Browsing Tag

Maloca Dragão 2018

Maloca Dragão: até domingo a arte urbana toma conta do festival

 

A cultura de rua marca presença na Maloca Dragão 2018 com uma extensa programação realizada de 24 a 29 de abril, na rua Dragão do Mar e entorno do Dragão do Mar. A cultura de rua será celebrada com treinos livres e campeonatos de skate, workshops, danças urbanas (street dance) e batalha de rima, e com a presença de artistas de renome local, nacional e internacional, explorando a arte do graffiti, do picho, do lambe, do stencil, da performance da instalação e do videomapping.

Muros, o entorno, a entrada e a arena do Centro Dragão Mar de Arte e Cultura ganharão intervenções artísticas de quarta (27/4) a domingo (29/4), com a programação da arte urbana. Com uma programação intensa, reunindo sete convidados, com destaque para a atração internacional Felipe Figueroa, do Chile.

A curadoria da programação de Arte Urbana do Maloca Dragão 2018 foi feita pela artista visual Maíra Ortins, que comentou sobre o processo de escolha dos participantes. “Na categoria Arte Urbana, o festival recebeu 33 inscrições. Foram selecionados nove projetos que vão desde murais, grafites e performances a intervenções. Para além dos selecionados, também contamos com sete artistas convidados. Pelo limite de vagas a serem preenchidas, tive que fazer escolhas dentre todas as propostas recebidas. Os critérios de avaliação foram pertinência quanto ao tema, criatividade e inovação. Foram privilegiadas propostas que não haviam sido ainda realizadas em outras edições do Maloca ou em outro momento na cidade”, destaca a curadora.

 

Maloca Dragão 2018
De 24 e 29 de abril de 2018, o Governo do Estado do Ceará realiza a 5ª edição da Maloca Dragão, o maior festival de artes do Brasil, com programação totalmente gratuita no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e em outros 20 pontos da Praia de Iracema e Centro de Fortaleza. Com o tema “As barricadas abriram caminho: 50 anos de maio de 68”, o festival convida o público a fazer uma reflexão sobre esse momento histórico e os seus desdobramentos nos dias atuais.

Surgida com o objetivo de celebrar o aniversário do Centro Dragão de Arte e Cultura, que comemora 19 anos no dia 28 de abril, a Maloca apresenta ao público centenas de atrações, entre shows, espetáculos cênicos de teatro, dança, circo, arte urbana, cultura popular, além de exposições, feiras de gastronomia, design e moda, lançamentos literários e sessões de cinema, debates e rodadas de negócios entre artistas e players de diferentes países. Durante seis dias, o festival traz mais de 150 apresentações, 90% delas cearenses, e tem a expectativa de receber um público total circulante de 500 mil pessoas. A programação completa pode ser conferida no site: www.malocadragao.org.br.

Entre os destaques desta edição, o lançamento da Maloca Futuro, uma rede de escolas criativas que vai abrir as portas do mundo da economia criativa para mais de 50 mil jovens cearenses, e o programa Conexões Maloca, mercado de negócios da Maloca Dragão que oportuniza um hub cultural do Ceará para o mundo e que, neste ano, além de promover um intercâmbio com renomados curadores e programadores de música, também trará convidados ligados às artes cênicas.

 

Programação – Arte Urbana – Maloca Dragão 2018
Dia 24 de abril | Quarta-feira

15h | Ksim (CE) | Sem título (graffiti) | Muro Dragão do Mar

15h | Felipe Figueroa (Chile) | Pertenencia (graffiti) | Muro Dragão do Mar
16h | Yarzon (CE) | Abaixo (picho) | Muro Dragão do Mar
17h | Wonkla (CE) | Pink Pelé Beijando o Mundo (lambe) | Muro Dragão do Mar
Dia 25 de abril | Quarta-feira

09h | Maíra Ortins (CE) | Sobrevivência dos vaga-lumes, mural e intervenção (graffiti e instalação) | Muro Dragão do Mar
16h | Ise Araujo (CE) | Sem título (graffiti) | Muro Dragão do Mar
17h | Abaporu Produção e Cultura (CE) | Cores da Rua (lambe) | Muros Dragão e muros entorno

Dia 26 de abril | Quinta-feira

15h | Charles Lessa (CE) | Sem título (graffiti) | Muro do Dragão do Mar
16h | Yarzon (CE) | 1968 1968 (performance) | Arena Dragão do Mar
18h | Aparecidos Políticos (CE) | Grande acordo Nacional (lambe) | Muros do Dragão do Mar e muros do entorno
21h | Edivaldo Ferrer (CE) | Batendo boca, batendo beira, pagando brabo (performance) | Rua Draga Dragão

Dia 27 de abril | Sexta-feira

15h | Hirlan Moura (CE) |Sem título (graffiti) | Muro do Dragão
16h | Narcélio Grud (CE) | Le Mur (instalação) | Entorno da quadra da Praça Almirante Saldanha
17h | Yarzon (CE) | Safra (stencil) | Muros Dragão e muros entorno
18h | Artur Bombonato (CE) | Teatro da normalidade (instalação) | Colunas do espelho d´água
Dia 28 de abril | Sábado

17h | Ítalo Campos (CE) | Deriva (performance) | Pavilhão Atlântico
18h | Narcélio Grud (CE) | Etéreo lambe lambe & stickers (lambe) | Muro Dragão
19h | Vitor Grilo (CE) #IssoNãoéPixação ( videomapping) | entorno Dragão do Mar e Praça Verde

Dia 29 de abril | Domingo

17h | Abaporu Produção e Cultura (CE) | Cores da Rua (lambe) | Muros Dragão e muros entorno
21h | Ivna Lundgren (CE) | RGB Trick (videomapping) | Entrada principal do Dragão
20h | Vitor Grilo (CE) #IssoNãoéPixação (videomapping) | entorno Dragão do Mar e Praça Verde

Disco “Cabeça Dinossauro” dos Titãs é revisitado em espetáculo no Cineteatro São Luiz

 

Nesta quarta-feira (25), às 19h30, o Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe o coletivo carioca Complexo Duplo com o espetáculo “Cabeça”, que celebra mais de três décadas de um dos discos mais icônicos do rock nacional, gravado em 1986 pela banda Titãs, o “Cabeça Dinossauro”. A programação que faz parte da Maloca Dragão tem entrada gratuita.

O disco traz um forte posicionamento político de um Brasil recém saído da ditadura e o documentário cênico, a ser exibido em sessão única, cria ponte entre 1986 e os turbulentos dias atuais: oito homens em cena numa formação que alude a uma banda de rock executam todas as canções do álbum Cabeça Dinossauro. As músicas são permeadas por cenas e projeções, que desenham um painel dos acontecimentos emblemáticos nacionais e mundiais dos anos 1980 e dialogam com imagens e referências do Brasil e do mundo nos tempos atuais.

Em cena, as canções são executadas na mesma sequência do vinil, divididas em dois atos: “lado A” e “lado B”. O espetáculo tem direção de Felipe Vidal e atuação de Felipe Antello, Felipe Vidal, Guilherme Miranda, Gui Stutz, Leonardo Corajo, Lucas Gouvêa, Luciano Moreira e Sergio Medeiros.

 

Serviço:
Espetáculo “Cabeça”, do Coletivo Complexo Duplo (RJ)
Quarta-feira (25/04), às 19h30
No Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)
Entrada gratuita

Dragão do Mar abre inscrições para chamada da Maloca Dragão 2018

 

 

O Instituto Dragão do Mar lança chamada para compor parte da programação artística e o quadro de profissionais de produção cultural da Maloca Dragão 2018. Poderão ser inscritos projetos artísticos de Teatro, Circo, Dança, Literatura, Música, Arte Urbana e Culturas Populares. A chamada também receberá inscrições de produtores culturais, técnicos de som e de luz, roadies e cenotécnicos interessados em atuar na equipe de produção do festival. Neste ano, a novidade é a seleção de projetos de Gastronomia para a Maloca de Comer e de um projeto de cenografia e ambientação para a Praça Almirante Saldanha, área de convivência da Maloca. Gratuitas, as inscrições poderão ser realizadas a partir desta segunda-feira (12), no site www.dragaodomar.org.br, e seguem até o dia 26 de março.

Festival que celebra o aniversário do Centro Dragão de Arte e Cultura e a força crescente da produção artística cearense, a Maloca Dragão chega à quinta edição em 2018. Realizado de 24 a 29 de abril, neste ano, o festival terá como tema “As barricadas abriram caminho: os 50 anos de maio de 68”, a partir do qual será feita uma profunda reflexão das revoltas de maio de 1968, no Brasil. Debates, shows, espetáculos e uma mostra de cinema darão conta de analisar o impacto desse momento histórico e o que ele significa para os dias de hoje. Afinal, o ano de 1968 foi marcado por intensa efervescência cultural, com a Tropicália, com os grupos de teatro Oprimido, Oficina e Opinião, o Cinema Novo, os Centros Populares de Cultura (CPCs) e o jornalismo alternativo e crítico d’ O Pasquim e do Jornal Opinião. A Maloca 2018 homenageia ainda o artista cearense Sérvulo Esmeraldo, com exposição no Museu de Arte Contemporânea do Ceará e um percurso especial pelas obras em exposição na cidade.

 

Chamada

Esta é a terceira vez consecutiva em que o festival utiliza uma chamada para compor parte de sua programação artística. No ano passado, cerca de 75% das atrações foram selecionadas através desse processo. A Maloca Dragão 2017 recebeu um total de 703 inscrições entre projetos artísticos e profissionais da área de produção cultural, número 118% maior que o de 2016, ano em que o chamamento foi instituído pelo festival.

É importante salientar, no entanto, que a chamada para a Maloca Dragão não é um edital, mas um meio usado para mapear e formar um banco de projetos artísticos e profissionais de todo o Estado, subsidiando assim o trabalho da curadoria do festival.”O interesse crescente de artistas e demais profissionais da cultura no festival tem não só legitimado a Maloca Dragão enquanto um dos momentos mais importantes para a cultura e a arte do Estado, como também ampliado o mapeamento da crescente produção artística no Ceará, do litoral ao interior”, afirma João Wilson Damasceno, diretor de Ação Cultural do Dragão.

Em 2018, a seleção terá como curadores: Fernando Catatau (música), Fran Teixeira (teatro), Alysson Lemos (circo), Bitu Cassundé (arte urbana), Joubert Arrais (dança), Alênio Carlos (cultura popular), João Luiz Lima (gastronomia) e Ronaldo Correia de Brito (literatura). Os projetos artísticos selecionados vão compor uma parte da programação da Maloca Dragão, que também terá artistas e grupos convidados. Os proponentes dos projetos escolhidos serão contatados previamente pela produção do festival, uma vez que a divulgação do resultado da seleção só se dará com a veiculação da programação completa, no site da Maloca.

Desde o ano passado, a Maloca Dragão tem selecionado sua equipe de produção também por meio de chamada. Poderão inscrever-se produtores culturais, técnicos de som, técnicos de luz, roadies e cenotécnicos que devem submeter currículo, portfólio e breve descritivo de atuação profissional. Os candidatos devem ainda estar disponíveis para atividades formativas relativas ao festival em data ainda a ser divulgada.

 

Novidades

Além de projetos artísticos e de profissionais de produção cultural, a chamada da Maloca 2018 também selecionará um projeto cenográfico e de ambientação para área de convivência e feira de artesanato localizadas na Praça Almirante Saldanha. Poderão inscrever-se arquitetos urbanistas, designers, artistas urbanos ou coletivos de artistas. O proponente selecionado deverá desenvolver e executar o projeto em prazos de montagem e execução indicados pelo Instituto Dragão do Mar. Também é novidade neste ano a seleção de interessados em fazer parte do espaço gastronômico do festival, a Maloca de Comer.
Inscrições

As inscrições na chamada da Maloca Dragão 2018 devem ser feitas exclusivamente no endereço eletrônico www.dragaodomar.org.br. Para efetivar a inscrição e ter acesso ao formulário on-line, o interessado deverá, primeiramente, estar cadastrado no Mapa Cultural do Ceará (http://mapa.cultura.ce.gov.br), plataforma digital que integra uma rede de agentes culturais do nosso Estado.

O Mapa Cultural do Ceará é um banco de dados colaborativo que integra o Sistema de Informações Culturais do Estado do Ceará (Siscult). Esta é uma plataforma livre, gratuita e colaborativa de mapeamento da Secult sobre o cenário cultural cearense. Entre os inúmeros benefícios gerados, a participação no Mapa proporciona ao agente cultural a visibilidade de trabalhos, formação de networking, o acompanhamento da agenda cultural e a consulta a outros projetos culturais.

 

O festival

A Maloca Dragão comemora o aniversário do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura que, no dia 28 de abril de 2018, completa 19 anos a serviço da democracia cultural, no Ceará. Além de marcar os anos de história de um dos maiores centros culturais do País – são 1,5 milhão de visitantes, em média, ao ano –, o festival celebra o panorama rico e diverso da produção artística do Estado e apresenta ainda as experimentações de vanguarda da produção nacional e internacional. Em 2017, a Maloca Dragão teve mais de 130 atrações de diversas linguagens: shows musicais, espetáculos de teatro, dança e circo, apresentações da cultura popular e literatura, intervenções e performances de arte urbana, feiras de moda, design e gastronomia e mostra de cinema. Realizada em 24 espaços do Centro Dragão do Mar e Praia de Iracema, atraiu mais de 400 mil pessoas em seis dias de programação gratuita.