesso para dois veículos em paralelo facilitarão o embarque e desembarque, buscando evitar congestionamento das vias do entorno. Serão disponibilizadas 1527 vagas de tamanho diferenciado nos cinco subsolos de estacionamento e um heliponto com sala Vip ambientada. Haverá também um skylounge – área privativa na cobertura para descanso e uso dos salistas.

Com a fachada inspirada em uma vela de jangada, halls sociais ambientados com móveis assinados por grandes designers, espelhos d’água e sky walk, o empreendimento promete revolucionar o mercado imobiliário, também por sua inovação em design arquitetônico. Tudo que envolve o projeto do BS Design está sendo executado com o que há de melhor já aplicado em empreendimentos imobiliários no Brasil. Ele será, sem dúvidas, referência mundial, envolvendo qualidade, segurança, conforto, tecnologia de ponta e sustentabilidade.