Browsing Tag

Espetáculo

“Você é o que lê” apresenta Maria Ribeiro, Xico Sá e Gregorio Duvivier em descontraído bate-papo sobre literatura

Fazer uma abordagem dinâmica e criativa da literatura como prazer e diversão. Esta é a motivação do bate-papo “Você é o que lê”, que chega à cidade de Fortaleza em dezembro de 2017, depois de passar por várias cidades brasileiras no último ano. O evento reúne no palco três autores e representantes da atual cena literária, jornalística, artística e cultural brasileira: Maria Ribeiro, Gregorio Duvivier e Xico Sá. O encontro acontece dia 10 de dezembro (domingo), no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

O elenco compartilha com o público seu amor pela leitura em uma conversa descontraída em que tudo se transforma em literatura: redes sociais, correntes do WhatsApp, ganhadores do prêmio Nobel – o que importa para os três é o encantamento por um bom livro e por boas histórias. A ideia do projeto é atrair leitores fiéis e futuros leitores para uma abordagem da literatura como prazer e diversão.

“Tornar a literatura muito séria prejudica muito o livro no Brasil, como uma coisa obrigatória, solene, ligada a grandes chatices. E o que projetos como o ‘Você é o que lê’ têm de bom é roubar a solenidade da literatura, mostrar que podemos falar do prazer de ler sem mesóclise, por exemplo. A literatura pode ir para o bar, a literatura pode ir para qualquer lugar”, diz o jornalista Xico Sá.

Os livros dão o tom da conversa, mas como na vida, o que estamos lendo também se confunde com a nossa narrativa pessoal. Maria Ribeiro, GregorioDuvivier e Xico Sá contam como diferentes autores marcaram fases distintas das suas vidas e contribuíram nas suas trajetórias como artistas e escritores. Discussões sobre a sociedade, política e educação também são constantes nos encontros, que já passaram por Salvador, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Aracaju, além dos festivais literários Flip (Paraty-RJ) e Tarrafa Literária (Santos-SP).

Os ingressos custam R$30 (inteira), mas quem levar um livro não-didático tem direito a pagar meia entrada. A ação é uma parceria do Você é o que lê e do Cineteatro São Luiz com o Centro Cultural Grande Bom Jardim (CCBJ), instituição que promove a criação, difusão, formação, direitos humanos e fomento à cultura na capital cearense, e que receberá os livros como doação.

Serviço:

“Você é o que lê” em Fortaleza
Data: Dia 10 de dezembro de 2017 (domingo);

Horário:  18h
Local: No Cine Teatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro, Fortaleza – CE)
Ingressos: R$30 (inteira) | R$15 (meia)

– Clientes que levarem um livro não-didático têm direito a meia entrada
– Vendas na bilheteria do teatro ou em www.tudus.com.br

Praça Portugal terá programação especial do Ceará Natal de Luz a partir do próximo domingo, 26



 

Pelo segundo ano consecutivo, a Praça Portugal receberá a programação cultural do Ceará Natal de Luz, que chega a 21ª edição como um dos maiores eventos natalinos do País. As apresentações começam no próximo domingo, dia 26 de novembro, e seguem até o dia 17 de dezembro, sempre nos sábados e domingos, a partir das 16 horas.

Para abrir os festejos, o público assistirá a um concerto de violões com grandes nomes e, em seguida, uma apresentação teatral do grupo Blitz Intervenções, especializado em espetáculos de Natal que preparou dois momentos especiais. No primeiro, bordados, richelieu, palha, varanda de rede e elementos do artesanato cearense darão vida a uma Sagrada Família cheia de riqueza cultural e de bons sentimentos. A cena vai mostrar que o Natal é momento de realimentar nossa esperanças, de replantar, reflorestar, para colhermos um futuro de muitas felicidades. Logo após, haverá um pocket show com as Renas do Papai Noel, Dona Árvore e Floquinho e Nevasca, os Bonecos de Neve.

E para encerrar o domingo, sobe ao palco do Ceará Natal de Luz, a Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará, formada por cerca de 65 integrantes distribuídos dentre os naipes das madeiras, metais, percussão e cordas, e que contará com a participação dos cantores Giorgi Gelashvili e Liana Fonteles. A direção e regência titular é do professor Alfredo Barros, maestro e compositor, doutor em Artes Musicais pela Universidade do Texas, Austin, EUA.

 

 

Parceiros

O Ceará Natal de Luz é uma realização da CDL de Fortaleza, Instituto CDL de Cultura e Responsabilidade Social e Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. E conta com o patrocínio das seguintes empresas e instituições: Sesi/Fiec, Indaiá, Esmaltec, Nacional Gás, Café Santa Clara, Zenir, Moinho Dias Branco, Casa Pio, Enel, Newland, Câmara de Vereadores, Prefeitura de Fortaleza e Banco do Nordeste. Tem ainda o apoio do Sindiônibus, do Sistema Verdes Mares, da Faculdade CDL e do Governo do Estado do Ceará.

 

Serviço – Ceará Natal de Luz

Local: Praça Portugal

Data: 26/11 (Domingo)

Horário: 16h Concerto de Violões

17h Apresentação teatral

18h Orquestra da UECE com os cantores líricos Liana Fonteles e Giorgi  Gelashivilli

18h30 Apresentação teatral

Maitê Proença traz a comédia “A esposa ideal” ao Theatro Via Sul Fortaleza

 
 

Baseado no conto “A Mulher de Bath”, personagem dos Contos da Cantuária de Geoff rey Chaucer, uma das figuras basilares da literatura ocidental, chega aos palcos brasileiros pela primeira vez, em uma tradução que resgata a eloquência popular de sua fala. Nesta adaptação para o teatro, esta viúva de cinco maridos, nos chega renomeada como “A esposa ideal”. Maitê Proença traz a comédia dias 25 e 26 de novembro, ao Theatro Via Sul Fortaleza.

Uma mulher de vasta experiência e de ardorosa oratória conta a história de sua vida, ao mesmo tempo inusitada e exemplar, universal e única: seus amores incansáveis, seus rigorosos rancores, suas paixões e vinganças, sua peregrinação à Terra Santa, suas traições e sua grandeza, seu conhecimento profundo do pecado, da salvação e do espírito humano. Sua odisseia pessoal é entremeada com o relato fantástico de uma época imaginária: o mundo das lendas do Rei Artur, quando seres feéricos
andavam pela Terra disfarçados em forma humana.

 

 

 

Por Maitê
A viúva Alice parece uma mulher de agora, uma dessas neo femininas do movimento que ressurge, só que mais falante, mais bem articulada, inteligente e desbocada. E eu imaginava que as mulheres daquela época (A Idade Média) ficassem em casa rezando pelo marido que morreu.  Esta já enterrou cinco e quer mais um. É uma peça ágil, movimentada e cheia de surpresas. Uma mulher de bom coração,
mas com índole indomável, revive seus cinco casamentos. Há brigas de casal, socos e beijos, tem rei, tem rainha, uma velha bruxa, um cavalheiro, um estuprador e uma virgem. Tem altas DRs. E tem fadas!
A linguagem bem moderna ora parece uma conversa íntima, com o ator falando direto para a plateia, e no momento seguinte, é teatral e física, com lutas e dança.

Chaucer teve a audácia e a graça de colocar essa história, que nós transformamos em teatro, na boca de uma mulher, uma viúva libertária.  Uma mulher que ama a vida, a alegria, o riso, o sexo, os homens, a diversão.  Ela é bem falante, tem ideias arrojadas e desejos a flor da pele, e a tudo descreve sem pudor ou mentira.  Alice é profundamente religiosa, e tudo o que faz, justifica pela Bíblia.  Nela o sagrado e o profano convivem perfeitamente bem.  Isso resulta divertido e cômico.

É um texto de interesse universal.  Uma mulher falando dos jogos e artimanhas do amor, das guerras infernais no casamento, do sexo e suas armadilhas, das diferenças entre homens e mulheres,
da necessidade da soberania feminina, de seu pleito por liberdade.  São as mesmíssimas questões de hoje. Ele foi surpreendente em sua época e vai surpreender agora.

O texto traz muitas mensagens.  Tem uma história dentro da história, que é profundamente moral, com
ensinamentos lindos.  Tudo é dito de forma simples e atual, pensando na comunicação com o público. Amir Haddad e eu fizemos questão de respeitar o público pra que jamais ele se sinta menos do que aquilo que está vendo no palco.


Serviço:

“A esposa ideal” com Maitê Proença
Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4.335 – Edson Queiroz
Datas: 25 e 26 de novembro
Horário: Sábado 21 horas e domingo 19 horas
Ingressos: R$ 80 (inteira)  R$ 40 (meia entrada)
Classificação indicativa: 12 anos
Capacidade do Teatro: 732 Pessoas
Vendas: www.ingressorapido.com.br e bilheteria do Theatro Via Sul
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.
Estacionamento no Shopping Via Sul
Informações: (85) 3099-1290

ESPETÁCULO JOIAS DO BALLET RUSSO CHEGA AO NORDESTE

 

 


Crédito: Carlos Feldman.

 

Bolshoi e Mariinsky, em Moscou, e Mikhailovsky, próximo a São Petersburgo, famosos pela projeção de grandes estrelas, oferecem a rara oportunidade de ver os principais solistas internacionais em um só espetáculo. Bárbaro! Fantástico! Maravilhoso! Esses adjetivos são frequentemente usados para descrever o vigor técnico aliado à graça e a beleza do espetáculo Joias do Ballet Russo, com grandes nomes da dança clássica. O show reúne os melhores bailarinos dos principais teatros do velho mundo, como Bolshoi, Mariinsky e Mikhailovsky, em um repertório majestoso composto por trechos das obras Lago dos Cisnes, Corsário e Quebra-Nozes. As apresentações ocorrem dia 29 de novembro, no Teatro RioMar Recife (Recife/PE); dia 1 de dezembro, no Teatro Riachuelo (Natal/RN) e dia 2 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza (Fortaleza/CE).
No elenco que passará pelo Nordeste, cinco dos principais solistas consagrados mundialmente. Entre eles, Alexander Volchkov, um dos expoentes do balé russo atual e membro do elenco principal do Bolshoi há 20 anos e a bailarina absoluta do Stanislavsky, Natalia Ledovskaya. Completam o time Anastasiia Lomachenkova, Nicolay Koripaev e Ekaterina Didenko.

A quantidade de medalhas e prêmios que estes solistas já receberam em competições internacionais formam um verdadeiro tesouro. Eles foram praticamente criados nos grandes teatros, pois permanecem ensaiando mais de 10 horas por dia, seis dias por semana.

Integram esse espetáculo bailarinos dispostos a enfrentar uma rígida disciplina de treinos e ensaios, pois só assim as dificuldades da arte conseguem superar o físico – afinal, fazer pliês e botar os pés em meia-ponta numa sapatilha apertada não são tarefas para qualquer um. Toda esta dedicação confere a eles a graça e a sutileza em cada movimento, próprios de príncipes e princesas dos contos de fadas.

Uma oportunidade singular para os amantes do bom balé de vê-los juntos em um único show, composto de belas paisagens e cenários delicados, ingredientes perfeitos para uma noite ao melhor estilo imperial da corte russa.

BALÉ CLÁSSICO

A arte do balé clássico tem sido por mais de três séculos favorita entre os príncipes, reis e imperadores. Embora o balé tenha nascido na Itália e desenvolvido na França – por isso os passos têm nomes franceses – foi no império russo onde ganhou seu esplendor. Os famosos czares durante séculos não pouparam esforços para ter o melhor balé no mundo, tanto que chamaram da França os melhores coreógrafos da época, entre eles Marius Petipa para mencionar apenas um maior, entre tantos.

Eles também importaram pedagogos, arquitetos, escultores e pintores para construir teatros luxuosos e o resultado não poderia ser melhor: o Bolshoi, em Moscou, e o Mariinsky, em São Petersburgo. As ordens continuaram e eles escolheram Tchaikovsky para compor a música de um bom Balé e por esse encanto a humanidade conheceu o fantástico “O Lago dos Cisnes”, além da incrível “Bela Adormecida” e “Quebra-Nozes”. Verdade é que os russos nunca pouparam gastos para a arte. Prova disso é que acabaram de completar os Jogos Olímpicos mais caros da história até hoje.

Mais informações dos solistas:

Alexander Volchkov

Nascido em Moscou. Em 1997, tendo ensaiado na Escola Coreográfica de Moscou (hoje a Academia de Coreografia de Moscou), na turma de Leonid Zhdanov, ele ingressou na Companhia de Ballet Bolshoi. Seu instrutor é Vladimir Nikonov. Repertórios: 1998 Trubadur (Romeu e Julieta. Coreografia por Leonid Lavrovsky); Friend to the Prince (Lago dos Cisnes. Produção de Vladimir Vasiliev). 1999 Prince Fortune (A Bela Adormecida. Produção de Yuri Grigorovich); ‘Two pairs’ in Part 4 (Sinfonia em Dó Maior) — criação no Teatro Bolshoi. 2001 Solista (Passacaille para música por Anton von Webern. Produção de Rolan Petit) — criação no Teatro Bolshoi. 2002 Friend to Ferkhad (A Lenda do Amor. Música por Arif Melikov. Produção de Yuri Grigorovich);

Count Albrecht (Giselle. Produção de Yuri Grigorovich, depois produção de Vladimir Vasiliev); Solista (Chopiniana). 2003 Phoebus (Notre-Dame de Paris. Produção de Rolan Petit) — criação no Teatro Bolshoi; Jean de Brienne (Raimonda. Produção de Yuri Grigorovich); Ferkhad (A Lenda do Amor); Paris (Romeu e Julieta. Criação de Declan Donnelan e Radu Poklitary). 2004 The Nutcracker-Prince (O Quebra-Nozes. Produção de Yuri Grigorovich); Prince Desire (A Bela Adormecida); Solista Parte 2 (Sinfonia em Dó Maior); Crassus (Spartacus); Hannan (Lea para música por Leonard Bernstein. Produção de Alexei Ratmansky). 2005 Lysander (A Midnight’s Summer Dream. Produção de John Neumeier) — criação no Teatro Bolshoi; Hero (Les Presages para música por Pyotr Tchaikovsky. Coreografia por Leonide Massine); Prince Siegfried (Lago dos Cisnes. Nova produção de Yuri Grigorovich). 2006 Boris (The Golden Age. Música por Dmitry Shostakovich. Produção de Yuri Grigorovich). 2007 Solista em Dança com Leques (Le Corsaire Adolphe Adam; coreografia Marius Petipa, produção e nova coreografia por Alexei Ratmansky e Yuri Burlaka); Class Concert (para música por diferentes compositores; coreografia por Asaf Messerer); Basilio (Dom Quixote, coreografia por Marius Petipa, Alexander Gorsky em uma versão por Alexei Fadeyechev). 2008 Solor (La Bayadere. Produção de Yuri Grigorovich); Philippe (As Chamas de Paris de Boris Asfiev. Produção e nova coreografia por Alexei Ratmansky após Vasily Vainonen) — criação; Lucien d’Hervilly (Paquita. Encenação e nova versão de coreografia por Yuri Burlaka); Couple in Red (Temporadas Russas. Música por Leonid Desyatnikov, coreografia por Alexei Ratmansky). 2009 Lambda (Zakharova Super Game, de Emiliano Palmieri. Coreografia por Francesco Ventriglia) — criação; Phoebus (Esmeralda por Cesare Pugni, coreografia por Marius Petipa, encenação e nova versão de coreografia por Yuri Burlaka e Vasily Medvedev). Em 2002, dançou o papel principal em Romeu e Julieta de Yuri Grigorovich para a Companhia de Ballet Kremlin — em uma performance para marcar o jubileu do coreógrafo. No mesmo ano, no Teatro de Ópera e Ballet de Tbilisi, dançou no papel do Príncipe Siegfried em Lago dos Cisnes (produção de Konstantin Sergeyev) e do Príncipe em O Quebra-Nozes (coreografia — Yuri Grigorovich). Em 2003, fez parte do Festival de Ballet Rudolf Nureyev em Ufa, onde interpretou em A Bela Adormecida e dançou no papel principal em Romeu e Julieta (coreografia — Yuri Grigorovich). Em 2001, obteve o segundo lugar na Competição Internacional de Dançarinos de Ballet Jovens, em Kazan.

Natalia Ledovskaya
Natalia Ledovskaya é uma das melhores representantes da escola de coreografia de Moscou, que combina técnica de ballet perfeita com uma performance vigorosa e uma arte extraordinária. Poucas bailarinas da atualidade têm qualidades como o apelo emocional e a performance brilhante e vigorosa que acentuam a forma clássica perfeita. Seu talento radiante torna Natalia Ledovskaya uma Kitry ideal: extravagante, charmosa, pungente em sua dança. Ela desempenha com audacidade variações extremamente difíceis, de tirar o fôlego, e está absolutamente em seu elemento como uma atriz de comédia. No entanto, o talento dela é multifacetado: ela pode transmitir com igual competência lirismo, tragédia e o ardor fervente das paixões. Suas heroínas clássicas são resultado de seu esforço sutil e meticuloso, sua devoção altruísta à arte. Sua Julieta (Romeu e Julieta, coreografia por Vladimir Vasilyev) é uma alma revelada em uma erupção de emoções. Sua Giselle é um coração ingênuo e vulnerável. A delicada Medora (Corsário), a encantadora Masha (O Quebra-Nozes), a apaixonada Esmeralda (Esmeralda) – em todos esses papéis, ela busca em primeiro lugar ser uma atriz em sua dança; todos os personagens clássicos dela irradiam seu charme individual. Natalia Ledovskaya impressionou pela leveza e rapidez de seu salto, a virtuosidade de suas piruetas, a rigidez incrível de suas poses, a precisão filigrana do desempenho em repertório clássico extremamente difícil. Todas essas qualidades, combinadas a seu movimento plástico livre e espontaneidade jovem, tornam as interpretações de papéis clássicos por ela inexplicavelmente encantadoras. A arte da jovem bailarina é vividamente demonstrada na performance que ela faz de coreografia moderna. Ela trabalhou com coreógrafos tão famosos quanto Dmitry Bryantzev (O Cavalinho Corcunda, música por R. Shchedrin, Bravo Figaro!, música por A. Kolker, Otello, música por A. Machavariani), Vladimir Vasilyev (Romeu e Julieta), Alex Ursulyak, Alexei Ratmansky e Marina Nikitina. Natalia Ledovskaya dança brilhantemente em The evening Dances, por Tom Shilling, em um dueto lírico de O Fantasma da Ópera por D. Briantzev e no Pas de deux de Tchaikovsky por George Balanchine. A diversidade da coreografia moderna ajuda a revelar as muitas facetas do talento da jovem bailarina. Ela está claramente fascinada pelos estilos modernista e neoclássico, bem como por jazz. Ao aprender novas formas e estilos plásticos, Natalia Ledovskaya nunca se esquece de que seu forte é o repertório clássico. É ali que sua feminilidade e a força de sua dança são claramente manifestadas. Esse estilo permite que ela crie obras-primas e busque a perfeição. Sua Bacchante irresistível de Noite de Walpurgis ou a Sylphide etérea oferecem dois argumentos brilhantes a favor do ballet clássico. Uma dançarina determinada e audaciosa, sempre pronta para correr riscos beirando o impossível, Natalia Ledovskaya ama a arte da dança pela beleza e expressividade de suas formas. O talento dela lhe rendeu aclamação internacional. Ela venceu alguns prêmios de competições internacionais e realizou com êxito turnês por capitais do ballet como Paris, Tóquio, Madrid, Buenos Aires, Caracas e outras. A frágil e charmosa, delicada, mas incansável Natalia Ledovskaya é uma genuína primeira-bailarina e uma estrela.

Duração: 90min.
Classificação: Livre

FORTALEZA
Dia 2 de dezembro
Sábado, às 21h
Teatro RioMar Fortaleza (Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500 Piso L3 – Shopping RioMar Fortaleza – Papicu / Fortaleza – CE)

www.teatroriomarfortaleza.com.br
INGRESSOS:

Setor Valor  Meia-Entrada
Plateia Alta R$ 160,00  R$ 80,00
Plateia Baixa B R$ 180,00  R$ 90,00
Plateia Baixa A R$ 200,00  R$ 100,00

*Descontos não cumulativos a demais promoções e/ou descontos;

** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo;
***A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Ceará:
– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.
– ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br
– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.
– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.
– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.
– PROFESSORES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE FORTALEZA mediante apresentação de carteira funcional emitida pela Secretaria Municipal de Educação e Assistência Social (SEDAS).
– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido por banco de sangue. São considerados doadores regulares de sangue aqueles registrados nos bancos de sangue cos hospitais do Estado do Ceará.
**** Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS:
Ingresso Rápido: 4003-1212
www.ingressorapido.com.br

Bilheteria do Teatro RioMar Fortaleza: Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500 Piso L3 – Shopping RioMar Fortaleza – Papicu / Horário de funcionamento: de terça-feira a sábado, das 12h às 21h, e domingo e feriados, das 14h às 20h. Em dias de apresentações: das 12h até o início da última apresentação. Segunda-feira: fechada.

 

Orquestra Filarmônica do Ceará recebe cantor italiano e apresenta o espetáculo ‘3 Tenores In Concert’ nesta quinta-feira (9) no Teatro José de Alencar

 

Para homenagear e relembrar sucessos que consagraram Luciano Pavaroti, Placido Domingo e José Carreras, a Orquestra Filarmônica do Ceará apresenta o espetáculo ‘3 Tenores In Concert’, que acontece nesta quinta-feira, dia 9, no Teatro José de Alencar. O concerto terá inicio às 19h30 e os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro, Restaurante Pipo, Istudius Coworking e Iprede.

 

O concerto será regido pelo Maestro Gladson Carvalho, acompanhado três cantores que vão interpretar clássicos do trio homenageado. Entre os intérpretes, o tenor internacional Leonardo Botti; italiano, estudou solfejo na cidade de Cremona (Itália) e canto e teatro no conservatório de Szeged (Hungria) com o barítono Gimesi Kalman. Também sobem ao palco do TJS, os tenores Ricardo Máximo; cantor lírico e popular, natural de Fortaleza e Leandro Cavalcante; bacharel em composição e regência, cantor, compositor com obras musicais executadas em países como México, Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Singapura e Reino Unido. Atualmente, colabora com arranjos originais do teatro do West End (Inglaterra) junto ao atual elenco do Fantasma da Ópera Britânico.

A apresentação encerra o calendário de eventos oficiais da Orquestra para 2017 com concerto inédito no Ceará. Na ocasião, a OFCE estará completa com seus mais de 40 músicos.

 

A Orquestra Filarmônica do Ceará surgiu em maio de 1998, em reunião na casa da mãe de seu criador, o maestro Gladson Carvalho; com o intuito de reunir os melhores músicos do Ceará em um trabalho ousado, promovendo formação de plateias, laboratório profissionalizante, geração de trabalho e renda para cerca de 70 profissionais da música.

 

A OFCE tem o apoio da D&E Entretenimento.

 

Serviço:

Data: quinta-feira  (9)

Local: Teatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525 – Centro)

Horário: 19h30

Valor: R$20 (meia) | R$40 (inteira)

Vendas: Bilheteria do Teatro José de Alencar, Restaurante Pipo, Istudius Coworking e Iprede.

Oficina Treinamento – Improvisação (Os Caminhos do Ator no Amok Teatro)

 

 

 

Salina – A Última Vértebra

 

Além do espetáculo Salina – A Última Vértebra (em cartaz de 16 a 19/11), o grupo carioca realiza a oficina Treinamento – Improvisação (Os Caminhos do Ator no Amok Teatro), que acontece no dia 18 de novembro, das 14h às 18h, na Sala de Ensaio da Caixa Cultural Fortaleza.

Conduzido por Ana Teixeira, pedagoga, diretora do Amok Teatro e da Casa do Amok, o encontro na oficina propõe um olhar sobre a improvisação no jogo do ator, como um caminho que articula técnica e organicidade. O Treinamento também objetiva desenvolver a presença cênica do ator, conhecer e edificar sua individualidade, acessar uma determinada linguagem cênica ou ainda, auxiliar diretores e atores na investigação de processos poético-pedagógicos.

 

As inscrições podem ser feitas de 06 a 10 de novembro, através do formulário http://bit.ly/2lNes2n. Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mailoficina@amokteatro.com.br. Podem participar atores com experiência, estudantes de artes cênicas e demais interessados a partir de 18 anos. O resultado da seleção sai no dia 13/11 e os participantes vão ser informados pela produção com listagem também divulgada na página do grupo amok teatro no facebook (https://www.facebook.com/amok.teatro/).

Secult realiza programação especial alusiva ao Dia da Cultura , 5 de novembro

No próximo dia 5 de novembro se comemora o dia da cultura. Com o objetivo de celebrar a data, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) preparou, nos seus equipamentos, uma programação especial para receber o Mês da Cultura. Ações acontecem, principalmente, no Theatro José de Alencar e no Cineteatro São Luiz. As atividades são gratuitas e a preços populares.

“Cultura é no mínimo dois, disse certa vez Gilberto Gil, portanto só podemos pensar em fazer cultura no plural. Na nossa relação com o mundo e como outro. É o ser e estar no mundo. É o se relacionar e perceber este mundo. Domingo, 5 de novembro, é uma data muito importante, porque a gente está comemorando tanto aqueles que fazem a arte (o fazer artístico cultural), como também a sociedade como um todo, que recebe e frui intensa e vive o mundo a partir desta relação, deste encontro com a cultura. Viva a arte que é liberdade, trincheira, resistência, é sementeira, que transforma, que resignifica e tem potência”, afirma Fabiano Piúba, secretário da Cultura do Ceará.

De Fora pra dentro

No dia 3 de novembro, em parceria com o grupo As 10 Graças de Palhaçaria, o São Luiz privilegia a rua e reúne na Praça do Ferreira, um dos principais palcos de Fortaleza, diversas expressões artísticas de múltiplas linguagens e estéticas da arte e da resistência cotidiana em Fortaleza. As atividades do dia iniciam, às 12h30, com Teatro de Bonecos do Circo Tupiniquim; segue com a peça “Conversa de lavadeiras” da Trupe Caba de Chegar; e Sarau Palavras e Resistência com Edivaldo Ferrer, Yasmim Queiroz, Felipe Firmino, Alisson Thag e Livia Maria.

Isso, sem falar na “Rua de todo o dia” que, constituindo o imaginário da cidade, revela os grandes nomes que fazem da rua um lugar de efervescência artística e cultural. A mostra será guiada pela dançarina Maya, apresentando nomes que habitam a praça há pelo menos 15 anos: o Palhaço Coloral e seu parceiro Ronaldo, o artista Eduardo Show da Vida, o malabarista cearense Robert e o chileno radicado cearense Rafael Sudaka.

E não para por aí, a programação também inclui a Instalação “No Olho da Rua: partilhas do sensível na madrugada”, com registros da artista Lissa Cavalcante; Mostra Galpão com os grupos “As 10 Graças de Palhaçaria”, “Cia. Ponto”, “Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis”, “Grupo Fuzuê” e “Cia CLÊ e Inquieta Cia”; Intervenção urbana “Vendedor de amor” de João Victor; “O Riso e o Som” com “Clube da Babananas” com Rayane Mendes e Igor Cândido, “Yeah” de Maurício Rodrigues, e Batuque de ODE dos Tambores de Safo.

Fechando a programação do dia no Cineateatro São Luiz, o Curta Mais Teatro apresenta “Três Travestis”, com Silvero Pereira, do Coletivo Artístico “As Travestidas”. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

No dia 4 de novembro quem se apresenta no Cineteatro São Luiz é Silva Moura com o espetáculo teatral “À Beira de…”. A entrada é gratuita e limitada a 80 lugares (público sobre o palco).

Fechando a programação alusiva ao dia da cultura no Cineteatro São Luiz, no dia 5 de novembro, às 18h, o São Luiz recebe João do Crato e Luiz Fidélis. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

João do Crato é personalidade preciosa da cultura do Cariri. Conhecido por ser audacioso, talentoso e dono de uma interpretação visceral, o músico resgata em seu repertório grandes nomes da MPB como Marinês e Adoniran Barbosa, além dos grandes nomes da música feita no Cariri, como Abidoral Jamacaru, Pachelly Jamacaru e Geraldo Urano, entre outros. Em suas apresentações, João mistura simbolismo, ritmo e dança.

Luiz Fidelis, por sua vez, é cantor e compositor regional. Versátil, não deixa nada escapar da sua visão de poeta. Com mais de 200 músicas gravadas, seu nome é sempre lembrado quando o assunto é Forró. Fidelis está presente no repertório de grandes nomes da música popular Nordestina, como Elba Ramalho, Marinês, Mastruz com Leite e Frank Aguiar, entre outros.

TJA

O Theatro José de Alencar também traz programação especial. No dia 5, acontece, de 15h às 20h, um “Ato pela liberdade da Arte”, com programação variadas com teatro, dança e música, um palco aberto para receber atores e atrizes. Uma ação realizada
em parceria com o Fórum de Teatro que contará com apresentações de artistas de diversas linguagens com palestras, discussões e debates sobre a liberdade de expressão hoje no Brasil.
Programação Completa – TJA e Cineteatro São Luiz

DIA 03/11 | SEXTA-FEIRA – Cineteatro São Luiz

[DIVERSAS LINGUAGENS] Dia da Cultura: arte como campo de resistência

12H30 [TEATRO DE BONECOS] Curta São Luiz:  “Lutas e Paixões de Mateus, O Topador de Boi”, com o Circo Tupiniquim

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall do Cineteatro São Luiz (Foyer).

As Lutas e Paixões de Mateus o Topador de Boi, espetáculo de mamulengo, popular, jocoso, mostra as aventuras de um dançador de boi que se vê impedido pelas autoridades “competentes” de realizar sua brincadeira, enquanto Mateus vai arranjando um meio de driblar a situação e dançar seu boi, procura envolvimento com o público no intuito de arranjar uma namorada, tudo isso a base de muito humor e muito riso típico do boneco popular nordestino.

13H20 | Conversa de lavadeiras com a Trupe Caba de Chegar

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

Texto de Robson Araújo, o espetáculo é a reafirmação do riso na rua. Conta a história de três lavadeiras que têm muita disposição para o trabalho, para a fofoca e o despeito. Entre “bacias e sabões” vão lavando a maior mazela da atualidade que é a apropriação do alheio, a cobiça, a inveja.

14H | Sarau Palavra e Resistência

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

A poesia tem se mostrado cada vez mais forte na cidade, saraus brotam quase todos os dias e se firmam nas periferias de Fortaleza, ocupando também o centro e as praças da cidade buscando ainda mais integrar a linguagem das ruas por meio da poesia falada num único espaço: a poesia oral, a arte de rua e a performance. Sendo assim, espaços para livre experimentação poética, em que o microfone é aberto para o público. Os poetas Edivaldo Ferrer, Yasmim Queiroz, Felipe Firmino, Alisson Thag e Livia Maria irão embalar o microfone com suas produções.

14H20 | Rua de todo dia

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

A Praça do Ferreira é um dos principais palcos da cidade de Fortaleza, historicamente os artistas de rua tem feito desse lugar um grande acontecimento poético, constituindo o imaginário da cidade e revelando os grandes nomes que fazem da rua um lugar de efervescência artística e cultural. A mostra será guiada pela dançarina Maya, apresentando nomes que habitam a praça há pelo menos 15 anos, o Palhaço Coloral e seu parceiro Ronaldo, e o artista Eduardo Show da Vida. O malabarista cearense Robert e o chileno radicado cearense Rafael Sudaka trazem o circo e o malabarismo das ruas em performances que desafiam a gravidade.

14H30 às 18H | Instalação No Olho da Rua: partilhas do sensível na madrugada

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Os devires se definem em um campo de multiplicidade, desdobramento da diferença, onde as forças que constituem o corpo entram em uma zona de vizinhança, fronteiriça. Os registros da artista Lissa Cavalcante constituem o olhar da partilha, da troca e do encontro em um dos principais palcos da cidade, a Praça do Ferreira, que durante três madrugadas abriu suas “portas” e recebeu o Grupo As 10 Graças de Palhaçaria, onde o instante se tornou outro, e os corpos ganharam vida, dando lugar a histórias, olhares e laços que se constituem através da arte.

16H | Mostra Galpão

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Um território em ruínas para se reerguer com toda a sua força. O Galpão da Vila é um espaço de fruição, formação, residência e resistência artística localizada no Benfica, sede dos grupos As 10 Graças de Palhaçaria, Cia. Ponto, Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis, Grupo Fuzuê e Cia CLÊ e Inquieta Cia. De Teatros. A mostra Galpão surge da união e do atravessamento entre as estéticas e poéticas desses grupos, que habitam a cidade entre o teatro, a rua e o circo contemporâneo em uma deriva de números, performances e outros surgimentos dessa potente mistura.

16H20 | Vendedor de amor

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira e ruas do Centro.

Intervenção urbana criada em 2014 pelo palhaço, performer e psicólogo João Victor, o trabalho é resultado de uma pesquisa continuada entre as poéticas da performatividade e a arte da palhaçaria, tendo a rua como local de experimentação, o vendedor de amor atravessa as ruas da cidade com sua mercadoria, bem as vezes tido como precioso, as vezes desvalorizado. O encontro e a troca fazem parte das relações abordadas na performance e o que acontecer quem diz é o cliente.

O Riso e o Som

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

17H10 | Clube da Babananas

Fechando a programação do dia, uma transa entre música e palhaçaria. O “Clube da Babananas” é construído em uma perspectiva moderna da bufonaria, é a ruptura das convenções amorosas. Desenvolvido pelo casal de palhaços Rayane Mendes e Igor Cândido, o número explora a sintetização do romantismo e o grotesco, gerando assim, um misto de sensações em seu público. O espetáculo resgata o humor ácido e burlesco dos cabarets europeus associado à palhaçaria cearense, trazendo à cena um casal que não hesita em compartilhar suas mais secretas intimidades, resultando em uma proposta moderna e hilariante.

17H40 | Yeah – Maurício Rodrigues

Um palhaço rock star, rock and roll, trocando rock por moedas, por miúdos, um rock de uma nota só. Um pedaço, um momento, rock bamba. Samba de um palhaço só. Só um palhaço, um pedaço, um momento…um momento…um momento. Utilizando instrumentos musicais como: Ukulele, baixo e bateria, Palhaço Batuta constrói o seu singelo show de rock. Transformando uma praça em um mega palco com direito à show pirotécnico.

18H10 | Batuque de ODE – Tambores de Safo

Composto por 22 batuqueiras, com alfaias, caixas, repiques, abês e agogôs, o Batuque de ODE é uma proposta de cortejo que nasceu através de oficinas de percussão realizadas pelo Grupo Tambores de Safo, com o apoio Tambor para Mulher. O grupo passeia por ritmos como o samba afro, samba de roda, coco, maracatu cearense e músicas da cultura popular.

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: “Três Travestis”, com Silvero Pereira, do Coletivo Artístico “As Travestidas”.

Entrada:  R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia). Classificação: 16 anos. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 70min. Direção: Silvero Pereira. Elenco: Silvero Pereira (Gisele Almodóvar), Rodrigo Ferrera (Mulher Barbada) e George Hudson (Betha Houston).

O Coletivo Artístico As Travestidas inova trazendo Gisele Almodóvar, Mulher Barbada e Betha Houston em um show com um repertório que vai de Caetano Veloso a Nina Simone. O espetáculo que integra a programação especial do Cineteatro São Luiz no mês em que se comemora o dia da cultura acontece no dia 3 de novembro, às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). “Três travestis” dividem o palco com quatro músicos para cantar as dores e alegrias de ser quem são. Dirigido pelo ator e dramaturgo Silvero Pereira, que viveu o personagem “Nonato” na novela global “A força no querer”, o espetáculo cênico-musical é um show inspirado na música homônima de Caetano Veloso.

DIA 04/11 | SÁBADO – Cineteatro São Luiz

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: À Beira de… , com Silvia Moura

Entrada: Gratuita (limitada a 80 lugares – público sobre o palco).

Local: Cineteatro São Luiz (Palco). Classificação: Livre. Duração: 40 minutos.

Um estado… momentâneo ou não. Estarrecedor. A necessidade de estancar para daí conseguir falar sobre algo ou sobre uma sensação causada por várias insatisfações. O desejo do nada se estabelecendo por ter tantos cúmulos… Sons de coisas caindo no chão, estilhaços, imagens de mãos segurando algo que… quase caiu. Um processo irreversível de extinção. Esse trabalho trata da busca por um estado de presença que estabeleça com o público uma relação de casualidade. O público ilumina o espetáculo, e é levado a procurar um lugar para conseguir ver o trabalho da forma que lhe for menos arriscado. É proposto ao público segurar objetos que podem cair, escolher um lugar para ficar, escolher que parte deve ser iluminada do trabalho, a interação direta com o público é parte da composição do trabalho.

DIA 05/11 | DOMINGO – Cineteatro São Luiz

18H [MÚSICA] Duo com Luiz Fidélis e João do Crato

Entrada: R$20,00 (inteira) / R$10,00 (meia) . Classificação: Livre. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 90min.

DIA 05/11 | DOMINGO – Theatro José de Alencar

15H às 20H
ATO PELA LIBERDADE DA ARTE
Jardim – Gratuito
Em comemoração ao Dia Mundial da Cultura, o Theatro José de Alencar e o Fórum de Teatro um ato pela liberdade da arte. E contará com apresentações de artistas de diversas linguagens com palestras, discussões e debates sobre a liberdade de expressão hoje no Brasil.

Espetáculo infantil Peter Pan chega ao Theatro Via Sul Fortaleza

 

 

 

O Theatro Via Sul Fortaleza vem inovando na programação infantil da cidade. Todos os meses um espetáculo entra em cartaz para a alegria da criançada. E desta vez, toda a magia de Peter Pan, o menino que não queria crescer, vai estar no Theatro Via Sul com o espetáculo infantil, de 4 a 19 de novembro, aos sábados e domingos, às 17 horas. Venha se encantar na Terra do Nunca!

Peter Pan uma vez saiu da Terra do Nunca e começou a escutar uma voz doce, a voz de uma menina que contava histórias. Ele, curioso, foi até a janela dela e passou a ouvir todas as histórias que ela contava. A menina linda se chamava Wendy e tinha dois irmãos: João e Miguel. Peter se apresentou a eles e os convidou para dar uma volta. Wendy estava tão fascinada com aquilo tudo que os irmãos foram para acompanhá-la.

Wendy e seus irmãos conheceram a aldeia dos índios, avistaram o barco pirata e viram os meninos perdidos. De repente, Capitão Gancho avista Peter Pan e seus novos amigos e resolve atacá-los. Peter, Wendy e seus irmãos conseguem fugir e vão se esconder na casa dos meninos perdidos. Eles moravam dentro de uma árvore oca e usavam roupas todas rasgadas. Encantaram-se com Wendy. Ela vendo que eles tinham muita vontade de ter uma mãe começou a contar lindas histórias.

Um belo dia, Capitão Gancho raptou a Princesa Índia Olhos de Lince. Todos se mobilizaram e Peter Pan a salvou do Capitão Gancho. O tempo passou e não satisfeito, o Capitão armou um plano de raptar os meninos perdidos e conseguiu! Raptou-os e  levou-os para seu navio Hiena dos Mares. Lá, ele os jogaria no mar para serem engolidos pelo crocodilo tic tac. Mas quando o pior iria acontecer, Peter Pan aparece e salva seus amigos. Ele luta valentemente contra o Capitão Gancho e vence a batalha.

Wendy, então, pede para voltar com seus irmãos para sua casa, pois seus pais poderiam estar preocupados. Peter Pan então os leva. Ao chegar na casa de Wendy, seus irmãos entram e ela fica para dar o último adeus a Peter Pan. Eles conversam e ela pergunta se ele não quer ficar ali com eles. Ele diz que não, pois a Terra do Nunca é a sua casa e lá ele não cresceria e poderia viver para sempre como criança. Ele se despede de Wendy. Ela o observa pela janela com saudades.

Elenco: João (Rebeca Louise), Miguel (Anny Maia), Wendy (Taynara Tavares/Lia Serra), Pai de Wendy (Luis Costa), Caolho (Erick Amaral), Mãe de Wendy (Natali Lima), Sereia (Beatriz Jansen), Peter Pan (Lucas Cavalcante, Náná (Tanile Ferreira do Carmo), Crocodilo (Ilo Campos), Gancho (Hiroldo Serra), Barrica (Cristiano Marques), Bicudo (Manuela de Sousa Vasconcelos), Calado (Lohayne Adrianne), Pequeno    (Gabriela Barroso Alves), Sininho (Laís Helena Camuça), Princesa Olhos de Lince (Larissa Goes).

Corpo de Baile: Larissa Goes, Fernando Moura, Taynara Tavares, Ana Beatriz dos Santos Jansen, Euvaldo Barros, Tanile Ferreira do Carmo, Sandy Estefane, Ilo Campos.

 

 

Serviço:
Espetáculo infantil  “Peter Pan”

Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4.335 – Edson Queiroz
Datas: 4, 5, 11, 12, 18 e 19 de novembro
Ingressos: Platéia inferior: Inteira R$ 20 e meia entrada R$ 10
Classificação indicativa: Livre
Capacidade do Teatro: 732 Pessoas
Vendas: www.ingressorapido.com.br e bilheteria do Theatro Via Sul
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.
Estacionamento no Shopping Via Sul
Informações: (85) 3099-1290

Theatro Via Sul Fortaleza recebe espetáculo “Mulheres Solteiras Procuram”

 

O que acontece quando mulheres solteiras resolvem contar todas as suas aventuras? É o que o espectador vai descobrir na premiada comédia “Mulheres Solteiras Procuram”, com Luciano Szafir e Pitty Webo, em cartaz nos dias 28 e 29 de outubro, no Theatro Via Sul Fortaleza.

Com Pitty Webo (que escreveu e dirige a montagem) e Wagner Trindade o espetáculo traz um painel bem-humorado das situações mais inusitadas que acontecem enquanto uma mulher está em busca do parceiro ideal. A peça nasceu da inquietude da autora que afirma se basear em histórias reais. Desta forma, os atores interpretam mais de 20 papéis através de moças solteiras que contam suas aventuras na procura da felicidade e o encontro com tipos pitorescos de homens, como namorados que desaparecem, ex-maridos que viram gays e homens casados. A direção, por sua vez, é inspirada nos conceitos cênicos de Peter Brook, Grotowski, Brecht e Domingos Oliveira.

 

Conceito

O século passado notabilizou-se por grandes transformações científicas, tecnológicas, econômicas e sociais, tendo os historiadores destinado um capítulo especial para o despertar da mulher, na busca de seus direitos e resgate de valores subjacentes. Entre as diversas causas do avanço da participação da mulher no mundo dos negócios destacamos o seu mérito pessoal, a escalada de desemprego, o sonho da independência financeira e econômica e a ajuda no orçamento familiar. A inserção da mulher contemporânea em cargos empresariais cada vez mais altos, sua independência e liberdade sexual são temas cuidadosamente tratados neste espetáculo

Através do riso, o espetáculo busca provocar uma a reflexão sobre questões pertinentes ao cotidiano dos relacionamentos do novo milênio: Quem deve pagar a conta no primeiro encontro? Por que os homens não querem mais casar? É possível ficar amiga do ex-namorado? E quando você descobre que ele é casado? Ou gay?

Pitty consegue desenhar os contornos mais minuciosos de cada personagem, com suas manias e comportamentos culturais. O resultado é uma harmonia deliciosa entre os atores em cena, que encanta a plateia.

 

Pitty Webo

A diretora, autora e atriz Pitty Webo é Bacharel em Artes Cênicas pela Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO) e formada também pelo curso profissionalizante de atores da Casa das Artes de Laranjeiras (C.A.L.). Pitty começou seus estudos dramáticos aos 13 anos no Teatro Tablado e atualmente cursa MBA em Gestão Cultural na Universidade Cândido Mendes.

Atuou em três novelas e duas minisséries na TV Globo, dois filmes, dezenove peças de teatro, ganhou o Prêmio Maria Clara Machado de melhor atriz quando interpretou o garoto Tom Sawyer. Escreveu e dirigiu oito espetáculos que são sucesso por todo o Brasil e lançou um livro de teatro que é o campeão de vendas da editora.

 

FICHA TÉCNICA

Texto e direção: Pitty Webo
Elenco: Pitty Webo e Luciano Szafir
Iluminação: Kadu Moratori
Preparação vocal: Centro de Tecnologia Musical Luciano Alves (CTMLA)
Figurino: Almir França
Trilha sonora e Não Cenário: Pitty Webo
Produção: Pitty Webo & Cultura
Fotografia: Aline Bittencourt

 

Serviço:

MULHERES SOLTEIRAS PROCURAM

Datas: 28 e 29 de outubro
Horário: Sábado, às 21h, e Domingo às 19 horas
Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4335 – Edson Queiroz
Ingressos: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia) – Plateia superior e inferior
Pontos de venda: Bilheteria do Theatro Via Sul e no site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br)
Capacidade do Teatro: 732 Pessoas
Informações: (85) 3099-1290
Classificação: 16 anos
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.
Estacionamento no Shopping Via Sul

Infantil: ‘As aventuras de Pinóquio’ chega ao Theatro Via Sul Fortaleza neste final de semana

As aventuras de Pinóquio do grupo Comédia Cearense estarão no Theatro Via Sul Fortaleza para encantar crianças e adultos, em cartaz dias 14 e 15 de outubro, às 17 horas.

Pinóquio conta a história de um carpinteiro chamado Gepeto. Toda noite quando termina de trabalhar, Gepeto mergulha em sua oficina e nela constrói um boneco de madeira, que representa um menino chamado Pinóquio. Então, pouco antes de dormir, Gepeto pede a uma estrela que o boneco se transforme em um menino de verdade.

Depois de tantos anos proporcionando felicidade aos outros, uma fada mágica vai visitá-lo e decide realizar o seu desejo. Com um toque da sua varinha, a fada dá vida ao boneco de madeira e promete que ele será um menino, contanto que seja sempre bom, sincero e generoso. Para dar uma mãozinha ao Pinóquio, a fada faz com que o Grilo Falante se transforme na sua consciência para que possa aconselhá-lo e guiá-lo, além de ajudá-lo a se comportar bem e entender as diferenças entre o bem e o mal.

João, a raposa,  e o gato Julião não perdem tempo e começam a colocar Pinóquio em apuros que, por sua vez, prefere não escutar as insistentes broncas do grilo. Depois de mentir e se meter em problemas por se achar mais esperto que os outros, Pinóquio finalmente entende que para realizar os seus sonhos, não há nada melhor do que honra, verdade e virtude. No final da história Pinóquio salva Gepeto que estava preso dentro da barriga de uma baleia e o recebe com alegria e com um amor que só um pai é capaz de dar.

 

 

Comédia Cearense

A Comédia Cearense é um dos mais antigos grupos teatrais do Brasil. Criada em 1957, sob coordenação do ator e dramaturgo Haroldo Serra, é uma instituição considerada de Utilidade Pública e reconhecida em todo o território nacional, não somente pelos seus 58 anos de existência, mas  principalmente pela qualidade de suas montagens e pela ação sócio-cultural que desenvolve junto à comunidade da região.

Ao longo de toda essa trajetória foram montados mais de 90 espetáculos em 160 montagens, sempre prestigiando e dando prioridade a textos onde os valores e saberes culturais nordestinos estiveram presentes, contribuindo com isso para a difusão da dramaturgia regional.

 

Elenco
Pinóquio (Rebeca Louise), Gepeto (Hiroldo Serra), Grilo Falante (Erick Amaral), Raposa (Natali Lima), Gato (Cristiano Marques), Stromboli (Luis Costa), Fada (Lia Serra)
Ficha Técnica: 
Adaptação e Direção – Hiroldo Serra
Iluminação – Ilo Campos
Cenários e figurinos – Haroldo Serra Jr.
Coreografia – Viliane Bento
Sonoplastia – Carlinhos Crisóstomo
Contra regra – Ozana Tavares
Serviço:

Espetáculo “Pinóquio”
Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4.335 – Edson Queiroz
Datas: 14, 15, 21, 22 de outubro
Ingressos: Platéia inferior: Inteira R$ 20 e meia entrada R$ 10
Classificação indicativa: Livre
Capacidade do Teatro: 732 Pessoas
Vendas: www.ingressorapido.com.br e bilheteria do Theatro Via Sul
Horário de funcionamento da bilheteria: De segunda a domingo, das 10 às 22h, inclusive feriados.
Acessibilidade: Elevadores, rampas de acesso e assentos especiais.
Estacionamento no Shopping Via Sul

Filmes, música, teatro e formação são algumas das atrações desta semana no Theatro José de Alencar

 

 

Com atividades que iniciam na quinta-feira (05), o Theatro José de Alencar traz uma semana de filmes, muita música de qualidade e formações artísticas resultantes da Oficina Costumer Designer Vivencial, que conta com a Participação da Orquestra de Câmara Villa Lobos. Além destas ações, a programação inclui a visita guiada ao teatro e destaques para os projetos de audiovisual que integram a Chamada de Ocupação do TJA.

O ponto de partida é o Cine Morro do Ouro, atividade de audiovisual que ocorre nesta quinta, 5/10, às 17h30, trazendo nesta edição o filme “Da Janela Lateral”, de Natércia Rocha. A exibição tem entrada gratuita, e classificação indicativa livre, podendo ser conferida no Teatro Morro do Ouro. O filme “Da Janela Lateral” aborda a solidão das grandes cidades, através de registros feitos do 9º (nono) andar do Edifício Paraguaçu, localizado no cruzamento entre as ruas Pedro I e Sólon Pinheiro, no centro de Fortaleza. O documentário de quinze minutos é dividido em três dias e duas noites, onde estão condensados fragmentos do dia a dia e suas contradições.

Ainda na quinta, às 19h o projeto Conexões Sonoras apresenta Allicya Guimarães e o Coral Do Canto da Apá em um belíssimo tributo a Wilson Simonal. Acompanhados de Eduardo Holanda e Hoto Júnior, Allicya e o Coral prometem uma noite de muita qualidade musical, em única apresentação no Foyer do TJA, com ingressos ao preço de R$ 20 e R$ 10 (meia), e classificação indicativa livre. A história de amor entre a Índia Iracema e o Guerreiro Martim ganha o palco do TJA em estreia teatral

Quinta também é dia de estreia do musical Iracema dos Lábios de Mel, às 19h, no Palco Principal do TJA. Trata-se de uma Livre adaptação do dramaturgo Ilclemar Nunes para a obra de José de Alencar, que conta a história de amor entre a Índia Iracema e o Guerreiro Branco Martim Soares, do qual floresce o brasileiro fruto da miscigenação: o mameluco Moacir. O musical tem a direção de Ilclemar Nunes, elenco totalmente cearense e mostra de forma visceral o amor, as guerras, a paixão, a amizade e os ritos dos índios que habitaram o Ceará. Com classificação indicativa de 14 anos, o espetáculo segue em cartaz de 5 a 7/10, às 19h e no domingo, 8/10, às 18h30. Os ingressos estão à venda na Bilheteria do TJA ao preço de R$ 30 e R$ 15 (meia). Classificação Indicativa: 14 anos.

 

 

Sexta de Música com Ponto.Ce no TJA

Uma das acões do maior festival de artes integradas do nordeste e que também vem se consolidando ao longo dos anos no calendário nacional de festivais independentes, o Ponto.CE recebe esta semana as bandas autorais Casa de Velho, Behú e Indiada Buena. A atividade tem por objetivo promover a interação de artistas cearenses com nomes de outros estados e países e ocorre sempre às 18h, das sextas-feiras, na Praça Pedro Boca Rica.

 

Formação Artística em destaque

Integrando o processo de conclusão da oficina de introdução e desenvolvimento de técnicas básicas em design aplicado à indumentária com vivência cênica, a partir das peças que compõem o acervo de figurino do Theatro José de Alencar, será realizada neste sábado 7/10, às 17h, no Pátio Nobre do TJA a apresentação resultante da Oficina Costumer Designer Vivencial. A atividade conta com participação especial da Orquestra de Câmara Villa Lobos. Para participar basta doar 01 kg de alimento não perecível.

Ainda no sábado, 7/10, às 19h, será apresentado no Teatro Morro do Ouro o Pauta Aberta, o Espetáculo “COMO ELE MENTIU PARA O MARIDO DELA”. Em pauta, uma cena curta escrita pelo autor irlandês Bernard Shaw, prêmio Nobel de literatura em 1925. Em atrito com este texto, que conta com uma estrutura dramática tradicional, a montagem opera com elementos característicos da pop art, assim como o exagero de emoções, citando a estilos teatrais como a do melodrama, entre outras referências que operam intertextualmente nesta cena curta.

A música ganha destaque também no sábado, às 19h30, e no domingo (8/10), às 17h30, no espetáculo CANÇÕES EM TECHNICOLOR, apresentado pelo Coral Folk, na Sala de Teatro Nadir Papi Sabóia. Criado em 2013, como um quarteto feminino com repertório de música folk, com foco na estadunidense, o projeto retomou as atividades em 2016 sob a forma de coro feminino. Nesta edição, destacará a voz e a presença da mulher como contadora e cantadora das histórias e poesias da música “folk. O espetáculo leva a direção de Carlos do Valle. Ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia). Classificação Indicativa: Livre.

 

 

Domingo é dia de Teatro Infantil

Pensada para o público infantil, a Pauta Aberta deste domingo, às 16h, apresentará gratuitamente o espetáculo infantil “POR ONDE AS LINHAS TORTAS SE ENCONTRAM, no Teatro Morro do Ouro. Em cena uma história de 2 clowns que se encontram, inesperadamente, após um desses fazer uma grande bagunça sozinho na cena. Nesse encontro uma conflituosa, engraçada e criativa relação dos dois se inicia, causando um grande alvoroço e confusão na cena. O grande barato é que a plateia também participa dessa grande emoção.

Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br

Fortaleza é a única do Nordeste a receber o espetáculo ‘RIO MAIS BRASIL, O NOSSO MUSICAL’

 

 

 

Idealizado por Gustavo Nunes, o mesmo de “Cássia Eller – O musical”, “Rio Mais Brasil, o nosso musical”, chega a Fortaleza  depois de passar pelo Rio de Janeiro e  Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. Fortaleza será a única cidade da região nordeste inclusa na turnê. As próximas cidades que recebem a super produção  são:  Campinas (20 a 22/10), Brasília (27 a 29/10) e São Paulo (03 a 26/11).

O espetáculo, que tem no elenco a atriz Cris Vianna e os atores Danilo Mesquita, Danilo de Moura e Cláudio Lins, traz personagens que contam a história de um produtor e de uma cineasta que tentam realizar um filme documental inspirado no clássico “O povo brasileiro”, do antropólogo Darcy Ribeiro. Porém, em pleno processo de produção, o filme é inviabilizado por falta de recursos, situação esta, que se confunde com a realidade do musical vivida por Gustavo e Ulysses, que tiveram que interromper os ensaios em 2016 pelo mesmo motivo, pois um patrocinador, de última hora, recuou alegando que não podia arcar com os custos da produção.

Superado e fortalecido depois do imprevisto, “Rio Mais Brasil, o nosso musical”, encantou as plateias por onde passou destacando toda a riqueza cultural do povo brasileiro, passeando por uma musicalidade que vai do samba ao rap, onde os atores tocam os instrumentos e vários números serão feitos com percussão corporal, que é uma forma de utilização dos sons do corpo. A direção musical e arranjos são assinadas por Carlos Bauzys e Daniel Rocha.

Com direção artística  de Ulysses Cruz e texto da vencedora do prêmio Shell,  Renata Mizrahi, o espetáculo conta com mais 17 atores, cantores, multi-instrumentistas apresentando composições inéditas e canções consagradas na história musical do país.

 

 

Apresentado por

MINISTÉRIO DA CULTURA E OUROCAP

 

LEI DE INCENTIVO À CULTURA

 

Patrocínio Master

OUROCAP

 

Uma Produção

TURBILHÃO DE IDEIAS ENTRETENIMENTO

 

Realização

MINISTÉRIO DA CULTURA

BRASIL GOVERNO FEDERAL

 

Produção Executiva local 

Milca Luna e Verônica Sobreira

 

 

SERVIÇO:

“Rio Mais Brasil, o Nosso Musical”

Data: 06 (21h), 07 (21h) e 08/10 (19h)

Local: Teatro do Shopping Rio Mar Fortaleza (Rua Lauro Nogueira, 1500, Papicu)

Classificação etária: 12 anos

Duração: 105 minutos

Valores dos ingressos: Plateia Alta (R$ 50,00 – inteira e R$ 25,00 – meia), Plateia Baixa B (R$ 100,00 – inteira e R$ 50,00 – meia) e Plateia Baixa A (R$ 150,00 – inteira e R$ 75,00 – meia )

Vendas:

– BILHETERIA TEATRO RIOMAR (Rua Lauro Nogueira, 1500 loja 3001 – L3, Papicu)

Horários de Funcionamento:
De Terça a Sábado das 12h às 21h

Domingos e Feriados das 14h às 20h.

OUTROS PONTOS DE VENDA

Ingresso Rápido
https://www.ingressorapido.com.br/venda/?id=1207#!/tickets

Telefone: 4003-1212

Teatro Nadir Papi Saboya apresenta musical infantil em homenagem a Chico Buarque

 

 

Aproximando o público infantil à cultura, a Organização Educacional Farias Brito apresenta, em seu Teatro Nadir Saboya o espetáculo: Caminho Encantado, uma homenagem à obra de Chico Buarque de Holanda, Os Saltimbancos. Esta é a terceira edição do projeto de Espetáculos Infantis do Farias Brito com o Grupo Encantos, apresentados no Teatro.

A próxima edição acontece no dia 30/09 (sábado), as 17h30m. Atividades infantis acontecem a partir das 16h30m, onde a criançada vai poder colorir, brincar e se encantar enquanto aguarda o início do espetáculo.

 

Sinopse:

O espetáculo Caminho Encantado é uma homenagem do grupo Encantos a grande obra de Chico Buarque de Holanda, Os Saltimbancos, um verdadeiraclássico infantil. O grupo também apresenta arranjos musicais totalmente novos, como uma versão em samba-rock e bossa nova da música “A cidade ideal”. A narrativa dos quatro bichos, o jumento, o cachorro, a galinha e a gata, que se unem para enfrentar os maus tratos e as injustiças que sofriam ensina muito às crianças. Lições como: solidariedade, amizade, justiça e cuidado ao meio ambiente formam a mensagem fundamental que o espetáculo deseja plantar em seu público. Nesta adaptação, dá-se ênfase à forma como união e a amizade dos bichos lhes permite buscar o sonho de serem grandes artistas.

 

Serviço:

Espetáculo “CAMINHO ENCANTADO”

Local: Teatro Nadir Saboya, rua 8 de Setembro, 1331 – Varjota, Fortaleza

Data: Dia 30 de setembro, 16h30min – Atividades Infantis / 17h30min – Espetáculo

Vendas de ingressos: Lojas FB+ (em todas as sedes Farias Brito) e bilheteria do Teatro – Pagamento via dinheiro e todos cartões débito e crédito

Valor promocional ÚNICO para todos: R$ 20,00 (cobrança para crianças a partir de 2 anos)

Informações: 3486.9045

Organização Educacional Farias Brito

www.fariasbrito.com.br

Circo Porto Rico estreia no North Shopping Jóquei

 

O espetáculo do Circo Porto Rico chega ao North Shopping Jóquei, nesta sexta (29) e fica até 29 de outubro,  trazendo energia, brilho, sons e cores de um festival circense dentro da tenda mágica. O Circo Porto Rico faz apresentações em todo o Brasil e inclui atrações como o globo da morte com cinco motos, malabaristas, trapezistas, bailarinas, palhaços, o homem pássaro e Michael Jackson Maluco, dentre outras atrações. O público confere os espetáculos de terça à sexta, às 20h30, e aos sábados, domingos e feriados, em duas sessões, 18h e 20h. Censura livre.

 
Confira os valores dos ingressos:
Todos pagam meia entrada – Cadeira lateral: R$ 15 (criança) e R$ 20 (adulto); Cadeira central: R$ 20 (criança) e R$ 25 (adulto); Crianças até 02 anos e 11 meses não pagam; Ingresso infantil: de 03 a 10 anos. Local: Estacionamento B.

 

Sobre o Circo Porto Rico

Empresa gaúcha com mais de 10 anos de atuação. Seu espetáculo recebeu prêmios do Trofeu Picadeiro e Trofeu Arte Circense, ambos concedidos pelo Governo do Estado de São Paulo. A estrutura do circo possui entrada para deficiente físico e tem capacidade para 1500 pessoas por espetáculo.

 

Serviço:

Circo Porto Rico

Local: North Shopping Jóquei – no Estacionamento B

Data: 29 de setembro a 29 de outubro

Informações: (85) 3403.7042 e www.northshoppingjoquei.com.br

“Iracema dos lábios de mel: o musical” estreia no Theatro José de Alencar

 

A icônica história do amor proibido entre a índia tabajara Iracema e o guerreiro branco português Martim, criada pelo escritor José de Alencar, ganha estreia de inédita e livre adaptação pelo dramaturgo e diretor cearense Ilclemar Nunes. A versão “Iracema dos lábios de mel: o musical” faz curta temporada no palco principal do Theatro José de Alencar (TJA), ficando em cartaz de 05 a 08 de outubro (de quinta-feira a domingo), às 19 horas.

Com elenco formado por 23 atores cearenses, músicos e equipe técnica composta basicamente por grandes profissionais locais, o musical mostra de forma visceral o amor dos protagonistas, que viceja no nascimento do brasileiro fruto dessa miscigenação: o mameluco Moacir, entre as guerras, a paixão, a amizade e os ritos dos índios que habitaram o Ceará. Projeto incentivado pelo VIII Edital Mecenas, da Secretaria da Cultura do Ceará, tem patrocínio do Grupo Zenir e do Expresso Guanabara, com apoio da Câmara de Comércio Brasil/Portugal, do Teatro da Boca Rica e do Teatro Antonieta Noronha.

A dramaturgia de “Iracema dos lábios de mel: o musical”, escrita por Ilclemar desde 1991 para o teatro, já foi antes de encenada como peça, transformada pelo autor em roteiro carnavalesco para o desfile da Escola de Samba Beija-flor de Nilópolis nesse ano. Agora, a singularidade do musical adaptado do romance original chega enfim aos palcos, tendo a personagem-título interpretada pela jovem Larissa Goes, enquanto o ator André Ximenes faz o papel de Martim (figura baseada no real primeiro colonizador português do Ceará, Martim Soares Moreno, que impõe aos índios a cultura civilizadora cristã européia).

Outros personagens também ganham novos intérpretes cantantes e dançantes na montagem, como Poti, o guerreiro pitaguary e amigo de Martim (feito por Gabriel Moraes); o pajé da tribo tabajaras (Beto Meneis); o guerreiro irmão de Iracema,Caubi (Mateus Honori); o chefe tabajara e inimigo de Martim, Irapuã (Bruno Prata); o cacique potiguara Jacaúna (Markos Vanucci, que também atua como um dos guerreiros), para citar alguns do grande elenco.

Ilclemar ressalta que a linguagem de Alencar já tem os ensejos cênicos apropriados, “até por ele ter escrito muitas peças”, mas aproveitou “a fluidez da narrativa original para ampliar a dramaticidade ao vivo; sobressaltar as atitudes e a personalidade feminina de Iracema, como também dar corpo aos outros personagens, até porque no livro-poema de Alencar, a índia dos cabelos negros como da graúna atua sozinha nas linhas, enquanto os embalos da prosa podiam virar os diálogos e entoações cantadas para se contar essa história em musical”, respalda.

Dessa forma, na ação teatral Ilclemar atribuiu vida aos aldeões e guerreiros das tribos Potiguares (do litoral e aliada dos portugueses) e Tabajaras (tribo de Iracema, nas serras cearenses, aliada dos franceses), que eram apenas citados na obra literária. Também fez surgir no palco as demais virgens indígenas, que são ao mesmo tempo, alter-egos e protetoras da Iracema central, sendo vivenciadas pelas atrizes Emille Castro, Belle Sena, Marina Vasconcelos, Luana Florentino, Janaina de Paula e Júlia Vasconcelos. Integradoras, o grupo das virgens é parceiro de Iracema nas ações e pensamentos da protagonista.

“Essa relação das virgens com Iracema a ajuda a não ter papel solitário na cena; auxiliam no romance dela com o estrangeiro, sofrem com ela durante o parto, entregam a bebida mística para que viaje em segurança, enfim, estão sempre presentes”, reitera. No palco, o elenco ocupa todo espaço temporal e interpretativo em cantorias e danças. “Inclusive ajudam a narrar passagens da história à platéia, como uma espécie de coro grego no espetáculo”, referencia o dramaturgo.

 

 

 

A preparação e as concepções para o musical Iracema

O musical traz as nuances todas do livro indianista: as guerras entre as tribos indígenas por domínios geográficos; a chegada do português Martim pelas terras potiguares, o que amplia o conflito em torno do romance com a índia da tribo inimiga dos tabajaras; a questão do abandono e dos desterros cearenses, até vir à luz o primeiro miscigenado Moacir, esse rebento mameluco brasileiro de quem somos todos “descendentes”. Para tamanha precisão e renovações, Ilclemar iniciou a montagem, reunindo elenco, músicos e toda a equipe técnica formada por cearenses, com exceção do maestro e compositor sergipano Ubirajara Cabral.

Além da adaptação e direção por Ilclemar Nunes, ele reuniu grandes profissionais do teatro local – a assistente de direção (Ana Cristina Viana); direção musical e composições (Glairton Santiago), cenografia (Rodrigo Frota com assistência e desenhos técnicos de Gabriel Dultra e produção executiva de cenografia e adereços por Fábio Vasconcelos), produção geral (Dora Freitas com assistente Priscila Lima), figurino e maquiagem (Dami Cruz e assistente Addila Costa), iluminação (Samir Kassouf) à coreografia (Paulo José) e toda preparação cênica. Nunes preponderou ainda, na premissa da própria juventude pertinente aos personagens do romance, que a formação do elenco é de jovens atores.

Após a seleção em série de testes, pinçou intérpretes iniciantes, vindos de cursos preparatórios ou mesmo de pequenos grupos teatrais, a maioria sem grande experiência nem vícios na atuação. A única precisão era a ênfase a quem cantasse bem. Fora o personagem do velho Pajé, vivido pelo experiente artista Beto Meneis, e do veterano ator Acácio de Montes nos papéis de Andira (o ancião guerreiro, tio de Iracema) e como o próprio José de Alencar, o restante do elenco tem faixa etária de 18 a 25 anos. Definido o elenco de novatos, Ilclemar e os preparadores de ponta da equipe técnica promoveram para todos que integram a aldeia tupiniquim em cena uma imersão de aprendizados, com oficinas durante três meses sobre canto, dança, movimentação cênica, expressão corporal e interpretação.

Adianta o diretor: “Temos integrantes que nunca subiram em um palco ou que jamais cantaram em cena. Oferecemos para esses jovens a formação e o preparo para um musical. E eles deram toda a alma! Além deles terem agora uma Iracema no currículo, o público verá o excelente resultado e as belas revelações”. Os ensaios aconteceram no Teatro da Boca Rica, na Praia de Iracema, onde a afinação e os compassos sincronizados às interpretações enlevaram as cenas de festas, ritos, do amor às guerras e tensões, em concepção mais moderna para uma naturalidade indígena, como ressaltou o preparador corporal, Paulo José. Sem caricaturas ou imitação superficial de tribais, as coreografias do plural elenco primam pela unidade coesa, privilegiando ao máximo o corpo musical, afinal um espetáculo do gênero, mesmo com ousadias, requer a harmonia e a intimidade com as canções que também contam a trama, junto aos textos e movimentações.

 

 

 

 

A Iracema de Ilclemar Nunes

Apaixonado pela obra e autor, Ilclemar repete um mantra que sempre “ao reler Iracema, me enterneço como da primeira vez; e mesmo hoje assistindo novamente às cenas como teatro musical, eu me emociono demais”, confessa, reiterando que “Alencar transforma o seu romance em verdadeira ode à beleza da nossa Terra da Luz”. Essa eternizada louvação ao livro remonta ainda ao ano de 1991, quando Nunes recebeu da Secretaria da Cultura do Estado (Secult) o convite para escrever um espetáculo em comemoração aos primeiros quatro anos do órgão estadual na então gestão do Governo Tasso Jereissati. A liberdade para a criação resultou na primeira versão da adaptação musical de Iracema.

Ilclemar distingue ao situar que a obra tem respaldo até em outras plagas. “Dei sorte, pois Iracema é um ícone nacional, não só cearense. Aliás, para terem uma idéia da universalidade do romance, em Cuba é usado até em questões no vestibular, além das traduções emvárias línguas, adaptações para cinema e encenações”. O hiato de 25 anos entre a criação até a montagem atual do espetáculo se deu por outra fábula. Apesar de ter os recursos assegurados, esbarrou na falta de profissionais na época para a devida captação e produção. Depois disso, já no ano passado, Nunes não resistiu e criou a versão do espetáculo como roteiro para o desfile da escola de samba carioca Beija-flor levar a história de Iracema à Sapucaí, em fevereiro.

Nunes, que já fazia carreira no Rio de Janeiro e também fora por três décadas jurado dos desfilesde carnaval carioca, adaptou a obra, mandou o enredo à porta-bandeira da Beija-Flor, a Selminha Sorriso (Selma Rocha), que adorou e passou ao diretor de Carnaval da Escola, o Laíla. De prontidão ele chamou Ilclemar para o trabalho e se fincar pelo Rio, onde desde 2001 dividia morada, entre estadas por Fortaleza. O sucesso do enredo e show foi bem além da 6ª colocação da escola no carnaval, e só motivou mais ao dramaturgo retornar à produção do espetáculo em teatro musical, que estréia nesse mês de outubro por Fortaleza.

Após a curta temporada de lançamento, “Iracema dos lábios de mel: o musical” retornará ao Theatro José de Alencar em 2018. No próximo ano, o musical também deve seguir em circuito nacional para mostras e apresentações no Rio de Janeiro, em São Paulo e Brasília, e já está em negociação para desembarcar em Portugal com o apoio da Câmara de Comércio Brasil/Portugal.

 

 

Mais sobre Ilclemar Nunes:

Natural de São Luiz do Curu (CE), Ilclemar Nunes (75 anos) é redator, dramaturgo, ator e professor de teatro. Integrante do Curso de Artes Dramáticas da Universidade Federal do Ceará (UFC), Nunes também é formado pelo curso de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-graduado em Artes Cênicas, na mesma instituição.

A estréia profissional como ator se deu ainda em 1964 na peça “A Noite do Iguana”, ao lado de Cacilda Becker e de Walmor Chagas, que dirigiu a premiada montagem. Como autor teatral, Nunes teve êxito imediato com a laureada peça “Do Sótão ao Rés-do-Chão”, que logo foi adaptada para o cinema como o filme “Soninha Toda Pura”, também em 1971. Roteirista de mão cheia, ainda jovem foi da equipe redatora de programas para J. Silvestre, e um dos autores da primeira versão do “Sítio do Picapau Amarelo” (Rede Globo), participando como ator em episódios. Também foi redator e diretor em outros programas e emissoras, como na TV Educativa do Rio (de 1962 a 2001).

Folião sempre, se tornou jurado por 30 anos (de 1984 até 2014) na Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), levando também ao Carnaval carioca de 2017 a icônica personagem Iracema para o desfile da escola de samba Beija-flor na Sapucaí. Antes de montar o espetáculo “Iracema dos lábios de mel: o musical”, publicou o texto em 2012, entre os 20 títulos da coleção de livros Edições Theatro José de Alencar, da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult).
Ficha Técnica:
Dramaturgia e Direção – Ilclemar Nunes

Assistente de Direção – Ana Cristina Viana

Direção Musical/ Composições – Glairton Santiago

Cenografia – Rodrigo Frota

Cenógrafo Assistente e desenhos técnicos – Gabriel Dultra

Produção executiva de cenografia e adereços – Fábio Vasconcelos

Produção – Dora Freitas

Produtora Assistente – Priscila Lima

Figurino/ Maquiagem – Dami Cruz

Assistente de maquiagem – Addila Costa

Iluminação– Samir Kassouf

Coreografia – Paulo José

Confecção dos arcos e flechas- Telma Pacheco

Confecção de adereços em madeira – Dedé da Talha

Cenotecnicos – Antonio Magalhães, Marciano nascimento, Marcelo Almeida e Mardem Almeida

Elenco:

Iracema – Larissa Goes

Martim – André Ximenes

Poti – Gabriel Moraes

Pajé- Beto Meneis

Irapuã – Bruno Prata

Jacaúna/Guerreiro – MarkosVanucci

Caubi- Mateus Honori

Andira/ José de Alencar – Acácio de Montes

Jaguarussu/ Guerreiro – Tonny Greg

Camurupim/ Guerreiro – Gedson Oliveira

Guerreiros- Pedro Silva, Christian Oliveira, Bryan Lima

Virgens- Emille Castro, Belle Sena, Marina Vasconcelos, Luana Florentino, Janaina de Paula e Júlia Vasconcelos
SERVIÇO:“IRACEMA DOS LÁBIOS DE MEL: O MUSICAL”
Local: Palco principal do Theatro José de Alencar (Praça José de Alencar s/n – Centro)
Data: De 05 a 08/10/17 (quinta-feira a domingo).
Horários: 19h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Classificação indicativa: 14 anos.
Mais informações:(85) 3101-2566.