Browsing Tag

Cineteatro São Luiz

Cineteatro São Luiz se torna a sala pública com maior média de espectadores por sessão de cinema no Brasil

 

Com um público de 10.149 espectadores em 67 sessões de cinema no mês de janeiro, o Cineteatro São Luiz totalizou, desde sua reabertura em maio de 2015, a expressiva marca de 357.383 espectadores ao longo de 2.138 sessões de cinema, o que resulta numa média de 167 espectadores por sessão, dado que faz com que o São Luiz seja, hoje, a sala pública de cinema com a maior média de espectadores por sessão do Brasil; o segundo colocado no ranking das salas públicas de cinema – (que operam com sessões pagas e gratuitas) tem uma média inferior a 30 espectadores por sessão, segundo dados da Agência Nacional de Cinema, Ancine.

E mais: a média de público no circuito de salas comerciais do cinema brasileiro (salas que operam exclusivamente com ingressos pagos) durante o ano de 2018 foi, ainda segundo dados da Ancine, de 37 espectadores por sessão; considerando-se apenas esse critério (de sessões com ingressos pagos), o Cineteatro São Luiz teve, em igual período, a média de 78 espectadores por sessão, mais que o dobro da média nacional.

“São dados realmente gratificantes para todos nós, principalmente por sabermos que essa participação do público se dá diante de uma oferta múltipla e diversificada de conteúdo na tela do São Luiz, conteúdo esse organizado em faixas de programação que englobam desde o sucesso mais recente ao mais experimental dos filmes, seja ele de curta, média ou longa duração, e sempre privilegiando o cinema brasileiro e o cearense em particular.”, celebra Duarte Dias, Programador e Curador do Cinema do Cineteatro São Luiz.

Prestes a completar 61 anos de existência no próximo mês de março, o Cineteatro São Luiz prepara uma programação especial em alusão a data, que será comemorada com várias atividades durante todo o mês. “Estamos elaborando uma mostra especial de filmes para março, numa programação que contempla filmes clássicos e também contemporâneos, atuais, e que tem a mulher como protagonista principal, seja diante ou atrás das câmeras. Vem muita coisa legal por aí.”, Adianta Duarte Dias.

Cristiano Pinho é uma das atrações a se apresentar no palco do Cineteatro São Luiz em janeiro de 2019

 

Um dos mais aclamados instrumentistas do Ceará, o guitarrista, violonista, rabequeiro, compositor, arranjador e produtor musical Cristiano Pinho se apresenta no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), no dia 31 de janeiro, às 19h, no projeto “Dentro do Som” – o público é acomodado no palco. A apresentação é o encerramento da Oficina de Guitarra e Improvisação, ministrada por ele de 21 a 29 de janeiro, na escola Porto Iracema das Artes e contará com a participação dos alunos. Os ingressos para o evento, que é limitado a 70 lugares, já estão à venda por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus (com taxa de conveniência).

 

Sobre a oficina

A Oficina de Guitarra e Improvisação ocorre nos dias 21, 22, 28 e 29 de janeiro, sempre no horário das 15h às 17h, na sala de música do Porto Iracema das Artes. Serão oferecidas 15 vagas, para músicos com conhecimento básico de guitarra e de teoria musical. As inscrições são gratuitas.

A oficina aborda aspectos históricos e técnicos do instrumento, sonoridades, acessórios, os grandes guitarristas do mundo, bem como os conceitos básicos de improvisação, escalas, modos, exercícios práticos e preparação de repertório para a apresentação de encerramento.

Todos estes elementos de sua vasta e intensa experiência musical resultam numa sonoridade vigorosa e única, que os alunos poderão acompanhar de perto, em aulas teóricas e práticas, além da oportunidade de dividir o palco com o guitarrista, em um dos mais belos teatros de Fortaleza.

 

Sobre Cristiano Pinho

Cristiano Pinho é um dos mais talentosos, criativos e versáteis guitarristas do Brasil. Natural de Viçosa do Ceará, começou a tocar com 12 anos de idade. Estudou Harmonia e Improvisação na Escola Ian Guest de Aperfeiçoamento Musical, no Rio de Janeiro, e graduou-se em Música na Universidade Estadual do Ceará (UECE).

O talento do músico ganhou reconhecimento nacional por enriquecer os discos e shows de cantores e compositores como Raimundo Fagner, Kátia Freitas, Fausto Nilo, Amelhinha, Ednardo, Dominguinhos, entre outros.

Multi-instrumentista, compositor, arranjador e produtor musical, Cristiano lançou dois álbuns solo de música instrumental: “Pessoa” (1997) e “Cortejo” (2010), com participação especial de Fagner.

Participou de inúmeros festivais de música instrumental, entre eles o Festival Jazz e Blues de Guaramiranga e o Festival Música na Ibiapaba, neste último, sendo convidado, também, em várias edições, como professor.

Em 2004, Cristiano tocou como músico convidado com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, sob a regência do maestro Roberto Minczuk, na Sala São Paulo. No mesmo ano, a revista Guitar Player publicou matéria especial com o guitarrista.

Desde 1997, Cristiano Pinho integra a banda do cantor e compositor Raimundo Fagner em suas turnês pelo Brasil e exterior, nas gravações de seus álbuns e DVDs e em suas apresentações em programas de televisão.

Em 2006, foi produtor e arranjador da música “Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores” (Geraldo Vandré), em versão gravada pelo cantor Fagner para integrar a trilha sonora da novela Cidadão Brasileiro, exibida pela TV Record. Cristiano também foi responsável pela direção musical do álbum “Fortaleza”, de Fagner, lançado pela gravadora Som Livre, em 2007.

Em 2013, a canção “Relógio do Mundo”, de sua autoria, conquistou a primeira colocação no IV Festival Nacional de Música da Associação das Rádios Públicas Brasileiras (ARPUB). Cristiano também tem canções gravadas por Fagner e Kátia Freitas. Em 2014, lançou dois singles em formato videoclipe, “Gitano” e “Há Quanto Tempo”, disponíveis no seu canal do YouTube.

Atualmente, Cristiano está se apresentando com seu power trio, evidenciando a influência do rock em seu trabalho autoral, e experimentando releituras de clássicos da música nordestina, brasileira e universal. O guitarrista está gravando seu novo álbum instrumental, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2019.

Para ouvir: https://www.youtube.com/user/CristianoPinhoVideo/videos

 

Serviço
Evento: Dentro do Som com Cristiano Pinho e alunos
Data: Quinta-feira, 31 de janeiro de 2019, às 19h
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro, Fortaleza)
Entrada: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia)
À venda na bilheteria do Cineteatro São Luiz e no site da Tudus (com taxa de conveniência)
Capacidade: 70 lugares
Classificação: Livre

Evento: Oficina de Guitarra e Improvisação | Professor: Cristiano Pinho
Data: 21, 22, 28 e 29 de janeiro de 2019 (segundas e terças), das 15h às 17h
Local: Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema, Fortaleza)
Vagas: 15 / Pré-requisito: conhecimento básico de guitarra e teoria musical
Para mais informações: (85) 3219-5865 / (85) 3219-5842
Gratuito

“Férias no São Luiz” segue com programação gratuita para toda a família

 

Casa cheia, alegria muita. Mais uma edição do Férias no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). A programação gratuita, aberta ao público e para toda a família segue até o final do mês com filmes para todos os gostos. E a primeira semana já traz ótimos resultados: um público de 4.985 espectadores, o que dá uma média de 124 espectadores por sessão – a média do circuito comercial brasileiro é de 37 espectadores por sessão.

E melhor ainda: com os números dessa primeira semana, o Cinema do Cineteatro São Luiz ultrapassou a marca dos 350 mil espectadores desde a reabertura do equipamento, em maio de 2015, atingindo, para ser mais preciso, o expressivo número de 352.294 em 3 anos e 8 meses de funcionamento, um dado a ser celebrado.

 

Confira a programação:

DIA 22/01 (TERÇA-FEIRA)

18H30 [TERÇA DE GRAÇA] MALASOMBRO, COM A CIA. CEARENSE DE MOLECAGEM
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos | Duração: 90 min
Local: Palco do Cineteatro
Release: Anoitece na mansão dos Vampetas. A penumbra vem acompanhada de um toró sem proporções. Tábata e Cunha, funcionários da obscura casa, se desdobram em satisfazer as necessidades malucas de seu morador ilustre, em meio a falcatruas e revelações todos vão convivendo da pior forma possível até que em meio a uma manifestação da elite do bairro, um casal de Black bloc`s Waldisney e Britiney invadem o velho casarão. A esculhambação come de esmola. Em meio ao clima de sustos e malassombros, os jovens se entregam às delícias obscuras do terror, sem saber que rumam para um fatídico destino nos dentes do coxinha Vampeta.

DIA 23/01 (QUARTA-FEIRA)

10h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | HOMEM-FORMIGA E VESPA (SESSÃO 3D)
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos
Direção: Peyton Reed | Fantasia, Ação | EUA | 2018 | 1h 58min | Legendado
Sinopse: Após ter ajudado o Capitão América na batalha contra o Homem de Ferro na Alemanha, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar, por ter quebrado o Tratado de Sokovia. Diante desta situação, ele foi obrigado a se aposentar temporariamente do posto de super-herói. Restando apenas três dias para o término deste prazo, ele tem um estranho sonho com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), que desapareceu 30 anos atrás ao entrar no mundo quântico em um ato de heroísmo. Ao procurar o dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) em busca de explicações, Scott é rapidamente cooptado pela dupla para que possa ajudá-los em sua nova missão: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet de seu limbo.

14h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | VENON
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos
Direção: Ruben Fleischer | Fantasia, Ação | EUA | 2018 | 1h 52min | Dublado
Sinopse: San Francisco, Estados Unidos. Eddie Brock (Tom Hardy) é um jornalista investigativo, que tem um quadro próprio em uma emissora local. Um dia, ele é escalado para entrevistar Carlton Drake (Riz Ahmed), o criador da Fundação Vida, que tem investido bastante em missões espaciais de forma a encontrar possíveis usos medicinais para a humanidade. Após acessar um documento sigiloso enviado à sua namorada, a advogada Anne Weying (Michelle Williams), Brock descobre que Drake tem feito experimentos científicos em humanos. Ele resolve denunciar esta situação durante a entrevista, o que faz com que seja demitido. Seis meses depois, o ainda desempregado Brock é procurado pela dra. Dora Skirth (Jenny Slate) com uma denúncia: Drake estaria usando simbiontes alienígenas em testes com humanos, muitos deles mortos como cobaias.

16h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – HOMEM-FORMIGA E VESPA
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos
Direção: Peyton Reed | Fantasia, Ação | EUA | 2018 | 1h 58min | Dublado
Sinopse: Após ter ajudado o Capitão América na batalha contra o Homem de Ferro na Alemanha, Scott Lang (Paul Rudd) é condenado a dois anos de prisão domiciliar, por ter quebrado o Tratado de Sokovia. Diante desta situação, ele foi obrigado a se aposentar temporariamente do posto de super-herói. Restando apenas três dias para o término deste prazo, ele tem um estranho sonho com Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer), que desapareceu 30 anos atrás ao entrar no mundo quântico em um ato de heroísmo. Ao procurar o dr. Hank Pym (Michael Douglas) e sua filha Hope (Evangeline Lilly) em busca de explicações, Scott é rapidamente cooptado pela dupla para que possa ajudá-los em sua nova missão: construir um túnel quântico, com o objetivo de resgatar Janet de seu limbo.

19h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – DEADPOOL
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 16 anos
Direção: Tim Miller | Fantasia, Ação | EUA | 2016 | 1h 48min | Dublado
Sinopse: Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.

DIA 24/01 (QUINTA-FEIRA)

10h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | JURASSIC WORLD: REINO AMEAÇADO
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos
Direção: Juan Antonio Bayona | Ficção Científica, Ação | EUA | 2018 | 2h 08min | Dublado
Sinopse: Três anos após o fechamento do Jurassic Park, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela.

14h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | HOTEL TRANSILVÂNIA 3: FÉRIAS MONSTRUOSAS
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Genndy Tartakovsky | Animação | EUA | 2018 | 1h 37min | Dublado
Sinopse: Solitário e infeliz, buscando um novo amor na internet, Drácula é surpreendido com um presente da querida filha: férias em um cruzeiro. Inicialmente resistente à ideia, ele acaba engajado no passeio ao se encantar pela comandante, que, no entanto, esconde um segredo nada amigável.

16h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – OS INCRÍVEIS 2
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Brad Bird | Animação | EUA | 2018 | 1h 58min | Dublado
Sinopse: Quando Helena Pêra é chamada para voltar a lutar contra o crime como a super-heroína Mulher-Elástica, cabe ao seu marido, Roberto, a tarefa de cuidar das crianças, especialmente o bebê Zezé. O que ele não esperava era que o caçula da família também tivesse superpoderes, que surgem sem qualquer controle.

19h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – DEADPOOL 2
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 16 anos
Direção: David Leitch | Fantasia, Ação | EUA | 2018 | 2h | Dublado
Sinopse: Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (Julian Dennison), o mercenário Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele recruta seu velho amigo Colossus e forma o novo grupo X-Force, sempre com o apoio do fiel escudeiro Dopinder (Karan Soni).

DIA 25/01 (SEXTA-FEIRA)

12H30 [CURTA A TRADIÇÃO, CURTA A CULTURA, CURTA O SÃO LUIZ] MESTRE ZÉ PIO
Entrada: gratuita | Classificação indicativa: Livre | Duração: 60 min | Acessibilidade em libras
Local: Hall de entrada (Foyer)
Release: José Francisco Rocha, o Mestre Zé Pio, Começou a brincar de boi aos três anos de idade. Mais tarde, tornou-se o índio do Boi Reis de Ouro. Criou o Boi Juventude, na Barra do Ceará, e desenvolve trabalho social com crianças, ensinando a cultura do bumba meu boi.

14h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – OS INCRÍVEIS 2
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Brad Bird | Animação | EUA | 2018 | 1h 58min | Dublado
Sinopse: Quando Helena Pêra é chamada para voltar a lutar contra o crime como a super-heroína Mulher-Elástica, cabe ao seu marido, Roberto, a tarefa de cuidar das crianças, especialmente o bebê Zezé. O que ele não esperava era que o caçula da família também tivesse superpoderes, que surgem sem qualquer controle.

16h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | HOTEL TRANSILVÂNIA 3: FÉRIAS MONSTRUOSAS
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Genndy Tartakovsky | Animação | EUA | 2018 | 1h 37min | Dublado
Sinopse: Solitário e infeliz, buscando um novo amor na internet, Drácula é surpreendido com um presente da querida filha: férias em um cruzeiro. Inicialmente resistente à ideia, ele acaba engajado no passeio ao se encantar pela comandante, que, no entanto, esconde um segredo nada amigável.

19h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – DEADPOOL 2
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 16 anos
Direção: David Leitch | Fantasia, Ação | EUA | 2018 | 2h | Legendado
Sinopse: Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (Julian Dennison), o mercenário Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele recruta seu velho amigo Colossus e forma o novo grupo X-Force, sempre com o apoio do fiel escudeiro Dopinder (Karan Soni).

DIA 26/01 (SÁBADO)

10h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | JURASSIC WORLD: REINO AMEAÇADO
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos
Direção: Juan Antonio Bayona | Ficção Científica, Ação | EUA | 2018 | 2h 08min | Legendado
Sinopse: Três anos após o fechamento do Jurassic Park, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela.

14h [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ | HOTEL TRANSILVÂNIA 3: FÉRIAS MONSTRUOSAS
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Genndy Tartakovsky | Animação | EUA | 2018 | 1h 37min | Dublado
Sinopse: Solitário e infeliz, buscando um novo amor na internet, Drácula é surpreendido com um presente da querida filha: férias em um cruzeiro. Inicialmente resistente à ideia, ele acaba engajado no passeio ao se encantar pela comandante, que, no entanto, esconde um segredo nada amigável.

16h30 [CINEMA] FÉRIAS NO SÃO LUIZ – OS INCRÍVEIS 2
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Direção: Brad Bird | Animação | EUA | 2018 | 1h 58min | Dublado
Sinopse: Quando Helena Pêra é chamada para voltar a lutar contra o crime como a super-heroína Mulher-Elástica, cabe ao seu marido, Roberto, a tarefa de cuidar das crianças, especialmente o bebê Zezé. O que ele não esperava era que o caçula da família também tivesse superpoderes, que surgem sem qualquer controle.

19h [CINEMA] Conclusão do curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre
Resumo: Alunos da quarta turma de Realização em Audiovisual da Vila das Artes apresentam, sábado (26/01) no Cineteatro São Luiz, filmes de conclusão do curso. Os curtas terão exibição gratuita, com sessões abertas ao público, a partir das 19h. A Vila das Artes é um equipamento cultural da Prefeitura de Fortaleza, administrado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor).

Na ocasião, serão exibidos os filmes “Janela do Alto” (Rodrigo Ferreira, 2019), “Papoulas” (Paolla Martins, 2019), “Montação” (Ariel Volkova, 2019) e “Paisagem na Garganta” (Mike Dutra/Gabi Trindade, 2019). Todos os filmes apresentam classificação livre e a duração total é de 76’30.

A quarta turma de Realização em Audiovisual da Vila das Artes contou com mais de 500 inscritos. Deste total, 40 alunos foram selecionados e concluíram o curso de dois anos de duração, durante os anos de 2016 a 2018.

DIA 27/01 (DOMINGO)

[SESSÃO SONORA] SELVAGENS À PROCURA DE LEI
Entrada: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Release: Após a longa turnê de divulgação do disco Praieiro, os Selvagens à Procura de Lei voltaram a Fortaleza para filmar a apresentação no festival Maloca Dragão 2018. Com produção de Paul Ralphes, o show aberto ao público para mais de 20 mil pessoas, com palco erguido no Poço da Draga, mostra a energia da banda junto aos fãs, que cantam todas as músicas a plenos pulmões. O lançamento e a exibição do filme será no Cineteatro São Luiz na primeira edição do projeto Sessão Sonora de 2019, seguido de show acústico com os últimos lançamentos e os clássicos da banda.

16H [CINEMA] SELVAGENS À PROCURA DE LEI NA MALOCA DRAGÃO
Classificação indicativa: Livre | Duração: 90 min | Gênero: Documentário Musical

18H [SHOW] SELVAGENS À PROCURA DE LEI – ACÚSTICO
Entrada: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia) | Classificação indicativa: livre | Duração: 50 min
Local: Palco do Cineteatro

DIA 29/01 (TERÇA-FEIRA)

18H30 [TERÇA DE GRAÇA] ENFIM, SÓS!, COM CIA DE TEATRO LUA
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 12 anos | Duração: 90 min
Local: Palco do Cineteatro
Release: Generosa e Imaculada são irmãs devotadas à família e aos valores de sua classe social, a alta burguesia. Suas rotinas, no entanto, serão abaladas por uma série de assassinatos que colocarão em xeque suas crenças e revelarão estranhos comportamentos. Segredos virão à tona e mistérios serão desvendados. Diante de tamanho caos, conseguirão as irmãs conservar o mundo aparente que tanto prezam?

DIA 30/01 (QUARTA-FEIRA)

19H [MÚSICA] ORQUESTRA POPULAR DO NORDESTE APRESENTA “O CANTO DA JANDAIA”
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre | Duração: 90 min
Local: Palco do Cineteatro São Luiz
Release: Aqui canta o nosso pássaro, jandaia-sol, cacaué, nandaia, nhandaia, queci-queci, quijuba. Pifes, rabecas, comidas, cachaças, violinos, batucadas, bandolins, baixarias, pianos, rendeiras, menina praieira, viola, violão, Alberto Nepomuceno, Macaúba, Zé Menezes, Tô só dizendo Sardinha também, Macaxeira Chips e baião Nesse banquete onde correm as águas do Jaguaribe, Poti, Cocó, compositores mergulham nos arranjos desse mapa, minha terra quente, olha o berro! Esse é o nosso concerto, nosso canto do Ceará!

DIA 31/01 (QUINTA-FEIRA)

19H [DENTRO DO SOM] CRISTIANO PINHO
Entrada: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia) | Classificação indicativa: Livre | Duração: 70 min
Local: Sobre o palco do Cineteatro São Luiz – limitado a 70 lugares
Release: Cristiano Pinho, um dos mais aclamados instrumentistas do Ceará, guitarrista, violonista, rabequeiro, compositor, arranjador e produtor musical, faz show dentro do projeto “Dentro do Som” no Cineteatro São Luiz. A apresentação será o encerramento da Oficina de Guitarra e Improvisação, ministrada por ele, de 21 a 29 de janeiro, no Porto Iracema das Artes, e contará com a participação dos alunos.

// INFORMES IMPORTANTES //

REGULAMENTAÇÃO PARA ENTRADA DE MENORES NO CINETEATRO SÃO LUIZ (PORTARIA N.º 7/2.017 – Poder Judiciário – Comarca de Fortaleza – Coordenação da Infância e Juventude)

● Para eventos com classificação indicativa “livre”, o ingresso ou permanência de criança somente deverá ser permitido, na hipótese de encontrar-se acompanhada de adulto, independente da comprovação de parentesco. Nesse caso, será exigido documento de identificação exclusivamente do acompanhante adulto.

● A entrada ou permanência de adolescentes deverá obedecer a faixa etária de indicação, dispensada a presença de acompanhantes adultos.

● Na hipótese de filmes com classificação indicativa acima da idade da criança ou do adolescente, o ingresso e permanência somente deverá ser permitido, caso haja a presença dos pais ou responsáveis legais, ou, ainda, mediante autorização destes. Os pais devem preencher, assinar e entregar a autorização no cinema que deverão reter e arquivar o documento. O Cineteatro São Luiz disponibiliza os documentos de autorização para impressão na bilheteria.

● Considera-se criança a pessoa com até 12 (doze) anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre 12 (doze) e 18 (dezoito) anos de idade, nos termos da Lei 8.069/90.

 

SOBRE A VENDA DE INGRESSOS

Pontos de venda sem taxas de conveniência:
Cineteatro São Luiz Fortaleza.
Endereço: Rua Major Facundo, 500. Centro – Fortaleza – CE
Venda com taxa de conveniência: Site www.tudus.com.br
Horário de funcionamento da bilheteria do Cineteatro São Luiz:
Terças a sábados: 10h às 18h30
Domingos: No mínimo 1h antes de cada evento até o início da última atividade. Horário sujeito a alterações, de acordo com a programação.
Telefones para contato: 3252-4138 (em horário comercial).

 

Regras para meia-entrada e descontos:
Meia-entrada: Estudantes, idosos (pessoas com mais de 60 anos), pessoas com deficiência e seu acompanhante, professores da Rede Pública de Ensino de Fortaleza, jovens pertencentes a famílias de baixa renda com idade entre 15 e 29 anos e doadores regulares de sangue. Em todos os casos é necessária a apresentação do(s) documento(s) comprobatório(s) e do documento de identificação com foto.

Caso o benefício não seja comprovado, o portador deverá complementar o valor do ingresso adquirido para o valor do ingresso integral, caso contrário, o acesso ao Cineteatro não poderá ser autorizado.

Para compras na internet, a comprovação obrigatória se dará na retirada do respectivo ingresso na bilheteria do Cineteatro (a troca deve ser efetuada com antecedência, preferencialmente) ou na apresentação do ticket virtual na entrada do Cineteatro.

Descontos promocionais, somente na bilheteria do teatro

DO STREAMING PARA A TELONA


                                 Photo by Carlos Somonte

 

O filme “ROMA”, de Alfonso Cuarón, vencedor de dois Globos de Ouro e um dos principais candidatos ao Oscar 2019 ganha exibição única no Cineteatro São Luiz no dia 16 de janeiro (quarta-feira), às 19h. Os ingressos para a sessão já estão à venda por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser adquiridos exclusivamente online através do link: https://sessao-especial-roma-fortaleza.eventbrite.com.br/

Lançado pela Netflix em 14 de dezembro, ROMA ganha sessões especiais em algumas salas de cinema do Brasil. Começando por Fortaleza (no São Luiz), Porto Alegre, Recife e Teresina.

ROMA foi premiado no Globo de Ouro 2019 nas categorias Melhor Direção e Melhor Filme Estrangeiro. Além disso, recebeu o Leão de Ouro, prêmio máximo do Festival de Veneza, em setembro de 2018.

Camerata da Osuece apresenta clássicos de natal e populares no Cineteatro São Luiz

 

A última noite de programação do Cineteatro São Luiz em 2018 será neste domingo (23/12), às 19h, com a Camerata da Orquestra Sinfônica da UECE. A orquestra, sob regência de Willian Ciríaco e Rélmerson Lima apresenta Concerto de Natal, de Arcangelo Corelli, bem como Tangos e trilhas de filmes. Na ocasião, o Cineteatro receberá alimentos não perecíveis para as instituições beneficentes “Escola Acústica da Natureza” e “Fundação Capoeira Água de Beber”. O acesso é gratuito.

A Camerata da OSUECE é o grupo selecionado de cordas (violinos, violoncelos, violas e contrabaixos) que faz repertório especializado para essa formação. Tem como integrantes 22 instrumentistas da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (OSUECE).

 

OSUECE

A OSUECE é formada por cerca de 65 integrantes distribuídos dentre os naipes das madeiras, metais, percussão e cordas. A direção e regência titular é do prof. Alfredo Barros, maestro e compositor, doutor em Artes Musicais pela Universidade do Texas, Austin, EUA. Professor de composição do Curso de Música da UECE, o maestro desenvolve projetos artísticos dessa natureza desde 1988.

A orquestra tem um conjunto variado de obras em seu repertório: de compositores brasileiros em geral, com destaque especial para jovens compositores cearenses que desenvolvem atividade composicional no Bacharelado em Composição da UECE, arranjos e adaptações de grandes obras populares e obras do repertório tradicional sinfônico.

O projeto da OSUECE é uma ação tríplice de ensino, pesquisa e extensão que atua como um forte agente aglutinador de músicos de diferentes camadas sociais e alunos matriculados em cursos superiores da UECE. É sobretudo uma orquestra jovem que tem um compromisso de inclusão social e acadêmica. Abre perspectivas para a orientação e apoio àqueles estudantes de música que procuram uma oportunidade de ingressar na universidade. A Reitoria e Vice-Reitoria da UECE, as Pró-Reitorias de Assuntos Estudantis–PRAE, de Extensão–PROEX, de Pesquisa e Pós-Graduação–PROPGP têm dado importantíssimo apoio à Orquestra.

 

Serviço:
Evento: Concerto Natalino da Camerata da OSUECE
Data: 23 de dezembro de 2018, às 19h30
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro). Tel: 85-3252-4138).
Classificação: livre.
Entrada: Na ocasião, o Cineteatro receberá alimentos não perecíveis para as instituições beneficentes “Escola Acústica da Natureza” e “Fundação Capoeira Água de Beber”. O acesso é gratuito.

Cineteatro São Luiz recebe três lançamentos cinematográficos de dezembro nesta semana

 

A programação do cinema do Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, coloca em cartaz, a partir desta terça-feira (11), três filmes com lançamentos no mês de dezembro, sendo duas produções cearenses, a comédia “O Coquetel” e o documentário “Meu Tricolor de Aço”, e uma produção francesa filmada a partir da perspectiva do pai de santo Baba Leo, importante líder religioso de Fortaleza, o documentário “Candomblé – Um Legado Africano”.

As exibições começam hoje (11/12), às 19h, com o lançamento da comédia cearense “O Coquetel”. Com direção de João Mateus, o filme de 78 minutos traz o humor típico cearense como principal característica, sendo narrado a partir das peripécias de uma senhora chamada Marocas e de seu marido Sitonho. O acesso é gratuito.

Na quarta (12/12), o documentário “Candomblé – Um Legado Africano”, produzido pelos pesquisadores franceses Erika Thomas e Bernard Thomas, chega à tela do São Luiz também com acesso gratuito. No filme, Baba Leo, importante representante do candomblé em Fortaleza, apresenta, a partir de sua vivência, a história dessa religião afro-brasileira e seu legado no Brasil. A sessão tem início às 19h e será seguida de debate com personalidades do Candomblé do Ceará. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes de cada sessão, na Bilheteria do Cineteatro, por ordem de chegada e mediante apresentação de documento de identificação com foto.

Nos dias 13, 14 e 16, quinta, sexta e domingo respectivamente, o documentário “Meu Tricolor de Aço”, produção cearense que chegou aos cinemas no dia 6 de dezembro, será exibido em quatro sessões com entradas a preços populares, sendo R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Com direção de Glauber Santos Paiva Filho, Alcino Carvalho Brasil e Edvaldo Siqueira Albuquerque, o filme põe em foco a trajetória de 100 anos de glórias e conquistas do Fortaleza Esporte Clube, fundado em 1918. Os ingressos já podem ser adquiridos na Bilheteria do São Luiz ou no site da Tudus (www.tudus.com.br) com taxa de conveniência.

 

Programação completa:

DIA 11/12 (TERÇA-FEIRA) | 19h

SESSÃO ESPECIAL – LANÇAMENTO DO FILME “O COQUETEL”

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: 14 anos

Direção: João Mateus | Comédia | Brasil | 2018 | 1h 18min | Nacional

Sinopse: Marocas é uma senhora feliz e cheia de energia. Sitonho, seu marido, o único barbeiro da cidade, anda desviando o caminho de casa. Todo dia ele dá uma passadinha no Cantinho da Alegria. Sentindo o marido ausente, Marocas acha que ele anda trabalhando demais e prepara um coquetel para lá de potente.

DIA 12/12 (QUARTA-FEIRA) | 19h

SESSÃO ESPECIAL – LANÇAMENTO DO FILME “CANDOMBLÉ: UM LEGADO AFRICANO”

Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: Livre

Direção: Erika & Bernard Thomas | Documentário | Brasil | 2018 | 55min | Português

Sinopse: Introduzido no Brasil pelos escravos africanos, o candomblé, mesmo interessando a antropólogos e historiadores, sofre muitos preconceitos na sociedade brasileira. Neste documentário, o pai de santo Baba Leo nos explica os fundamentos dessa religião para desvendar, além de um rico imaginário e de uma forma de resistência, o hino à natureza e a vida como legado africano.

DIAS 13 E 14/12 (QUINTA E SEXTA) | 19H

DIA 16/12 (DOMINGO) | 14H E 16H

MEU TRICOLOR DE AÇO

Entrada: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) | Classificação indicativa: Livre

Direção: Glauber Santos Paiva Filho, Alcino Carvalho Brasil e Edvaldo Siqueira Albuquerque | Documentário | 2018 | 1h12 | Brasil

Sinopse: Com foco na trajetória de 100 anos de glórias e conquistas do Fortaleza Esporte Clube, o filme puxa por detalhes históricos que remontam a 1912, quando foi fundado o Stella Foot-Ball Club, um dos primeiros clubes de futebol cearense. Através do fechamento deste clube, integrantes dele fundaram o Fortaleza Esporte Clube, tendo como seu primeiro presidente o comerciante e desportista Alcides Santos, que hoje dá nome ao estádio do clube.

SERVIÇO:
Evento: Lançamento da comédia cearense “O Coquetel”
Data: 11 de dezembro, às 19h
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)
Entrada gratuita
Evento: Lançamento do documentário “Candomblé – Um Legado Africano” (sessão seguida de debate)

Data: 12 de dezembro, às 19h
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)
Entrada gratuita

Evento: Exibição do documentário “Meu Tricolor de Aço”
Data: 13 e 14 de dezembro, às 19h e 16 de dezembro, às 14h e às 16h.
Local: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro)
Entrada: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) | À venda na Bilheteria do Cineteatro São Luiz e no site www.tudus.com.br (com taxa de conveniência).

Fim de semana terá programação do Ceará Natal de Luz no Centro, na Praia de Iracema e na Aldeota

 

 

O Ceará Natal de Luz 2018 terá um fim de semana recheado de atrações em três bairros de Fortaleza, com uma programação diversificada para agradar a todos os públicos. As apresentações acontecerão na Praça do Ferreira e no Cineteatro São Luiz, no Centro; no Estoril, na Praia de Iracema; e na Praça Portugal, no bairro Aldeota. Os espetáculos começam às 17 horas, no sábado (08) e no domingo (09).

Centro

O Coral da Luz é a atração mais procurada pelos fortalezenses e turistas que curtem a programação natalina na Capital cearense. As crianças e adolescentes que compõem o grupo cantam e encantam todos os dias, a partir das 18 horas, das sacadas do Hotel Excelsior, na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza.

Neste fim de semana, elas também estarão lá entoando músicas clássicas do Natal ao lado do cantor Waldonys e, ainda, ganharão a companhia de peso do compositor e cantor Gilberto Gil. No domingo, 09, logo após a apresentação do Coral da Luz, às 19 horas, o instrumentista baiano subirá ao palco do Cineteatro São Luiz, com o show OK OK OK. Acompanhado de metais, backing vocal, teclados, guitarras e percussões, Gilberto Gil propõe ao público interpretações do universo particular de OK OK OK aliado a um repertório de sucessos que já são parte da vida e história do Brasil.

Como já era esperado, os ingressos para o show de Gilberto Gil se esgotaram rapidamente. E para atender ao grande público de fãs e seguidores do artista, o São Luiz vai transformar a Praça do Ferreira em mais um ambiente de confraternização para celebrar Gil. A partir das 16 horas, haverá feiras de artesanato e gastronomia na praça, bem como um ambiente especial que vai abrigar dois telões de led em proporção 5×3 para a transmissão simultânea do show em praça pública.

O show, que conta com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), é um presente de fim de ano e se insere na programação de comemoração de aniversário dos 60 Anos do São Luiz.

Praia de Iracema

Já quem for curtir o belíssimo pôr do sol na Praia dos Crush poderá acompanhar uma programação especial do Ceará Natal de Luz 2018. O Coral Angelus vai se apresentar, a partir das 17 horas, no sábado (08), com o pianista Felipe Adjafre, no Estoril, sede da Secretaria Municipal de Turismo (SETFOR). A apresentação do pianista Felipe Adjafre faz parte do projeto Pôr do Sol, que leva concertos musicais gratuitos ao público.

Aldeota

Na Praça Portugal, terá emoção e diversão para toda a família. No sábado (08), o tecladista cearense Davi Valente abre a programação. A partir das 17 horas, o público confere o talento do músico que toca teclado com os pés, por ser portador de uma limitação do funcionamento físico-motor que o impossibilita de usar as mãos. No repertório, melodias que foram sucessos nacionais e internacionais, hits consagrados e temas de filmes e novelas. A apresentação contará com a participação das cantoras líricas, Esther Fontenelle e Adriane Moreno.

Em seguida, às 18 horas, a Orquestra Infantil da Fundação Raimundo Fagner, composta por 45 crianças distribuídas entre violões, flautas, percussão e coral, toma conta do palco e estrela o recital de canções natalinas.

Às 18h30, o público confere o espetáculo “Os Preparativos da Mamãe Noel”, do Grupo Teatral Blitz Intervenções, em que todos os personagens estão preocupados com as receitas das delícias natalinas, enfeites e entrega de presentes. Mamãe Noel vai ensinar a criançada que com bons sentimentos e um pouco de imaginação, todos os problemas serão resolvidos.

A noite contará ainda com a beleza dos cantos litúrgicos do Coral M. Dias Branco, composto por colaboradores da Fábrica Fortaleza, às 19 horas. Um repertório que passeia por diversos gêneros musicais, da música gospel à regional, da MPB à balada. Com 5 CDs já gravados, o Coral tem como regente Lucile Horn. Logo após, às 19h30, os personagens da Animado Zoo, linha de biscoitos, bolinhos e chocolates da Richester lançada em 2004, vão entreter e divertir a criançada.

Já no domingo, 09, a programação na Praça Portugal começa com o pianista Tito Freitas e sua banda, Tito Jazz Trio, que promete agradar os fãs do jazz, do samba e da bossa nova.

Às 18 horas, será a vez de conferir o concerto do grupo Irmãos Cruz. O sexteto de irmãos com idades de 12 a 20 anos formam o corpo docente do Projeto Acordes Mágicos (PAM), que oferece formação musical e esporte para crianças a partir de oito anos e jovens do bairro Novo Mondubim. A apresentação contará com a participação dos cantores líricos, Franklin Dantas e Esther Fontenelle.

Às 18h30, o Grupo Teatral Blitz Intervenções rouba a cena com o espetáculo “O Natal dos Sonhos”, que trará para o palco a Mamãe Noel e sua divertida amiga “D. Árvore”. As duas estão empenhadas com os preparativos para o Natal, quando dois brinquedos falantes surgem com um grande questionamento: “o que fazer quando uma criança deseja ser uma princesa, bailarina ou um piloto? Como realizar um sonho?”

E para encerrar a programação do dia, às 19 horas, terá início o concerto da Banda de Música Juvenil Dona Luiza Távora. O projeto artístico, cultural, social e educacional vem, ao longo de mais de 45 anos, educando e profissionalizando milhares de crianças, adolescentes e jovens.

Parceiros

O Ceará Natal de Luz 2018 é uma realização da CDL de Fortaleza, Instituto CDL de Cultura e Responsabilidade Social e Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. O evento conta com o patrocínio das seguintes empresas e instituições: Prefeitura de Fortaleza (Secretaria Municipal de Turismo), Sesi/Fiec, Indaiá, Nacional Gás, Café Santa Clara, Zenir, M Dias Branco, Casa Pio, Enel, Newland, Normatel, Banco do Nordeste e Assembleia Legislativa. E tem ainda o apoio do Governo do Estado do Ceará, do Sistema Verdes Mares, da Faculdade CDL, do Sindiônibus, da Câmara Municipal de Fortaleza, da GOL, do Shopping Del Paseo, do Shopping Aldeota e do Jardins Open Mall.

 

Programação

PRAÇA DO FERREIRA/CINETEATRO SÃO LUIZ

Dia 08/12 (sábado)

18h – Coral da Luz

Dia 09/12 (domingo)

18h – Coral da Luz e Waldonys

19h – Show do Gilberto Gil

ESTORIL

Dia 08/12 (sábado)

17h – Coral da Luz com o Papai Noel

18h – Show do Felipe Adjafre

PRAÇA Portugal

Dia 08/12 (sábado)

17h – David Valente com Dueto Lírico (Esther Fontenelle e Adriane Moreno)

18h – Orquestra Infantil da Fundação Raimundo Fagner

18h30 – Espetáculo “os Preparativos da Mamãe Noel” do grupo teatral Blitz Intervenções

19h – Coral M. Dias Branco

19h30 – Espetáculo teatral da Animados Zoo

Dia 09/12 (domingo)

17h – Tito Jazz Trio

18h – Irmãos Cruz do Projeto Acordes Mágicos com Dueto Lírico (Franklin Dantas e Esther Fontenelle)

18h30 – Espetáculo “O Natal dos Sonhos” do Grupo Teatral Blitz Intervenções

19h – Banda de Música Juvenil Dona Luíza Távora

LP “Maraponga”, de Ricardo Bezerra, 40 Anos depois

 

 

O LP “Maraponga”, de 1978, do compositor cearense Ricardo Bezerra, será revisitado no dia 6 de dezembro, quinta-feira, às 19h, no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), com direção musical do próprio artista, Mimi Rocha e Pedro Madeira, acompanhado pela Orquestra Popular do Nordeste e as participações de Mona Gadelha, idealizadora do projeto, Mimi Rocha, Nélio Costa e Tito Freitas. Contará também com as participações de Vinícius e Miguel, netos de Ricardo e Bete. Thiago Almeida fará novos arranjos e adaptações.

Lançado pelo selo EPIC, da CBS/Sony, “Maraponga” teve a direção musical assinada por Raimundo Fagner, Ricardo Bezerra e Hermeto Pascoal, o qual fez belos arranjos do disco. O LP contou com participações nos vocais de Amelinha (La Condessa, música de Ricardo Bezerra, Brandão e Ribamar, também gravada por Mona Gadelha no disco “Praia Lírica, um tributo à canção cearense dos anos 70”, em 2011). E o próprio Fagner também participa cantando “Manera Fru Fru”, composição em parceria com Ricardo, que deu título ao seu celebrado disco de 1973. Os músicos convidados eram os nomes mais expoentes da cena brasileira naquele momento: Nivaldo Ornelas, Mauro Senise, Jacques Morelembaum, Serginho Boré, Sivuca, Robertinho de Recife, Marcio Malard, Bernado Bessler, Luiz Paulo Peninha, Itiberê, Cláudio Araújo e Zé Carlos.

As canções que mais se destacaram foram “Cavalo Ferro” e “Manera Fru Fru Manera”, ambas em parceria com Fagner. “Cavalo Ferro” também entrou no disco Pessoal do Ceará, de 1973. A música “Cobra”, de Alano Freitas e Stelio Valle, foi bastante cultuada por diversos intérpretes nos anos 70 e 80, como Rossé Sabadia e Lúcio Ricardo, entre outros.

O título do LP foi uma homenagem ao sítio que Ricardo e Bete viviam, lugar de permanente encontros de amigos artistas e músicos, antes do período da produção do LP. O sítio da “Maraponga” guarda muitas histórias e recordações. Recebeu visitantes como Rita Lee, Gonzaguinha, Alceu Valença, Antonio Adolfo e Zé Ramalho. Era frequentado por Petrúcio Maia, que tantas vezes madrugou por lá tocando e compondo ao piano, e teve em Fagner um morador temporário.

Para relembrar um dos trabalhos mais significativos da década que marcou a ascensão da música cearense em âmbito nacional, os anos 70, e comemorar os 40 anos de lançamento de uma obra atemporal, o show, idealizado pela cantora e compositora Mona Gadelha, promove o encontro de gerações. O jovem músico e compositor Pedro Madeira, criador da Orquestra Popular do Nordeste, formação de 12 músicos que participou do Laboratório de Música do Porto Iracema das Artes em 2017 com a tutoria de André Mehmari, assim como os veteranos Mimi Rocha, Nélio Costa e Tito Freitas. E as participações de Vinicius e Miguel Bezerra, netos de Ricardo e Bete.

REPERTÓRIO

1-Maraponga (Ricardo Bezerra)

2-Cobra (Alano Freitas/Stelio Valle)

3-La Condessa (Soares Brandão/Ricardo Bezerra)

4-Celebração (Ricardo Bezerra)

5-Sete cidades (Ricardo Bezerra)

6-Gitana (Ricardo Bezerra)

7-Cavalo-Ferro (Ricardo Bezerra/Fagner)

8-Manera Fru Fru Manera (Ricardo Bezerra/Fagner)

9-Improviso (Ricardo Bezerra)
FICHA TÉCNICA
Direção Geral: Ricardo Bezerra | Mona Gadelha | Maira Sales
Direção Musical : R. Bezerra, Mimi Rocha e Pedro Madeira
Concepção e Direção Artística: M. Gadelha
Arranjos: Thiago Almeida e Giltacio Santos
Pesquisa de Ambientação: Bete Dias e Zé Tarcísio
Direção de Arte: Hector Isaias
Fotografia: Rafael Parente
Som e Captação: Tuan Fernandes e Gustavo Carvalho
Pesquisa: Pedro Lima
Cenário | Cenário Digital: B. Dias | H. Isaias | M. Sales | R. Bezerra
Produção: R. Bezerra | M. Sales | M. Gadelha
Produção Executiva : Brazilbizz Music

PALCO
Ricardo Bezerra | Voz | Piano
Participações Especiais
Mona Gadelha | Voz
Mimi Rocha | Guitarra
Tito Freitas | Piano
Nélio Costa | Baixo
Vinicius Bezerra | Violão
Miguel Bezerra | Violão
Orquestra Popular do Nordeste
Pedro Madeira | Guitarra e Bandolim
Mateus Farias | Flauta
Giltacio Santos | Clarinete
Michael Rodriguez | Bateria
Paulinho Lima | Violino 1
Gabriel Padron | Violino 2
Marcílio Brito | Viola
Juliana Aragão | Cello

 

Serviço:
Dia 06 de dezembro de 2018, quinta-feira
Show | Maraponga 40 Anos Depois | Uma Releitura do LP Maraponga de 1978 de Ricardo Bezerra, com as participações de Mona Gadelha, Mimi Rocha, Nélio Costa, Tito Freitas e Orquestra Popular do Nordeste.
Horário : 19h
Classificação: Livre
Duração do show: 1h15
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 20,00 | Já estão à venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus
Local | Cineteatro São Luiz
Rua Major Facundo, 500 – Centro, Fortaleza – CE, 60025-130
Tel. (85) 3252-4138

 

 

RICARDO BEZERRA E O ‘PESSOAL DO CEARÁ’

O final dos anos 1960 foi de grandes transformações políticas e culturais. No bojo desse movimento mundial, surge, no Ceará, um inquieto grupo de jovens universitários, tendo o diretório da Escola de Arquitetura da UFC e os bares do Anísio e o Estoril como seus principais redutos culturais.

Nesse meio, foi o grupo de música o que mais se destacou, principalmente, através dos festivais e dos programas locais de TV da época. Nessa ‘turma’ estava Ricardo Bezerra, estudante de Arquitetura, vindo, pelo lado materno, de uma família de Aracati (CE), terra de reconhecida musicalidade.

Da convivência entre esses jovens, surgem parcerias musicais que resultaram em hoje clássicos da MPB. Tendo composições em parceria, com poetas do calibre de Brandão, Fausto Nilo e Petrúcio Maia, é, no entanto, com Raimundo Fagner que o trabalho musical de Ricardo Bezerra se consolida em canções, hoje antológicas, tais como Cavalo-Ferro, Manera Frufru Manera e Sina, esta última com o poeta popular Patativa do Assaré.

No momento da decisão de dedicar sua vida profissional à música, o que significava, na época, a mudança para o eixo Rio-São Paulo, RB opta por concluir a faculdade de arquitetura e permanece em Fortaleza, continuando aí o seu trabalho musical, procurando incentivar os novos valores musicais que vinham surgindo no rastro do grupo inicial. Entre estes se destacaram Amelinha, os irmãos Gracho e Caio Silvio e Francisco Casaverde.

Em 1972 se casa (com a jornalista Bete Dias), mora durante um ano em Recife, trabalhando como diretor de criação de uma agência de publicidade, época em que se relaciona com artistas e intelectuais pernambucanos jovens onde se destacavam Alceu Valença, Geraldinho Azevedo, Thiago Amorim, Zé Ramalho, Cavani Rosas, Ricardo Noblat e Ivan Maurício entre outros.

Em 1974, retorna a Fortaleza e passa a morar, com a família, na Maraponga, num sítio à beira da lagoa, local que se torna ponto de referência para o pessoal da música e das artes em geral. Nessa época Fagner passa a morar com a família e reforça ainda mais a força de convergência do local para os artistas da terra e os de fora. Foram hóspedes na Maraponga, no começo de suas carreiras, figuras como Gonzaguinha, Alceu Valença, Antônio Adolfo entre outros.

Em 1977, RB resolve voltar à música como profissional e a partir de convite do Fagner, vai para o Rio gravar um LP, Maraponga, com a produção do amigo e parceiro, para a então CBS.

Mais uma vez, sentindo que o mundo da música popular, o chamado show business, não era sua verdadeira vocação, RB retorna a Fortaleza e resolve dedicar-se ao ensino de arquitetura, sendo então admitido como professor na Escola de Arquitetura da UFC.

Sua música, no entanto, continuou nascendo em esparsas mas significativas composições feitas em parceria com amigos. Enquanto isso tem músicas gravadas pelo Quarteto em Cy, Nara Leão, Ney Matogrosso, além do chamado Pessoal do Ceará (Ednardo, Ródger e Teti). Nos meados dos anos 1980, parte com a família (agora mulher e três filhos) para o Arizona, onde faz um mestrado em arquitetura da paisagem. No início dos anos 90, continuando sua formação, parte para a Inglaterra a fim de obter um doutorado em urbanismo. É durante a fase de redigir esse trabalho que ressurge a música e várias composições nascem das entrelinhas da sua tese.

São estas composições, somadas a algumas que haviam ficado guardadas no passado, que RB compõe um novo disco: Notas de Viagens, feito mais de 20 anos após o primeiro. Neste trabalho, estritamente instrumental, suas músicas são arranjadas por Adelson Viana, Cristiano Pinho e Ricardo Bacelar.

Passados dez anos desse último trabalho, e uma apresentação solo no Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga, a convite de Rachel Gadelha, em 2009, novas composições estão criadas, prontas para compor um novo CD.

Cineteatro São Luiz recebe nesta quarta, 21, às 19h, encerramento do Festfilmes, com premiação dos curtas vencedores

 

A terceira edição do Festival Audiovisual Luso Afro Brasileiro (Festfilmes) chega ao fim nesta quarta-feira, 21, às 19h, no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, com a solenidade de premiação aos vencedores das mostras Iracema, Nascente e Atlântica. Logo após, será exibido o filme “Padre Cícero: Os Milagres de Juazeiro”, de 1975, dirigido por Helder Martins. Tudo com entrada franca.

A exibição de “Padre Cícero: Os Miagres de Juazeiro” foi um dos momentos mais marcantes da etapa do Festfilmes no Cariri, no começo de novembro. A produção mostra a primeira metade da vida e da obra religiosa da figura polêmica e excêntrica de Cícero Romão Batista, mais conhecido como Padre Cícero, um padre que sempre exerceu suas funções às margens das diretrizes da Igreja Católica, tornando-se um personagem político influente e um líder religioso fervorosamente adorado por milhões de fiéis até os dias de hoje.

A premiação aos melhores filmes inclui troféu personalizado do Festfilmes além de prêmios em dinheiro: R$ 7 mil para os filmes da Mostra Atlântica, R$ 3 mil na Mostra Iracema e R$ 4 mil na Mostra Nascente.

Após passar pelo Cariri, por Redenção e Baturité, a terceira edição do Festfilmes, Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro, chegou a Fortaleza, com uma programação marcante para esta terça-feira, 20/11, Dia da Consciência Negra. A própria identidade do festival ressalta o compromisso com a temática luso afro brasileira e com a produção de cinema da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), levando a cidades do Ceará essa produção, habitualmente distante das grandes salas de cinema e da maioria das opções de exibidores em TV por assinatura ou serviços de “streaming”.

 

Emoção no primeiro contato com o cinema

A emoção dos estudantes de escolas públicas e de participantes de projetos sociais como o Instituto Tonny Italo, de Itaitinga, também deu o tom das exibições de filmes nessa terça-feira. Como aconteceu nas diversas etapas do festival, mais uma vez crianças tiveram a primeira oportunidade de contato com o mundo mágico de um cinema. E que experiência! Logo Cineteatro São Luiz, aquele que, para muitos, é o mais belo cinema de rua de todo o País.

 

Debate sobre salas públicas

Outro momento marcante na terça-feira do festival foi o seminário sobre o tema “Programação e Curadoria de Salas Públicas de Cinema: Desafios e Perspectivas”, com Letícia Santinon, gerente de Difusão do Circuito SPCINE, de São Paulo, e Duarte Dias, diretor do Festfilmes, cineasta, curador de cinema do Cineteatro São Luiz e coordenador de audiovisual do Governo do Estado.

“O seminário foi uma ótima oportunidade de diálogo sobre esse tema tão importante, que é a programação e curadoria de cinema em salas públicas, algo de extrema relevância não só para o conjunto de realizadores e empresas atuantes no mercado nacional, mas também para o público em geral”, destaca Duarte Dias.

“É para essas plateias que é dedicado todo esse esforço do poder público em ofertar conteúdo de qualidade, ao mesmo tempo em que promove acessibilidade para os mais diversos segmentos da sociedade brasileira”, complementou o curador, detalhando números e ações do Cineteatro São Luiz.

“É muito importante que as salas públicas de todo o Brasil discutam sobre sua programação e curadoria, pra entender o público que frequenta as nossas salas e trabalhar com diversidade pra formação dessas plateias”, destacou por sua vez, Letícia Santinon. “É importante que as salas tragam todos os tipos de filmografia, priorizando o cinema nacional mas também garantindo a diversidade. Esse é o papel de uma sala pública”.

Cia. Barca dos Corações Partidos apresenta “Suassuna – o Auto do Reino do Sol” no Cineteatro São Luiz


Suassuna – O Auto do Reino do Sol traz na essência uma série de características de seu homenageado. Ariano Suassuna (1927- 2014) – que teria completado 90 anos em junho de 2017 – defendeu incansavelmente a brasilidade e a valorização da cultura nacional, ao mesclar a arte popular e o universo erudito em todas as suas obras.

Idealizadora deste tributo ao escritor paraibano, a produtora Andrea Alves, da Sarau Agência, lançou o desafio para a Cia. Barca dos Corações Partidos e convidou três ilustres conterrâneos de Ariano para criar algo totalmente inédito, inspirado em seu legado e desenvolvido em um processo coletivo. Desta forma, nasceu o musical, com canções inéditas de Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho, encenação de Luiz Carlos Vasconcelos e texto de Braulio Tavares.

Em 2007, a Sarau Agência realizou uma grande programação para festejar os 80 anos de Ariano e, desde então, foi criado um vínculo do escritor com Andrea, responsável por todas as montagens da Barca dos Corações Partidos e por uma série de projetos que celebraram a arte brasileira nos últimos 25 anos. “Há algum tempo, Ariano me falou: ‘Não venha comemorar meus 85 anos, eu não vou morrer, quero que você festeje os meus 90!’. Naquele momento me senti condecorada e com uma grande missão pela frente”, conta a produtora.

A ideia inicial surgiu em conversas de Andrea com Ariano, que se confessava um palhaço frustrado e que elegeu o palhaço de O Auto da Compadecida como um dos seus personagens prediletos. “Assim, surgiu a ideia de uma grande homenagem ao palhaço de Ariano e pensei na reunião da Barca dos Corações Partidos com o que eu chamo de “trio paraibano”. Assim foi sendo criada esta peça inédita, com músicas e texto originais, mas totalmente inspirada no legado de Ariano”, resume Andrea.

A escolha de Ariano Suassuna foi também coerente com toda a trajetória da Barca dos Corações Partidos, fiel defensora de um repertório nacional e de um teatro que privilegia o intercâmbio de linguagens. Recentemente, o grupo arrebatou os principais prêmios da temporada (Prêmio APTR de Melhor Espetáculo, Música e Produção; Prêmio Shell de Direção para Duda Maia; Prêmio Cesgranrio de Direção, Direção Musical e Espetáculo; Prêmio Botequim Cultural de Melhor Espetáculo Musical, Direção, Autor, Ator (coletivo de atores), com Auê (2016), espetáculo construído apenas com músicas originais dos membros do grupo, responsáveis por utilizar no palco elementos de teatro, música, dança e performance. Com Suassuna – O Auto do Reino do Sol não foi diferente e a Barca alcançou recordes de indicações e troféus.

O grupo se formou no processo de Gonzagão – A Lenda (2012), celebração de outro ícone nordestino, Luiz Gonzaga, e logo em seguida reviveu um clássico de Chico Buarque (Ópera do Malandro, 2014), ambos com direção de João Falcão. A Cia. Barca dos Corações Partidos tem 4 espetáculos no repertório, 45 prêmios agraciados e um público de 478 mil espectadores.

Chico César, Braulio Tavares e Luís Carlos Vasconcelos assistiram aos dois primeiros trabalhos e aceitaram na mesma hora o convite para se unir nesta nova empreitada. “Além de ser um espetáculo que homenageia os 90 anos de Ariano Suassuna, quero falar do meu fascínio com essa trupe. Sempre trabalho com meus atores, com o meu grupo. Sempre tive receio de pegar um trabalho de outra companhia, mas tudo se dissipou em nosso primeiro encontro. É fascinante observar todas as possibilidades que estes atores tem como músicos, cantores, atores e palhaços”, diz Luís Carlos, fundador do celebrado grupo Piollin e diretor de montagens emblemáticas, como Vau da Sarapalha, em repertório desde a estreia, em 1992.

O texto e as canções do musical foram produzidos ao longo do processo de ensaios, que começou ainda no ano passado, quando o elenco fez uma série de oficinas circenses e também excursionou pelo Nordeste brasileiro no que foi chamado de Circuito Ariano Suassuna. Guiados por Dantas Suassuna, filho de homenageado, a trupe esteve em Casa Forte (Recife), conheceu a famosa Pedra do Ingá e visitou a fazenda de Taperoá (Paraíba).
Entre muitas palestras e oficinas, o grupo se preparou para o intenso processo criativo, em que se reuniram por oito horas diárias e apenas uma folga semanal nos últimos quatro meses.

Neste período, Braulio Tavares idealizou a história central da montagem, centrada em uma trupe de circo-teatro e nos acontecimentos de uma noite de apresentação do grupo. O picadeiro de um circo é o cenário perfeito para aparecerem personagens de Ariano, como João Grilo e Chicó (‘O Auto da Compadecida’) e outros conhecidos tipos da Literatura Clássica, além de servir como pano de fundo para as histórias dos integrantes da companhia fictícia.

O projeto sempre quis falar de Ariano sem, no entanto, apresentar um espetáculo biográfico ou mesmo uma adaptação de suas obras. “Quando entrei na história, já estava decidido que não seria um espetáculo Armorial e que teríamos a liberdade de subverter, de trazer o Ariano de outras formas. A criação foi toda impregnada de Ariano, de seus personagens e de seu universo”, relata Luís Carlos Vasconcelos, que trouxe toda a sua imensa bagagem como palhaço para o processo. “É uma homenagem ao Ariano palhaço. O público é guiado por uma espécie de Palhaço Mestre de Cerimônias, como era habitual em seu teatro”, diz.

A parte musical seguiu pelo mesmo caminho. Os textos poéticos e as letras das músicas usam as formas tradicionais de poesia popular que foram cultivadas por Ariano, como a sextilha, a décima, o martelo e o galope. Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho, mostravam as melodias e algumas letras surgiam de improviso, outras cabiam exatamente em alguns trechos do texto. A maioria das letras ficou a cargo de Braulio Tavares, mas também tem canções de outros integrantes da companhia, como Adrén Alves e Renato Luciano. “Contaminação é a palavra que define todo este projeto. As melodias foram contaminadas pelas letras e vice-versa. Criamos algo novo, mas totalmente contaminado por Ariano”, analisa Chico, a quem o escritor chegou a dedicar um livro de poesias.

Ficha Técnica:

Uma encenação de Luiz Carlos Vasconcelos
Texto: Bráulio Tavares
Música: Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Tenho
Idealização e Direção de Produção: Andrea Alves
Com Cia. Barca dos Corações Partidos: Adrén Alves, Alfredo Del Penho, Beto Lemos, Fábio Enriquez, Eduardo Rios, Renato Luciano e Ricca Barros.
Atriz convidada: Rebeca Jamir
Artistas convidados: Chris Mourão e Pedro Aune
Cenografia: Sérgio Marimba
Iluminação: Renato Machado
Figurinos: Kika Lopes e Heloisa Stockler
Design de som: Gabriel D’Angelo
Assistente de direção: Vanessa Garcia
Assessoria de Imprensa: VP Comunicação
Coordenação de Produção: Leila Maria Moreno
Produção Executiva: Raphael Baêta

——
• VENCEDOR DO PRÊMIO BIBI FERREIRA: MELHOR ATOR (Adrén Alves), Melhor Musical Brasileiro, Melhor ator Coadjuvante (Eduardo Rios) e Melhor Música Original (Chico César, Beto Lemos, Alfredo Del Penho, Adrén Alves, Renato Luciano e Braulio Tavares).
• VENCEDOR DO PRÊMIO APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte): Melhor Espetáculo.
• VENCEDOR DO PRÊMIO REVERÊNCIA DE TEATRO MUSICAL: Categoria Especial – Elenco da Cia. Barca dos Corações Partidos por ‘Suassuna – O Auto do Reino do Sol’ e ‘Auê’.
• VENCEDOR DO PRÊMIO CESGRANRIO nas categorias Melhor Espetáculo, Direção Musical (Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho), Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stockler) e Ator em Musical (Adrén Alves).
• VENCEDOR DO PRÊMIO BOTEQUIM CULTURAL nas categorias Melhor Espetáculo, Direção (Luiz Carlos Vasconcelos), Autor (Braulio Tavares), Ator (Ádren Alves), Direção Musical e Figurino.
• VENCEDOR DO PRÊMIO SHELL nas categorias Melhor Música (Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho), Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stocker) e Melhor Autor (Braulio Tavares).
• VENCEDOR DO PRÊMIO APTR nas categorias de melhor Autor (Braulio Tavares), Ator coadjuvante – (Fábio Enriquez), Música (Alfredo Del-Penho, Beto Lemos e Chico Cesar), e Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stockler).
• MELHOR ESPETÁCULO pelo júri do Guia da Folha de S. Paulo
——

 

Serviço:

SUASSUNA – O AUTO DO REINO DO SOL
Local: Cineteatro São Luiz – Rua Major Facundo, 500 – Centro
Dias 24 e 25 de novembro – Sábado às 19h e domingo às 18h
Classificação: 14 anos
Duração: 120 minutos
Gênero: Musical
Ingressos: R$ 50,00 plateia | R$ 40,00 balcão
Vendas: na bilheteria do teatro e no site => www.tudus.com.br

Festfilmes chega a Fortaleza, com exibições no Cineteatro São Luiz, dias 20 e 21/11

Após passar pelo Cariri, por Redenção e Baturité, a terceira edição do Festfilmes, Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro, chega a Fortaleza, com exibições gratuitas no Cineteatro São Luiz, terça e quarta, 20 e 21 de novembro. Todos são convidados a comparecer, assistir aos filmes e participar do festival que conta com 92 obras, de cineastas de 24 estados brasileiros, de Portugal e Moçambique.

A presença do festival no Cineteatro São Luiz destaca a convergência de objetivos com a política de acesso de crianças e jovens ao audiovisual, já responsável por levar mais de 85 mil estudantes ao cineteatro, com o projeto Escola no Cinema, parceria entre as Secretarias da Cultura e da Educação, do Governo do Estado.

A terceira edição do Festfilmes é composta por 8 mostras de cinema, sendo 3 mostras competitivas e 5 mostras paralelas. As mostras competitivas são a Mostra Iracema, exclusiva para os realizadores cearenses ou residentes no Estado; a Mostra Nascente, que tem caráter nacional e exibe filmes de estreia de realizadores naturais ou residentes em qualquer município brasileiro; e a Mostra Atlântica, voltada para filmes de curta-metragem de realizadores naturais ou residentes em qualquer um dos países que compõem a CPLP: Angola, Brasil,Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, Timor Leste e São Tomé e Príncipe.

As mostras paralelas, por sua vez, dividem-se entre a Mostra Animada, voltada para o público infantojuvenil; a Mostra CPLP, composta por filmes que retratam aspectos históricos e culturais das nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP); a Mostra Retrospecto, com obras que se destacaram nas edições anteriores do festival; a Mostra Verde, com filmes com temática socioambiental, e a Mostra dos Festivais, que exibe filmes oriundos de festivais de cinema atuantes no âmbito da CPLP, desta feita destacando o Festival de Cinema de Jericoacoara – Jeri Digital, cuja sexta edição aconteceu em 2017.

 

Programação no Cineteatro São Luiz

Na terça-feira, 20/11, a programação do Festfilmes no Cineteatro São Luiz começa às 9h e segue ao longo de todo o dia. Às 10h acontece, no auditório do Cineteatro, o seminário “Programação e Curadoria de Salas Públicas de Cinema: Desafios e Perspectivas”, com Letícia Santinon, gerente de Difusão do Circuito SPCINE, de São Paulo, e Duarte Dias, diretor do Festfilmes, cineasta, curador de cinema do Cineteatro São Luiz e coordenador de audiovisual do Governo do Estado

Às 9h o público já pode curtir cinema de graça, com a Mostra Animada (classificação indicativa: 10 anos). Serão exibidos os filmes “3×3” (de Nuno Rocha, de Portugal), “O Gigante” (de Julio Vanzeler e Luís da Matta Almeida, coprodução de Brasil, Portugal e Espanha), “Disque Quilombola” (de David Reeks), “Cabeça Papelão” (de Quiá Rodrigues), “Até a China” (de Marão).

Os mesmos filmes serão apresentados na sessão de 14h30 no Cineteatro São Luiz, também com entrada franca, gerando oportunidade para nova plateia.

Às 16h acontece a Mostra Retrospeco, também com entrada franca e com classificação indicativa de 14 anos. Serão exibidos os filmes “O Refugiado” (de Rui Cardoso, de Portugal), “A Navalha do Avô” (de Pedro Jorge, Brasil), “A Fábrica” (de Aly Muritiba, Brasil), “Preto ou Branco” (de Aliso Zago, Brasil), “O Céu no Andar de Baixo” (de Eduardo Cata Preta, Brasil), “Fotograma 23” (de Victor Santos, de Portgual), “Amor em Pedaços” (de Felipe de Oliveira, Brasil), e “Tejo Mar”, de Bernard Lessa, do Brasil.

Fechando a programação da terça-feira, 20/11, no Cineteatro São Luiz, acontece Às 19h a Mostra CPLP, dedicada a filmes das nações integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A classificação indicativa é de 12 anos. Será exibido o longa-metragem “Exodus – De Onde eu Vim Não Existe Mais”, coprodução Alemanha-Brasil, de 2017, dirigida por Hank Levine.

Acompanhando as jornadas de seis refugiados, Napuli, Tarcha, Bruno, Dana, Nizar e Lahtow, esta é uma observação sobre o estado do mundo frente à crise dos refugiados que se espalhou por todo o planeta, visto que cada vez mais pessoas deixam seus lares para fugirem de motivos diversos como guerras e epidemias, buscando um porto seguro para recomeçar suas vidas.

Na quarta-feira, 21/11, às 19h, fechando o Festfilmes no Cineteatro São Luiz, será feito o anúncio dos filmes vencedores das mostras Iracema, Nascente e Atlântica. Logo após, será exibido o filme “Padre Cícero: Os Milagres de Juazeiro”, de 1975, dirigido por Helder Martins. A exibição desse filme foi um dos momentos mais marcantes da etapa do Festfilmes no Cariri, no começo de novembro.

A produção mostra a primeira metade da vida e da obra religiosa da figura polêmica e excêntrica de Cícero Romão Batista, mais conhecido como Padre Cícero, um padre que sempre exerceu suas funções às margens das diretrizes da Igreja Católica, tornando-se um personagem político influente e um líder religioso fervorosamente adorado por milhões de fiéis até os dias de hoje.

Gilberto Gil se apresenta em programação alusiva aos 60 anos do Cineteatro São Luiz

 

Gil, um dos maiores nomes da música brasileira, apresenta seu novo álbum “Ok Ok Ok” em show inédito, em Fortaleza, no dia 9 de dezembro, às 19h. Os ingressos para o evento começam a ser vendidos no dia 29 de novembro, às 10h, com os valores R$60 (inteira) e R$30 (meia) na bilheteria do equipamento e no site da Tudus (www.tudus.com.br) com limitação de dois ingressos por CPF e cadeiras marcadas. O show, que conta com o apoio da Secult, é um presente de fim de ano e se insere na programação de comemoração de aniversário dos 60 Anos do São Luiz.

Descontadas as faixas-bônus, o cantor, compositor e instrumentista baiano apresenta 12 músicas inéditas no álbum Ok Ok Ok, o primeiro disco de inéditas de Gil desde Fé na festa (2010). As três músicas alocadas como faixas-bônus são Afogamento (canção já lançada em single, mas na gravação feita com a participação de Gil para o disco em que Roberta Sá canta somente músicas inéditas do compositor), Kalil (música feita por Gil para o cardiologista Roberto Kalil) e Pela internet 2 (versão atualizada da música lançada em 1996 e repaginada em janeiro deste ano de 2018).

“Gil é ícone da música brasileira e esse show retrata a síntese de sua carreira, propondo uma importante reflexão sobre o momento político, social e cultural do Brasil contemporâneo. Respeitamos e admiramos sua atuação como artista e também como ministro no âmbito das políticas culturais. Para nós, é uma honra proporcionarmos esse espetáculo para os cearenses”, afirma Rachel Gadelha, Diretora do equipamento.

Esta programação também integra o “Ceará Natal de Luz”, realizado pela CDL, que esse ano homenageia o São Luiz. Visando atender um maior número de pessoas, haverá um ambiente alternativo para a confraternização e a audiência do show na Praça do Ferreira. Será feita transmissão ao vivo do espetáculo em dois telões de led em proporção 5 x 3. Na ocasião, o público poderá usufruir de uma feira de artesanato e gastronomia.

 

Serviço:
Evento: Gilberto Gil em “Ok Ok OK”
Data: 09/12, às 19h
Ingressos: R$60 (inteira) e R$ 30 (meia) – começam a ser vendidos na bilheteria do Cineteatro São Luiz e no site da Tudus (www.tudus.com.br), no dia 29 de novembro às 10h. Limitação de dois ingressos por CPF e cadeiras marcadas..

Projeto Curta a Tradição, Curta a Cultura, Curta o São Luiz e Encontro Mestres do Mundo celebram Tesouros Vivos do Ceará


Nesta sexta-feira (9), o Hall do Cineteatro São Luiz se tornará palco de uma grande celebração da Cultura Popular. O Projeto Curta a Tradição, Curta a Cultura, Curta o São Luiz recebe Fabiano dos Santos Piúba, Secretário de Cultura do Estado do Ceará e os Mestres da Cultura para realizar o lançamento do Encontro Mestres do Mundo. O evento acontece de 21 a 24 de novembro na cidade de Aquiraz. A programação terá início às 10h da manhã com partilhas de vivências e apresentações dos Mestres.
Mestra Mãe Zimá e o artista Calé Alencar. Além da Mestra Cacique Pequena e do Grupo Maracatu Az de Ouro que já integraram a programação do projeto, são os convidados desta edição. Para festejar o lançamento do XII Encontro Mestre do Mundo que tem como tema este ano: “Encontro Mestres do Mundo, tempo de amor e flor para quem sabe salvaguardar afetos”. É um evento estruturante realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – SECULT desde 2005, cuja atual edição acontece de 21 a 24 de Novembro de 2018 em Aquiraz (CE), com produção do Instituto Assum Preto de Arte, Cultura, Cidadania e Meio Ambiente, instituição parceira selecionada por meio de edital, com parceria da Prefeitura Municipal de Aquiraz e apoio cultural do Fórum de Cultura Popular Tradicional, Comissão Cearense de Folclore, Tapera das Artes e Museu Sacro São José do Ribamar.
A programação do Projeto Curta a Tradição, Curta a Cultura, Curta o São Luiz acontece, quinzenalmente às sextas-feiras e é gratuita. Dialoga sobre os territórios das tradições populares a partir de uma curadoria norteada por histórias, memórias e afetos. Mestres da Cultura e grupos convidados partilham sua trajetória e contribuições para cena cultural cearense. Todos são convidados a festejar e celebrar entre saberes e fazeres artísticos. O circo, a dança, o teatro, o humor e a música que estarão presentes ao longo desta edição promovendo uma reflexão sobre a nossa relação com a tradicionalidade e a regionalidade. É idealizado pelo ator e circense, Cláudio Ivo e conta com Produção Executiva da Ideias Produções. Foi aprovado no X Edital Mecenas do Ceará e tem Apoio Cultural da Enel.

 

Serviço:

Projeto Curta a Tradição, Curta Cultura, Curta o São Luiz

09/11 às 10h – Lançamento Encontro Mestres do Mundo

Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro, Fortaleza – CE)

Entrada: Gratuita | Classificação Indicativa: Livre

Mestre Chico Bento Calungueiro integra a programação do Projeto Curta a Tradição, Curta a Cultura, Curta o São Luiz, neste dia 26


Nesta sexta, 26, às 12h30 o Mestre Chico Bento Calungueiro chega ao Hall do Cineteatro São Luiz com suas histórias e brincadeiras. Antes de apresentação, o mestre conversará com o público sobre sua história de vida e vivências com o teatro de bonecos. O projeto Curta a Tradição, Curta a Cultura, Curta o São Luiz é idealizado pelo ator e circense, Cláudio Ivo e conta com Produção Executiva da Ideias Produções. Foi aprovado no X Edital Mecenas do Ceará e tem Apoio Cultural da Enel.
Mestre Chico Bento Calungueiro, como é popularmente conhecido Francisco Furtado Sobrinho, morador da Comunidade de Córrego dos Furtados. É o único brincante de arte popular em atividade na cidade de Trairí, litoral oeste do estado do Ceará. Ainda criança, encantou-se com as brincadeiras de Cassimiro Coco (personagem tradicional do mamulengo cearense) e desde então não parou mais de criar. Desenvolve um trabalho ímpar com teatro de bonecos e foi reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN) através do Programa de Registro e Preservação do Patrimônio Imaterial. É um Tesouro Vivo do Estado do Ceará e por onde passa arranca sorrisos e desperta memórias com suas calungas.
A programação acontece, quinzenalmente às sextas-feiras e é gratuita. O projeto dialoga sobre os territórios das tradições populares a partir de uma curadoria norteada por histórias, memórias e afetos. Mestres da Cultura e grupos convidados partilham sua trajetória e contribuições para cena cultural cearense. Todos são convidados a festejar e celebrar entre saberes e fazeres artísticos. O circo, a dança, o teatro, o humor e a música que estarão presentes ao longo desta edição promovendo uma reflexão sobre a nossa relação com a tradicionalidade e a regionalidade.
Serviço:

Projeto Curta a Tradição, Curta Cultura, Curta o São Luiz

26/10 às 12h30 – Mestre Chico Bento Calungueiro

Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, 500 – Centro, Fortaleza – CE)

Entrada: Gratuita | Classificação Indicativa: Livre

Aurélia lança o disco Acesa no Cineteatro São Luiz no dia 29/10

Cantora, compositora, atriz e jornalista, Marta Aurélia, ou simplesmente Aurélia, lança, no dia 29 de outubro de 2018, às 19h, no Cineteatro São Luiz, o seu segundo CD autoral, intitulado Acesa. Produzido pela própria artista, em parceria com Eric Barbosa, o trabalho “cria uma poética da voz em sinestesia com outras fontes sonoras e de instrumentação, de maneira fluida e livre”, como Aurélia faz questão de definir.

Acesa é um álbum orgânico, nascido do desejo da cantora de investigar outros territórios para sua voz, seu som e sua poesia e de aproximar-se mais da performance, do happening, da arte sonora, do noise e, mais do que presente nos sets de cinema como atriz, aproximar-se, também, da linguagem do audiovisual com sua música. Nessa perspectiva, surge a parceria com o músico-performer Eric Barbosa e, daí, começam os encontros criativos na Trincheira – residência artística localizada no Centro de Fortaleza – incluindo, paulatinamente, a presença de Eduardo Escarpinelli e Ayrton Pessoa.

Improvisações de guitarra, baixo, teclado, acordeon, clarinete, voz e efeitos começam a acontecer inicialmente no estúdio, seguidas por ensaios para apresentação, mixagens do material diverso, mantendo sempre a liberdade criativa que se apresenta nas oito faixas que compõem o disco. “O Acesa nasceu com a ideia de se trabalhar a canção, a palavra, em outras fontes e diretrizes, a partir do conceito de hibridismo de linguagem, entre performance sonora e filosofia, passando ainda pelas instalações sonoras e o audiovisual”, afirma Eric, que ainda ressalta, do trabalho, a predileção por novas timbragens dos instrumentos, além das experimentações da voz.

Já Ayrton Pessoa pontua uma característica do processo criativo de Aurélia, que é o fato de seus projetos serem tangenciais, “que se confundem e se atravessam”. “A gente acaba sem saber o que começou, onde, quando, como ou por que”, brinca. Para o músico, Acesa ganhou ainda mais força com a chegada de Eric Barbosa ao projeto, dando ao disco uma orientação estética melhor delineada e, principalmente, trabalhando o poder de escrita de Aurélia, com composições espontâneas e improvisos. Canções tradicionais se transformaram em ‘peças sonoras’ com a mistura de sons complexos e caóticos, ruídos, palavras, timbres de guitarra com riffs, sintetizadores, um clarinete encantadoramente perdido e sua voz.”

Eduardo Escarpinelli destaca ainda a poética sonora sinestésica de Aurélia, do seu texto falado e das frequências de seus movimentos, no estúdio e no palco, que evocam imagens que também geram sons, deslocando poeticamente sentidos clássicos, tradicionais, de se ver/ouvir/sentir/etc. “A Aurélia inverte, expande e junta o cosmos sonoro”, diz.

 

O território da voz

A voz é território de atuação mais comum de Aurélia, desde o rádio, a música, o teatro, o cinema, passando por suas investigações desse que também é instrumento de autoconhecimento e expressão multicultural, dos diversos usos da voz seja na comunicação, seja na arte, e da compreensão do som como experiência com o sagrado e como força vital presente nos processos criativos. É da convergência desses aspectos que Aurélia carrega a bateria para construir uma poética vocal capaz de transitar por alguns parâmetros mais harmônicos do canto e da fala e criar novas imagens sonoras e ruidísticas.

“A voz é expressão do ser, que é perfeito, imperfeito, harmônico e ruidoso. Então, queria caminhar com essa voz, que, quando audível, também pudesse esmorecer, arranhar, borrar, sujar, enfim, além de expressar a beleza do som e da voz, esta entendida também como discurso, como o que está sendo dito. O álbum brinca entre entrar e sair de alguns padrões, entre o som que é e não é, necessariamente, ‘compreensível’ ou ‘entendível’, mas que tem poesia e que provoca a imaginação”, explica a cantora.

“Também não tivemos essa questão de trabalhar com o polimento do som, quando se pensa no referencial de gravação de estúdio, tanto que sons captados da rua foram incorporados ao álbum. Isso porque o Acesa pretende trabalhar essas outras formas de escuta”, pontua Eric Barbosa.

Os textos foram escritos e as músicas foram compostas durante o processo de construção do Acesa. “Ando Cantando o que Sou” expõe, mais visceralmente, o que a artista revela de si neste momento. Nesta música, é possível perceber o resultado das possibilidades construídas em conjunto, a partir do diálogo entre melodia e voz. “Essa música bate na porta da canção, é quase um aboio. Ela é quase cantada, meio preguiçosa, às vezes quase inaudível. É para você sentir, uma espécie de meditação em si mesma”, explica Aurélia.

Já “Cidades Invisíveis”, “Varanda” e “Escombros” são músicas em que os textos estão mais à frente, quase como uma crônica rítmica. É como se Aurélia contasse uma história, seja sobre cidades contemporâneas destruídas pelas guerras (Escombros), seja sobre os seus locais de afeto, encontrando-se com a poesia e a complexidade dos lugares de Ítalo Calvino (Cidades Invisíveis).

“Entre” fala da condição de vulnerabilidade da artista e do momento intraduzível da criação: “… sem proteção qualquer, a não ser a própria sorte e algum sinal de esmaecida lucidez, avanço, mergulhada no intraduzível do instante”. Complementam o álbum, ainda, “Precário”, cuja poética lança um olhar crítico sobre a condição do artista na relação com seus processos de produção e criação, “Provisória”, que evoca a condição de passagem do processo criativo e “Vox”, na qual a própria voz é motor de criação.

Outra canção de destaque é “Meu Choro”, que traduz o sentimento da cantora ao se deparar com imagens dos flagelados da seca de 1877/1878 durante pesquisa da atriz Juliana Tavares sobre os campos de concentração no Ceará. Mesmo tendo ficado fora do álbum, “Meu Choro” foi mantida no repertório do show pela conexão que estabelece com um dos dramas mais profundos do nosso tempo, a fome, e pelo sentimento de empatia e solidariedade com a tragédia humana.

Guerras, miséria, fome, dor e outros temas que Aurélia traz para as músicas traduzem, entre sons e movimento, a realidade pela qual o Brasil – e o mundo – enfrentou e, mais do que nunca, enfrenta nos dias de hoje. Como disse o jornalista Flávio Paiva, quando viu/ouviu Acesa: “a tragédia da desesperança extrai a energia do corpo e precariza a mente. Mas ninguém desaparece enquanto existir o outro”.

 

Som e imagem

O processo orgânico que deu origem a este álbum vai além da relação entre Aurélia e os músicos. Isso porque o disco também segue um conceito visual, que dialoga com a fluidez das canções e de seu próprio processo de construção. “O disco é um conjunto de todas essas referências: música, imagem, design, poesia, teatro, dentre outras inspirações”, afirma Aurélia.

O processo de desenvolvimento gráfico do disco, por exemplo, foi uma troca entre alguns artistas e realizado em etapas. A capa partiu do desenho da Antonia Malau, baseado nas próprias referências do Acesa, em que a voz de Aurélia é alimentada pelas raízes poéticas, que são ramificadas num “corpo em explosão com a terra e a alma!”, define Antonia. A partir daí, Diego Maia elaborou todo o design do encarte, cuja arte final busca fortalecer o link entre o desenho e a atmosfera criada nas músicas.

As imagens feitas pela fotógrafa Natália Parente, que também dialoga com a estética do álbum, foram feitas apenas com luz natural, a partir da captura com o auxílio da técnica de longa exposição. Após o tratamento digital, Aurélia criou toda a linguagem de forma manual, escrevendo e interferindo sobre as imagens impressas. “A partir desse material, fiz mais intervenções, com pintura, bordado, além de queimar e colocar água. Trata-se de um trabalho que, embora digital, o aspecto manual está muito presente em todo o processo”, explica Natália.

No Cineteatro São Luiz, Aurélia estará acompanhada de Eric Barbosa, Eduardo Escarpinelli e Ayrton Pessoa, além de artistas convidados.

Acesa – Ficha Técnica

Produzido por Marta Aurélia e Eric Barbosa

Concepção e direção artística: Marta Aurélia

Gravação e mixagem: Eric Barbosa

Co-direção artística e assistência de mixagem: Uirá dos Reis

Gravado entre 2016 e 2018 na Trincheira Estúdio (Fortaleza/CE – Brasil)

Masterização: Klaus Sena – KlausHaus Studio (São Paulo/SP – Brasil)

Desenho da capa: Antonia Malau

Artefinal do encarte: Diego Maia

Fotos: Natália Parente

Figurino: Silvania de Deus

Maquiagem: Netinho Nogueira

Assessoria de Imprensa: Bebel Medal

Mídia Social: Nanda Loureiro

Produção executiva e fonográfica: Ana Azeredo

Selo: Trincheira / Índigo Azul / SuburbanaCo

Distribuição: Índigo Azul / OneRPM

 

Serviço:

Show: Acesa

Artista: Aurélia

Dia: 29 de outubro de 2018

Horário: 19h

Local: Cine-Teatro São Luiz

Classificação: livre

Duração: 1h30

Entrada: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia): https://www.tudus.com.br/evento/cineteatro-sao-luiz-acesa-aurelia