Browsing Tag

Literatura

IDOSOS REALIZAM SARAU EM COMEMORAÇÃO AO DIA DA POESIA

 

Salve a poesia! A manifestação literária que nunca sai de moda e segue inspirando e despertando o poeta ou poetisa existente em cada um de nós, e apresentou nomes de referência nesta arte, tem um dia especialmente dedicado para celebra-la: dia 21 de março, o Dia Mundial da Poesia. E por conta da data e para comemorar como é devido, nesta quinta-feira, 21 de março, às 15h, acontece o Sarau Literário do Instituto Chico Mota.

Na programação aberta ao público e gratuita, a participação dos alunos da oficina de Escrita Criativa do Instituto que irão compartilhar suas produções, do escritor Silas Falcão e da Associação Cearense de Escritores (ACE), varal de poesia, performances, leituras e microfone aberto. A atividade faz parte do Projeto Nunca é Tarde, realizado pela instituição para formação de leitores na terceira idade.

A oficina Escrita Criativa, é uma das novidades deste ano, acontecendo desde janeiro e objetiva incentivar o hábito da leitura, a valorização e o incentivo à escrita, ao resgate da memória individual e ativação da biblioteca. Os participantes aprendem a escrever seus próprios textos e contar suas próprias histórias de vida. Ao final do projeto será lançado um livro com as histórias e escritos numa grande festa literária de celebração à vida e à literatura.

 

Dia Mundia da Poesia

Criado na XXX Conferência Geral da UNESCO em 16 de novembro de 1999. O propósito deste dia é promover a leitura, escrita, publicação e ensino da poesia através do mundo.

 

Sobre o Instituto Chico Mota

O Instituto Chico Mota, em atividade desde 2013, trabalha com inclusão cultural para a terceira idade, oferecendo diversas atividades gratuitas para o constante desenvolvimento pessoal do público idoso.

 

Serviço

Sarau Literário do Instituto Chico Mota

Dia 21 de março

Horário: 15h

Endereço: Rua Desembargador João Firmino, 66 -Montese

Aberto ao público

Gratuito

Maiores informações: (85) 3393.4036

Livro de contos produzidos por alunos da escritora Socorro Acioli é lançado nessa sexta

 

 

Dizem que o nome de uma pessoa define quem ela é. Ou quase isso. O nome – ou quase o nome – foi o tema desenvolvido em um dos cursos do Ateliê de Narrativas da renomada escritora e professora de escrita criativa Socorro Acioli. O resultado foram vinte e três contos produzidos por alunos e reunidos agora na coletânea Quase Nome, livro de publicação independente, realizada por meio da editora Labrador. O lançamento será nessa sexta, dia 15 de março, no Porto Dragão, às 19h. Aberta ao público, a programação contará com animação conduzida pelo DJ Estácio Facó.

Quase Nome foi resultado de uma breve oficina de contos e já é o quarto livro oriundo de cursos ministrados por Socorro Acioli. Para a escritora, “o mais importante do lançamento é a celebração da escrita. O processo de escrever é transformador pra todo mundo que passa por ele”.

Em Quase Nome, os autores usaram sua imaginação e talento para explorar histórias por trás de (quase) nomes, descobrindo as pessoas que os carregam e o mais importante: para onde os nomes carregam as pessoas. Seu nome é o recebido na pia, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, é o gravado na sua certidão de nascimento ou o apelido de casa? Aliás, apelido, pseudônimo, codinome nem é nome – é quase um nome. De onde vem o nome? Nome bíblico, de figuras históricas, de trapezista de circo ou a soma do nome da mãe com o do pai? Ou só um nome criado quase que por acidente?

Passeando por essas questões todas, os contos de Quase Nome apresentam propostas de expressiva pluralidade temática, refletindo a heterogeneidade de seus autores: homens e mulheres, de várias idades e profissões diferentes, com trajetórias literárias as mais distintas, desde autores iniciantes a escritores mais experientes, com outros livros já publicados.

Em Quase Nome há toda uma gama de histórias e sensações. Alguma delas certamente fará o leitor refletir sobre seu próprio nome. Ou quase nome.

 

Serviço:
Lançamento da coletânea de contos QUASE NOME
Data: 15/3 (sexta-feira)
Hora: 19h
Local: Porto Dragão – Rua Bóris, 90. Prédio ao lado do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (antigo Sesc Iracema).

Aberto ao público.
Quase nome
Editora: Labrador
Páginas: 141
Preço promocional no lançamento: R$ 30,00
Preço após lançamento: R$ 33,00 (físico) / R$ 9,90 (digital)

Facebook: www.facebook.com/quasenome
Instagram: /www.instagram.com/quasenome

 

AUTORES
Ana May Brasil – Ana Raquel Montenegro – Angela Vasconcelos – Barbie Furtado – Cançado Thomé – Cíntia Sá Macêdo – Clarisse Ilgenfritz – Cupertino Freitas – Dauana Vale – Fátima Gondim – Fran Lemos – Helena Selma Azevedo – Ivna Girão – Ivone Marques – John Unneberg – Maria Helena Coelho – Nagibe Melo – Nazaré Fraga – Ronaldo Queiroz – Socorro M. Magalhães – Stênio Gardel – Tânia Maria Sales – Tibico Brasil

 

SOBRE OS AUTORES E SEUS CONTOS

ANA MAY BRASIL

Apresentamo-lhes Ana May Brasil: licenciada em Física e graduada em Direito, publicou em 2013 “Contos de Antigamente”, pela Editora FB. Seu conto “O dia que virou noite” integrou o “Farol” (Editora Moinhos, 2017), coletânea produzida pelo Ateliê de Narrativas Socorro Acioli. No mesmo ano, teve o conto “Um olhar” selecionado para compor a Coletânea Literária LGBT “Diversidade e Resistência” (Selo Editorial). Em 2018, fez parte dos autores de “Mirabilia: contos de Natal” e foi coautora de “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”, antologia premiada pelo Ministério da Cultura. E se o celebrante trocasse o nome do batizando? Desta vez, a escritora conta a história de “Carloto”.

ANA RAQUEL MONTENEGRO

Conheça Ana Raquel Montenegro: mestre em Linguística pela Universidade Federal do Ceará, servidora pública e autora do conto “Amor de Carnaval”, da coletânea “Farol” (Editora Moinhos, 2017), projeto oriundo de mais uma oficina do Ateliê de Narrativas de Socorro Acioli. E se o significado de um nome revelasse o segredo de um passado? Descubra em 15 de março de onde vem “A falsa aparência das coisas” da vida de Mônica e suas descendentes.

ANGELA VASCONCELOS

Angela Vasconcelos é uma das autoras de “Quase Nome”. Psicóloga e mestre em Psicologia, até o início de 2017 sua experiência com a literatura era apenas do lugar de leitora. Publicou, naquele ano, o conto “Por causa de você”, no livro coletivo “Farol” (Editora Moinhos, 2017), resultado do Ateliê de Narrativas com a escritora Socorro Acioli. Foi premiada pelo Mais Paic (2018) com o juvenil “Encontro com as palavras”. É coautora da coletânea de contos “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”, premiada pelo Ministério da Cultura ano passado. Atualmente, dedica-se à clínica e à docência e tem interesse pela relação entre literatura e psicanálise. O sobra a uma mulher que encarnou na sua vida os nomes que recebeu de homens que amou? Saiba mais com o conto “O que restou de mim”.

BARBIE FURTADO

Barbie Furtado nasceu em Fortaleza, há quase 30 anos, e tem escrito histórias há mais ou menos 25. Formada em Letras Português – Inglês e com mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Ceará, trabalha como professora de inglês e tradutora, mas prefere estudar e pesquisar. Teve o conto “A Menina dos Olhos Dourados” publicado na coletânea “Contos de Travessia”, em 2014, e “Loop” na coletânea “Farol”, em 2017. Barbie também teve seu livro “O dia em que o mundo parou” selecionado pelo edital Mais Paic, da Secretaria da Educação do Estado do Ceará, em 2018. Também estudou roteiro na New York Film Academy, em Nova York. Nas horas vagas, adora ver séries, comer bolo de chocolate (ou donuts!), brincar com seus irmãozinhos, criar pratos diferentes na cozinha e fazer a família de cobaia, além de, claro, escrever novas histórias. Em “Forasteira”,

CANÇADO THOMÉ

Escritor, libretista, maratonista, gestor de conflitos, analista de investimentos e burocrata. Cançado Thomé escreveu libretos para ballets como “O Julgamento e Mediadora de Deusas”, participou da Coletânea Literária LGBT “Diversidade e Resistência” (Selo Editorial) e publicou o infantil “Sonho de uma noite de ouriço” pelo Projeto Lições Ilustradas. Mensalmente, publica contos na página Leitura Livre (http://bit.ly/literaturalivre). Um nome pode definir a sua sina? E se um nome inspirado em um herói grego marcasse a vida de um homem, definindo o seu destino, mesmo que homem e herói fossem diferentes em todos os aspectos? Essa é a história de “Fidípides”.

CÍNTIA SÁ MACEDO

Esta é Cíntia Sá Macêdo: casada, mãe da Natalia, Luana e Marina. É dentista, especialista em dentística estética. Sua paixão pelos livros a levou a participar do Ateliê de Narrativas Socorro Acioli na Livraria Cultura e, atualmente cursa a Especialização em Escrita Literária coordenada pela escritora na FBUni. “Epifania” marca a sua estreia como escritora. E se sua esposa fizesse uma promessa de colocar o nome de um santo em seu filho e na hora de registrar, seu marido fosse arrebatado por outra ideia, vinda de um circo?

CLARISSE ILGENFRITZ

Autora das peças “Cromo Somos” e “Retalho, Rebotalho” e do livro infantil “Boi da Cara de Todas as Cores”, Clarisse Ilgenfritz é também coautora de “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”, antologia premiada pelo Ministério da Cultura. A dona desse grande sorriso estudou Engenharia Química mas foi publicitária a vida inteira, como redatora e diretora de criação. Faz conteúdo digital e social media, ainda. Aprecia matemática e crochê. Prefere escrever a ler poesia. Adora repetir palavras, adora. E se o marido traído realizasse sua vingança no cartório, na hora de registrar a filha? Em 15 de março, conheça “Perfídia”.

CUPERTINO FREITAS

Cupertino Freitas é escritor e consultor de TI. Participou da antologia “Farol” e ficou em segundo lugar nacional no VI Prêmio Campos do Jordão de Literatura. Coautor de “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”, teve seu romance de estreia, “Judas no Paiol”, publicado pela Editora Moinhos em 2018. Com contos selecionados em concursos para compor as coletâneas “A face do medo” e “Ecos de Natal”, Cupertino contribui desta vez com “Nome de pobre”. E se um jovem bem-nascido se sentisse estranhamente desconfortável com seu nome bonito e pomposo?

DAUANA VALE

Escritora, psicóloga, mestre e pesquisadora: esta é Dauana Vale. Seu conto “Fio a fio” integrou o livro “Farol” (Editora Moinhos, 2017), resultado do Ateliê de Narrativas com a escritora Socorro Acioli. Foi premiada pelo Mais Paic (2018) com o juvenil “Quinamuiu”. Com outros colegas de “Quase Nome”, é coautora da coletânea de contos “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”. Há cerca de quatro anos se dedica ao estudo da narrativa para crianças e jovens, de onde surgiu seu atual trabalho de incentivo à leitura compartilhada em família: “Entrelinhas”. E se uma jovem resolvesse fugir de casa para casar? “Por água abaixo” conta a história do quase casal Francisneide e Francisnildo.

FÁTIMA GONDIM

Fátima Gondim é uma das autoras de “Quase Nome”. Economista pela Universidade Federal do Ceará e auditora da Receita aposentada, ela atua na Justiça Fiscal e já produziu livro, artigos e capítulos, dentre os quais: “Brasil: A Sociedade Justa e seus Inimigos” (2012), pela Tomo Editorial. E se você encontra alguém que não vê há 43 anos e lhe revela bilhetes guardados que mudaram sua vida? Saiba o que uma caligrafia é capaz de fazer no conto “‘Com amor, Márcia'”.

FRANCISCA LEMOS

HELENA COELHO

Helena Coelho é Graduada em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em Direito pela Universidade de Fortaleza e Técnica em Edificações pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Tem Pós-Graduação em Gestão Pública pela Universidade Estadual do Ceará e em Cidadania, Direitos Humanos e Segurança Pública pela UFC. Integrante do Coral das Águas da Companhia de Água e Esgoto do Ceará e partícipe do Ateliê de Narrativas Socorro Acioli. Gosta de bordar com D. Ivone. E se uma pessoa sonha com uma boneca que fez parte da vida de uma criança, sem conhecê-la!? “O nome da boneca” é Susi!

HELENA SELMA AZEVEDO

Economista doméstica com mestrado em Sociologia e Doutorado em Educação. Feminista, comprometida com a Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional: esta é Helena Selma Azevedo, professora aposentada da Universidade Federal do Ceará e associada do Centro de Estudos do Trabalho e Assessoria do Trabalhador, onde contribui para o fortalecimento da Agricultura Familiar Agroecológica. Estreia com a publicação do seu primeiro conto, “Niteza”, escrito durante o Ateliê de Narrativas de Socorro Acioli. E se uma moça de 17 anos fosse obrigada a casar-se com um homem muito mais velho e, tempos depois, resolvesse recuperar sua autonomia?

IVNA GIRÃO

Ivna Girão é jornalista e flâneur, com formação também em História pela Universidade Estadual do Ceará. Apreciadora do cotidiano, se apega às narrativas dos dias, gosta de contar as desimportâncias do tempo, escrever aquilo que nem sempre se vê e de escutar a música que toca o invisível na cidade. Fã de coisas miúdas, de poesia e de literatura. Mãe do pequeno Bento e da linda Ana Maria. Trabalha com Jornalismo Cultural, escreve sobre arte e é produtora, curadora. E se “Onze cadeados” lhe trancassem a vida? Esperar trinta e dois anos para encontrar a filha e a liberdade é a sina de Nonata.

IVONE MARQUES

Ivone Marques é assistente social aposentada e artesã de coração. Bordar é sua paixão. Poderia ter nascido uma sereia, pois o mar é colo de mãe. Sua história se confunde com a da própria protagonista. Navego nas ondas e a linha do horizonte é meu espaço dos sonhos, mas, um mergulho não posso dar. Os guias não deixam, pois, posso afundar. “Laçada” nasci e com os laços do amor prendo a vida. Sou uma eterna apaixonada.

JOHN UNNEBERG

Homem de negócios norueguês vai para o Brasil, transforma-se no marido de uma rainha e pai de uma princesa. John Unneberg escreve histórias para fazer as pessoas refletirem e tornar o mundo um lugar melhor. Em seu conto, “Meu nome é João…”, o narrador pondera: sou o filho de pais que não deveriam ter se casado. Eu deveria ter filhos?

NAGIBE MELO

Nagibe Melo é juiz federal, professor e escritor. Tem cinco livros publicados, sendo um de poesia: “O Amor, A Vida e Os Dias”. Mantém o blog literário Poesia aos Poucos (www.nagibejorge.blogspot.com). Escreve mensalmente para o jornal “O Povo”. Em seu conto, “Quando esqueço o teu nome”, questiona: O que é o sexo? O que é o amor? E se para responder a essas perguntas você precisasse lembrar um nome esquecido?

NAZARÉ FRAGA

Enfermeira e professora universitária aposentada com mestrado e doutorado em saúde mental, Nazaré Fraga lida com a convergência de diversos saberes, inclusive das linguagens artísticas. Traduz essa língua com linhas e agulhas no Grupo Iluminuras de Literatura e Bordado. Como escritora, tem um romance em processo de revisão final e diversos contos inéditos. A crônica “Tantos Anos” e a poesia “Voos e recomeços” foram selecionadas pela Associação dos Docentes da Universidade Federal do Ceará-Sindicato para compor sua III Antologia de Poesias e Crônicas. Em “Quase Nome”, “De Filho para Pai” será seu primeiro conto publicado. E se seu antigo namorado lhe aparecesse, depois de décadas, com a novidade de ter mudado de nome recentemente, sendo que hoje ele já tem 70 anos?

RONALDO QUEIROZ

Esse é Ronaldo Queiroz: antropólogo, estudioso do tema indígena, professor. Está em sua primeira publicação literária, cujo projeto é o mundo dos encantos. E se a vereda da vida não findar com a morte? Outro caminho é possível? Descubra com a leitura do conto “Quase Morte”.

SOCORRO M. MAGALHÃES

Socorro M. Magalhães é graduada em Direito e participou do Ateliê de Narrativas Socorro Acioli rumo à sua primeira publicação. Gosta muito de ler e anseia por escrever sobre o cotidiano e as narrativas dos antepassados de seu marido, que falam sobre uma cultura, tradições e a criatividade de povos que viveram em épocas tão diferentes de hoje. Entre histórias contadas, coincidências e adivinhações, levanta muitas questões: e se “Esmeralda” não tivesse conhecido Mundo? E o significado do nome pode mudar o destino de alguém? Como surge o amor?

STÊNIO GARDEL

Conheça Stênio Gardel, servidor público e escritor. Participa das coletâneas “Farol” e “Mirabilia: contos de Natal” com os contos “A marca” e “Santíssima Trindade”. Stênio também é coautor de “O castiçal, a escrivaninha, a cadeira e o rascunho”, antologia cearense premiada pelo Ministério da Cultura. Em “A memória do nome”, cogita: e se um nome contasse a história de como foi esquecido?

TÂNIA MARIA SALES

Tânia Maria Sales é uma das escritoras de “Quase Nome”. Graduada em Economia e Psicologia pela Universidade Federal do Ceará, é psicanalista com formação no Centro de Estudos Freudianos de Recife e instrutora de Yoga. Seu conto “O Pacto” integrou o livro em conjunto “Farol” (Editora Moinhos, 2017). E se uma mulher, após perder todos os seus documentos num assalto traumático, perdesse também a sua identidade psíquica? Acompanhe em 15 de março a trajetória daquela que chamam de “A louca sem nome”.

TIBICO BRASIL

Fotógrafo, roteirista e produtor audiovisual. Assim podemos descrever Tibico Brasil. Diretor dos filmes “Não deu Tempo”, “Canoa Veloz” e “A Luz Salva”. Tibico é também fotógrafo de cena, ensaísta e documentarista. Atuou por 20 anos como técnico e gestor de Comunicação e cultura no Banco do Nordeste, mas atualmente dedica-se a projetos ligados ao meio-ambiente, arte e cultura. O título de seu conto argumenta: “Meu nome não é cemitério”. Mas o autor pergunta: e se seu nome fosse cemitério?

Feira Top Livros chega ao Shopping Parangaba

 

 

O Shopping Parangaba recebe a Feira Top Livros. São mais de 20 mil obras, desde as infantis até os clássicos da literatura mundial, todas vendidas ao preço de R$ 10,00 cada.

 

O acesso à feira é gratuito e funciona de acordo com o horário do shopping (segunda a sábado das 10h às 22h, e aos domingos, das 13h às 21h), e está localizada no Piso L1.

Theatro Via Sul Fortaleza apresenta musical “O Pequeno Príncipe”

 

Inspirado no clássico da literatura mundial, escrito por Antoine de Saint-Exupéry, em 1959, o musical infantil “O Pequeno Príncipe” chega ao Theatro Via Sul Fortaleza, para apresentações dias 9 e 10 de março, às 17h. O espetáculo aborda, dentre outras coisas, as questões filosóficas sobre a perda da inocência e fantasia ao longo dos anos, conforme as pessoas vão crescendo e abandonando a infância, além do ensinamento de que nós não podemos depender dos elogios dos outros para encontrarmos o nosso próprio valor.
O Pequeno Príncipe vive tranquilo no distante asteroide B-612. Numa atmosfera de paz, ele limpa seus vulcões e cuida de sua vaidosa rosa mágica. Certo dia, nosso herói resolve sair e visitar os mais distantes mundos e galáxias. A cada parada conhece um modo de vida diferente, passa por incríveis aventuras e faz novos amigos. Assim o Pequeno Príncipe viaja pelo universo e aprende valiosas lições sobre honestidade, coragem e bondade.

 

Serviço:

O Pequeno Príncipe – O Musical Infantil

Datas: 9 e 10 de Março de 2019

Horário: Sábado e domingo, às 17h

Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4335 – Edson Queiroz

Ingressos: R$ 50/R$ 25 (mezanino) e R$50/R$25 (plateia)

Capacidade do Teatro: 732 Pessoas

Informações: (85) 3099-1290

Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.

Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.

Estacionamento no Shopping Via Sul

Médico-fenômeno do Youtube lança primeiro livro na Livraria Leitura, do Shopping Rio Mar Fortaleza

 

Depois do sucesso com suas palestras em várias cidades do Brasil e performance de grande impacto no Youtube com mais de 2 milhões de inscritos em seu canal, o médico cirurgião vascular Dayan Siebra realiza outro sonho profissional,com o lançamento do seu primeiro livro Viva Com Saúde, Viva com Paixão – Libido, pela editora Cene. O evento acontece na Livraria Leitura do Shopping Rio Mar Fortaleza, dia 25 de janeiro, às 19h.

Tema de palestras-show, o tema Viva com Saúde, Viva com Paixão – Libido (Editora Cene, R$39,90, 160 páginas) chega ao público do médico cirurgião vascular Dayan Siebra, agora, no formato de livro. No seu primeiro livro, o também Youtuber mostra como podemos dar mais atenção ao nosso corpo, às nossas intimidades, tornando-nos capazes de assumir o controle da nossa qualidade de vida.

O evento de lançamento do tão esperado livro acontece dia 25 de janeiro, na Livraria Leitura do Shopping Rio Mar Fortaleza, às 19h. Os seguidores do médico na internet e conferências poderão aprofundar esta fascinante rota de manutenção do equilíbrio corporal e da libido, desvendando nosso sistema celular básico, um mundo invisível que dirige nossos resultados em relação à nossa saúde, ações e sentimentos, tanto bons quanto maus, a cada momento de nossa vida.

“Todas as pessoas possuem desejos internos gigantescos, que se não forem ativados podem permanecer adormecidos por toda a existência. Neste livro, estudei medicina por seis anos, mais quatro anos de residência médica e um ano e meio de pós-graduação em Medicina Ortomolecular.

Tenho 20 anos de formado e vi muitos pacientes em toda essa caminhada atravessarem tanto os limites do prazer como da dor. E posso garantir para você uma coisa, nada é mais determinante na vida do que passar por momentos de dor. A dor pode ser nossa cruz ou pode ser nossa maior aliada vida”, explica Dayan.

Segundo o médico cratense, é fundamental acionar a chave do controle hormonal desse mundo biológico, que sem isso o indivíduo estará impedido de envelhecer com qualidade de vida, ficando cada vez mais uma pessoa velha e sem saúde.

Envelhecimento

Envelhecer com saúde não é nenhum problema, mas tudo ao contrário disso é disfuncional. Para Dayan, tudo isso a pessoa irá entender através de estratégias simples que muitas vezes já as têm apresentado em seus vídeos diários no Youtube.

“Também irei lhe mostrar que podemos quebrar os padrões emocionais e comportamentais limitadores de saúde e felicidade, usando alguns passos simples e eficazes para o condicionamento hormonal, nutricional e finalmente, biológico, gerando mudanças verdadeiramente duradouras em sua vida”, defende Dayan.

Neste livro, Siebra mostra que existe vida após a queda de um hormônio chamado testosterona e que não somos obrigados a envelhecer sem desejo sexual, sem libido, pois a libido é fundamental para que possamos nos conectar a quem nós amamos, satisfazendo assim uma das principais necessidades básicas da humanidade, que por sinal não é o sexo por si, mas a conexão e a intimidade.

“Mas para termos conexão e intimidade sexual, precisamos de libido, sendo ela o convite de entrada para uma vida apaixonante” (Dayan Siebra)

Saúde

Médico cirurgião vascular há 19 anos e com especialidade em medicina ortomolecular, após passar por um ataque de pânico ocasionado por horas exaustivas de plantões que também o gerou gastrite, esofagite, hipertensão e obesidade, Dayan decidiu mudar completamente sua qualidade de vida e assim passou a procurar vários cursos de autoconhecimento.

Com três formações em Coaching nas maiores e mais bem conceituadas Instituições de coaching no Brasil, uma formação em Máster Coaching e estrado Internacional em Coaching na Flórida (EUA) coaching. Esses títulos levaram Dayan a ministrar palestras tanto nacionais como internacionais na área de Coaching e medicina ortomolecular.

 

Serviço:

Lançamento do Livro Viva com Saúde, Viva com Paixão – Libido, do médico Dayan Siebra (Editora Cene)

R$39,90 / 160 páginas

Dia 25 de janeiro, sexta-feira, 19h

Local: Livraria Rio Mar Fortaleza

Inscrições abertas para o Curso de Formação de Mediadores de Leitura

A Fundação Demócrito Rocha (FDR), em parceria com a Secretaria da Cultura de Fortaleza (Secultfor) e a Universidade Federal do Ceará (UFC), promove o curso de extensão online e gratuito “Formação de Mediadores de Leitura”. As inscrições estão abertas e podem ser feitas por meio da página www.ava.fdr.org.br. O curso é válido para todo o País e conta com fascículos, audiofascículos, videoaulas, radioaulas, webconferência, tutoria online e certificado.

O curso é composto por 12 fascículos, que serão encartados no O POVO, semanalmente, e disponibilizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), da FDR, de 21 de janeiro a 8 de abril. Além de 12 videoaulas, veiculadas às quintas-feiras, a partir de 24 de janeiro, na TV O POVO, de 18h15min às 18h30min; seis radioaulas (podcast), com duração de uma hora, por meio da AM 1010 e com veiculação aos sábados, a partir de 26 de janeiro; três webconferências, que serão realizadas nos dias 9/2, 9/3 e 6/4, no AVA; um workshop e três palestras com o tema Formação de Mediadores de Leitura – datas e locais em definição; 12 vídeos para Facebook, veiculados às sextas-feiras, a partir de 25 de janeiro.

 

Os temas e datas dos módulos são:

21/1 – Mediação da Leitura e Formação do Leitor – Lidia Eugenia Cavalcante;
28/1 – Formação de Professores Leitores e Mediadores de Leitura – Sarah Diva Ipiranga;
4/2 – A Leitura Literária – Lílian Martins;
11/2 – Leitura e Cultura – Luiz Tadeu Feitosa;
18/2 – Aprendizado da Leitura na Infância – Fernanda Coutinho;
25/2 – Os Jovens e a Leitura – Kelsen Bravos;
4/3 – Leitura, Arte e Educação – Tânia Maria Sousa França;
11/3 – Práticas Leitoras: contando e lendo Histórias – Laiana Ferreira;
18/3 – O Papel da Biblioteca na Formação de Leitores – Pricila Celedônio e Alilian Gradela;
25/3 – Espaços e Ambiências para Mediação da Leitura – Cleudene de Oliveira Aragão;
1º/4 – Mediação de Leitura e Acessibilidade – Igor Peixoto;
8/4 – A Leitura em Tempos de Conectividade – Luana Sousa

 

Serviço
Curso Mediadores de Leitura – Gratuito e Online
Data: de 21 de janeiro a 8 de abril
Fascículos encartados no O POVO e disponíveis no AVA
Inscrições gratuitas: www.ava.fdr.org.br

Editora Dummar lança o livro infantil Kiki e Pepe no Mundo dos Bichos


A Editora Dummar lança o livro infantil Kiki e Pepe No Mundo dos Bichos, de Débora Lobo. A obra, também ilustrada por Débora, marca a estreia da autora na literatura. O lançamento, programação voltada especialmente aos pequenos leitores, ocorrerá às 18 horas, no dia 12 de janeiro de 2019, sábado, na Livraria Leitura do Shopping RioMar. Após o lançamento haverá sessão de autógrafos com a autora. A entrada é gratuita.

Kiki e Pepe No Mundo dos Bichos conta a história da gatinha Kiki e do cãozinho Pepe, dois amigos que amam aventuras e juntos resolvem conhecer a savana. Lá, fazem muitas descobertas sobre novos bichos e situações até então desconhecidas. Por meio da história a autora busca desenvolver a curiosidade dos pequenos leitores e apresentá-los a novas situações e também a espécies de animais pouco conhecidas.

Débora Lobo é designer formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É leitora desde a adolescência e começou a escrever e ilustrar histórias infantis depois que nasceram seus sobrinhos.

 

Serviço  Lançamento do livro Kiki e Pepe No Mundo dos Bichos
Data: 12 de janeiro
Horário: 18 horas
Local: Livraria Leitura (Shopping RioMar)
Mais informações: (85) 3255-6176

Crescimento do Brasil por meio das relações internacionais é analisado em livro de advogado cearense

 

O livro “Direito à Integração Democrática na América do Sul”, do advogado e cearense André Brayner, foi lançado na primeira quinzena de dezembro, no Centro Cultural Dragão do Mar. A obra, que foi a sua dissertação de mestrado, aborda temas atuais sobre as relações do Brasil com outros países dos pontos de vista econômico, político e humanitário.

 
O livro faz também uma análise histórica, com elementos políticos e jurídicos dos processos de integração desenvolvidos ao longo dos anos, até a formação da União das Nações Sul – Americanas (UNASUL), o mais recente bloco regional. Um dos orientadores do autor, Martônio Mont’alverne, abriu a noite falando da importância da publicação como fonte de pesquisa acadêmica e também citou a relevância da temática para o momento atual do país.

 
O livro também levanta uma reflexão em torno do processo de repensar em um crescimento amplo e equilibrado entre países que participam de organismos de integração. Para o advogado André Brayner, a análise econômica de forma isolada, com modelos predeterminados, se mostra muito inadequada. “Como se o Brasil não fosse capaz de pensar novas relações com estratégias econômicas mais humanas e justas. A sensação que temos, principalmente quando conversamos com pessoas do mercado financeiro, é de que só é possível seguir uma métrica e que só por meio dela se pode chegar a um desenvolvimento”, explica.

 
O lançamento contou com a participação dos familiares e amigos do advogado e também de representantes do Instituto Brasil África, do Centro Dragão do Mar e de jornalistas.

 
Sobre o autor
André Vitorino Alencar Brayner é advogado e mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Fortaleza (Unifor), com pesquisa sobre Direito à Integração na América do Sul. Possui atuação científico-jurídica nos campos relacionados ao Direito Internacional, Direitos Culturais e Terceiro Setor. Atualmente é professor de Direito na Faculdade Vidal de Limoeiro do Norte (Favili) e consultor jurídico do Instituto Brasil África e do Instituto Dragão do Mar.

 
Serviço

Obra: Direito à Integração Democrática na América do Sul

Valor do livro: R$ 42,00

Vendas: lumenjuris.com.br

Espaço O POVO recebe bate-papo sobre Leitura, Infância e Tecnologia

 

Neste sábado (17), o Espaço O POVO de Cultura e Arte receberá um bate-papo com o tema Leitura, Infância e Tecnologia. Os convidados são Samira Almeida e Fernando Tangi, cofundadores do Stroymax, startup paulistana que transforma livros em aplicativos para tablets e smartphones. Desta forma eles passam a trazer a história com animações, sons e interatividade, transformando a experiência de leitura por meio de uma nova forma de engajamento do leitor com o texto.

O evento terá início às 16 horas e a entrada é gratuita. Não é necessário fazer inscrição prévia. O bate-papo será mediado pela jornalista e professora Sara Rebeca Aguiar, responsável pelo site Vida Ciranda, plataforma virtual de educomunicação para pais e educadores.

O casal Samira e Fernando criou essa nova forma de contar histórias como forma de abrir novas possibilidades de leitura e interação infantil com a literatura. Atualmente já são seis livros publicados em diversos idiomas e a plataforma tem leitores em mais de 40 países, além de prêmios nacionais e internacionais.

O primeiro livro adaptado pelo casal foi o clássico Frankenstein, da autora inglesa Mary Shelley. No Storymax ele se tornou Frankie For Kids, e está disponível em inglês e português nas plataformas Android e iOS por R$ 17,90. Em poucos meses, Frankie For Kids teve 3 mil downloads, o equivalente a uma tiragem de livro impresso. Conquistou o segundo lugar no prêmio ComKids Prix Jeunesse Iberoamericano na categoria Digital e recebeu o Prêmio Hipertexto de Tecnologias na Educação. Em 2014 lançaram Via Láctea, inspirado em um soneto de Olavo Bilac, e conquistaram a segunda colocação na categoria infantil do Prêmio Jabuti.

 

 

Serviço

Bate-papo sobre Leitura, Infância e Tecnologia
Data: 17 de novembro, às 16 h
Local: Espaço O POVO de Cultura e Arte (Avenida Aguanambi, 282 B – Joaquim Távora)
Telefones: (85) 3255 6270 / 3255 6148
Site: www.livrariadummar.com.br
e-mail: livraria@livrariadummar.com.br
Mais informações: (85) 9 8954 7374 (Sara Rebeca Aguiar – mediadora e idealizadora do evento)
Acesso gratuito

Juracy Soares lança obra “Enriqueça Dormindo” que fala de empreendedorismo

 

No próximo dia 7 de novembro, o professor Juracy Soares, lança em Fortaleza o livro “Enriqueça Dormindo”, obra que apresenta as experiências do autor em mais de 30 anos ensinando e aplicando estratégias de empreendedorismo. O lançamento ocorrerá às 19h no Hotel Gran marquise, na Beira Mar e contará com uma palestra do autor sobre o tema do livro, seguida de um coquetel e noite de autógrafos.

 
“A publicação aborda a geração de renda passiva e escalável, tendo como objetivo apresentar estratégias para que as pessoas usem o seu tempo livre de forma inteligente e, assim, possam construir novos canais de empreendedorismo”, relata o autor.

 
O evento será exclusivo para quem fizer a inscrição por meio do site: www.enriquecadormindo.com.br. Cada inscrição dá direito a um exemplar do livro, que será entregue e autografado no local. As vagas são limitadas devido à quantidade de assentos disponibilizada no local. Os que realizarem a inscrição a partir do site acima terão direito a estacionamento pago pela organização do evento.

 

Sobre o Livro

O exemplar, dividido em duas partes, aborda inicialmente os princípios, as competências e os posicionamentos importantes para o empreendedorismo. Em uma segunda etapa, apresenta um passo a passo para o leitor “enriquecer dormindo e acordar para um novo estilo de vida.”

 
Soares explica que a razão para escrever o livro veio da necessidade de dividir sua experiência. “Pensei ser necessário compartilhar, com o maior número possível de pessoas, um pouco de minha história de vida e de como encontrei e superei obstáculos nos campos pessoal, acadêmico, financeiro e profissional”, ressalta.

 
Ele destaca ainda que, se tivesse que escolher um trecho do livro que mais chamou sua atenção, seria o momento do falecimento do seu pai quando ele ainda era uma criança. Quando isso ocorreu, veio também a desestruturação financeira de sua família. “Percebi desde meus sete anos que teria que criar condições para que pudesse me tornar independente financeiramente o mais rápido possível”, explica. “Isso tem muito a ver com minhas atitudes e escolhas ao longo da minha vida, desde muito cedo e até hoje.”

 
Juracy afirma que o Brasil está em primeiro lugar em iniciativas empreendedoras no grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). “A solução para o desenvolvimento de qualquer nação passa pela geração de riqueza que só o empreendedorismo é capaz de oferecer”, esclarece.

 

 

Sobre o Autor

Juracy Soares é o mais velho de dois irmãos. Define-se como um apaixonado por empreendedorismo e esportes radicais. Desde os 16 anos, quando teve sua primeira experiência empreendedora, dedica-se a formular iniciativas em diversas áreas.

 
Aos vinte anos teve sua primeira experiência como facilitador. Desde então dedica-se a ensinar em cursos de graduação e pós-graduação e tem na atividade de realizar palestras e aulas uma das maiores paixões da sua vida. Há 15 anos desenvolve uma plataforma de educação a distância e atua como coordenador de conteúdo em diversos cursos online.

 
O professor Juracy Soares entende que sua principal missão atualmente é ajudar o maior número de pessoas possível a empreenderem. E faz isso também por meio do compartilhamento de ideias e de oportunidades de qualificação profissional.

 
Casado há 27 anos, é pai orgulhoso de um rapaz e duas meninas. Tem na sua esposa uma de suas grandes apoiadoras e incentivadora. É praticante amador de esportes como kitesurfing, skate, bike downhill, natação e corrida, dentre outros.

 

Serviço:
Palestra e lançamento do Livro “Enriqueça Dormindo” Data – 07 de novembro
Hora – 19h
Local – Hotel Gran Marquise – Salão Spazio
Inscrições (limitadas) – www.enriquecadormindo.com.br

Indicadas ao Oscar da Literatura brasileira participam da Semana do Livro na Faculdade CDL

 

 

Com o tema Histórias Compartilhadas, a Faculdade CDL não vai ficar de fora da comemoração da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca. Entre a segunda-feira (22) e a sexta-feira (26) será realizada uma programação com diversas atividades de compartilhamento de histórias, ideias, conhecimentos e experiências em torno dos livros.

A abertura, que será na segunda-feira (22) às 18h40, contará com a presença especial das conceituadas escritoras Socorro Acioli, autora do livro Ela tem olhos de céu, que recebeu o prêmio Jabuti de literatura infantil em 2013, e Marília Lovatel, que foi finalista na categoria de obras voltadas ao público juvenil em 2016 com o livro A Menina dos Sonhos de Renda. Além da psicóloga Anitta Moura, idealizadora e responsável pelo projeto “Livro Livre CE”, que incentiva a leitura e o compartilhamento de livros pela cidade.

De acordo com a bibliotecária da Faculdade CDL, Ana Luiza Chaves, todos os anos a instituição comemora a Semana do Livro e da Biblioteca com o intuito de evidenciar ainda mais a troca de livros e a paixão pela literatura. “O nosso objetivo maior com tudo isso é promover o gosto pela leitura, ferramenta essencial para nos tornamos cidadãos mais reflexivos e críticos, abrindo espaços para a escrita e para a construção do conhecimento”, expressa a bibliotecária.

Neste ano, para movimentar e enaltecer o conceito de livro livre, que já é cultura na faculdade, os estudantes vão participar da gincana de doação de livros. Além disso, os escritores, alunos, professores e funcionários foram convidados a fazer vídeos contando as histórias dos livros que fizeram e fazem parte de suas vidas, dividindo suas experiências enquanto leitores.

Foi implantado na Semana do Livro e da Biblioteca, comemorada em 2017, o projeto Livre Leve e Solto, que disponibiliza livros para a comunidade, de forma livre, sem amarras ou controles, para que passem de mão em mão, atingindo o maior número de leitores. “A biblioteca da atualidade é um organismo vivo, sem paredes, que dialoga com a sociedade, provocando momentos de discussões e de compartilhamento de ideias”, enfatiza Ana Luiza.

As atividades da programação da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca na Faculdade CDL serão realizadas no auditório e na biblioteca, a partir das 18h.

 

Serviço:

Semana Nacional do Livro e da Biblioteca

Período: 22 a 26 de outubro, a partir das 18h

Local: Faculdade CDL – Rua 25 de Março, 882 – Centro

Acesso gratuito

Pesquisadores de “O Cearense” recebem premiação na Reitoria da UFC

 

 

O Instituto Myra Eliane e a UFC, entregam mais de R$ 30 mil em prêmio aos três pesquisadores vencedores do concurso de monografias deste ano. Os trabalhos são produções inspiradas na obra clássica, O Cearense, do professor e ex-governador Parsifal Barroso.

 

 

O Instituto Myra Eliane e a Universidade Federal do Ceará, realizam nesta quinta-feira, 27, às 9 horas, no gabinete do reitor, a cerimônia de premiação dos vencedores do concurso de monografias resultaram em um livro que será lançado durante o evento, com prefácio de Igor Queiroz Barroso, presidente do Instituto Myra Eliane, e posfácio do escritor e professor José Batista de Lima, da Universidade de Fortaleza — Unifor. Os premiados foram Nathália Cardoso Maciel (UFC), Helias Joaquim da Silva (UECE) e Ciro Leandro Costa da Fonsêca (UERN).

 
O concurso teve o objetivo de potencializar um diálogo entre a academia e a obra “O Cearense”, de Parsifal Barroso, lançada em 1969 e reeditada em 2017. “Em uma sociedade de valores dispersos, em que cada vez mais a energia do indivíduo é neutralizada, desaparece o criticismo e emerge a indigência intelectual. Isso só pode ser corrigido através da educação e do conhecimento, especificamente o conhecimento aplicado. O fomento desse cenário libertador é uma das nossas missões”, declara Igor Queiroz Barroso, presidente do Instituto Myra Eliane e idealizador do concurso.

 
O Concurso
O Concurso de Monografias “O Cearense 2018” recebeu produções de estudantes das áreas de História, Ciências Sociais, Antropologia e Letras provenientes de 23 diferentes Universidades brasileiras. As três produções foram selecionadas pelo trabalho de uma criteriosa comissão julgadora coordenada pelo vice-reitor professor Custódio Almeida (UFC) e integrada pelos professores Francisco Silva Cavalcante Junior (UFC), Alexandre Fleming Câmara Vale (UFC), José Batista de Lima (Uece-Unifor) e Luís-Sérgio Santos (UFC).

 
Sobre o Instituto Myra Eliane
O Instituto Myra Eliane, fundado em 2016 com base em Fortaleza (CE), atua no fomento à educação com a capacitação de professores da rede pública de ensino infantil. Na frente editorial, já são quatro obras lançadas: a reedição do livro O Cearense (Parsifal Barroso), Olga Barroso – Na vanguarda da vida (Juarez Leitão), Parsifal – Um intelectual na política (Luís-Sérgio Santos) e a mais recente coletânea: “O Cearense 2018 — uma releitura da obra clássica de Parsifal Barroso”
O Instituto Myra Eliane é uma entidade sem fins lucrativos que acredita numa melhor compreensão do mundo através da arte e da educação.

 
Vencedores e premiação
1º Lugar
Nathália Cardoso Maciel: “Transregionalidade: uma potência do povo cearense”

Curso de Letras Espanhol – Universidade Federal do Ceará (UFC)

Premiação: R$ 10.000,00 (dez mil reais) + (hum) smartphone
2º Lugar
Helias Joaquim da Silva: “Cearensidade: um conceito híbrido”

Curso de História – Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Premiação: R$ 5.000,00 (cinco mil reais) + (hum) notebook
3º Lugar
Ciro Leandro Costa da Fonsêca: “A construção da identidade na obra O Cearense de Parsifal Barroso”

Doutorado em Letras na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Premiação: R$ 3.000,00 (três mil reais) + (hum) tablet

 

Serviço

Entrega da premiação e lançamento do livro “O Cearense 2018 — uma releitura da obra clássica de Parsifal Barroso”

Data: 27 de setembro de 2018

Hora: 9h

Local: Gabinete do Reitor da Universidade Federal do Ceará, Avenida da Universidade, 2932 – Benfica, Fortaleza

V Caravana da Leitura e do Autor Cearense leva cultura para municípios cearenses

 

 

 

De setembro a dezembro deste ano, cinco municípios cearenses receberão a V Caravana da Leitura e do Autor Cearense, que se configura como um projeto de circulação literária que propõe atividades itinerantes de incentivo à leitura. Os municípios contemplados são: Jijoca de Jericoacara, Senador Pompeu, Orós, São Gonçalo e Morrinhos.

Para a coordenadora Luísla Carvalho, esse projeto tem interesse em consolidar-se como uma ação estratégica para promover o hábito da leitura, o desenvolvimento da literatura cearense e para a democratização do acesso à leitura e à cultura, por meio de atividades lúdicas, bem como divulgar os autores cearenses e suas obras junto ao público infanto-juvenil. O projeto dialoga com o objetivo global número 4 da ONU, que é levar educação de qualidade, colaborando com o desenvolvimento sustentável. A concretização da Caravana da Leitura, que ocorre em agradecimento à Enel Geração Fortaleza, conta ainda com o apoio institucional da Secretaria de Cultura do Estado, por meio da Lei do Mecenato Estadual.

Nesta edição, a Caravana da Leitura ficará um dia em cada município previamente agendado. “Em uma tenda montada em praças públicas serão oferecidas oficinas literárias, rodas de leitura, apresentações de contação de histórias, conversa com autores cearenses, doação de livros e distribuição de material informativo do projeto”, explica Luísla. O projeto possui a produção do EPA – Espaço Popular de Artes.

Ainda na programação, o projeto irá ministrar, durante o mês de setembro, capacitações em dinamização e contação de histórias para professores de escolas públicas em cada município contemplado. “A intenção é que esses professores possam trabalhar os livros dos autores cearenses de forma dinâmica e lúdica com seus alunos”, finaliza Luísla.

 

Cronograma:

Capacitações com professores

São Gonçalo: dia 19/09

Morrinhos: dia 21/09

Orós: dia 28/09

Senador Pompeu: dia 10/10

Jijoca de Jericoacoara: dia 01/10

Atividades literárias com os estudantes

Orós: dia 19/10

São Gonçalo: dia 26/10

Morrinhos: dia 01/11

Senador Pompeu: dia 09/11

Jijoca de Jericoacoara: dia 30/11

 

Serviço:

V Caravana da Leitura e do Autor Cearense

Data: setembro a dezembro de 2018

Local: municípios de Jijoca de Jericoacara, Senador Pompeu, Orós, São Gonçalo e Morrinhos.

Drama e superação dos cavadores de poços com silicose se misturam em “POÇO”, romance de estreia da médica Márcia Alcântara

 

O pó e seus diversos simbolismos passam pela vida do homem muitas vezes de maneira despercebida. Até ser notado. Desde a máxima de que dele viemos e para ele voltaremos, passando pela metáfora do pó utilizado no mercado de beleza ou como mal dizimador da dignidade humana no mundo das drogas, o pó pode ser visto tanto para o bem quanto para o mal.

Para a médica pneumologista Márcia Alcântara, a poeira ganhou outras proporções em sua vida na década de 1980, após ela se deparar com um crescimento assustador de mortes em moradores da região Norte do Ceará, especialmente nos municípios da Serra Grande.

Uma ampla pesquisa e a dedicação de mais de uma década de estudos e trabalhos de campo de Márcia Alcântara com outros profissionais a levaram a descobrir a silicose em cavadores de poços no município de Tianguá e outros quatro municípios da região, o que levou à criação de um programa de controle e erradicação da doença respiratória causada pela inalação do pó de sílica.

Mais de 15 anos de trabalho de prevenção e assistência médica levaram ao controle absoluto da doença nos anos 2000. Mas o pó e a silicose continuam presentes na vida de Márcia Alcântara. Hoje, com 76 anos, a médica se prepara para um novo embate contra esse inimigo oculto, desta vez no campo da Literatura. Após se formar no Curso de Escrita Criativa, ministrado pela premiada escritora Socorro Acioli, Márcia tirou da gaveta uma ideia inicial de livro produzida há seis anos e o transformou em sua primeira obra de ficção, “POÇO”, que será lançada nesta sexta-feira (10), às 19 horas, na Livraria Cultura, em Fortaleza.

A médica e agora escritora mergulhou no universo da criação para criar o romance “POÇO”, que conta a saga de uma dupla de protagonistas, os personagens Joel e a Doutora Sara, um alter-ego da autora. Os dois lutam, com mais alguns aliados contra uma doença letal, até determinado momento desconhecida, e que em dez anos matou mais de duas centenas de homens jovens, e mataria mais de mil e duzentos, se não tivesse acontecido a intervenção espontânea de um grupos de pessoas empáticas, altruístas e de valorosas atitudes humanas.

No texto ficcional de Márcia com raízes em fatos reais, o leitor é convidado a acompanhar a saga dos dois na descoberta da silicose, em uma narrativa onde, da sombra da morte se constrói uma teia de resistência e bravura com consequências impensadas desde o governador do estado ao mais simples cavador.

Para o médico Marcelo Alcântara Holanda, também pneumologista, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e filho da autora, “a vivência da realidade dura da perda precoce de saúde em meio aos sofridos determinantes culturais e sociais do sertão leva ambos, médica e paciente, cada um com sua história de vida, a moldar-lhes as reações e as emoções, e a profundas reflexões e descobertas sobre si e sobre o mundo”.

Na apresentação de “POÇO”, o também médico Valton de Miranda Leão alerta: “caso leiamos este livro com a preocupação de enxergar sua humanidade será possível extrair desse fundo de poço toda a riqueza de uma vidência que se consolida ao longo de dez anos de luta.” Para Socorro Acioli, escritora, jornalista e professora de Márcia Alcântara, no prefácio do livro, o envolvimento da médica com a situação dos cavadores de poços, vítimas da silicose, ultrapassa os limites da responsabilidade profissional. “Primeiro, Márcia atuou como cidadã responsável e consciente. O preço de sua coragem foi suportar o descaso, a desconfiança e algumas doses de preconceito e misoginia. Ela venceu. Lutou por essas pessoas com todas as armas e deixou seu legado.”

 

Serviço:

Lançamento do livro “POÇO”, da médica e escritora Márcia Alcântara

Data: 10 de agosto (sexta-feira)

Horário: 19 horas

Local: Livraria Cultura (Av. Dom Luis, 1010 – Aldeota)

Entrada Gratuita
198 páginas – Preço Médio: R$ 35,00

Fortaleza recebe espetáculo Grande Sertão: Veredas em duas únicas apresentações, dia 12 de agosto

 

Crédito: Annelize Tozetto

“Contar é muito, muito dificultoso”
“Carece de ter coragem…”

Como transpor ao palco uma leitura da maior obra literária brasileira do século XX? Mais que uma pergunta, esta foi a missão da diretora teatral Bia Lessa ao decidir coisificar os universos contidos em Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, e as inúmeras possibilidades de análise do romance. A resposta será apresentada ao público de Fortaleza no dia 12 de agosto, no Theatro José de Alencar, em duas sessões: às 16 horas e 20 horas. O espetáculo, vencedor do Prêmio APCA 2017 na categoria Melhor Direção (Bia Lessa), do Prêmio Shell nas categorias Melhor Direção (Bia Lessa) e Melhor Ator (Caio Blat) e do Prêmio Bravo! 2018 na categoria Melhor Espetáculo de Teatro (Grande Sertão: Veredas), chega a Fortaleza após temporada de casa lotada, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

No elenco estão Caio Blat, Luíza Lemmertz, Luísa Arraes, Leonardo Miggiorin, José Maria Rodrigues, Balbino de Paula, Daniel Passi, Elias de Castro, Lucas Oranmian e Clara Lessa. Para dar vida ao mítico sertão, Bia reuniu nomes como Egberto Gismonti (música), Camila Toledo (concepção espacial, com a colaboração de Paulo Mendes da Rocha), Sylvie Leblanc (figurino) e Fernando Mello da Costa (adereços).

“Contar seguido, alinhavado, só mesmo sendo as coisas de rasa importância.”

Bia conhece profundamente o Sertão de Guimarães Rosa. Ela levou o público para dentro da obra na inauguração do Museu da Língua Portuguesa (SP), em 2006. A exposição foi aclamada por onde passou. Agora, ela convida a plateia a um mergulho fundo na epopeia narrada pelo jagunço Riobaldo (Caio Blat), que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes (José Maria Rodrigues), fazer um pacto com o diabo e descobrir seu amor por Diadorim (Luíza Lemmertz). Trata-se de uma instalação, visitada e experimentada pelo público durante o dia no Theatro José de Alencar, e o espetáculo, encenado na mesma estrutura, em 2 horas e 20 minutos de encenação ininterruptas, com o elenco em cena permanentemente, em que o público experimenta a dissolução das fronteiras entre início e fim do espetáculo; entre teatro, cinema e artes plásticas; entre literatura e encenação.

“O teatro para mim é sagrado. Me dedico a ele de tempos em tempos, não me sinto com capacidade de realizar espetáculos um após o outro. Me deparei com o Grande Sertão e ele se apoderou de mim mais uma vez. Quando montei a exposição, algumas questões se apresentavam: a principal delas era como utilizar imagens sem que o significado do Sertão de Guimarães ficasse reduzido a um único lugar. A opção na época foi trabalhar apenas com palavras. No teatro, essa questão volta a se impor: ‘o sertão está dentro da gente’. Nosso caminho foi realizar um trabalho onde homens, animais e vegetais estabelecessem uma relação de diálogo sem supremacia entre eles. Não estamos exatamente no sertão, mas em um espaço “ecológico” e metafísico onde tudo cabe. Um espaço, uma imagem, que nos possibilita a experiência proposta pelo romance, sem obviamente realizar o romance tal como é – fidelidade absoluta (todas as palavras ditas são de Guimarães Rosa), mas liberdade infinita, visto que é apenas uma das leituras possíveis da riquíssima obra de Guimarães. Escolhemos não utilizar grandes efeitos ou recursos, a não ser a valorização do universo sonoro dos espaços propostos pelo romance, apenas os próprios atores”, pontua a diretora.

“O sertão está em toda parte”

A grande estrutura tubular concebida lembra um claustro, uma gaiola. Instalada na rotunda no Theatro José de Alencar, também é, ao mesmo tempo, cenário de violentas batalhas e de reflexões profundas. Como instalação, poderá ser visitada durante o dia. 250 bonecos de feltro com tamanho humano, criados pelo aderecista Fernando Mello da Costa, confeccionados com apoio do Instituto-E | Om Art, compõem uma imagem permanente: a cena da morte de Diadorim como um presépio, passível da participação do público, não só como espectador, mas também como agente da ação, ocupando o lugar da personagem. A trilha sonora completa a atmosfera do Grande Sertão: Veredas, composta por três camadas: os ruídos e sons ambientes, a música composta por Egberto Gismonti e a trilha sonora que representa nossa memória emotiva, com músicas que fazem parte de nosso imaginário. Os figurinos são uma leitura do sertão, sem regionalizá-lo – são personagens do mundo.

Em um trabalho tão artesanal, marca da diretora (que passou mais de 600 horas com o elenco, em ensaios diários por 92 dias), e de grande esforço físico (a preparação corporal foi um dos aspectos indissociáveis do trabalho de direção, com aulas de corpo por Amalia Lima diariamente durante os 4 meses de ensaio), a tecnologia foi fundamental para guiar o público em tantas veredas. Cada espectador usará fones de ouvido que permitirão escutar separadamente a trilha sonora, as vozes dos atores, os efeitos sonoros e sons ambientes, levando-o a um nível inédito de interação com a dimensão sonora do espetáculo. Apesar de todos compartilharem o espaço na plateia, cada um terá uma experiência única durante a apresentação.

“Essas são as horas da gente. As outras, de todo tempo, são as horas de todos”

 

Grande Sertão Veredes – Mostra Oficial – Crédito: Annelize Tozetto

 

 

SINOPSE

Em montagem inédita no Theatro José de Alencar, Bia Lessa propõe a um só tempo uma peça de teatro e uma instalação em sua adaptação do livro Grande Sertão: Veredas – matriz do moderno romance brasileiro e obra-prima de João Guimarães Rosa. A peça traz para o palco a saga do jagunço Riobaldo que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes, fazer o pacto com o diabo e viver seu amor por Diadorim. O cenário-instalação estará aberto à visitação do público.

BIA LESSA

Bia Lessa é uma artista multifacetada, cineasta, diretora de teatro e ópera, exposições, ganhadora de vários prêmios. Suas obras são exibidas em vários países, como Alemanha, França e EUA. Criadora do Pavilhão Brasileiro na Expo 2000 em Hannover, Mostra Redescobrimento na Bienal SP, Reabertura do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a ópera Il Trovattore, Pavilhão Humanidades 2012 (Rio + 20), reinauguração dos painéis Guerra e Paz de Candido Portinari na ONU em NY. No cinema, dirigiu os filmes CREDE-MI mostrado em festivais internacionais (Berlim, Biarritz, Nova Iorque, Jerusalem, Brisbane, Minsk, entre outros).

POR SILVIANO SANTIAGO

Para Bia Lessa, só o espetáculo teatral pode expandir a forma inovadora da literatura. Ela não adaptou duas obras clássicas do romance ocidental; levou ao palco os romances Orlando, de Virginia Woolf, e O homem sem qualidades, de Robert Musil, expandindo-os. E agora, quando a nação perde o norte da cidadania e esfarela a vontade dos brasileiros, Bia monta uma escultura na área de convivência do Sesc Consolação. No seu interior, encena o monstruoso e genial Grande sertão: Veredas, do nosso Guimarães Rosa.

Durante o dia, a escultura do Grande sertão: Veredas repousa como se fosse livro fechado, a espicaçar a curiosidade dos visitantes. À noite, a escultura expande o livro aberto. O leitor silencioso e introspectivo se metamorfoseia em espectador, parcela de um coletivo atento e participante, que se renova.

A gongórica e letal escrita de Rosa ganha o corpo dos atores. Empresta-lhes ação e fala. E a trama romanesca se desenvolve diabolicamente, com movimentos desordenados, afetuosos e anárquicos, qual máquina escultural assinada por Jean Tinguely, um dos fundadores do Novo Realismo. Novo Realismo igual a − diz o famoso manifesto − novas percepções do Real.

Grande Sertão: Veredas se expande como espetáculo teatral que libera – qual alegoria rigorosa da nossa contemporaneidade − o modo como os movimentos desenvolvimentistas sem preocupação social e humana não recobrem a nação como um todo. Pelo contrário. O esforço positivo da modernização é localizado, centrado e privilegia. Nas margens, cria enclaves de párias – bairros miseráveis, favelas, prisões, manicômios, etc. − onde violentas forças antagônicas se defrontam e se afirmam pela ferocidade da sobrevivência a qualquer custo, acirrando a irascibilidade do controle e do mando. Viver é perigoso.

Extraordinário em Guimarães Rosa é que, no mais profundo da vida humana miserável e autodestrutiva, na morte, há lugar para o afeto e o amor. Ao compasso de espera, Riobaldo e Diadorim dançam novos e felizes tempos. Piscam a alegria de viver, como vagalumes que a mata libera à noite.

Silviano Santiago

FICHA TÉCNICA

Concepção, Direção Geral, Adaptação e Desenho de Luz – Bia Lessa

Elenco – Balbino de Paula, Caio Blat, Daniel Passi, Elias de Castro, José Maria Rodrigues, Leonardo Miggiorin, Lucas Oranmian, Luisa Arraes, Luiza Lemmertz, Clara Lessa.

Concepção Espacial – Camila Toledo, com colaboração de Paulo Mendes da Rocha

Música – Egberto Gismonti

Colaboração – Dany Roland

Desenho de Som – Fernando Henna e Daniel Turini

Adereços – Fernando Mello Da Costa

Figurino – Sylvie Leblanc

Desenho de Luz – Binho Schaefer

Projeto de Audio – Marcio Pilot

Diretor Assistente: Bruno Siniscalchi

Assistente de Direção: Amália Lima

Direção Executiva: Maria Duarte

Produtor Executivo: Arlindo Hartz

Colaboração – Flora Sussekind, Marília Rothier, Silviano Santiago, Ana Luiza Martins Costa, Roberto Machado

Idealização e Realização: 2+3 Produções Artísticas Ltda

Apoio Institucional : Banco do Brasil | Globosat

Apoio: BMA Advogados | Instituto-E | Om Art

Agradecimento especial à viúva do Autor, a quem a obra foi dedicada, Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, à Nonada Cultural e a Tess Advogados.

© Nonada Cultural Ltda.

Produção local: Free Lancer Producções

 

Serviço:

GRANDE SERTÃO: VEREDAS

Dia: 12 de agosto de 2018 (domingo)

Horários: 16h e 20h

Local: Theatro José de Alencar

Informações da bilheteria: 3101.2583 OU 3101.2566, de 14h às 18h

Nos dias de espetáculos de 14h até o início do evento

Duração: 140 minutos

Classificação: 18 anos – (há cenas de nudez)

Ingressos:

Ingressos à venda na bilheteria do Theatro de terça a domingo, das 14 às 20h e

Lojas Blinclass Shopping Iguatemi e Rio Mar

Ou pelo site: https://ingressando.com.br

Valores:

Palco R$120 + R$ 3,00 de taxa (valor único)

Plateia R$ 100 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 50 + R$ 3,00 de taxa (meia)

Frisa e Camarote R$ 120 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 60 + R$ 3,00 de taxa (meia)

Torrinha R$ 80 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 40 + R$ 3,00 de taxa (meia).

Regras: Regras de meia-entrada: estudantes, idosos, menores de 21 anos, pessoas com deficiência, professores e profissionais da rede pública municipal de ensino.

Instalação (montada no saguão do Theatro José de Alencar)

Horário: das 14 às 20h

Classificação: livre