Browsing Tag

Cultura

V FEIRA DO LIVRO E V JORNADA DAS LETRAS DE LIMOEIRO DO NORTE COMEÇAM NESTA QUINTA, 22, COM HOMENAGENS E PROGRAMAÇÃO GRATUITA

 

 

Começam na próxima quinta-feira, dia 22, na Praça da Igreja Matriz, a quinta edição Feira do Livro e a V Jornada das Letras de Limoeiro do Norte, juntas são o maior evento literário da cidade. A abertura está marcada para as 20h. Toda a programação é gratuita e vai até sábado, dia 24.

Nesta edição, o público vai participar de lançamentos de livros, oficinas, palestras, rodas de conversa com autores, recitais e apresentações musicais, e terá acesso aos estandes de exposição de livros, durante os três dias de evento. A Tenda das Artes, no largo da Igreja Matriz, terá apresentações de teatro, música e homenagens a Belchior, ao centenário do poeta Hercílio Pinheiro (1918 – 2018) e ao poeta Louro Branco.

A V Feira do Livro de Limoeiro do Norte é uma realização do Instituto Brasil de Dentro, em parceria com a Academia Limoeirense de Letras, e tem o apoio do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura do Estado, e da Enel.

Parte da programação, a Jornada das Letras, vai acontecer na Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos (FAFIDAM), que é um campus da Universidade Estadual do Ceará (UECE) em Limoeiro. Com o tema Literatura: Múltiplos Olhares, a roda de conversa vai reunir a Profa. Me. Fernanda Cardoso, o Prof. Me. Francisco Romário Nunes e a Prof. Dra. Sarah Maria Forte Diogo.

LANÇAMENTOS DE OBRAS

Entre os títulos lançados nesta edição, estão Aventura Jaguaribana, num ano de Estio de Agamenon Viana; Simplesmente Tião, de Avanir Fernandes Maia; A tragédia dos mil dias – a seca de 1877-79 no Ceará, de Cicinato Ferreira Neto; Para Belchior Com Amor, de Ricardo Kelmer; As cidades de Rubem Braga e W. Benjamin, de Ana Karla Dubiela; e Livro Zero, de Denis Akel.

 

 

CENTENÁRIO DO POETA HERCÍLIO PINHEIRO

Uma das principais homenagens programadas para esta edição de 2018 é ao centenário do repentista norte-rio-grandense Hercílio Pinheiro («1918 – U 1958), que morreu antes dos 40 anos de idade, em Tabuleiro do Norte-CE. Hercílio é considerado, até hoje, uma das maiores expressões da arte popular nordestina.

HOMENAGEM AO REPENTISTA CEARENSE LOURO BRANCO

Também homenageado nesta edição, o repentista Louro Branco, natural de Jaguaribe (CE), morreu no último dia 18 de janeiro, em Santa Cruz do Capibaribe (PE). Francisco Maia de Queiroz tinha 75 anos e era poeta e compositor, com mais de 700 composições e participação em mais de 400 festivais. Louro Branco começou a cantar aos 12 anos de idade; foi pescador, agricultor e vendedor ambulante, e viajou por quase todo o Brasil, propagando sua arte.

SHOWS E HOMENAGEM A BELCHIOR

Como parte da programação musical da V Feira do Livro de Limoeiro do Norte, haverá apresentações de Agamenon Viana, Banda Aécio de Castro (alunos do Colégio Diocesano), Maracatu Nação Jaguaribe e Banda Big Head.

No sábado, dia 24, o encerramento da programação será com Deilson Rabelo, Celinha Guará e Gildomar Marinho, que além de apresentarem o cancioneiro autoral e sucessos da MPB, prestarão homenagens ao cantor e compositor cearense Belchior («1946 – U2017).

Serviço

V Feira do Livro de Limoeiro do Norte

Data: 22, 23 e 24 de fevereiro de 2018

Local: Praça da Igreja Matriz (Praça José Osterne) de Limoeiro do Norte-CE

Horários: De 9h às 11h e de 17h às 23h.

Informações: (88) 99661-0512

Facebook: www.facebook.com/feiradolivrodelimoeirodonorte

Dragão do Mar anuncia programação cultural de 20 a 25 de fevereiro

 

Acompanhe as atividades culturais do Centro Dragão do Mar no período de 20 a 25 de fevereiro:

Geral: de segunda a quinta, das 8h às 22h; e de sexta a domingo e feriados, das 8h às 23h. Bilheteria: de terça a domingo, a partir das 14h.
Cinema do Dragão: de terça a domingo, das 14h às 22h. Ingressos: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia). Às terças-feiras, o valor do ingresso é promocional: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).
Museus: de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); sábado, domingo e feriados das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
Multigaleria: de terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

OBS1.: Às segundas-feiras, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura não abre cinema, cafés, museus, Multigaleria e bilheterias.

 

► I ENCONTRO DOS FESTIVAIS DE FOTOGRAFIA DO BRASIL

Grandes realizadores da fotografia no País vão se reunir no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura para o I Encontro dos Festivais de Fotografia do Brasil. A proposta do encontro surge do entendimento da relevância do movimento dos festivais de fotografia no Brasil, que cumprem hoje um papel essencial nas áreas de criação, formação e difusão da fotografia em nosso país. Por conta disso, cerca de 40 convidados de 22 festivais nacionais e instituições culturais brasileiras estarão reunidos em Fortaleza, de 22 a 24 de fevereiro de 2018. O Encontro de Festivais de Fotografia Brasil é uma realização da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, através do Instituto Dragão do Mar.

O encontro tem como objetivo a troca de experiências entre os diversos festivais, mas também de reflexão sobre a importância dessas atividades e como é possível fortalecê-las com a elaboração de uma agenda coletiva para que possam dar continuidade a essa contribuição fundamental para a Fotografia Brasileira. Política pública na área da fotografia, financiamento e sustentabilidade, curadoria e novos formatos de festivais, difusão, circulação, internacionalização e formação serão algumas das pautas a serem debatidas.

Entre os participantes do Encontro dos Festivais, estarão presentes o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron; Juliana Braga, do SESC SP; Sérgio Burgi, do IMS; e Fernanda Feitosa, do SP-Arte/Foto. Do Ceará, participam o fotógrafo Tiago Santana, idealizador do encontro; Glícia Gadelha, da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil; Patrícia Veloso, diretora do Encontros de Agosto; e Nivia Uchoa, diretora do Encontro Cearense de Fotografia no Cariri.

Angela Berlinde, que há muitos anos foi diretora dos Encontros de Braga, em Portugal, é uma das convidadas internacionais que estarão presente no encontro, assim como a fotógrafa Marizilda Cruppe (RJ), criadora do YVY Mulheres da Imagem, uma iniciativa que envolve mulheres de todas as regiões do Brasil. Também participarão: Alcides Okubo (DF), Carlos Carvalho (RS), Emídio Bastos (BA), Eraldo Peres (DF), Eugênio Sávio (MG), Fernando Bueno (RS), Giancarlo Micarelli (RJ), Iatã Cannabrava (SP), Lucila Horn (SC), Miguel Chikaoka (PA), Milton Guran (RJ) ,Guilherme Cunha (MG), Marcelo Fernandes (SC), Wagner Araújo (GO), Thamyres Viegas (SP), Ricardo Lima (SP), Monica Maia (SP), Talita Virginia (SP), Tibério França (BA), Mateus Sá (PE), Rosely Nakagawa (SP), João Kulcksar (SP), Sofia Fan (SP), Ana Lira (PE), Diógenes Moura (SP), Mariano Klautau (PA) e Rubens Fernandes (SP).

O Encontro dos Festivais de Fotografia do Brasil também vai anunciar a realização no Ceará da primeira edição do Prêmio Nacional Chico Albuquerque de Fotografia e do Festival Internacional de Fotografia do Ceará. Essas ações fazem parte do Plano Estratégico para a Fotografia no Ceará que está sendo construído pela Secretaria da Cultura do Estado, através do Instituto Dragão do Mar.

 

Exposição

O primeiro dia do Encontro dos Festivais do Brasil terá na programação a abertura de exposição inédita sobre o cearense Luciano Carneiro, fotojornalista com uma das mais expressivas produções do Brasil. Realizada pelo Instituto Dragão do Mar (IDM) e o Instituto Moreira Salles (IMS), a mostra intitulada “Luciano Carneiro: O Olho e o Mundo” terá abertura no dia 22 de fevereiro, às 19h, no Museu da Cultura Cearense, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Serão cerca de 300 fotografias registradas entre o fim da década de 1940 e ao longo da década de 1950, período em que o fotojornalista atuou na revista O Cruzeiro. Sob curadoria de Sergio Burgi, coordenador de Fotografia do IMS, a mostra pretende difundir a visão de um talento ainda pouco conhecido na história da fotografia brasileira e permite um denso recorte do início do moderno fotojornalismo no país.

Encontro dos Festivais de Fotografia do Brasil
Quando: de 22 a 24 de fevereiro de 2018
Onde: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Evento fechado a convidados

Encerramento do Encontro dos Festivais de Fotografia do Brasil com o Lançamento do Prêmio Nacional Chico Albuquerque de Fotografia e do Festival Internacional de Fotografia do Ceará
Quando: 24 de fevereiro de 2018
Onde: Cinema do Dragão (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Hora: 20h
Acesso gratuito e aberto ao público

 

 

► ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “LUCIANO CARNEIRO: O OLHO E O MUNDO

Parceria entre o Instituto Dragão do Mar (IDM) e o Instituto Moreira Salles (IMS) traz a Fortaleza exposição inédita sobre o cearense Luciano Carneiro, fotojornalista com uma das mais expressivas produções do Brasil. Intitulada “Luciano Carneiro: O Olho e o Mundo”, a mostra terá abertura no dia 22 de fevereiro, às 19h, no Museu da Cultura Cearense, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Serão cerca de 300 fotografias registradas entre o fim da década de 1940 e ao longo da década de 1950, período em que o fotojornalista atuou na revista O Cruzeiro. Sob curadoria de Sergio Burgi, coordenador de Fotografia do IMS, a mostra pretende difundir a visão de um talento ainda pouco conhecido na história da fotografia brasileira e permite um denso recorte do início do moderno fotojornalismo no país.

Luciano Carneiro foi um dos jornalistas mais atuantes de seu tempo. Em uma curta carreira, interrompida por sua morte aos 33 anos em um acidente aéreo, logo se destacou entre os principais nomes de O Cruzeiro. Trabalhou na revista entre 1948 e 1959, inicialmente como repórter e, no ano seguinte, escrevendo e fotografando. Nesse período, a publicação fez uma consistente inflexão em direção a um fotojornalismo mais humanista e engajado. Essa mudança foi concretizada por fotógrafos como José Medeiros, Flávio Damm, Luiz Carlos Barreto, Henri Ballot, Eugênio Silva e o próprio Carneiro, que passaram a integrar a equipe da revista, trazendo para as fotorreportagens maior ênfase na objetividade e no caráter documental e jornalístico.

Graças à enorme estrutura dos Diários Associados, grupo do qual a revista fazia parte, fundado por Assis Chateaubrinand, Carneiro pôde fazer séries de reportagens em quatro continentes, incluindo a cobertura da Guerra da Coreia, em 1951, sendo um dos únicos repórteres sul-americanos a cobrir o conflito. Com seu espírito aventureiro e com um brevê de paraquedista que possuía, saltou, ao lado do exército americano, sobre as linhas inimigas durante a guerra.

Carneiro documentou, em 1955, o trabalho humanista do dr. Albert Schweitzer na África – premiado três anos antes com o Nobel da Paz. Acompanhou a entrada de Fidel Castro e seus companheiros vitoriosos em Havana, em janeiro de 1959, e realizou ainda reportagens no Japão, na Rússia e no Egito de Gamal Abdel Nasser, presidente daquele país de 1954 até 1970.

No Brasil, realizou matérias sobre jangadeiros, posseiros, a seca no Nordeste, a herança do cangaço, as lutas estudantis e ainda diversas matérias reunidas na seção “Do arquivo de um correspondente estrangeiro” na revista O Cruzeiro, da qual era titular e onde expressava livremente suas opiniões. Ali, revelava influências da fotografia humanista do pós-guerra praticada por fotógrafos como Henri Cartier-Bresson, Robert Capa, Robert Doisneau e W. Eugene Smith. Era um contraponto à coluna de duas páginas de David Nasser, expoente de uma escola de jornalismo de viés sensacionalista, a qual Carneiro se opunha frontalmente.

Ao lado de Rachel de Queiroz, Luiz Carlos Barreto e Indalécio Wanderley, foi parte do elenco de jornalistas, fotógrafos e intelectuais cearenses que ajudaram a construir este grande veículo de comunicação de abrangência nacional e internacional que foi a revista O Cruzeiro. O Instituto Moreira Salles vem ao longo dos últimos anos dedicando-se à pesquisa sobre o fotojornalismo no Brasil, principalmente a partir da produção dos fotógrafos que atuaram na revista.

Apesar de sua evidente relevância, a produção fotográfica de Luciano Carneiro não foi ainda devidamente referenciada e pesquisada. Esta exposição é o primeiro passo mais abrangente nesta direção, com o objetivo de resgatar este importante legado, situando devidamente e definitivamente a obra de Luciano Carneiro no âmbito da fotografia e das artes visuais no Brasil. O conjunto de imagens apresentado corresponde integralmente à coleção de originais cedida ao IMS por sua família, em que se destacam as reportagens que realizou no exterior como correspondente da revista.

Além das fotografias originais, serão exibidos materiais de época, como revistas e fac-símiles de matérias. Outros destaques são: um vídeo sobre a importância da revista O Cruzeiro do ponto de vista de fotógrafos, com depoimentos de Luiz Carlos Barreto e Flávio Damm, que trabalharam na revista, e Walter Firmo e Evandro Teixeira, que nela encontraram a mais forte inspiração no início da carreira; e um minidocumentário produzido para a montagem original da exposição sobre Luciano Carneiro, com entrevistas de Ziraldo e Luciano Carneiro Filho, entre outros.

 

 

Sobre o fotógrafo

José Luciano Mota Carneiro (Fortaleza, 1926-Rio de Janeiro, 1959), filho de Antônio Magalhães Carneiro e Maria Carmélia Mota Carneiro, nasceu no dia 9 de outubro. Iniciou sua carreira como jornalista nos jornais Correio do Ceará e O Unitário, periódicos integrantes dos Diários Associados. Começou a fotografar nesse mesmo período e, em 1948, passou a integrar a equipe da revista O Cruzeiro, no Rio de Janeiro, como repórter. Suas fotos passariam a ilustrar as reportagens um ano depois.

Luciano Carneiro morreu tragicamente, no dia 22 de dezembro de 1959, em um acidente de avião próximo à cidade do Rio de Janeiro, quando retornava de um trabalho singelo em Brasília: fotografar o primeiro baile de debutantes da nova capital, então às vésperas da inauguração.

Dos destroços do avião, foram resgatadas suas máquinas fotográficas e os filmes com as fotos. A revista o homenageou publicando o que seria sua última matéria, no dia 16 de janeiro de 1960, sem título nem textos, apenas imagens – em uma delas, aparece o próprio fotógrafo refletido em um espelho. Antecedendo as imagens do acidente, na edição de 9 de janeiro, que anunciava o falecimento, foram publicadas duas páginas escritas por David Nasser lamentando a perda do colega. No texto, Nasser ressalta as diferenças entre o jornalismo praticado por ambos e, ao mesmo tempo, reconhece e enaltece sua objetividade e seu humanismo. Na edição de 16 de janeiro, foi Rachel de Queiroz quem publicou sua homenagem.

Dia 22 de fevereiro de 2018, às 19h, no Museu da Cultura Cearense. Visitação: de 23 de fevereiro a 13 de maio de 2018, de terça a sexta-feira, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Acesso gratuito.

 
► [LITERATURA] LANÇAMENTO DO LIVRO “EDUCAÇÃO ESTÉTICA NA UNIVERSIDADE: ANTROPOFAGIAS E REPERTÓRIOS ARTÍSTICO-CULTURAIS DE ESTUDANTES”

De Ana Cristina de Moraes

O livro aponta, de modo poético e ao mesmo tempo acadêmico, reflexões sobre as concepções de educação e experiência estética e as contextualiza com base na percepção de estudantes de licenciatura de uma universidade pública estadual cearense. Além disso, apresenta um olhar sobre o contexto educativo-cultural do Ceará e perspectivas importantes para a efetivação de uma proposta de educação estética na formação de educadores.

Dia 22 de fevereiro de 2018, às 19h, no Auditório. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

 

 

[TEATRO] DRÁCULA OU O DESMORTAL
Coletivo Soul Rumos

‘DRÁCULA ou o Desmortal’ é o novo espetáculo do Coletivo SouL, de Fortaleza-CE. Estrutura-se a partir de manuscritos apócrifos deixados por Bram Stoker, que transpõe para o texto dramático seu famoso romance “Drácula”. Este material, que resistiu inédito por cem anos, até ser publicado em 1997, é aqui vertido pela primeira vez para língua portuguesa, sendo, também de maneira inédita, encenado em palcos brasileiros. Conta com a dramaturgia da premiada escritora-encenadora portuguesa Patrícia Portela e do também laureado dramaturgo brasileiro Alexandre Dal Farra, num projeto de escritura a quatro mãos e de caráter transatlântico. A direção geral é de Thiago Arrais.

Fruto de viagens exploratórias (iniciáticas) do Coletivo SouL pela Amazônia Sul-Americana e pela Europa de Leste (Romênia), ‘DRÁCULA ou o Desmortal’ investe na obra de Stoker pela ótica do desconhecido, do saber da margem, das fronteiras culturais que tensionam as certezas do projeto moderno-ocidental de conhecimento. Numa assumida elegia a ignorância, o espetáculo propõe uma revisão deste nosso tempo presente, em favor do encontro com diferentes temporalidades e geografias, que Drácula encarna como aquilo que permanece ou convive com a sua própria morte (Un-Dead), sobrevivente, ameaçador.

Contemplado pelo Itaú Rumos Cultural 2015-2016, o projeto “DRÁCULA ou o Desmortal” itinerou, ao longo de um ano (novembro de 2016 a novembro de 2017) por cinco países, no cumprimento de sua pesquisa e atividades, a saber: Colômbia (integrando a travessia de quarenta dias do Soul no Noroeste brasileiro, no Alto Rio Negro Amazônico, em convivência com 23 distintas etnias e línguas indígenas e em contato com diversas cosmogonias produzidas naquela região, também designada como Cabeça de Cachorro); Romênia (percorrendo diversas regiões do país, sobretudo a Transilvânia, em que se situa a obra de Stoker, mas não só: e tendo o Coletivo SouL apresentado-se no ‘Festival Noapte Sanziene’, na região de Maramures, limite com a Ucrânia); Alemanha (região de Baldueinstein e encontro com a célebre guru Mãe Meera); França (participação no Festival MigrActions, em Paris, com leitura da obra “DRÁCULA ou o Desmortal”, então em processo) e Portugal, onde o Coletivo Soul promoveu uma ocupação de dois meses de atividades e residências em diálogo com a comunidade artística do país e estreou o espetáculo “DRÁCULA ou o Desmortal”, no Teatro Acadêmico de Gil Vicente, em Coimbra, com coprodução do mesmo.

A realização deste projeto contou ainda com a produção de importante material audiovisual, a registrar, por meio de mais de 60 horas de filmagem, com direção de André Moura Lopes, todo seu processo de incursão e travessia, e que, atualmente em fase de pós-produção, resultará numa fic.doc, espécie de obra paralela e congeminada a todo o processo, em que ficção e realidade se relacionam.

SINOPSE

‘DRÁCULA ou o Desmortal’ é o novo espetáculo do Coletivo Soul, concebido a partir de texto dramático apócrifo deixado por Abraham Stoker, publicado cem anos após ter sido escrito, e que conta, nesta versão em que é vertido pela primeira vez à língua portuguesa, com dramaturgia do brasileiro Alexandre Dal Farra e da portuguesa Patrícia Portela. Fruto de viagens exploratórias (iniciáticas) do Coletivo SouL pela Amazónia Sul-Americana e pela Europa de Leste (Romênia), ‘Drácula ou o Desmortal’ investe na obra de Stoker pela ótica do desconhecido, do saber da margem, das fronteiras culturais que tensionam as certezas do projeto moderno-ocidental de conhecimento. Numa assumida elegia à ignorância, o espetáculo propõe uma revisão deste nosso tempo presente, em favor do encontro com diferentes temporalidades e geografias, que Drácula encarna como aquilo que permanece ou convive com a sua própria morte (Un-Dead), sobrevivente, ameaçador.

Dias 22, 23, 24 e 25 de fevereiro de 2018, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Classificação etária: 18 anos.

 

► NOITE DAS ESTRELAS [astronomia]

Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica de Crateras da Lua, Planetas, Nebulosas etc.

Dias 22 e 23 de fevereiro de 2018, das 19h às 21h, em frente ao Planetário. Acesso gratuito. Em caso de céu nublado, a atividade poderá ser interrompida ou cancelada.

 

[MÚSICA] PRA VER A BANDA – COM A BANDA DE MÚSICA SEBASTIÃO TEODORO DE AQUINO (Santa Quitéria, CE)

Criado em 1996, o programa PRA VER A BANDA configura-se como uma das principais ações para a articulação da Rede de Bandas do Ceará. Entre 1996 e 2014, com cerca de vinte apresentações anuais, no Espaço Rogaciano Leite Filho, o PRA VER A BANDA oportunizou às Bandas de Música de todas as regiões do Ceará um espaço para apresentação onde estas corporações eram as protagonistas, com plateia cativa de pelo menos 200 espectadores sentados, sempre aos domingos, em meses alternados. O programa se propõe a se um espaço de difusão e fruição da música instrumental, por maio das Bandas de Música do Ceará e tem como objetivo apoiar, promover e fortalecer a Rede Estadual de Bandas de Música do Ceará. Nesta edição, confira a Banda de Música Sebastião Teodoro de Aquino (Santa Quitéria, CE).

Dia 25 de fevereiro de 2018, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Classificação etária: Livre. Acesso gratuito.

 

TODA SEMANA NO DRAGÃO DO MAR

Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
Sempre de sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D’Água. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Planeta Hip Hop
Crews de breaking e outras danças do hip hop promovem encontros entre dançarinos do gênero com Dj tocando ao vivo.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Brincando e Pintando no Dragão do Mar
Sob a orientação de monitores, uma série de jogos, pinturas, brincadeiras e outras atividades são oferecidas às crianças.
Todos os domingos, às 16h, na Praça Verde. Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

Fuxico no Dragão
Todos os domingos, uma feirinha de expositores de design, gastronomia e moda agita as tardes de domingo do Dragão.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.Classificação etária: Livre.

 

PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura informa que o Planetário Rubens de Azevedo modernização tecnológica. Está, portanto, temporariamente fechado para atendimento ao público amplo, funcionando apenas para escolas agendadas. Informações: 3488.8639 ou www.dragaodomar.org.br/planetario

EXPOSIÇÕES EM CARTAZ

► EXPOSIÇÃO “OS SERES SÃO VIVOS”
De Celso Oliveira

Como pode ainda funcionar a vida na terra? É a partir desse questionamento que Celso Oliveira inicia a pesquisa com a fotografia e os seres vivos. Em 2010 o fotógrafo começou a desenvolver o trabalho de investigação do seu olhar sobre a natureza ao nosso redor. “Os seres vivos se atacam e se transformam permanentemente, eu não sei como ainda estão vivos.” Intriga-se Celso.

O resultado dessa imersão em nosso meio ambiente pode ser visto na Exposição “Os seres são vivos”, no espaço Multigaleria do Dragão do Mar, com entrada gratuita. A exposição faz parte do ciclo programático Férias no Dragão – O melhor verão da sua vida, realizado pelo Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura e do Instituto Dragão do Mar com apoio da Prefeitura de Fortaleza.

Celso Oliveira apresenta 12 fotografias do Rio cocó, do litoral do Ceará, Maciço do Baturité, e o Parque Nacional dos Lençóis no Maranhão. A primeira parte da exposição passou pelo Estoril e agora será apresentada a segunda etapa que fica aberta para visitação até 28 de janeiro.

Nascido no Rio de Janeiro, o fotógrafo começou a carreira em 1975 enquanto trabalhava como assistente de laboratório no Estúdio Fotografismo e Artes. Em 1980, muda-se para Fortaleza, onde integra a equipe coordenada por Chico Albuquerque (1917-2000) no jornal O Povo e participa do grupo de fotógrafos Dependentes da Luz. De lá pra cá tem contribuído fortemente para a fotografia do Ceará, elaborando ensaios documentais e livros de fotografia.

Em cartaz até 24 de fevereiro de 2018. Visitação: de terça a domingo, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Acesso gratuito. Classificação etária: Livre.

MOSTRA AGREMIAÇÕES CARNAVALESCAS DE FORTALEZA ACONTECE NESTA QUINTA-FEIRA (08)

 

 

A comunidade do entorno do Dragão do Mar conta em 2018 com mais uma atração para o período festivo, que se iniciou em toda a cidade com o Pré-Carnaval. Com objetivo de valorizar os costumes tradicionais do fortalezense, democratizando o acesso a práticas e saberes culturais, acontecerá nesta quinta-feira (08), a Mostra Agremiações Carnavalescas de Fortaleza, no Centro Cultural Belchior. A programação gratuita começa às 18h e traz oficina de mamulengos para crianças e adolescentes, além das apresentações culturais do Maracatu Nação Iracema, Afoxé Acabaca, Bloco a Turma do Mamão e Escola de Samba Império Ideal.

O projeto promoverá a realização de uma oficina de manipulação de mamulengos voltada para as crianças até 12 anos com organização da teatróloga Reijane Reinaldo, ex-integrante do Boi Tungão do Mestre Pedro Boca Rica e diretora do teatro da Boca Rica, espaço instituído em homenagem ao maior mestre mamulengueiro do Nordeste Brasileiro, que se vivo completaria 80 anos de nascimento.

“O nosso objetivo é colaborar com ações que garantem o desenvolvimento de práticas de criação e difusão cultural, no âmbito da cultura e da infância, de uma tradição da cultura popular, recentemente considerada patrimônio cultural do Brasil, e com forte expressão no Ceará, o teatro de bonecos ou mamulengos”, explica Rejane Reinaldo, produtora cultural que está a frente desse projeto.

Também se apresentam as agremiações carnavalescas de Fortaleza, contempladas em toda sua diversidade: do maracatu e do afoxé aos blocos e cordões, até a escola de samba. O projeto Mostra Agremiações Carnavalescas de Fortaleza é uma realização do Instituto Assum Preto de Arte, Cultura, Cidadania e Meio Ambiente; com apoio da Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Ceará, por meio do XII Edital Carnaval do Ceará.

“O projeto vem promover a valorização das tradições carnavalescas do município, o fortalecimento das políticas de patrimônio, a preservação da memória e difusão dos usos e costumes do ciclo carnavalesco do Ceará, garantindo que crianças e jovens da comunidade do entorno do Dragão do Mar, do Poço da Draga e da Praia de Iracema tenham acesso às formações e produções culturais, contribuindo assim para o entretenimento e desenvolvimento da cidadania”, destaca Rejane.

 

Serviço:

MOSTRA AGREMIAÇÕES CARNAVALESCAS DE FORTALEZA

Data: 08/02/18 (quinta-feira)

Horário: A partir das 18h

Local: Centro Cultural Belchior (Rua Pacajus, 123- Praia de Iracema)

Mais informações: (85) 99705-7433 –

VI Festival de Música Cordas Ágio tem início neste sábado (27), na Vila da Música, no Crato

 

 

Surgido em 2012, no Distrito do Belmonte, município do Crato – Ceará, o Festival de Música Cordas Ágio chega à sua sexta edição em 2018, com programação marcada por atividades formativas e apresentações musicais entre os dias 27 de janeiro e 5 de fevereiro, na Vila da Música, na cidade do Crato. Criando um verdadeiro ambiente de fruição e formação musical durante dez dias, o festival traz shows shows de Jefferson Gonçalves e Beto Lemos; Zabumbeiros Cariris, Daniel Peixoto, André Magalhães, entres outros. Durante o evento acontece também o Encontro de Regional de Regentes das Macrorregiões dos Inhamuns, Centro Sul e Cariri e o Encontro Ceará Música. A realização do Festival de Música Cordas Ágio é da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), do Instituto Dragão do Mar, Vila da Música e da Sociedade Lírica do Belmonte (Solibel). Confira abaixo a programação.

Nesta edição, o Festival vem fortalecer a Vila da Música, equipamento cultural da Secult, surgido no ano de 2017 de uma parceria com a Solibel. A partir das atividades que desenvolve, o espaço vem se afirmando enquanto lugar de criação, fruição e formação artística, buscando reafirmar que a música possui extrema importância para a transformação e elevação do ser humano, principalmente no tocante a contribuição para a sua formação cidadã. Assim, o objetivo do Festival Cordas Ágio é ampliar e promover novos conhecimentos, difundindo, cada vez mais, o ensino de canto e técnica vocal, e de instrumentos como o violino, viola, flauta etc.

“Dentre os resultados que buscamos alcançar é importante destacar a promoção do intercâmbio cultural entre estudantes e artistas da região do Cariri, com artistas de outros estados e países. A expectativa é de que o conhecimento adquirido pelas pessoas que participarão dos processo formativos seja o início de uma caminhada rumo à formação superior em música ou mesmo a participação em orquestras e outras possibilidades de criação artística”, ressalta Dane de Jade, coordenadora da Vila da Música.

 

História do Festival

A musicalidade presente na região do Cariri mobilizou a criação do Festival de Música Cordas Ágio, que agora conta com a realização da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), do Instituto Dragão do Mar, Vila da Música e da Sociedade Lírica do Belmonte (Solibel). “O projeto do festival surgiu com o encontro de músicos que fazem parte da comunidade do Belmonte, sobretudo o Jocélio Rocha, que pensou esse festival. Hoje, o evento se torna um festival de formação e de fruição musical. Este ano é especial por comemorarmo os 100 anos do padre Ágio, um mentor da Solibel e, consequentemente, inspirou a construção da Vila da Música. Tudo aqui é feito a partir de troca de experiências, de valorização das identidades da comunidade, que tem um caráter musical fortíssimo”, destaca a coordenadora da Vila da Música, Dane de Jade.
Encontro Regional dos Rentes de Banda e o Ceará Música

Aproveitando o momento musical no Cariri, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) realiza o Encontro de Regional de Regentes das Macrorregiões dos Inhamuns, Centro Sul e Cariri, no sábado (27/1), de 9h às 18h, e no domingo (28/1), de 9h às 12h, na Vila da Música. O objetivo do Encontro é organizar o núcleo articulador composto por Regentes e Maestros de Bandas de Música e pesquisadores da área, visando contribuir para o fortalecimento da Rede Estadual de Bandas de Música do Ceará e a reestruturação do Sistema Estadual de Bandas do Ceará – SEBAM.

Também durante o Festival, na Vila da Música, na segunda (19/1) e terça-feira (30/1), de 9h às 17h, acontece o Encontro Ceará Música. Músicos,. regentes, produtores e outros representantes de cada região deverão apresentar suas atuais ações no campo da Música e o que planejam fazer, durante dois dias de programação, para a construção de novas parcerias inter-regionais. O Programa Ceará Música conta com os eixos de regulamentação, formação, produção, difusão, circulação, distribuição e memória da música, com objetivo de colaborar na construção das políticas públicas para a música no Estado, em um esforço conjunto do Fórum da Música, Instituto Dragão do Mar e da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult).
Homenagem ao Pe. Ágio

Completando 100 anos de dedicação ao ensino da música e formação de pessoas, Padre Ágio será o grande homenageado do VI Festival de Música Cordas Ágio. Fundador da Sociedade Lírica do Belmonte (Solibel), no Crato, Padre Ágio Moreira recebeu do Governo do Ceará a Medalha da Abolição, a mais alta comenda do Estado, honraria conferida por seu trabalho como fundador e diretor da Solibel, que beneficia alunos, todos de origem humilde, a maioria filhos de agricultores. Por anos, o padre formou jovens e crianças a partir do ensino de técnicas e teorias musicais.

 

Oficinas

O VI Festival de Música Cordas Ágio traz uma programação formativa, ofertando 19 oficinas com renomados nomes da música do Ceará e do Brasil. São aulas práticas e teóricas que vão desde o nível avançado até o nível inciante. As inscrições já foram realizada, gratuitamente. Confira abaixo a oficinas.

1. VIOLINO POPULAR (AVANÇADO)
PROFª. CAROL PANESI (SP)

2. VIOLONCELO (MÉDIO – AVANÇADO_
PROFª. AMANDA MELO (PB)

3. OFICINA DE SOPROS (MÉDIO E AVANÇADO)

FLAUTA TRANSVERSAL (NÍVEL: AVANÇADO)
PROFº. HERIBERTO PORTO (CE);
FLAUTA TRANSVERSAL – (NÍVEL: MÉDIO)
PROFº. JÚNIOR CRATO (CE);
CLARINETA (NÍVEL: MÉDIO)
PROFº. GILTÁCIO SANTOS (CE).

4. ORQUESTRA DE ACORDEÕES – (NÍVEL MÉDIO/AVANÇADO)
PROFº. RANIER OLIVEIRA (CE)

5. VIOLÃO – NÍVEL MÉDIO / AVANÇADO
PROFº. FABRÍCIO ROCHA (CE)

6. PERCUSSÃO (NÍVEL MÉDIO)
PROFª. RAQUEL LOPES (CE)
PROFº. MARCOS CORTEZ (CE)

7. INICIAÇÃO MUSICAL ATRAVÉS DA GAITA
PROFº JEFFERSON GONÇALVES

8. RABECA (NÍVEL MÉDIO) (
PROFº FABIANO DE CRISTO E PROFº BETO LEMOS

9. LABORATÓRIO CORAL DE MÚSICA POPULAR – INFANTIL
PROFº. MÁRCIO MATTOS (CE)

10. LABORATÓRIO CORAL DE MÚSICA POPULAR (NÍVEL MÉDIO E AVANÇADO)
PROFª. IZAIRA SILVINO (CE)

11. TÉCNICA DE ENSAIO E PRÁTICA DE BANDA DE MÚSICA
(NÍVEL MÉDIO/AVANÇADO).
PROFº. ARLEY FRANÇA (CE)

12. OFICINA DE CORDAS POPULARES (NÍVEL MÉDIO).
PROFª. CAROL PANESI (SP)

13. OFICINA DE CORDAS POPULARES (NÍVEL AVANÇADO)
PROFª. CAROL PANESI (SP)

14. PRÁTICA DE CONJUNTO (NÍVEL MÉDIO/AVANÇADO)
PROFº. RANIER OLIVEIRA (CE)

15. HARMONIA, IMPROVISAÇÃO E PROCESSO CRIATIVO.
PROFº. HERIBERTO PORTO (CE)
PROFª. CHANTAL LEVIE (BRUXELAS)

16. MÉTODO FELDENKRAIS
(TÉCNICAS DE RELAXAMENTO CORPORAL PARA MÚSICOS)
PROFª. CHANTAL LEVIE (BRUXELAS)

17. PRÁTICA DE ESTÚDIO
PROFº ANDRÉ MAGALHÃES

18. REGÊNCIA DE BANDA DE MÚSICA
PROFº. ARLEY FRANÇA

19. CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS E PRÁTICA PERCUSSIVA (M1)
PROFº MARCOS CORTEZ
Shows

Durante 10 dias, o VI Festival de Música Cordas Ágio promove uma programação intensa de apresentações musicais, para todos os gostos musicais, passando pela música erudita e popular. Serão 3 palcos na Vila da Música que abrigarão uma verdadeira festa musical. Confira a programação.
Espaço Cênico Padre Àgio Moreira – Auditório Vila da Música

27/01 – 19h – Abertura com a Orquestra Armorial do Cariri e Orquestra SOLIBEL Jovem

28/01 – 19h: Duo Café com Leite (CE)

29/01 – 19h: Fabrício da Rocha e Júnior Crato (CE)

30/01 – 19h: Duo IAÔ (CE)

31/01 – 19h: Grupo OCTABOSSA

01/02 – 19h: Recital de Violão com Cleyton Fernandes (CE)

02/02 – 19h: Grupo Vocal Set – (CE)

02/02 – 20h: Bruno Paiva

03/02 – 19h: Noite dos Mestres e Prata da Casa – Professores da Vila da Música e Convidados

04/02 – 19h: Grupo Ancestrália (CE)

04/02 – 20h: Orquestra de Cordas Populares (Carol Panesi – RJ)

Palco Passárgada: 01 a 04/2 – 20h30

01/02 – Trio: Rafael Belo Xote, Ranier Oliveira, Elidon (CE)

02/02 – Regilânio Ferreira e João Neto (CE)

03/02 – Fatinha Gomes

04/02 – Limiar do Desconhecido – show Absurdum Circus

Palco Padre Ágio: 01 a 04/2 – 22h

01/02 – 22:00 – Luciano Brayner (CE)

01/02 – 23:00 – Zabumbeiros Cariris (CE)

01/02 – 00:00 – Daniel Peixoto – Turnê Massa (CE)

02/02 – 22:00 – Banda Afinita

02/02 – 23:00 – Abdoral Jamacaru e Banda (CE)

02/02 – 00:00 – Banda Natabela (CE)

03/02 – 22:00 – Luiza Carlos Salatiel e Banda (CE)

03/02 – 23:00 – Dudé Casado (CE)

03/02 – 00:00 – Jefferson Gonçalves e Beto Lemos (RJ)

04/02 – 22:00 – João do Crato (CE)

04/02 – 23:00 – Yannick Delass e Banda (Republica do Congo/África)

04/02 – 00:00 – Banda Tiro Certeiro (CE)
Serviço:

VI Festival de Música Cordas Ágio
De 27 de janeiro a 5 de fevereiro
Local: Vila da Música – Crato
Entrada franca para todas atividades
Facebook: https://www.facebook.com/viladamusicasolibelcrato/

Sobral apresenta o espetáculo “Quem tem medo de travesti?” nesta quinta, 25


​Coletivo artístico “As Travestidas” (Foto: Lorena Armond)

 

Enquanto uma multidão se reunia na Praia de Iracema, no último sábado (20), para celebrar a diversidade e prestigiar o Bloco das Travestidas, comandado pelo ator e pesquisador cearense Silvero Pereira, alguma pessoa no Brasil morria por causa de sua orientação sexual ou identidade de gênero. Trata-se de uma contradição, que cria dois países: um que abre cada vez mais espaço para as demandas por representatividade e pela equidade de direitos, e outro que é campeão no mundo em crimes de ódio, contra travestis e transexuais.

Para ajudar a entender este cenário e acreditando na cultura como ferramenta de combate ao preconceito, o coletivo artístico “As Travestidas”, composto por atores, cantores e bailarinos, retorna aos palcos cearenses, na próxima quinta-feira (25), para discutir os principais desafios do universo “trans”, como o preconceito vivido ainda na infância e juventude, a baixa inclusão de transexuais no mercado de trabalho e a baixa expectativa média de vida das travestis brasileiras – 35 anos.

Em uma apresentação única e gratuita no Theatro São João (Praça São João, 156, Centro), em Sobral, às 19 horas, o coletivo artístico apresenta o espetáculo “Quem Tem Medo de Travesti?”, escrito e dirigido por Silvero Pereira, construído a partir de uma pesquisa histórica do papel da travesti no teatro e na sociedade, bem como fragmentos de vidas reais, coletados através de conversas com travestis, transexuais e transformistas que relatam sua participação no início das primeiras encenações, passando pelo glamour do teatro de revista e chegando à decadência e marginalização da figura “trans” na sociedade contemporânea.

 

Verão Sobral

De acordo com a presidente da Escola de Cultura, Comunicação, Ofícios e Artes (Ecoa), Luísa Cela, responsável por formular e implementar políticas culturais no município, o espetáculo selecionado para compor a programação do “Verão Sobral – Férias e Pré-Carnaval”, reafirma a arte como instrumento de questionamento e transformação social.

“A cultura tem uma capacidade muito forte de promover cidadania. Isso acontece quando você levanta uma discussão, que muitas vezes não tem espaço para ser publicizada, como é o caso da violência contra a comunidade LGBT, e você mostra (através da arte) que isso não é normal e que precisa ser combatido. Trazer esse espetáculo para o interior do Ceará é uma forma de contribuir para que a população LGBT possa se expressar em qualquer lugar sobre temas que dizem respeito a realidade de quem vive nessa condição”, explica.

 

Fique por dentro

O teatro-musical “Quem tem Medo de Travesti?” tem direção de Jezebel De Carli e Silvero Pereira. No elenco estão os artistas Denis Lacerda (Deydianne Piaf), Alicia Pietá, Patrícia Dawson, Italo Lopes (Karolaynne Carton), George Hudson (Bethânia Houston) e Rodrigo Ferreira (Mulher Barbada). A classificação etária é de 16 anos.

 

Serviço:

Quem tem Medo de Travesti?
Data: 25 de Janeiro (quinta-feira)
Local: Theatro São João (Praça São João, 156, Centro – Sobral)

Mais informações pelo telefone: (88) 3611.3324

Musical “Prometemos não chorar” faz temporada nas sextas de janeiro no Theatro Via Sul Fortaleza

 

O Grupo Ás de Teatro comemora quatro anos da estreia da comédia musical PROMETEMOS NÃO CHORAR, com temporada às sextas-feiras do mês de janeiro, no Theatro Via Sul Fortaleza. A peça, que tem grande engajamento nas redes sociais, já atraiu mais de 12.000 espectadores e participou de diversos festivais de teatro em Fortaleza.

O texto do espetáculo, escrito pelo diretor Glauver Souza em parceria com Vanessa Pinheiro e Bruno do Vale, passeia pelo universo brega, apresentando à plateia os sucessos e a estética do gênero. As canções foram escolhidas entre sucessos dos anos 1960 aos dias de hoje.

O elenco de 10 atores transporta a plateia à Fortal City, na década de 1950, para conhecer as irmãs Perfídia, Carol e Diana, que são obrigadas a trabalhar e conviver no Irapuan Clube, um bar comandado por Charlie Brown, já que a madrasta delas, Lady Laura, e sua filha, Sandra Rosa, usufruem de toda a fortuna que restou do falecido pai banqueiro das três. Enquanto Perfídia sonha em ser descoberta por Conceição, a famosa estrela de rádio, Diana se aproxima de Fernando, namorado de Sandra Rosa e sobrinho de Charlie Brown, e Carol continua investigando o mistério da morte de seu pai. Tudo muda quando ela chega perto da verdade, o que traz à tona a presença do Detetive Falcão para reacender a investigação.

As músicas bregas dão o tom indispensável na encenação. Com um repertório preenchido pelos maiores clássicos do gênero, PROMETEMOS NÃO CHORAR é uma viagem ao universo do romantismo exagerado e do amor sofrido. Todas as canções são interpretadas ao vivo pelos artistas. Figurinos e cenários transitam entre o luxuoso e o kitsch e revelam influência do Teatro de Revista de Walter Clark.

 

Grupo Ás de Teatro

O Grupo Ás de Teatro foi fundado em um ambiente educacional no bairro Montese, em Fortaleza, no ano de 2004. Em 2009, sai dos muros da escola e apresenta seu primeiro espetáculo adulto: “Você Não Consegue Parar!”, adaptação do musical “Hairspray”, com um elenco de 23 atores, a peça é construída em nove meses de ensaios e foi bem recebida por público e crítica em temporadas em diversos teatros da cidade até 2011 e obtendo público superior a 2.500 pessoas.

Em 2011, investindo na pesquisa de Teatro Musical e encarando desafios, o Ás de Teatro resolve montar um espetáculo com temática diferente do anterior. Em “Companhia” (adaptação do musical norte-americano “Company”), o grupo dissertou sobre relacionamentos adultos. “Companhia” esteve em cartaz até o ano de 2013, também recebendo plateias cheias e boa resposta da classe teatral. A peça foi reconhecida como Melhor Espetáculo, Direção, Ator, Atriz e Ator Revelação dos Prêmios Destaques do Ano de 2011.

Em outra decisão audaciosa, o Ás de Teatro muda novamente de estilo em seu espetáculo seguinte. Com “Audições Abertas – O Musical” (adaptação de “A Chorus Line”), de 2012, o elenco do grupo se renova ao contar a dura seleção de bailarinos para um espetáculo cênico.

Em 2013, celebrando seus quatro anos de trajetória profissional, o Grupo Ás de Teatro promoveu o “Concerto Ás em Quatro”. Admiradores do trabalho do coletivo e público em geral relembraram os três espetáculo anteriores, que foram retratados em algumas cenas representativas, e conferiram uma prévia da nova produção do grupo, o musical brega PROMETEMOS NÃO CHORAR. O “Concerto Ás em Quatro” foi apresentado na edição cearense do projeto Palco Giratório (em abril de2013), do Sesc, sendo o segundo espetáculo de maior público na mostra.
Após a estreia de PROMETEMOS NÃO CHORAR, o grupo, em 2016, deu mais um importante passo em sua trajetória ao estrear seu primeiro espetáculo infantil: “Os Bardos Cantadores de Histórias”. Além disso, era o primeiro espetáculo do grupo com canções autorais. Utilizando a estética Mambembe como referência, o grupo ressignificou signos presentes na cultura popular brasileira e mundial, desde sua narrativa até figurinos, objetos cenográficos e cenário.

 

Texto original de Vanessa Pinheiro, Glauver Souza e Bruno do Vale
Grupo Ás de Teatro
Direção: Glauver Souza

 

Serviço:
Prometemos não chorar – Um musical de classe
Datas: 12, 19 e 26 de janeiro (sextas-feiras)
Horário: 21 horas
Local: Theatro Via Sul Fortaleza – Av. Washington Soares, 4335 – Edson Queiroz
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Informações: (85) 3099-1290 ou 99105-0786 (WhatsaApp)

Espetáculo Cearábia apresenta a mistura exótica das culturas nordestina e árabe através da dança e da música


​Lenna Beauty. Foto: Caroline Bittencourt

Uma viagem que atravessa o antigo oriente e desembarca no sertão nordestino. O espetáculo CEARáBIA percorre as origens da miscigenação cultural, étnica e religiosa através da música e da dança, expondo traços das culturas islâmica, judaica, cigana, cristã, africana e indígena. De 11 a 14 de janeiro, às 20 horas, o Teatro do Dragão do Mar recebe um show que traz uma linguagem musical inovadora. Composta por um coletivo feminino de 20 bailarinas, com cerca de 150 figurinos com peças trazidas de várias partes do mundo, utilizados em nove atos, a apresentação conta com uma trilha sonora original e música ao vivo.

Idealizado e criado pela bailarina Lenna Beauty com o músico e produtor Yury Kalil e dirigido por Cristiane Azem, o espetáculo CEARáBIA estreou em 2012 em São Paulo, mas em 2017 passou por um processo de formação criativa, ganhando um novo formato. Ao invés de uma bailarina em cena, passou a contar com um coletivo de mulheres de diferentes idades e ocupações, profissionais da dança ou não, mas que carregam em comum a força do ser feminino e o amor pela arte.

Fugindo de todos os lugares-comuns, CEARáBIA apresenta as duas artes – dança e música – com pesos equivalentes, levando ao palco um grupo de mulheres que tecem uma narrativa histórica sobre a fusão cultural entre o Oriente e o Nordeste brasileiro, trazendo personagens míticos como a Sacerdotisa de Ur, Sherazade, Iracema e Maria Bonita, que simbolizam as culturas miscigenadas retratadas nas canções.

 

A banda

Mesclando baião com antigas melodias judaicas, passando por tradicionais hinos ciganos em rock’n’roll e guitarras distorcidas, a banda formada para as apresentações do CEARáBIA é composta por Yury Kalil (bateria, direção musical e composições), Fernando Catatau (guitarra), Milton Ferreira (baixo) e Bruno Rafael (guitarra).

As diversas similaridades entre o Nordeste, a Península Ibérica e o Oriente são notadas nos ritmos, cantos, rituais e trajes, fazendo com que o espetáculo viaje no tempo e no espaço. A apresentação inicia-se nas areias da antiga Mesopotâmia, com o número da Sacerdotisa de Ur, ao som de uma trilha misteriosa e pungente, finalizando nas areias do sertão com a cangaceira Maria Bonita, referência mítica do Cangaço.

 

Projeto

Cearense, a bailarina Lenna Beauty deixou o estado muito jovem para morar na Espanha, onde permaneceu durante 12 anos viajando constantemente ao Norte da África e Oriente Médio, formando-se com grandes maestros de música e dança, desenvolvendo uma sólida carreira internacional. Na sua trajetória se destaca a permanência por oito anos em MAYUMANA, importantíssima companhia de música e dança de Israel atuando em mais de 20 países em suas turnês. Através das profundas experiências com as culturas árabe, judaica e flamenca, Lenna reestabeleceu relações com sua terra natal. Embasada em pesquisas históricas sobre a colonização ibérica e nos intercâmbios pessoais, a artista construiu uma parceria com o produtor musical cearense e descendente de libanês Yury Kalil, proporcionando-lhe ainda mais liberdade na expressão de seus conhecimentos por meio da arte. Assim, nasce o projeto CEARáBIA, com música original criada por esses dois artistas cearenses unindo o Estúdio Lenna Beauty e com renomado Totem Estúdio, criado por Yury Kalil.

 

Serviço:

CEARáBIA – Dias 11, 12, 13 e 14 de janeiro de 2017, às 20h, no Teatro do Dragão do Mar (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema, Fortaleza – CE). Telefone: (85) 3488 8600 / (85) 3488 8608. Entrada: R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira).

Lei Rouanet permite doar parte do imposto de renda para causas sociais

 

 

Muitas pessoas desconhecem, mas através da Lei Rouanet (Lei 8.313/91) é possível destinar parte do seu imposto de renda para instituições e projetos de fomento à arte e cultura no Brasil. Esse benefício fiscal está à disposição de qualquer cidadão, seja pessoa física ou jurídica, e tem ajudado a manter projetos importantes de impacto social no país. A lei permite que o contribuinte, ao fazer a declaração de renda completa, tenha o valor investido ressarcido no ano fiscal seguinte ao ano do incentivo, na forma de abatimento ou restituição no Imposto de Renda, ou seja, ele contribui socialmente e ainda paga menos à Receita Federal.

No caso de pessoa física, a doação pode ser de até 6% do total do imposto devido, já pessoa jurídica pode destinar até 4% do total de seu imposto de renda anual, com base no lucro real. Segundo o Presidente do Instituto Brasil Solidário, Luis Salvatore, muitas pessoas não conhecem sobre a lei e deixam de participar por falta de informação. “Muitas pessoas possuem a vontade de ajudar, mas não sabem como podem contribuir com os projetos sociais, então é muito importante divulgarmos mais sobre a Lei Rouanet, no caso do Instituto, esses recursos são fundamentais para darmos continuidade as atividades que hoje já são multiplicadas em mais de 150 municípios no país. Além disso, é um mecanismo interessante aonde você pode decidir (e acompanhar de perto) para onde vai o uso de parte do seu IR”, ressalta.

Com atividades de Incentivo à leitura, arte e cultura, o Instituto Brasil Solidário já conseguiu implementar cerca de 255 bibliotecas em escolas da rede pública de várias regiões do Brasil, foram mais de 1.500 livros doados por biblioteca. Além do ambiente estruturado com organização de livros e espaços lúdicos, os cantinhos da leitura e a formação de professores também são incentivados através dos projetos. A instituição conta com um longo histórico de projetos multiplicados pelos próprios professores e até premiados por Secretarias de Educação, como 30 Minutos Pela Leitura, Anjos da Leitura, São João Literário, Teatro de Sombras, Teatro de Bonecos, Xilogravura e Oficinas de Música com materiais reutilizáveis.

A contribuição deste ano ainda pode ser realizada até o último dia útil de dezembro: o valor deve ser depositado na conta bancária específica do projeto aprovado (aberta e supervisionada pelo MinC) e, logo após o depósito, a entidade ou pessoa que propôs o projeto emite um recibo que servirá como comprovante para que a renúncia fiscal se efetue.

O financiamento direto de empresas privadas a projetos sociais tem se tornado cada vez mais difícil diante do cenário econômico em todas as regiões do Brasil e iniciativas como a Lei Rouanet, principalmente motivando pessoas físicas a participarem, tem permitido que muitas crianças e jovens possam ter a oportunidade do acesso à arte e a cultura.

Segundo dados fornecidos pelo MinC, desde a sua criação, a Rouanet já incentivou mais de R$ 16,4 bilhões pelo mecanismo de incentivo fiscal – nos últimos 20 anos, cresceu quase 100 vezes a captação de recursos via a lei: de R$ 111 milhões em 1996 para R$ 1,13 bilhão em 2016.

 

Educação, Arte e Cultura com dinheiro do seu IR!

Ações de educação, como a formação de bibliotecas e mediação de leitura, e oficinas musicais com crianças carentes, são exemplos de ações financiáveis pelo mecanismo da Lei. Com o Plano Bienal 2018-2019 do Instituto Brasil Solidário, duas cidades do Estado do Ceará receberão formação completa nas áreas de leitura e artes, com princípios de sustentabilidade e impacto em políticas públicas. Além disso o plano prevê a manutenção de ações já implementadas em diversas cidades e a produção de um livro e documentário sobre as histórias de transformação pessoais por meio dos projetos realizados.

 

Como fazer a doação!

Plano Bienal Brasil Solidário 2018-2019 (aprovado no artigo 18)

PRONAC: 177.488

Instruções de Depósito*:

Instituto Brasil Solidário – IBS

CNPJ: 07.456.934/0001-81

Banco do Brasil – 001

Ag. 6969-8

C/C: 20410-2

Maiores informações sobre os procedimentos:

Doações / Incentivo Fiscal

*Conta auditada pelo MINC e Banco do Brasil, exclusiva para realização do projeto pela Lei Rouanet. Envio do comprovante do depósito obrigatório para controle no MINC para danielle@brasilsolidario.org.br

Teatro Carlos Câmara recebe a programação do Programa “Hip Hop Gera” nesta sexta feira, 15

 

 

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) e o projeto “É o Gera” convidam para a programação do HIP HOP GERA no Teatro Carlos Câmara: as sextas-feiras serão dedicadas à formação em hip hop (Hip Hop Lab) em todas as linguagens que o compõem, como rap, saraus de poesia, batalhas de MCs, de b-boys e b-girls, de graffiti e beatmakers, encerrando com uma celebração que contemplará pelo menos uma das linguagens trabalhadas na formação (Hip Hop Gera).

Na programação proposta para esta sexta feira, 15/12, Cláudio Prado fará uma roda de conversa com membros dos coletivos participantes do “É o Gera” sobre atitude periférica com seus Delírios Utópicos. Em seguida, haverá um papo aberto sobre “Mulheres e o Movimento Hip Hop”, seguido por pockets show de Sarah Soul, Carolina Rebouças, Raciocínio Lógico e performance de Maria Jú, além de microfones abertos para poesias.

O projeto, com duração de 7 meses, surgiu a partir do diálogo entre profissionais que atuam na cena cultural de Fortaleza e os coletivos Servilost (Serviluz), Coletivo Natora (Carlito Pamplona/Pirambu), Raízes da Periferia (Oitão Preto) e Ocupa Cajueiro (comunidade do Dendê, Edson Queiroz), com o intuito de ocupar os espaços da cidade com a voz e a cara da juventude, gerando a formação, a difusão e o intercâmbio de novos protagonistas das artes na cidade. Toda a programação é gratuita.

Claudio Prado é um visionário e abre a programação, às 16h20 com um papo aberto com nossos coletivos sobre periferia de atitude. Nos anos 70 já compunha a comissão de frente da contracultura, produzindo shows de novidades que se revelariam grandes nomes da música brasileira, como Novos Baianos e Mutantes. Em Londres, para onde foi no fim da década de 60 para estudar sociologia, semeou amizade com o então exilado Gilberto Gil para, décadas depois, ser convidado pelo então ministro da Cultura para aconselhar sobre a aplicação da tecnologia digital nas manifestações culturais do país.

O universo dominado por temas e pela presença masculina no cenário mundial do hip hop está mudando conforme as mulheres seguem se empoderando em todas as áreas. É para debater o tema “Mulheres e o Movimento Hip Hop” que a rapper Carolina Rebouças mediará uma roda de conversa com, Laelba Batista ( Mestranda em Educação Brasileira da UFC), as MC’s Gabriela Savir e Sarah Soul e as Bgirl Maria Jú e Vanessa Aguiar, mulheres que atuam na cena hip hop cearense, fazendo com que seus shows sejam uma porta de entrada para o público feminino no rap, sem preconceitos nem fronteiras .

Seguimos a programação com um Pocket Show de Sarah Soul que faz parte da Convicção Ancestral desde 2016, constrói o Hip Hop Militante Nós Por Nós na zona sul da cidade de Fortaleza, acredita que a música e a cultura são o escape para o extermínio declarado a periferia.

É cosplayer desde 2015, também grava covers e joga na rede os áudios, escreve contos e poesias, e está na luta pelo espaço artístico na quebrada pelas mulheres, especialmente no hip hop. Em seguida teremos uma performance com Maria Jú dançarina de danças urbanas e contemporânea com vertentes fortes no Hip Hop dance. Atualmente uma das diretoras e coreografas do grupo de danças urbanas D´A SUL, e contribuindo para a representatividade feminina e negra nas danças urbanas

Para fechar a noite, teremos o microfone livre para poesias, pocket show com Carolina Rebouças que está na produção do EP MULTICULTURAL que têm influências regionais, da black music e ressalta a pluralidade da nossa música brasileira e ainda teremos o show de Raciocínio Cotidiano, o grupo tem influências musicais variadas e o segmento Gangsta como maior inspirador de suas letras rimadas, e, também passeiam por vários estilos dentro da cultura Rap.

 

 

 

O que vem por aí

Para além das apresentações, outras formas de ocupação contribuirão para o desenvolvimento das atividades, tais como feiras que impulsionam a economia criativa e o empreendedorismo, bem como debates, rodas de conversas e outros tipos de formações nas áreas técnicas de som, luz e produção, voltados para a profissionalização dos agentes integrantes de coletivos da periferia, qualificando os trabalhos que já são realizados.

 

 

 

 

Serviço

HIP HOP GERA
Local: Teatro Carlos Câmara – Rua Senador Pompeu 454 – Centro
Horário: 16h
Dia: Sexta feira, 15/12/2017
Entrada Gratuita

 

PROGRAMAÇÃO:

16h20 Papo Aberto “Cláudio Prado: Delírios Utópicos com a Periferia”

17h10 Papo-Aberto “As Mulheres e o Movimento Hip-Hop”

Convidadas:

Laelba Batista- Mestranda e pesquisadora

Gabriela Savir-Mc

Maria Jú- Bgirl

Sarah Soul- Mc

Vanessa Aguiar-Bgirl

Mediadora: Carolina Rebouças
Intervenções Artisticas com:

Pocket Show com Sarah Soul

Performance com Maria Jú
19h Microfone Livre para poesias.

19h30 Pocket Show com Carolina Rebouças

20h Show Raciocínio Cotidiano

Casa de Saberes Cego Aderaldo será inaugurada, em Quixadá, neste sábado (09)

 

 

 

A Casa de Saberes Cego Aderaldo, situada em Quixadá, é o segundo equipamento Cultural do Estado inaugurado no interior. Sob a gerência do Instituto Dragão do Mar, através de contrato de Gestão firmado com a Secretaria da Cultura do Estado (Secult), o Sertão Central será a nova região beneficiada com a entrega do equipamento cultural do Governo do Estado. A solenidade de abertura conta com apresentações do reisado de caretas Boi Coração e do violeiro Guilherme Calixto, acontece neste sábado, a partir das 18h30, na Casa de Saberes Cego Aderaldo (R. Pascoal Crispino, 167 – Centro, Quixadá). Antes, às 16h, acontece uma roda de conversa sobre as políticas culturais da Secult, com o secretário Fabiano dos Santos Piúba.

Construída coletivamente, dialogando com os diversos agentes, segmentos, setores, instituições da região do Sertão Central, a Casa de Saberes Cego Aderaldo possibilitará fomentar a pesquisa, a formação, a difusão e a fruição das expressões culturais dos diversos territórios culturais, permitindo a experimentação do público no processo de produção do conhecimento em arte, cultura e tradição, através das múltiplas linguagens, e promoverá a investigação de temáticas presentes na região.

O novo equipamento da Secult abrigará salas expositivas, espaços administrativos e formativos; biblioteca; auditório, espaços de convivência, multiuso e espaço gastronômico. Com programação cultural mensal e exposições fixas, a Casa sediará formações, festivais, oficinas, seminários, sendo também um espaço para o fortalecimento e difusão das cultura popular, que atua em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente (SEMA), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), a FECLESC – UECE, a Fundação de Quixadá – Prefeitura Municipal de Quixadá e a Prefeitura de Senador Pompeu.

 

Programação de abertura

No dia da inauguração da Casa de Saberes Cego Aderaldo, 9/12, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará promove, às 16h, uma roda de conversa com agentes culturais locais para apresentar as políticas culturais que vem sendo desenvolvidas no Estado. A atividade tem como objetivo manter o diálogo e a aproximação com os municípios do interior do Estado.

Logo após, às 18h30, acontece a solenidade de abertura, com momento de apresentações culturais e homenagens. O reisado de caretas Boi Coração e o violeiro Guilherme Calixto participam do momento comemorativo. Na ocasião, a Casa de Saberes Cego Aderaldo irá homenagear a dona Nair Aderaldo, nora do Cego Aderaldo, o historiador João Eudes Cavalcante, e o violeiro Guilherme Calixto, pela preservação da memória sobre Cego Aderaldo.

 

 

Programação de dezembro da Casa de Saberes

Desde o mês de novembro, a Casa de Saberes Cego Aderaldo promove uma programação voltada para as linguagens artísticas e os saberes tradicionais da cultura popular. “Toda a programação da Casa de Saberes é pensada com base nos saberes tradicionais e nas linguagens artísticas. A cada ação planejada, nós relacionamos com essas duas diretrizes. Dentro dessa proposta, a gente vai formulando a programação, de acordo com a demanda, ouvindo também os artistas locais. Ano passado nos fizemos um grande encontro em Quixadá, em que recebemos algumas demandas e foi assim que construímos a programação”, relata a coordenadora da Casa de Saberes, Paula Geórgia.

“O mês de novembro teve uma programação mais voltada a questões institucionais. Tivemos ações sobre o Mapa Cultural do Ceará e sobre a formulação de projetos culturais. Além disso, já tivemos ações que englobam os saberes tradicionais nas linguagens artísticas, levando um curso de teatro e de bordado tradicional para o equipamento”, comenta a coordenadora.

Já no mês de dezembro a Casa de Saberes traz uma programação voltada aos saberes tradicionais que eram relacionados ao Cego Aderaldo e aos mestres da cultura. “Logo no início do mês Tivemos uma formação na área de patrimônio, ligada a uma questão mais técnica sobre tombamento. No dia 11/12, teremos uma formação sobre gestão do patrimônio, para gestores e agentes culturais. Teremos ações também relacionadas ao cordel e ao repente, com dois cursos de formação. Haverá um pequeno encontro de violeiros, que acontecerá em três dias voltados para essa programação musical. No último dia desse encontro, 22/12, teremos a exibição do documentário e lançamento do livro de Rosemberg Cariry sobre Cego Aderaldo, seguido de bate-papo com o autor. A publicação é uma edição da Casa de Saberes. Além disso, haverá uma aula espetáculo sobre repente com o Geraldo Amâncio e a exposição sobre a vida e obra do Cego Aderaldo, com fotos e algumas poesias”, destaca Paula Geórgia.

Os mestres da cultura também participam da programação que acontece de 14 a 16/12. Haverá uma oficina de xilogravura com o mestre Stênio Diniz, curso de dança tradicional com a presença do mestre Aldenir do reisado do Crato e integrantes do grupo do Coco do Iguape e mediação de Orlângelo Leal.

 

 

 

SERVIÇO

Inauguração da Casa de Saberes Cego Aderaldo
Sábado, 9/12, a partir de 16h
Local: R. Pascoal Crispino, 167 – Centro, Quixadá

Programação

16h – Roda de conversa com apresentação de políticas culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult)

18h30 – Sessão solene de abertura e apresentações culturais do reisado de caretas Boi Coração e do violeiro Guilherme Calixto

Programação de Dezembro da Casa de Saberes Cego Aderaldo

04, 05 e 06 de Dezembro

Oficina – Ferramentas de documentação para o Patrimônio Edificado.

Prof. João Lucas

30h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – com interesse em Patrimônio Cultural

07 e 08 de Dezembro

Saberes Tradicionais – Cordel Contemporâneo

Prof. Klévisson Viana

20h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – interessados na arte do cordel

11 de Dezembro

Oficina / Diálogo com os gestores dos municípios – Patrimônio Cultural – Reconhecimento e Gestão

Prof. João Lucas

10h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – gestores e agentes culturais com interesse em Patrimônio Cultural

12, 13 e 14 de Dezembro

SEMANA DOS MESTRES DA CULTURA NO SERTÃO CENTRAL

Saberes Tradicionais – Xilogravura

Prof. Stênio Diniz

20h/aula

Público Alvo: até 15 alunos – interessados na arte da Xilogravura

Saberes Tradicionais – Danças da Cultura Popular do Ceará (Corpo e Música)

Mestre Aldenir – Reizado do Mestre Aldenir (Crato-CE)

Mestre Piauí – Boi Estrela (Quixeramobim-CE)

Mediação: Orlângelo Leal

14 de Dezembro

Finalização da atividade Danças Populares do Ceará – resultado da Oficina

Dança de São Gonçalo – Danças tradicionais populares do Ceará

Comunidade Sítio Veiga e Mestre Joaquim

Local: Casa de Saberes Cego Aderaldo

Hora: 18h
Aula Espetáculo sobre Reisado e Caretas com Oswald Barroso

Local: Casa de Saberes Cego Aderaldo

Hora: 19h

14 a 20 de Dezembro

Vivência Artística em Patrimônio – Campo de Concentração Vila dos Ingleses – Açude Patu

“Toda casa tem um pouco de Museu.”

Ação artística com o Alexandre Sequeira – PA

Local: Senador Pompeu – CE

20 a 22 de Dezembro

Pequeno Encontro de Violeiros e Repentistas do Sertão Central

22 de Dezembro

Ações de encerramento das atividades de 2017

15h – Exibição do Documentário “Cego Aderaldo – o Cantador e o Mito”, com bate papo com o autor.

18h – Lançamento do Livro “Cego Aderaldo – O Homem, o Poeta e o Mito”, de Rosemberg Cariri.

Encerramento da Exposição sobre Vida e Obra do Cego Aderaldo

20h – Pequeno Encontro de Violeiros e Repentistas do Sertão Central

FESTIVAL CURTA CANOA DIVULGA OS SELECIONADOS PARA MOSTRA COMPETITIVA 2017

 


O Festival Latino Americano de Canoa Quebrada (Curta Canoa) divulga, nesta segunda-feira (04), as 50 produções selecionadas para a mostra Competitiva da 12ª edição, que será realizada entre os dias 07 e 12 de dezembro, na praia Canoa Quebrada, em Aracati.

Este ano, o festival recebeu cerca de 500 curtas e, por meio de uma criteriosa curadoria, foram selecionadas onze produções do Rio de Janeiro, sete de São Paulo, quatro do Ceará, três da Paraiba e Rio Grande do Sul, dois do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Espirito Santo, Paraná, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e Santa Catarina, um do Pará, Mato Grosso, Alagoas, Maranhão, Piauí e Bahia.

Segundo o idealizador do Curta Canoa, Adriano Lima, essa é uma seleção muito potente. “O Brasil se consolidou no audiovisual e é, hoje, uma potência de resistência”, afirma. Adriano Lima também destaca a forte participação das produções cinematográficas cearenses nesta edição: “Felizmente a participação do Ceará foi muito forte e, por isso, decidimos realizar mais uma vez a mostra Bons Ventos, que vai exibir 56 filmes que não entraram na mostra competitiva”.

 

 

De olho na programação

Além das mostras Competitiva e Bons Ventos, a 12ª edição do Festival Curta Canoa realiza oficinas de formação em cineclubismo e preparação de atores para cinema e TV, com os facilitadores Henrique Dídimo e Giovanni Marsallis, respectivamente.

A programação também traz apresentações de teatro, canto e dança de grupos locais, e promete levar a magia da sétima arte para o cotidiano das crianças da rede publica de ensino de Aracati, em duas sessões de cinema infantil no Cinema Bom Vizinho.

 

Confira abaixo os filmes selecionados para o Festival Curta Canoa

Mostra competitiva de curta-metragem

A GENTE NASCE SÓ DE MÃE – CARU ROELIS – MG

A MARGEM DO UNIVERSO – TIAGO ESMERALDO – DF

APESAR DE TUDO – JANAÍNA DÓREA – RJ

AS CARTAS QUE NÃO LI – LUCIA CAUS – ES

AS AVENTURAS DO CRAUÁ – PATRÍCIA CARTES – ES

AS AVENTURAS DO MENINO PONTILHADO – LEO TABOSA – PE

BAUNILHA – LEO TABOSA – PE

BRAÇOS ABERTOS – MONIQUE LIMA – RJ

CINE RIO BRANCO – EUDALDO MONÇÃO JR. – BH

CLOSE – ROSANE GURGEL – CE

COCEIRINHA NA MÃO – LUCIANO IRRTHUM – MG

CUSCUZ PEITINHO – RODRIGO SENA E JULIO CASTRO – RN

DANNY – FERNANDO ALVES – SP

DESFRAGMENTO – HELENA LUKIANSKI E GIULIANA HEBERLE – RS

DIGA AO MEU PAI QUE ESTOU BEM – BRUNA FRACASCIO – SP

DIZ A LENDA – MARCIO DEL PICCHIA – SP

É NATAL – JAIME QUEIROZ – SP

ENTRE O ANJO E O POLICHINELO – GALVANDA GALVÃO & IZABELA LEAL – PR

EPÍLOGOS – ANDRÉ GLASNER – RJ

EU ME PREOCUPO – PAULO SILVER – AL

FEIRA LIVRE – ONDE O PASSADO E O PRESENTE SE ENCONTRAM – DYNHO SILVA – RN

FERIDA – DANDI QUEIROZ – SP

FLECHA DOURADA – CÍNTIA DOMIT BITTAR – SC

FRENÉTICA ILUSÃO – EDUARDO SUTIL – PR

GUIANA FRANCESA – EDMILSON FILHO E OLAVO JUNIOR – CE

HINO AOS ORIXÁS COM A PUREZA DAS CRIANÇAS – SÉRGIO ROSSINI – RJ

INTERVENÇÃO – ISAAC BRUM SOUZA – GO

LUIZ – ALEXANDRE ESTEVANATO – SP

MARIAS – EDEM ORTEGAL – MA

MORREU MARIA PREÁ – G. ANDRÉ MELO – CE

NEY SOUZA – O SENHOR DO TEMPO – ESTEVAN SILVERA – PR

O CD DE 2 BILHÕES DE DOLARES – NADABE RIBEIRO – CE

O QUEBRA-CABEÇA DE SARA – ALLAN RIBEIRO – RJ

O VENDEDOR DE PALAVRAS – ANDRÉ FALCÃO – RJ

PEDACINHO DO CÉU – CAIO ALVARENGA – RJ

QUANDO PAREI DE ME PREOCUPAR COM CANALHAS – TIAGO VIEIRA – SP

REDEMUNHO – MARCÉLIA CARTAXO – PB

ROLETA RUSSA EM TRANSITO – TAIGUARA BRUNO – PI

RUÍNA – ALAILSON BERNARDO – GO

SÉCULO XXI – LEONARDO GOOD GOD – MG

SERIA MELHOR SE VOCÊ TIVESSE MORRIDO – CLARA FERRER E MARCELLA DE FINIS – RJ

SOBRE UM FILME QUE NÃO ACABOU – DIEGO TAFAREL – RS

SONHOS DA LUISAH – JOAO RICARDO COSTA – SC

SURDEZ – GABRIEL FIGUEIRA – RJ

TELENTREGA – ROBERTO BURD – RS

TERCENDO LABIRINTO – RAQUEL GRANDA – RJ

UMA AVENTURA NA CAATINGA – LAERCIO FILHO – PB

UM POUCO A MAIS – ALEQUES EITERER – RJ

URSORTUDO – JANUÁRIO JR – DF

VOCÊ CONHECE DERRÉIS? – VERUZA GUEDES – PB

Projeto InConto Marcado leva espetáculo e oficina de teatro à cidade de Marco

 

Chega esta semana à cidade de Marco o projeto InConto Marcado – Teatro Itinerante, com oficina teatral para professores nesta terça-feira, dia 21 de novembro, das 8h às 11h, e espetáculoPlantou Palavra, Colheu Poesia” na quarta e quinta-feira, dias 22 e 23, às 9h e às 14h30. A programação é gratuita e acontece na Escola de Ensino Fundamental Manoel Paterno Silva.

O InConto Marcado leva a poesia para dentro da escola como método e conteúdo, estimulo à leitura, como arte e informação, disseminando um gênero que foi afastado de sua origem popular, a cultura da oralidade, que já garantia o ensinamento da história entre os povos de todas as raças, antes mesmo da palavra escrita. Tem como público-alvo alunos de ensino fundamental da rede púbica, crianças de 5 a 12 anos de projetos sociais realizados por ONGs, professores da rede pública, grupos de teatro, gestores públicos de educação e cultura, familiares dos alunos e moradores dos arredores dos espaços onde são realizados os espetáculos.

O novo espetáculo

Baseada no livro da escritora cearense Socorro Acioli, que foi lançado em 2014 pela editora Armazém da Cultura, a peça “Plantou Palavra, Colheu Poesia”, estreou agora em novembro com sucesso de público. “Nós fizemos quatro sessões do espetáculo em Paracuru e recebemos aproximadamente 600 crianças por apresentação”, conta a atriz e idealizadora do projeto, Daniele Yanes.

Além disso, 80 professores participaram da oficina de teatro, que é uma ação realizada pelo projeto desde o início em 2011. “A gente tem feito esse trabalho com muita alegria, com esse público lindo que são os professores da rede pública. Paracuru ficou encantada”, comemora Daniele. Realizada com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) por meio do Edital Mecenas, tendo a Enel como empresa apoiadora por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, esta edição do InConto Marcado acontecerá também em Guaiúba, de 5 a 7 de dezembro.

Daniele explica que o espetáculo “Plantou Palavra, Colheu Poesia” é uma homenagem aos poetas e cantadores nordestinos. “É uma louvação a esses artistas nordestinos, essas figuras que são genuinamente brasileiras, que trazem essa arte de rua, do sertão, ligada a natureza. A Socorro Acioli também tem demonstrado a felicidade dela em ter uma de suas obras montada em um espetáculo de teatro”, enfatiza a idealizadora do projeto.

Socorro Acioli é uma das mais referendadas autoras brasileiras de literatura infantil e juvenil. Em 2013 foi vencedora do Prêmio Jabuti na categoria Infantil com o livro “Ela tem olhos de céu“. A obra “Plantou Palavra, Colheu Poesia” é, antes de tudo, uma singela homenagem aos poetas e cantadores do sertão. O livro aborda a seguinte questão: como a poesia pode frutificar em meio a todas as dificuldades da vida, da seca, da fome e da falta de intimidade com as palavras? A obra narra a trajetória de Francisco, um menino retirante que, em meio à procura de um lugar melhor para viver, vai para Assaré e tem sua vida modificada quando conhece Antônio, um agricultor poeta que na adaptação para o espetáculo foi personificado na imagem de Patativa do Assaré. A partir deste encontro o menino segue a busca do mistério das palavras e de como é que se faz “essa coisa tão linda”, a poesia.

A nova montagem do InConto Marcado, além da obra de Socorro Acioli, traz um destaque para a literatura de Cordel por meio do livr“Miolo da Rapadura” (TUPYNANQUIM Editora), do renomado cordelista e maior defensor do gênero na atualidade, Klévisson Viana, que em 2015 conquistou o terceiro lugar do Prêmio Jabuti na categoria Adaptação, com a obra “O Guarani em cordel“. O novo espetáculo vem renovado também de elementos cênicos, figurinos, cenários, direção e elenco. Em cena, juntam-se a Daniele Yanes, atriz, produtora e idealizadora do projeto, dois novos integrantes, os atores Miguel Campelo e Gleilton Silva.

A direção é de Geovana Pires é atriz, diretora teatral, professora e coordenadora artística e pedagógica da Casa Poema (RJ), instituição fundada por ela e pela atriz e poeta Elisa Lucinda, referência de poesia falada no Brasil, que há 18 anos desenvolve uma linguagem teatral tendo a poesia como fio narrativo. Em 2007, fundaram a Companhia da Outra desenvolvendo a narrativa poética no palco. A dupla viaja pelo Brasil e por diversos países do mundo apresentando recitais, espetáculos e oficinas cuja ferramenta é a poesia.

“Sabemos que, de uma maneira geral, a poesia anda afastada das escolas e dos livros escolares, pretendemos então fazer um resgate da memória dos poetas nordestinos, mostrando uma nova abordagem do texto poético, assumindo nele a conversa e a coloquialidade, diminuindo assim a distância entre aluno e poema, professor e literatura, espectador e ator”, explica Geovana Pires.

Consciência Negra: equipamentos da Secult promovem programação especial em alusão à data

 

O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, será celebrado com uma programação especial nos equipamentos da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. Exibição de filmes e apresentações artísticas no Cineteatro São Luiz, palestras na Biblioteca Pública Espaço Estação, Museu do Ceará e Casa de Juvenal Galeno, além de uma Missa Afro no Theatro José de Alencar e o Festival Internacional de Folclore do Ceará estão programados para acontecer em alusão à data. A programação dos equipamentos pode ser conferida no site da Secult: www.secult.ce.gov.br.

 
Museu do Ceará 

O Museu do Ceará realizou, no dia 16/11, a oficina colaborativa para a reformulação do módulo Escravidão e Abolicionismo no Ceará, componente da exposição de longa duração do Museu do Ceará. Com a atividade, o Museu do Ceará convida professores, pesquisadores, estudantes e demais interessados nas questões que envolvem o Negro e a História do Ceará para participarem do processo de reelaboração da proposta expositiva do módulo “Escravidão e Abolicionismo no Ceará”.

Já na manhã do dia 21 de novembro, a partir de 8h, acontece no Museu o  urso de Formação Política para Mulheres Negras, ministrado em parceria com o Instituto Negra do Ceará – INEGRA.  No dia 23 de novembro, às 10h, é a vez da palestra sobre o dia da Consciência Negra, com a Professora Mestra em História, Cícera Barbosa, do Instituto INEGRA. Toda a programação é aberta ao público.

 

Centro Dragão do Mar

No dia 19/11, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura recebe o Festival Internacional de Folclore do Ceará, evento apoiado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. No anfiteatro do Dragão, a partir de 18h30, a programação tem início com uma coroação de homenagem aos Maracatus Cearenses. Vários outros grupos se apresentam durante a noite. Mais detalhes em http://www.festivaldefolcloredoceara.com.br.

 

Cineteatro São Luiz 

O curta-metragem “Cappuccino com Canela” Curta-metragem escrito e dirigido por Déo Cardoso (o mesmo diretor de “Pode me chamar de Nadí”), será exibido no Cineteatro São Luiz, no dia 20 de novembro, às 11h, seguindo de debate. A programação inteira tem entrada franca.

Durante o mês de novembro, o São Luiz também exibe o curta-metragem “Disque Quilombola”, de David Reeks, que retrata aspectos da cultura afrodescendente dentro da programação do projeto ‘Escola no Cinema”, a ser realizado nos dias 07, 08, 14, 16, 17, 22, 23 e 24/11, com sessões sempre às 9h e 14h30, para escolas e outras instituições, com agendamento prévio.

 

Casa de Juvenal Galeno

A casa da cultura popular cearense realiza no dia 20/11, às 17h, duas palestras envolvendo a temática do Dia da Consciência Negra, em parceria com Academia Afrocearense de Letras (AAFROCEL). A primeira delas é intitulada “A criação do Movimento Negro”, ministrada pela professora Joelma Gentil. A segunda se chama “Gênero e Racismo”, ministrada por Thiana Rodrigues.

 

Theatro José de Alencar

No dia 21 de novembro, às 17h, no Theatro José de Alencar, acontece um momento de celebração intitulado Missa Inculturada – Missa Afro, com o Maracatu Nação Iracema. A Missa Inculturada acontece no dia da Consciência Negra e busca refletir sobre a memória de Zumbi dos Palmares, líder quilombola martirizado em defesa da liberdade do povo negro. O Maracatu Nação Iracema irá apresentar partes da Missa Inculturada que reúne elementos da cultura afro-brasileira em memória da história e da cultura do povo negro, presente no uso das cores, na música, nas danças e na reverência à memória dos antepassados.

 

Biblioteca Pública Espaço Estação

Já no dia 21/11, às 14h, a Biblioteca Pública do Ceará – Espaço Estação realiza a Leitura Compartilha especial, trazendo a acessibilidade para as leituras de mundo, em alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra. O objetivo da atividade é fazer uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira. A Biblioteca celebra a data trazendo a Leitura Compartilhada, que é uma forma acessível de leitura coletiva, realizada por uma pessoa com deficiência auditiva e uma pessoa com deficiência visual, contemplando a leitura em Braille e a tradução em libras. Seguida a essa leitura, haverá uma palestra com Hilário Ferreira, pesquisador da Cultura e História do Negro no Ceará. A atividade é gratuita.

Tom Cavalcante, Whindersson Nunes, Tirullipa e Bruno de Luca são ‘Os Parças’, comédia com estreia em 30 de novembro

 

 

 

Maior centro comercial da América Latina, a Rua 25 de Março é pano de fundo de “Os Parças”, novo longa de Halder Gomes (“Cine Holliúdy” e “Shaolin do Sertão”). Com estreia marcada para 30 de novembro, o filme acaba de ganhar cartaz e o trailer já disponível em https://youtu.be/Qa4hXPBeUjY.

O roteiro assinado por Claudio Torres Gonzaga conta as furadas em que vão se meter Toinho (Tom Cavalcante), Ray Van (Whindersson Nunes), Pilôra (Tirullipa) e Romeu (Bruno de Luca) depois de serem obrigados a participar de um golpe orquestrado por Mário (Oscar Magrini), um malandro que criou uma empresa de casamentos falsa em plena 25.

Passados para trás por Mário, que foge com todo o dinheiro pago para realização do casamento de Cintia (Paloma Bernardi), filha de Vacário (Taumaturgo Ferreira), o maior contrabandista da 25, os quatro amigos vão ter que se virar. Eles precisam organizar uma festa de luxo sem nenhum dinheiro no bolso e sob a constante ameaça do trambiqueiro e seus capangas.

No elenco estão ainda André Bankoff, Carolina Chalita, Carlos Alberto de Nóbrega e Marcos Oliveira e participações especiais do cantor Wesley Safadão e do jogador Neymar Jr. Produzido pela Formata Produções, coproduzido pela Fox Film do Brasil e pelo Telecine, o longa tem distribuição da Downtown Filmes/Paris Filmes. Para mais informações acesse: http://agenciafebre.com.br/fotos-e-releases.

 

Sinopse 

Fugindo de problemas, um locutor de loja de varejo, dois trambiqueiros e um técnico de informática atrapalhado são obrigados a participar de um golpe. Eles são chantageados por Mário, um vigarista que se aproveita da boa-fé alheia para ganhar dinheiro. O desafio é nada mais nada menos do que montar uma firma de casamento para produzir a festa da filha do maior contrabandista da Rua 25 de Março, o temido Vacário. Juntos eles vão enfrentar muitos desafios na produção da festa e terão que fazer de tudo para não levantar a desconfiança de Vacário.

 

Sobre a Formata

Fundada em 2015 por Daniela Busoli, Patricia Cavalcante e DC set, a Formata Produções já possui em seu currículo mais de dez programas exibidos na TV aberta e na TV fechada e uma indicação ao Emmy Internacional de 2016 pelo reality show Adotada, exibido na MTV. No catálogo da produtora estão: os humorísticos A Grande Farsa, Xilindró, Ceará Fora da Casinha e MultiTom (Multishow), os reality shows Adotada e Papito in Love (MTV), BBQ Brasil e Fabrica de Casamentos (SBT), e Entubados (Canal Sony).

 

 

 

Sobre a Fox International Productions

A Fox International Productions é a divisão da Twentieth Century Fox voltada para o financiamento e aquisição de títulos em língua estrangeira. No Brasil, em mais de 15 anos investindo em filmes nacionais, a Fox coproduziu inúmeros longas-metragens entre os quais  “Lino”, “O Vendedor de Sonhos”, “Em Nome da Lei”, “Linda de Morrer” e outros grandes sucessos como ‘Somos Tão Jovens”, “Nosso Lar”, “Copa de Elite”, “Assalto ao Banco Central”, “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Se Eu Fosse Você 1 e 2”, “Lisbela e o Prisioneiro”. Os próximos lançamentos serão “Fala Sério, Mãe!” em dezembro de 2017, distribuído pela Downtown Paris e “Não Se Aceitam Devoluções” em janeiro de 2018, distribuído pela Fox Film do Brasil.

 

Sobre a Rede Telecine

Joint-venture entre a Globosat e os quatro maiores estúdios de Hollywood – Paramount, MGM, Universal e Fox –, a Rede Telecine também exibe com exclusividade as produções da Disney e sucessos do mercado independente. O melhor do cinema mundial estreia na TV brasileira através da Rede Telecine cada vez mais rápido.

Para investir cada vez mais na produção cinematográfica nacional, a Rede Telecine lançou em 2008 o Telecine Productions, selo de coprodução de títulos em parceria com grandes produtoras brasileiras. Além de estimular a criação de novos filmes, o Telecine garante a exibição desses títulos com exclusividade em suas diferentes plataformas.

Em 2016, o Telecine foi o mais lembrado entre todos os canais da TV por assinatura, categoria na qual é líder isolado pelo terceiro ano consecutivo conquistando na pesquisa Top of Mind do Datafolha. Na de canais de filmes, a Rede mantém a liderança desde 2007 ¹. O Telecine é o canal fundamental na manutenção da TV por Assinatura2 e, neste ano, tem em sua programação oito dos 10 filmes mais vistos pelo público brasileiro em 2016³.

 

FONTES: 

¹ – Top Of Mind 2016 – Datafolha – Perguntas: “Quando você pensa em CANAIS DE TV POR ASSINATURA, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?” e “Quando você pensa em CANAIS DE FILMES POR ASSINATURA por assinatura, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?”

²   – 21ª Pay TV Pop – Ibope – Assinantes com mais de 10 anos. 13 Mercados

³ – Iboe. Brasil. Estreias de 2016. Público Acumulado

 

Sobre a Downtown Filmes      

Fundada em 2006, a Downtown Filmes é a única distribuidora dedicada exclusivamente ao cinema brasileiro. Desde 2011, ocupa a posição da distribuidora número 1 no ranking de filmes nacionais. De 2013 até hoje, vendeu mais de 50% de todos os ingressos de filmes brasileiros lançados.

Até setembro de 2017, a Downtown Filmes lançou 101 longas nacionais, que acumularam mais de 100 milhões de ingressos.

Os destaques do lineup deste ano são: “Polícia Federal – A lei é Para Todos”, “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, e “Fala Sério, Mãe!”. Entre os maiores sucessos da distribuidora estão “Minha Mãe É Uma Peça” e “Minha Mãe É Uma Peça 2”, estrelados por Paulo Gustavo; “De Pernas Pro Ar”, “De Pernas Pro Ar 2” e “Loucas Pra Casar”, com Ingrid Guimarães; ”O Candidato Honesto” com Leandro Hassum; “Chico Xavier” e “Elis”. Para 2018, o lineup da Downtown conta com 15 títulos, entre eles  “O Doutrinador”, adaptação da série de quadrinhos de mesmo nome, “O Candidato Honesto 2” e “O Palestrante” estrelado por Fabio Porchat.

 

Sobre a Paris Filmes

A Paris Filmes é uma empresa brasileira que atua no mercado de distribuição e produção de filmes, primando pela alta qualidade cinematográfica. Além de ter distribuído grandes sucessos mundiais, como o premiado “O Lado Bom da Vida”, que rendeu o Globo de Ouro® e o Oscar® de Melhor Atriz a Jennifer Lawrence em 2013 e “Meia-Noite em Paris”, que fez no Brasil a maior bilheteria de um filme de Woody Allen, a distribuidora tem também em sua carteira os maiores sucessos do cinema nacional, como as franquias “De Pernas Pro Ar” e “Até Que a Sorte nos Separe”. Nos últimos anos, a Paris lançou o vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes 2013, “Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum”, dos irmãos Coen; o aclamado “O Lobo de Wall Street”, de Martin Scorsese, “Mapas Para as Estrelas”, de David Cronenberg (Melhor Atriz no Festival de Cannes – Julianne Moore); a primeira adaptação animada da obra-prima de Antoine de Saint-Exupéry, “O Pequeno Príncipe”; e as continuações A Série Divergente: “Insurgente” e o esperado final de Jogos Vorazes em “A Esperança – O Final”. Em 2016, os indicados ao Oscar® “Brooklin” e “O Lobo do Deserto”; o terceiro capítulo da série Divergente, “Convergente”, “Truque de Mestre – O 2º Ato” e sucessos do cinema argentino como “Kóblic”, com Ricardo Darín, foram os grandes destaques; assim como a biografia do lutador José Aldo em “Mais Forte Que o Mundo”. Produzidos pela Paris Entretenimento, há ainda “Um Namorado Para Minha Mulher” e “Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina”. Em 2017, a empresa está à frente de lançamentos como “La La Land – Cantando Estações”, grande vencedor da 74ª edição do Globo de Ouro, com 7 estatuetas incluindo Melhor Filme de Comédia ou Musical, “Power Rangers”, “Internet – O Filme”, “A Cabana”, “Meus 15 Anos”, entre outros.

Sobrado Dr José Lourenço segue com MOSTRA “ARTE CEARÁ” e realiza mais uma edição do Café do Zé com artista Nivardo Victoriano

 

O Sobrado Dr. José Lourenço, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sedia até 28 de fevereiro de 2018, a Mostra Arte Ceará apresentando a partir do acervo da Secretaria da Cultura do Estado, sob a guarda do Centro Dragão do Mar, e de coleções particulares, uma narrativa histórica das Artes Visuais cearenses. Na programação, acontece também mais uma edição do “Café do Zé”.

Mostra Arte Ceará

O intuito da Mostra “Arte Ceará” é propor uma reflexão sobre a produção artística local e mostrar os movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado. “Uma oportunidade da população conhecer obras de artistas significantes da história da Arte do Ceará, tais como Chico da Silva, J.Fernandes, Otacílio de Azevedo, Estrigas, Campelo Costa, Fernando França, e dos contemporâneos o Hélio Rola, Efraim de Almeida, Solon Ribeiro, Isa Araújo, Ana Costa Lima, entre outros”, destacou Germana Vitoriano, Diretora do Sobrado Dr José Lourenço. Além disso, a exposição traz coleções particulares e coloca as obras para conhecimento do público, em um diálogo com as que integram o acervo da Pinacoteca do Estado. Mostra arte Ceará é, portanto, uma coleção de arte em diálogo.

Com a curadoria de Carlos Macedo, a Mostra permite ao espectador ter uma visão desse cenário, ao longo do tempo, a partir das obras que constituem o recorte apresentado. O conjunto de critérios usados na escolha das obras contempla o artista, considera a importância da relação temporal de sua obra, enquanto a cronologia diz respeito à visão geral dessa produção e faz referência, em particular, aos movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado.

A exposição é composta por 59 obras de 56 artistas, entre as figurativas, obras hiper-realistas, representações de gravuras e expressões mais contemporâneas. “Há peças pouco conhecidas de artistas como Chico da Silva, e de outros artistas que continuam produzindo e que vivem da arte, como é o caso do Hélio Rola, e ainda outros artistas que nunca tiveram oportunidade de estar em uma exposição, e agora estabelecem um diálogo com estes artistas mais conhecidos como Decartes Gadelha, Estrigas, J. Fernandes. O acervo artístico do Estado delineia parte considerável da história da arte cearense, possibilitando a avaliação da sua contribuição a partir de uma coleção pública. Nesse sentido, a Mostra Arte Ceará democratiza o acesso da população à  produção de relevantes artistas cearenses e possibilita a abertura do diálogo com as reinvenções e releituras realizadas por artistas contemporâneos, suscitando reflexões e debates sobre a criação artística”, ressalta a diretora.

CAFÉ DO Zé dialoga com a Mostra Arte Ceará

O Sobrado Dr José Lourenço promove ainda o Café do Zé. Evento que reúne a visitação das obras e debates sobre temas específicos, sempre num diálogo entre as obras que integram a Mostra Arte Ceará e os estudos do audiovisual.O primeiro Café do Zé, organizado pela professora da UECE e socióloga da Arte, Kadma Marques, foi realizado neste sábado 4/11, e propôs o questionamento sobre as “Imagens da Arte no Ceará: o que revelam?”. A ação teve a Mostra Arte Ceará como ponto de partida, e foco nas transformações do campo artístico cearense.Já o segundo Café do Zé, ocorre neste sábado (11/11), às 10h, e será coordenado pelo artista Nivardo Victoriano. Com o tema “AMASSAR O TEMPO”, Nivardo criará um espaço onde o público, simbolicamente, terá o poder de moldar o tempo como molda o capitão. Amassar o tempo é, portanto, uma ação em que o espectador rompe com o seu tempo do cotidiano para criar o tempo da criação.É uma performance onde o espectador/público deverá fazer capitão com as mãos e depois degustá-lo, levando o alimento a boca usando as mãos. Cada espectador, inicialmente, deverá lavar as mãos, receber um prato descartável com guardanapos e depois se dirigir a mesa onde encontrará recipientes com carne seca desfiada, feijão, arroz e farinhas (branca e amarela).Tempo, memória, convivência, higienização com alimentos, e os aspectos sensorial e o lúdico são elementos que estão presentes e amalgamados nesta proposta de trabalho. O tempo presente da ação, ativará a memória do espectador, transformando-o em consumidor ativo.

(*) Capitão, segundo o dicionário Aurélio é um bocado de comida que tenha molho, amassado com farinha, entre os dedos, à moda de um bolo, e levado com a mão até a boca. No Nordeste tradicionalmente o capitão é feito com feijão e farinha de mandioca, depois foi acrescentando-se arroz e carne (pequenos pedaços).

O artista-propositor criará um espaço onde o público simbolicamente terá o poder de moldar o tempo como molda o capitão. Amassar o tempo é uma ação em que o espectador rompe com o seu tempo do cotidiano para criar o tempo da criação.

Serviço:

DIA 11 de novembro | SÁBADO

Café do Zé com Nivardo Victoriano

10H [ARTES VISUAIS] AMASSAR O TEMPO

Entrada: Gratuita. Classificação etária: livre.

Local: Sobrado Dr. José Lourenço

 

Exposição Mostra Arte Ceará

em cartaz até 28/02/2018
Gratuito

 
Horário: 9h às 16h30 (terça a sexta-feira) e 9h às 14h30 (sábados)