Browsing Tag

Arte

Casa de Saberes Cego Aderaldo será inaugurada, em Quixadá, neste sábado (09)

 

 

 

A Casa de Saberes Cego Aderaldo, situada em Quixadá, é o segundo equipamento Cultural do Estado inaugurado no interior. Sob a gerência do Instituto Dragão do Mar, através de contrato de Gestão firmado com a Secretaria da Cultura do Estado (Secult), o Sertão Central será a nova região beneficiada com a entrega do equipamento cultural do Governo do Estado. A solenidade de abertura conta com apresentações do reisado de caretas Boi Coração e do violeiro Guilherme Calixto, acontece neste sábado, a partir das 18h30, na Casa de Saberes Cego Aderaldo (R. Pascoal Crispino, 167 – Centro, Quixadá). Antes, às 16h, acontece uma roda de conversa sobre as políticas culturais da Secult, com o secretário Fabiano dos Santos Piúba.

Construída coletivamente, dialogando com os diversos agentes, segmentos, setores, instituições da região do Sertão Central, a Casa de Saberes Cego Aderaldo possibilitará fomentar a pesquisa, a formação, a difusão e a fruição das expressões culturais dos diversos territórios culturais, permitindo a experimentação do público no processo de produção do conhecimento em arte, cultura e tradição, através das múltiplas linguagens, e promoverá a investigação de temáticas presentes na região.

O novo equipamento da Secult abrigará salas expositivas, espaços administrativos e formativos; biblioteca; auditório, espaços de convivência, multiuso e espaço gastronômico. Com programação cultural mensal e exposições fixas, a Casa sediará formações, festivais, oficinas, seminários, sendo também um espaço para o fortalecimento e difusão das cultura popular, que atua em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente (SEMA), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), a FECLESC – UECE, a Fundação de Quixadá – Prefeitura Municipal de Quixadá e a Prefeitura de Senador Pompeu.

 

Programação de abertura

No dia da inauguração da Casa de Saberes Cego Aderaldo, 9/12, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará promove, às 16h, uma roda de conversa com agentes culturais locais para apresentar as políticas culturais que vem sendo desenvolvidas no Estado. A atividade tem como objetivo manter o diálogo e a aproximação com os municípios do interior do Estado.

Logo após, às 18h30, acontece a solenidade de abertura, com momento de apresentações culturais e homenagens. O reisado de caretas Boi Coração e o violeiro Guilherme Calixto participam do momento comemorativo. Na ocasião, a Casa de Saberes Cego Aderaldo irá homenagear a dona Nair Aderaldo, nora do Cego Aderaldo, o historiador João Eudes Cavalcante, e o violeiro Guilherme Calixto, pela preservação da memória sobre Cego Aderaldo.

 

 

Programação de dezembro da Casa de Saberes

Desde o mês de novembro, a Casa de Saberes Cego Aderaldo promove uma programação voltada para as linguagens artísticas e os saberes tradicionais da cultura popular. “Toda a programação da Casa de Saberes é pensada com base nos saberes tradicionais e nas linguagens artísticas. A cada ação planejada, nós relacionamos com essas duas diretrizes. Dentro dessa proposta, a gente vai formulando a programação, de acordo com a demanda, ouvindo também os artistas locais. Ano passado nos fizemos um grande encontro em Quixadá, em que recebemos algumas demandas e foi assim que construímos a programação”, relata a coordenadora da Casa de Saberes, Paula Geórgia.

“O mês de novembro teve uma programação mais voltada a questões institucionais. Tivemos ações sobre o Mapa Cultural do Ceará e sobre a formulação de projetos culturais. Além disso, já tivemos ações que englobam os saberes tradicionais nas linguagens artísticas, levando um curso de teatro e de bordado tradicional para o equipamento”, comenta a coordenadora.

Já no mês de dezembro a Casa de Saberes traz uma programação voltada aos saberes tradicionais que eram relacionados ao Cego Aderaldo e aos mestres da cultura. “Logo no início do mês Tivemos uma formação na área de patrimônio, ligada a uma questão mais técnica sobre tombamento. No dia 11/12, teremos uma formação sobre gestão do patrimônio, para gestores e agentes culturais. Teremos ações também relacionadas ao cordel e ao repente, com dois cursos de formação. Haverá um pequeno encontro de violeiros, que acontecerá em três dias voltados para essa programação musical. No último dia desse encontro, 22/12, teremos a exibição do documentário e lançamento do livro de Rosemberg Cariry sobre Cego Aderaldo, seguido de bate-papo com o autor. A publicação é uma edição da Casa de Saberes. Além disso, haverá uma aula espetáculo sobre repente com o Geraldo Amâncio e a exposição sobre a vida e obra do Cego Aderaldo, com fotos e algumas poesias”, destaca Paula Geórgia.

Os mestres da cultura também participam da programação que acontece de 14 a 16/12. Haverá uma oficina de xilogravura com o mestre Stênio Diniz, curso de dança tradicional com a presença do mestre Aldenir do reisado do Crato e integrantes do grupo do Coco do Iguape e mediação de Orlângelo Leal.

 

 

 

SERVIÇO

Inauguração da Casa de Saberes Cego Aderaldo
Sábado, 9/12, a partir de 16h
Local: R. Pascoal Crispino, 167 – Centro, Quixadá

Programação

16h – Roda de conversa com apresentação de políticas culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult)

18h30 – Sessão solene de abertura e apresentações culturais do reisado de caretas Boi Coração e do violeiro Guilherme Calixto

Programação de Dezembro da Casa de Saberes Cego Aderaldo

04, 05 e 06 de Dezembro

Oficina – Ferramentas de documentação para o Patrimônio Edificado.

Prof. João Lucas

30h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – com interesse em Patrimônio Cultural

07 e 08 de Dezembro

Saberes Tradicionais – Cordel Contemporâneo

Prof. Klévisson Viana

20h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – interessados na arte do cordel

11 de Dezembro

Oficina / Diálogo com os gestores dos municípios – Patrimônio Cultural – Reconhecimento e Gestão

Prof. João Lucas

10h/aula

Público Alvo: até 20 alunos – gestores e agentes culturais com interesse em Patrimônio Cultural

12, 13 e 14 de Dezembro

SEMANA DOS MESTRES DA CULTURA NO SERTÃO CENTRAL

Saberes Tradicionais – Xilogravura

Prof. Stênio Diniz

20h/aula

Público Alvo: até 15 alunos – interessados na arte da Xilogravura

Saberes Tradicionais – Danças da Cultura Popular do Ceará (Corpo e Música)

Mestre Aldenir – Reizado do Mestre Aldenir (Crato-CE)

Mestre Piauí – Boi Estrela (Quixeramobim-CE)

Mediação: Orlângelo Leal

14 de Dezembro

Finalização da atividade Danças Populares do Ceará – resultado da Oficina

Dança de São Gonçalo – Danças tradicionais populares do Ceará

Comunidade Sítio Veiga e Mestre Joaquim

Local: Casa de Saberes Cego Aderaldo

Hora: 18h
Aula Espetáculo sobre Reisado e Caretas com Oswald Barroso

Local: Casa de Saberes Cego Aderaldo

Hora: 19h

14 a 20 de Dezembro

Vivência Artística em Patrimônio – Campo de Concentração Vila dos Ingleses – Açude Patu

“Toda casa tem um pouco de Museu.”

Ação artística com o Alexandre Sequeira – PA

Local: Senador Pompeu – CE

20 a 22 de Dezembro

Pequeno Encontro de Violeiros e Repentistas do Sertão Central

22 de Dezembro

Ações de encerramento das atividades de 2017

15h – Exibição do Documentário “Cego Aderaldo – o Cantador e o Mito”, com bate papo com o autor.

18h – Lançamento do Livro “Cego Aderaldo – O Homem, o Poeta e o Mito”, de Rosemberg Cariri.

Encerramento da Exposição sobre Vida e Obra do Cego Aderaldo

20h – Pequeno Encontro de Violeiros e Repentistas do Sertão Central

FESTIVAL CURTA CANOA DIVULGA OS SELECIONADOS PARA MOSTRA COMPETITIVA 2017

 


O Festival Latino Americano de Canoa Quebrada (Curta Canoa) divulga, nesta segunda-feira (04), as 50 produções selecionadas para a mostra Competitiva da 12ª edição, que será realizada entre os dias 07 e 12 de dezembro, na praia Canoa Quebrada, em Aracati.

Este ano, o festival recebeu cerca de 500 curtas e, por meio de uma criteriosa curadoria, foram selecionadas onze produções do Rio de Janeiro, sete de São Paulo, quatro do Ceará, três da Paraiba e Rio Grande do Sul, dois do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Espirito Santo, Paraná, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e Santa Catarina, um do Pará, Mato Grosso, Alagoas, Maranhão, Piauí e Bahia.

Segundo o idealizador do Curta Canoa, Adriano Lima, essa é uma seleção muito potente. “O Brasil se consolidou no audiovisual e é, hoje, uma potência de resistência”, afirma. Adriano Lima também destaca a forte participação das produções cinematográficas cearenses nesta edição: “Felizmente a participação do Ceará foi muito forte e, por isso, decidimos realizar mais uma vez a mostra Bons Ventos, que vai exibir 56 filmes que não entraram na mostra competitiva”.

 

 

De olho na programação

Além das mostras Competitiva e Bons Ventos, a 12ª edição do Festival Curta Canoa realiza oficinas de formação em cineclubismo e preparação de atores para cinema e TV, com os facilitadores Henrique Dídimo e Giovanni Marsallis, respectivamente.

A programação também traz apresentações de teatro, canto e dança de grupos locais, e promete levar a magia da sétima arte para o cotidiano das crianças da rede publica de ensino de Aracati, em duas sessões de cinema infantil no Cinema Bom Vizinho.

 

Confira abaixo os filmes selecionados para o Festival Curta Canoa

Mostra competitiva de curta-metragem

A GENTE NASCE SÓ DE MÃE – CARU ROELIS – MG

A MARGEM DO UNIVERSO – TIAGO ESMERALDO – DF

APESAR DE TUDO – JANAÍNA DÓREA – RJ

AS CARTAS QUE NÃO LI – LUCIA CAUS – ES

AS AVENTURAS DO CRAUÁ – PATRÍCIA CARTES – ES

AS AVENTURAS DO MENINO PONTILHADO – LEO TABOSA – PE

BAUNILHA – LEO TABOSA – PE

BRAÇOS ABERTOS – MONIQUE LIMA – RJ

CINE RIO BRANCO – EUDALDO MONÇÃO JR. – BH

CLOSE – ROSANE GURGEL – CE

COCEIRINHA NA MÃO – LUCIANO IRRTHUM – MG

CUSCUZ PEITINHO – RODRIGO SENA E JULIO CASTRO – RN

DANNY – FERNANDO ALVES – SP

DESFRAGMENTO – HELENA LUKIANSKI E GIULIANA HEBERLE – RS

DIGA AO MEU PAI QUE ESTOU BEM – BRUNA FRACASCIO – SP

DIZ A LENDA – MARCIO DEL PICCHIA – SP

É NATAL – JAIME QUEIROZ – SP

ENTRE O ANJO E O POLICHINELO – GALVANDA GALVÃO & IZABELA LEAL – PR

EPÍLOGOS – ANDRÉ GLASNER – RJ

EU ME PREOCUPO – PAULO SILVER – AL

FEIRA LIVRE – ONDE O PASSADO E O PRESENTE SE ENCONTRAM – DYNHO SILVA – RN

FERIDA – DANDI QUEIROZ – SP

FLECHA DOURADA – CÍNTIA DOMIT BITTAR – SC

FRENÉTICA ILUSÃO – EDUARDO SUTIL – PR

GUIANA FRANCESA – EDMILSON FILHO E OLAVO JUNIOR – CE

HINO AOS ORIXÁS COM A PUREZA DAS CRIANÇAS – SÉRGIO ROSSINI – RJ

INTERVENÇÃO – ISAAC BRUM SOUZA – GO

LUIZ – ALEXANDRE ESTEVANATO – SP

MARIAS – EDEM ORTEGAL – MA

MORREU MARIA PREÁ – G. ANDRÉ MELO – CE

NEY SOUZA – O SENHOR DO TEMPO – ESTEVAN SILVERA – PR

O CD DE 2 BILHÕES DE DOLARES – NADABE RIBEIRO – CE

O QUEBRA-CABEÇA DE SARA – ALLAN RIBEIRO – RJ

O VENDEDOR DE PALAVRAS – ANDRÉ FALCÃO – RJ

PEDACINHO DO CÉU – CAIO ALVARENGA – RJ

QUANDO PAREI DE ME PREOCUPAR COM CANALHAS – TIAGO VIEIRA – SP

REDEMUNHO – MARCÉLIA CARTAXO – PB

ROLETA RUSSA EM TRANSITO – TAIGUARA BRUNO – PI

RUÍNA – ALAILSON BERNARDO – GO

SÉCULO XXI – LEONARDO GOOD GOD – MG

SERIA MELHOR SE VOCÊ TIVESSE MORRIDO – CLARA FERRER E MARCELLA DE FINIS – RJ

SOBRE UM FILME QUE NÃO ACABOU – DIEGO TAFAREL – RS

SONHOS DA LUISAH – JOAO RICARDO COSTA – SC

SURDEZ – GABRIEL FIGUEIRA – RJ

TELENTREGA – ROBERTO BURD – RS

TERCENDO LABIRINTO – RAQUEL GRANDA – RJ

UMA AVENTURA NA CAATINGA – LAERCIO FILHO – PB

UM POUCO A MAIS – ALEQUES EITERER – RJ

URSORTUDO – JANUÁRIO JR – DF

VOCÊ CONHECE DERRÉIS? – VERUZA GUEDES – PB

Projeto InConto Marcado encerra em Guaiúba a temporada de 2017 de “Plantou Palavra, Colheu Poesia”

 

O InConto Marcado – Teatro Itinerante encerra, no período de 5 a 7 de dezembro, a temporada de 2017 do espetáculo “Plantou Palavra, Colheu Poesia”, baseado na obra de Socorro Acioli. Depois de passar pelas cidades de Paracuru e Marco, onde esteve em novembro, o projeto chega a Guaiúba, município localizado a cerca de 40 quilômetros de Fortaleza. Levando poesia para dentro da escola como incentivo à leitura, o projeto é composto por apresentação teatral para estudantes e público em geral e oficina de teatro para professores. Em Guaiúba a programação será na Escola de Educação Básica Municipal Manuel Baltazar de Freitas. O acesso é gratuito.

 

No dia 05 acontece a oficina para professores, das 8h às 11h, e nos dias 06 e 07 o espetáculo é apresentado em dois horários, às 9h e às 14h30, tendo como público-alvo alunos de ensino fundamental da rede púbica, crianças de 5 a 12 anos de projetos sociais realizados por ONGs, professores da rede pública, grupos de teatro, gestores públicos de educação e cultura, familiares dos alunos e moradores dos arredores dos espaços onde são realizados os espetáculos.

 

Além da obra de Socorro Acioli, o espetáculo traz um destaque para a literatura de Cordel por meio do livro “Miolo da Rapadura” (TUPYNANQUIM Editora), do cordelista e maior defensor do gênero na atualidade, Klévisson Viana. O espetáculo vem renovado também de elementos cênicos, figurinos, cenários, direção e elenco. Em cena, juntam-se a Daniele Yanes, atriz, produtora e idealizadora do projeto, dois novos integrantes, os atores Miguel Campelo e Gleilton Silva.

 

A direção é de Geovana Pires é atriz, diretora teatral, professora e coordenadora artística e pedagógica da Casa Poema (RJ), instituição fundada por ela e pela atriz e poeta Elisa Lucinda, referência de poesia falada no Brasil, que há 18 anos desenvolve uma linguagem teatral tendo a poesia como fio narrativo. Em 2007, fundaram a Companhia da Outra desenvolvendo a narrativa poética no palco. A dupla viaja pelo Brasil e por diversos países do mundo apresentando recitais, espetáculos e oficinas cuja ferramenta é a poesia.

 

O InConto Marcado – Teatro Itinerante vem circulando pelo Ceará desde 2011, já tendo realizado espetáculos e oficinas de teatro em 24 municípios do estado. A formação de plateia é um dos objetivos principais do projeto, que já alcançou em suas apresentações um público superior a 25 mil alunos de ensino fundamental da rede pública. “Cerca de 95% jamais havia assistido a uma peça de teatro”, ressalta Daniele Yanes.

Serviço:

 

InConto Marcado – Espetáculo “Plantou Palavra, Colheu Poesia” (adaptação da obra de Socorro Acioli) e oficina de teatro. Dias 05 (oficina de 8h às 11h), 06 e 07 de dezembro (espetáculos às 9h e 14h30) em Guaiúba (EEBM Manoel Baltazar de Freitas: Rua Dr. Leiria de Andrade, 409, Centro, Ceará). Acesso gratuito. Informações: (85) 99927.4067.

 

Projeto InConto Marcado leva espetáculo e oficina de teatro à cidade de Marco

 

Chega esta semana à cidade de Marco o projeto InConto Marcado – Teatro Itinerante, com oficina teatral para professores nesta terça-feira, dia 21 de novembro, das 8h às 11h, e espetáculoPlantou Palavra, Colheu Poesia” na quarta e quinta-feira, dias 22 e 23, às 9h e às 14h30. A programação é gratuita e acontece na Escola de Ensino Fundamental Manoel Paterno Silva.

O InConto Marcado leva a poesia para dentro da escola como método e conteúdo, estimulo à leitura, como arte e informação, disseminando um gênero que foi afastado de sua origem popular, a cultura da oralidade, que já garantia o ensinamento da história entre os povos de todas as raças, antes mesmo da palavra escrita. Tem como público-alvo alunos de ensino fundamental da rede púbica, crianças de 5 a 12 anos de projetos sociais realizados por ONGs, professores da rede pública, grupos de teatro, gestores públicos de educação e cultura, familiares dos alunos e moradores dos arredores dos espaços onde são realizados os espetáculos.

O novo espetáculo

Baseada no livro da escritora cearense Socorro Acioli, que foi lançado em 2014 pela editora Armazém da Cultura, a peça “Plantou Palavra, Colheu Poesia”, estreou agora em novembro com sucesso de público. “Nós fizemos quatro sessões do espetáculo em Paracuru e recebemos aproximadamente 600 crianças por apresentação”, conta a atriz e idealizadora do projeto, Daniele Yanes.

Além disso, 80 professores participaram da oficina de teatro, que é uma ação realizada pelo projeto desde o início em 2011. “A gente tem feito esse trabalho com muita alegria, com esse público lindo que são os professores da rede pública. Paracuru ficou encantada”, comemora Daniele. Realizada com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) por meio do Edital Mecenas, tendo a Enel como empresa apoiadora por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, esta edição do InConto Marcado acontecerá também em Guaiúba, de 5 a 7 de dezembro.

Daniele explica que o espetáculo “Plantou Palavra, Colheu Poesia” é uma homenagem aos poetas e cantadores nordestinos. “É uma louvação a esses artistas nordestinos, essas figuras que são genuinamente brasileiras, que trazem essa arte de rua, do sertão, ligada a natureza. A Socorro Acioli também tem demonstrado a felicidade dela em ter uma de suas obras montada em um espetáculo de teatro”, enfatiza a idealizadora do projeto.

Socorro Acioli é uma das mais referendadas autoras brasileiras de literatura infantil e juvenil. Em 2013 foi vencedora do Prêmio Jabuti na categoria Infantil com o livro “Ela tem olhos de céu“. A obra “Plantou Palavra, Colheu Poesia” é, antes de tudo, uma singela homenagem aos poetas e cantadores do sertão. O livro aborda a seguinte questão: como a poesia pode frutificar em meio a todas as dificuldades da vida, da seca, da fome e da falta de intimidade com as palavras? A obra narra a trajetória de Francisco, um menino retirante que, em meio à procura de um lugar melhor para viver, vai para Assaré e tem sua vida modificada quando conhece Antônio, um agricultor poeta que na adaptação para o espetáculo foi personificado na imagem de Patativa do Assaré. A partir deste encontro o menino segue a busca do mistério das palavras e de como é que se faz “essa coisa tão linda”, a poesia.

A nova montagem do InConto Marcado, além da obra de Socorro Acioli, traz um destaque para a literatura de Cordel por meio do livr“Miolo da Rapadura” (TUPYNANQUIM Editora), do renomado cordelista e maior defensor do gênero na atualidade, Klévisson Viana, que em 2015 conquistou o terceiro lugar do Prêmio Jabuti na categoria Adaptação, com a obra “O Guarani em cordel“. O novo espetáculo vem renovado também de elementos cênicos, figurinos, cenários, direção e elenco. Em cena, juntam-se a Daniele Yanes, atriz, produtora e idealizadora do projeto, dois novos integrantes, os atores Miguel Campelo e Gleilton Silva.

A direção é de Geovana Pires é atriz, diretora teatral, professora e coordenadora artística e pedagógica da Casa Poema (RJ), instituição fundada por ela e pela atriz e poeta Elisa Lucinda, referência de poesia falada no Brasil, que há 18 anos desenvolve uma linguagem teatral tendo a poesia como fio narrativo. Em 2007, fundaram a Companhia da Outra desenvolvendo a narrativa poética no palco. A dupla viaja pelo Brasil e por diversos países do mundo apresentando recitais, espetáculos e oficinas cuja ferramenta é a poesia.

“Sabemos que, de uma maneira geral, a poesia anda afastada das escolas e dos livros escolares, pretendemos então fazer um resgate da memória dos poetas nordestinos, mostrando uma nova abordagem do texto poético, assumindo nele a conversa e a coloquialidade, diminuindo assim a distância entre aluno e poema, professor e literatura, espectador e ator”, explica Geovana Pires.

Tom Cavalcante, Whindersson Nunes, Tirullipa e Bruno de Luca são ‘Os Parças’, comédia com estreia em 30 de novembro

 

 

 

Maior centro comercial da América Latina, a Rua 25 de Março é pano de fundo de “Os Parças”, novo longa de Halder Gomes (“Cine Holliúdy” e “Shaolin do Sertão”). Com estreia marcada para 30 de novembro, o filme acaba de ganhar cartaz e o trailer já disponível em https://youtu.be/Qa4hXPBeUjY.

O roteiro assinado por Claudio Torres Gonzaga conta as furadas em que vão se meter Toinho (Tom Cavalcante), Ray Van (Whindersson Nunes), Pilôra (Tirullipa) e Romeu (Bruno de Luca) depois de serem obrigados a participar de um golpe orquestrado por Mário (Oscar Magrini), um malandro que criou uma empresa de casamentos falsa em plena 25.

Passados para trás por Mário, que foge com todo o dinheiro pago para realização do casamento de Cintia (Paloma Bernardi), filha de Vacário (Taumaturgo Ferreira), o maior contrabandista da 25, os quatro amigos vão ter que se virar. Eles precisam organizar uma festa de luxo sem nenhum dinheiro no bolso e sob a constante ameaça do trambiqueiro e seus capangas.

No elenco estão ainda André Bankoff, Carolina Chalita, Carlos Alberto de Nóbrega e Marcos Oliveira e participações especiais do cantor Wesley Safadão e do jogador Neymar Jr. Produzido pela Formata Produções, coproduzido pela Fox Film do Brasil e pelo Telecine, o longa tem distribuição da Downtown Filmes/Paris Filmes. Para mais informações acesse: http://agenciafebre.com.br/fotos-e-releases.

 

Sinopse 

Fugindo de problemas, um locutor de loja de varejo, dois trambiqueiros e um técnico de informática atrapalhado são obrigados a participar de um golpe. Eles são chantageados por Mário, um vigarista que se aproveita da boa-fé alheia para ganhar dinheiro. O desafio é nada mais nada menos do que montar uma firma de casamento para produzir a festa da filha do maior contrabandista da Rua 25 de Março, o temido Vacário. Juntos eles vão enfrentar muitos desafios na produção da festa e terão que fazer de tudo para não levantar a desconfiança de Vacário.

 

Sobre a Formata

Fundada em 2015 por Daniela Busoli, Patricia Cavalcante e DC set, a Formata Produções já possui em seu currículo mais de dez programas exibidos na TV aberta e na TV fechada e uma indicação ao Emmy Internacional de 2016 pelo reality show Adotada, exibido na MTV. No catálogo da produtora estão: os humorísticos A Grande Farsa, Xilindró, Ceará Fora da Casinha e MultiTom (Multishow), os reality shows Adotada e Papito in Love (MTV), BBQ Brasil e Fabrica de Casamentos (SBT), e Entubados (Canal Sony).

 

 

 

Sobre a Fox International Productions

A Fox International Productions é a divisão da Twentieth Century Fox voltada para o financiamento e aquisição de títulos em língua estrangeira. No Brasil, em mais de 15 anos investindo em filmes nacionais, a Fox coproduziu inúmeros longas-metragens entre os quais  “Lino”, “O Vendedor de Sonhos”, “Em Nome da Lei”, “Linda de Morrer” e outros grandes sucessos como ‘Somos Tão Jovens”, “Nosso Lar”, “Copa de Elite”, “Assalto ao Banco Central”, “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Se Eu Fosse Você 1 e 2”, “Lisbela e o Prisioneiro”. Os próximos lançamentos serão “Fala Sério, Mãe!” em dezembro de 2017, distribuído pela Downtown Paris e “Não Se Aceitam Devoluções” em janeiro de 2018, distribuído pela Fox Film do Brasil.

 

Sobre a Rede Telecine

Joint-venture entre a Globosat e os quatro maiores estúdios de Hollywood – Paramount, MGM, Universal e Fox –, a Rede Telecine também exibe com exclusividade as produções da Disney e sucessos do mercado independente. O melhor do cinema mundial estreia na TV brasileira através da Rede Telecine cada vez mais rápido.

Para investir cada vez mais na produção cinematográfica nacional, a Rede Telecine lançou em 2008 o Telecine Productions, selo de coprodução de títulos em parceria com grandes produtoras brasileiras. Além de estimular a criação de novos filmes, o Telecine garante a exibição desses títulos com exclusividade em suas diferentes plataformas.

Em 2016, o Telecine foi o mais lembrado entre todos os canais da TV por assinatura, categoria na qual é líder isolado pelo terceiro ano consecutivo conquistando na pesquisa Top of Mind do Datafolha. Na de canais de filmes, a Rede mantém a liderança desde 2007 ¹. O Telecine é o canal fundamental na manutenção da TV por Assinatura2 e, neste ano, tem em sua programação oito dos 10 filmes mais vistos pelo público brasileiro em 2016³.

 

FONTES: 

¹ – Top Of Mind 2016 – Datafolha – Perguntas: “Quando você pensa em CANAIS DE TV POR ASSINATURA, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?” e “Quando você pensa em CANAIS DE FILMES POR ASSINATURA por assinatura, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?”

²   – 21ª Pay TV Pop – Ibope – Assinantes com mais de 10 anos. 13 Mercados

³ – Iboe. Brasil. Estreias de 2016. Público Acumulado

 

Sobre a Downtown Filmes      

Fundada em 2006, a Downtown Filmes é a única distribuidora dedicada exclusivamente ao cinema brasileiro. Desde 2011, ocupa a posição da distribuidora número 1 no ranking de filmes nacionais. De 2013 até hoje, vendeu mais de 50% de todos os ingressos de filmes brasileiros lançados.

Até setembro de 2017, a Downtown Filmes lançou 101 longas nacionais, que acumularam mais de 100 milhões de ingressos.

Os destaques do lineup deste ano são: “Polícia Federal – A lei é Para Todos”, “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, e “Fala Sério, Mãe!”. Entre os maiores sucessos da distribuidora estão “Minha Mãe É Uma Peça” e “Minha Mãe É Uma Peça 2”, estrelados por Paulo Gustavo; “De Pernas Pro Ar”, “De Pernas Pro Ar 2” e “Loucas Pra Casar”, com Ingrid Guimarães; ”O Candidato Honesto” com Leandro Hassum; “Chico Xavier” e “Elis”. Para 2018, o lineup da Downtown conta com 15 títulos, entre eles  “O Doutrinador”, adaptação da série de quadrinhos de mesmo nome, “O Candidato Honesto 2” e “O Palestrante” estrelado por Fabio Porchat.

 

Sobre a Paris Filmes

A Paris Filmes é uma empresa brasileira que atua no mercado de distribuição e produção de filmes, primando pela alta qualidade cinematográfica. Além de ter distribuído grandes sucessos mundiais, como o premiado “O Lado Bom da Vida”, que rendeu o Globo de Ouro® e o Oscar® de Melhor Atriz a Jennifer Lawrence em 2013 e “Meia-Noite em Paris”, que fez no Brasil a maior bilheteria de um filme de Woody Allen, a distribuidora tem também em sua carteira os maiores sucessos do cinema nacional, como as franquias “De Pernas Pro Ar” e “Até Que a Sorte nos Separe”. Nos últimos anos, a Paris lançou o vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes 2013, “Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum”, dos irmãos Coen; o aclamado “O Lobo de Wall Street”, de Martin Scorsese, “Mapas Para as Estrelas”, de David Cronenberg (Melhor Atriz no Festival de Cannes – Julianne Moore); a primeira adaptação animada da obra-prima de Antoine de Saint-Exupéry, “O Pequeno Príncipe”; e as continuações A Série Divergente: “Insurgente” e o esperado final de Jogos Vorazes em “A Esperança – O Final”. Em 2016, os indicados ao Oscar® “Brooklin” e “O Lobo do Deserto”; o terceiro capítulo da série Divergente, “Convergente”, “Truque de Mestre – O 2º Ato” e sucessos do cinema argentino como “Kóblic”, com Ricardo Darín, foram os grandes destaques; assim como a biografia do lutador José Aldo em “Mais Forte Que o Mundo”. Produzidos pela Paris Entretenimento, há ainda “Um Namorado Para Minha Mulher” e “Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina”. Em 2017, a empresa está à frente de lançamentos como “La La Land – Cantando Estações”, grande vencedor da 74ª edição do Globo de Ouro, com 7 estatuetas incluindo Melhor Filme de Comédia ou Musical, “Power Rangers”, “Internet – O Filme”, “A Cabana”, “Meus 15 Anos”, entre outros.

IX exposição do projeto Amigos em Ação unirá arte e solidariedade em prol da causa social

         

Obra Vando Figueiredo

 

Em um único espaço unindo arte e solidariedade, o visitante cearense terá um amplo panorama das artes plásticas. É com esta proposta que o movimento social Amigos em Ação realiza a 9ª Exposição de Obras de Arte do projeto. A mostra coletiva Amigos em Ação reúne 86 obras de arte entre pinturas, desenhos, gravuras, fotografias e esculturas de 67 artistas plásticos e fotógrafos renomados do cenário local e até internacional, bem como talentos da nova geração das artes cearenses.

A exposição será aberta oficialmente na quinta-feira, 16 de novembro, às 19 horas, na CDL de Fortaleza, em evento para convidados. As obras ficarão expostas para visitação pública gratuita até o dia 27 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17 horas.

Todos os trabalhos foram doados pelos artistas para a campanha anual do projeto Amigos em Ação e participam do tradicional Leilão de Obras de Arte, cujos lances já podem ser feitos pelo telefone (85) 3466.4303 ou através do site da Montenegro Leilões. Este ano, participam artistas como Mano Alencar, Vando Figueiredo, Totonho Laprovitera, Ascal, Sergei de Castro, Francisco Bandeira, Orlando Moura, Levi Amorim, Chico da Silva, Silvano Thomáz, Hirma Castro, Tarciso Viriato, Vlamir de Sousa, Expedito Lima, Dimas Rock, Adriano Paz, Ferreirinha, Fabiano Chaves, entre outros.

Durante o almoço de encerramento da campanha, no dia 09 de dezembro, será realizado o leilão no qual os fundos arrecadados serão destinados para manutenção das obras assistenciais do projeto Amigos em Ação durante todo o ano de 2018.

A cada edição, um artista plástico doa o direito do uso de imagem de uma obra de arte para a identidade visual da campanha. Esse ano, a obra tema “Interferências da Paisagem Cearense” do artista plástico Zé Tarcísio, primeira vez na campanha, ilustrará todas as peças de divulgação, folders, cartazes, camisas e convites da campanha Amigos em Ação 2017.

 

Obra Mano Alencar

 

Doação de alimentos

Em paralelo à exposição de obras de arte, a Campanha Amigos em Ação vem mobilizando os conselheiros e associados para a arrecadação de gêneros alimentícios. A expectativa dos organizadores é atingir a meta de 25 toneladas de alimentos não perecíveis. Este ano, quatro instituições serão beneficiadas com as doações: Lar Torres de Melo, Oficina do Senhor, Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza e Lar Amigos de Jesus.

 

9ª Exposição Coletiva de Obras de Arte Amigos em Ação – 26ª Edição

Abertura: 16 de novembro.

Horário: 19 horas.

Local: CDL de Fortaleza.

Endereço: R. Vinte e Cinco de Março, 882 – Centro, Fortaleza.

Visitação pública gratuitaDe 17 de novembro a 27 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17 horas.

Sobrado Dr José Lourenço segue com MOSTRA “ARTE CEARÁ” e realiza mais uma edição do Café do Zé com artista Nivardo Victoriano

 

O Sobrado Dr. José Lourenço, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sedia até 28 de fevereiro de 2018, a Mostra Arte Ceará apresentando a partir do acervo da Secretaria da Cultura do Estado, sob a guarda do Centro Dragão do Mar, e de coleções particulares, uma narrativa histórica das Artes Visuais cearenses. Na programação, acontece também mais uma edição do “Café do Zé”.

Mostra Arte Ceará

O intuito da Mostra “Arte Ceará” é propor uma reflexão sobre a produção artística local e mostrar os movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado. “Uma oportunidade da população conhecer obras de artistas significantes da história da Arte do Ceará, tais como Chico da Silva, J.Fernandes, Otacílio de Azevedo, Estrigas, Campelo Costa, Fernando França, e dos contemporâneos o Hélio Rola, Efraim de Almeida, Solon Ribeiro, Isa Araújo, Ana Costa Lima, entre outros”, destacou Germana Vitoriano, Diretora do Sobrado Dr José Lourenço. Além disso, a exposição traz coleções particulares e coloca as obras para conhecimento do público, em um diálogo com as que integram o acervo da Pinacoteca do Estado. Mostra arte Ceará é, portanto, uma coleção de arte em diálogo.

Com a curadoria de Carlos Macedo, a Mostra permite ao espectador ter uma visão desse cenário, ao longo do tempo, a partir das obras que constituem o recorte apresentado. O conjunto de critérios usados na escolha das obras contempla o artista, considera a importância da relação temporal de sua obra, enquanto a cronologia diz respeito à visão geral dessa produção e faz referência, em particular, aos movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado.

A exposição é composta por 59 obras de 56 artistas, entre as figurativas, obras hiper-realistas, representações de gravuras e expressões mais contemporâneas. “Há peças pouco conhecidas de artistas como Chico da Silva, e de outros artistas que continuam produzindo e que vivem da arte, como é o caso do Hélio Rola, e ainda outros artistas que nunca tiveram oportunidade de estar em uma exposição, e agora estabelecem um diálogo com estes artistas mais conhecidos como Decartes Gadelha, Estrigas, J. Fernandes. O acervo artístico do Estado delineia parte considerável da história da arte cearense, possibilitando a avaliação da sua contribuição a partir de uma coleção pública. Nesse sentido, a Mostra Arte Ceará democratiza o acesso da população à  produção de relevantes artistas cearenses e possibilita a abertura do diálogo com as reinvenções e releituras realizadas por artistas contemporâneos, suscitando reflexões e debates sobre a criação artística”, ressalta a diretora.

CAFÉ DO Zé dialoga com a Mostra Arte Ceará

O Sobrado Dr José Lourenço promove ainda o Café do Zé. Evento que reúne a visitação das obras e debates sobre temas específicos, sempre num diálogo entre as obras que integram a Mostra Arte Ceará e os estudos do audiovisual.O primeiro Café do Zé, organizado pela professora da UECE e socióloga da Arte, Kadma Marques, foi realizado neste sábado 4/11, e propôs o questionamento sobre as “Imagens da Arte no Ceará: o que revelam?”. A ação teve a Mostra Arte Ceará como ponto de partida, e foco nas transformações do campo artístico cearense.Já o segundo Café do Zé, ocorre neste sábado (11/11), às 10h, e será coordenado pelo artista Nivardo Victoriano. Com o tema “AMASSAR O TEMPO”, Nivardo criará um espaço onde o público, simbolicamente, terá o poder de moldar o tempo como molda o capitão. Amassar o tempo é, portanto, uma ação em que o espectador rompe com o seu tempo do cotidiano para criar o tempo da criação.É uma performance onde o espectador/público deverá fazer capitão com as mãos e depois degustá-lo, levando o alimento a boca usando as mãos. Cada espectador, inicialmente, deverá lavar as mãos, receber um prato descartável com guardanapos e depois se dirigir a mesa onde encontrará recipientes com carne seca desfiada, feijão, arroz e farinhas (branca e amarela).Tempo, memória, convivência, higienização com alimentos, e os aspectos sensorial e o lúdico são elementos que estão presentes e amalgamados nesta proposta de trabalho. O tempo presente da ação, ativará a memória do espectador, transformando-o em consumidor ativo.

(*) Capitão, segundo o dicionário Aurélio é um bocado de comida que tenha molho, amassado com farinha, entre os dedos, à moda de um bolo, e levado com a mão até a boca. No Nordeste tradicionalmente o capitão é feito com feijão e farinha de mandioca, depois foi acrescentando-se arroz e carne (pequenos pedaços).

O artista-propositor criará um espaço onde o público simbolicamente terá o poder de moldar o tempo como molda o capitão. Amassar o tempo é uma ação em que o espectador rompe com o seu tempo do cotidiano para criar o tempo da criação.

Serviço:

DIA 11 de novembro | SÁBADO

Café do Zé com Nivardo Victoriano

10H [ARTES VISUAIS] AMASSAR O TEMPO

Entrada: Gratuita. Classificação etária: livre.

Local: Sobrado Dr. José Lourenço

 

Exposição Mostra Arte Ceará

em cartaz até 28/02/2018
Gratuito

 
Horário: 9h às 16h30 (terça a sexta-feira) e 9h às 14h30 (sábados)

Festival Internacional Sete Sois Sete Luas acontece de 12 a 26 de novembro, em Fortaleza e Aquiraz com ações formativas, música e artes visuais

 

 

O Festival Internacional Sete Sois Sete Luas (FSSSL), em sua 9ª edição no Brasil, será realizado em Fortaleza e Aquiraz, de 10 a 26 de novembro, com programação gratuita. O evento, que é uma realização da Imaginário – Centro de Pesquisa e Difusão da Arte, com co-realização da Secretaria de Cultura de Aquiraz, conta com o patrocínio da Secretaria d Cultura do Estado do Ceará, Fresenius Kabi, 3 Corações, Eletra e com o apoio cultural da Acal, Engenhoca, Hotel Santuário das Águias, Quitandas das Artes.

 
A programação em Fortaleza vai de 12 a 18 de novembro, de 8h às 18h, inicia com um dos artistas urbanos mais conhecidos do mundo: o italiano Zed1, que fará uma intervenção artística urbana no Bairro Rodolfo Teófilo (Rua Padre Cícero , 400), com temática ambiental, em muro cedido pela empresa ACAL e tem sequência de 22 a 26 de novembro com o Acidum Project. A ideia é fazer uma interação artística que possibilite a integração do artista internacional Zed 1 e o projeto cearense Acidum, em diálogo sobre a temática ambiental.

 

Como parte da ação, 50 voluntários da empresa se disponibilizaram para visitar jovens moradores do Bairro Rodolfo Teófilo, a fim de trabalhar a educação ambiental através da conscientização do direcionamento correto do lixo. Também serão distribuídas 2000 mudas em parceria com a SEUMA, para arborização do bairro.

 
A ação também prevê palestras de educação ambiental para crianças, nas escolas do entorno da lagoa do Porangabussu.
Já em Aquiraz, as ações formativas nas linguagens musical e arte visual abrem programação na primeira capital do Ceará, no Centro Cultural Tapera das Artes (Rua Antônio Gomes dos Santos, S/N – Centro, Aquiraz). O multi-instrumentista italiano Mário Incudine, ministra workshop de violão para alunos de projetos musicais, incluindo os da Tapera das Artes, de 15 a 17 de novembro, de 14h às 18h. Fernando França, artista cearense, também realiza workshop em artes visuais para alunos de luteria, de 20 a 24 de novembro, de 8h às e 13h às 17h.

 
No dia 18 de novembro, acontecem os espetáculos musicais, começando às 17h com o pocket show de artistas de Aquiraz. Seguindo a programação no Teatro da Tapera das Artes, tem o Grupo Catavento (Tapera das Artes – CE) com participação especial da cantora Juliana Lima (SP).

 
Marcos Lessa também se apresenta no festival com sua banda e convida a cantora Mel Mattos. E, encerrando, Mário Incudine (IT) traz toda sua essência musical que promete encantar a plateia. Todas as atividades do Festival Sete Sois Sete Luas são gratuitas.

 


Histórico do Festival no Ceará
O projeto resulta, artisticamente, na troca de saberes e conhecimento estético, na democratização do acesso às diferentes camadas da população; na difusão da cultura de diferentes povos e regiões, na fruição entre artistas e plateia, além de proporcionar para as crianças e adolescentes de projetos sociais convidados Oficinas Formativas Internacionais de Música e Artes Plásticas, o que é chamado de Eclipse Criativo, proporcionando aos alunos de música o acesso às diversidades culturais.

 
A permanência do Estado do Ceará nessa Rede de Festivais, promovido pelo Centro de Pesquisa e Difusão da Arte – Imaginário, em parceria com a Tapera das Artes, estabelece significativos avanços no diálogo internacional para nosso país, através da difusão e promoção do Ceará em outros países, expõe e deflagra uma total sintonia e abertura para investimentos na área Cultural.

 
Em cada ano, a realização do Festival no Ceará, materializou o sentido de “pertencimento” da comunidade e o valor representativo do Ceará em escala nacional e internacional. Foram ações contínuas planejadas para benefício da cidade, em conexão com as diretrizes universais, que fazem desse intercâmbio um fortalecimento de identidades e propagação de ações culturais com grande participação de todos.

 
Vários artistas plásticos cearenses como Vando Figueiredo, Zé de Olavo, Marjorie e Carlos Macedo, Weaver Lima, Claudio Cesar, Sergio Heller, vivenciaram novos mercados culturais e exportaram seus trabalhos para outros países em virtude da Rede Sete Sóis Sete Luas.

 

 

Neste ano de 2017 Lorena Nunes também foi convidada a participar artisticamente nos palcos internacionais do Festival.

 

 

Sobre os Artistas Convidados da 9ª Edição do Festival Sete Sois Sete Luas – 2017
ARTES VISUAL E URNANA

Zed1
Marco Burresi é um artista de rua italiano que é mais conhecido no mundo da arte como Zed1. Nascido em 1977 em Florença Toscana, a ZED1 começou a pintar paredes há cerca de 20 anos e é mais conhecida por seus murais de humanos com cabeça de ovo e criaturas curiosas que têm paredes ornamentadas de Amsterdã para Nova York.

 
O artista versátil consegue passar com facilidade desde a parede até a tela, desde o design gráfico até às principais marcas de roupas. Seu trabalho se destaca com uma interpretação única e provocativa de formas e paladar de cores encantadora e às vezes melancólica. Com o uso sábio da técnica de pulverização, dada uma experiência bem fundamentada, o ZED1 é capaz de obter tons harmoniosos como se fossem aquarelas, sua técnica pode ser repentina, espirrada, inacabada, bem como precisamente atenta aos detalhes. Seus personagens são encontrados para ter fios de cabelo perfeitamente definidos e textura decorativa em suas roupas. O portfólio recente de Marco é povoado por fantoches, duendes, palhaços e personagens imaginários que podem ser comparados aos de um conto de fadas; melancolia e reflexão são os mestres da atmosfera que ele pinta.

 
As obras de arte da Zed1 podem ser caracterizadas por uma boa dose de humor, um estilo muito singular e pessoal, suas figuras reconhecíveis, o uso da cor e o olho dele para detalhes. Por suas obras, ele diz que eles são um suco de suas experiências. Ele também gosta de desafiar e ele cria uma interação com o público. Através de um desenvolvimento constante e variado da técnica, seu estilo evolui de acordo com seu trabalho como escritor, o que o leva a pintar trens, paredes e superfícies de todos os tipos. Seguindo sua predileção por imagens, ele consegue criar um mundo de fantoches humanoides que, em sua ilimitada esterilidade, interagem com o mundo ao seu redor, evoluindo tanto no espaço quanto no tempo (como na recente “Segunda Pele”). Zed1 se move, através de uma bela dança de formas e cores, num surrealismo pós-moderno que, mesmo em seus traços mais irracionais, se refere a uma consciência clara, às vezes melancólica, às vezes extraordinariamente irônica.

 
Os números de Zed1 ganham vida porque cada um deles possui suas próprias caracterizações. Estes são aprimorados pela precisão pura e detalhes elaborados. Seus personagens são uma marionetes humanas, nas quais você pode encontrar detalhes como Bosch e Tim Burton. Ele não tem ídolos, mas ele respeita muitos artistas como Os Gemeos, Dome, Interesni Kazki e Blu.

 
Suas obras decoram paredes de todos os lugares que viajou como Itália, Bélgica, Holanda, Romênia, Espanha, Reino Unido, Noruega, Brasil …

 

 

ACIDUM PROJECT (CE)
O Acidum é um projeto de coletivo nascido na cidade de Fortaleza-Ce, que vem realizando trabalhos referentes à Arte Urbana. Criado pelo artista Robézio (a.k.a AC/D1) em 2006. O projeto Acidum já realizou diversas proposta de ações e interações coletivas com outros artistas pelo Brasil, tendo fechado uma primeira fase de 5 anos de experiências com mais uma ação no suporte de uma publicação (livro/obra) intitulado de “Entregue às Moscas” em outubro de 2011 . Hoje as ações do Acidum seguem encabeçadas pelo casal Terezadequinta e Robézio, assumindo vários trânsitos e facetas de atuação. Além de ações colaborativas entre si e com outros artistas em projetos diversos. Seja com murais, design, fotografia, graffiti, Lambe-Lambe, Tatuagem, Stickers, Stencils, projetos áudio visuais ou exposições o coletivo deixa uma de suas marcas principais que é o experimentalismo e sua matriz de inspiração na arte urbana.

 
Em estruturas acessíveis ou inabitadas, o Acidum baseia fundamentalmente seu fazer artístico, subvertendo as noções de espaços reconhecidos como áreas estéreis, tanto no âmbito museológico como no baldio. Mencionando nestes espaços, possibilidades poéticas de atuação, seja pela arquitetura ou explorando o próprio peso simbólico que tais lugares carregam em seus campos de visualização e trânsito, criando micro-universos numa relação entre Obra-espaço-observador. As ações e construções criativas do Acidum têm como característica marcante seu repertório de seres obscuros, propagandas insanas, lendas urbanas, grafias desordenadas, cenários entorpecedores, elaborados a partir de um processo ritual de criação e produção.

 

 

FERNANDO FRANÇA (CE)
Fernando França é desenhista e pintor, mestre em literatura brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Já participou de várias exposições e mostras coletivas, inclusive, na França e em Portugal. Entre os prêmios conquistados, está o 6º Prêmio CDL de Artes Plásticas (Fortaleza) e o 1º prêmio em pintura no III e no II Festival Universitário da Cultura, Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará. Nos tempos de estudante de Letras da UFC, Fernando iniciou-se nas artes visuais, através de participação em mostras de festivais universitários no MAUC, como desenhista de histórias em quadrinhos.

 

 

 
HISTÓRICO
– Salão Sobral 2001, 1999, 1998 – Menção Honrosa (Sobral/CE Brasil);
– Salão de Abril, 2015, 2000, 1999, 1996, 1993 (Fortaleza/CE);
– 6° Prêmio CDL de Artes Plásticas (Fortaleza/CE);
– Concurso “Nossa Terra Nossa Arte” (Fortaleza/ Ceará) – 3° Prêmio;
– Salão Norman Rockwell do Desenho e da Gravura, IBEU Art Gallery, 1999, 1998, 1995 (Fortaleza/CE);
– I Bienal Multicultural do Maranhão Brasil 500 (São Luís/MA, 1999), “Mundo da Arte”;
– Espaço Cultural dos Correios (Rio de Janeiro/RJ), “São Francisco Andarilho”;
– Galeria Ofício (Natal/RN, 1997), Artist’s 97;
– Salão Nobre do Instituto Superior Técnico (Lisboa – Portugal), “Brasil a Cores”;
– Central do Brasil (Paris – França, 1997);
– Concurso Talento 97, 96, 93 (Fortaleza/CE), “Nalusofonia”;
– Palácio D. Manuel (Évora – Portugal, 1996);
– II Exposição Internacional de Artes Plásticas (Vendas Novas – Portugal, 1996);
– Galerie Friedenau (Berlim – Alemanha, 1996),
– Hotel Humbolt Muehle (Berlim – Alemanha, 1996), “Cores e Nomes”;
– I Mostra de Artes Plásticas da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Fortaleza/CE, 1995);
– 1° prêmio em pintura no III e no II Festival Universitário da Cultura, Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará – MAUC – (Fortaleza/CE, 1994, 1993) e 2° prêmio na primeira edição do respectivo Festival;
– Concurso Produto Final – 2° prêmio em pintura (Fortaleza/CE, 1991);
– Unifor Plástica (Fortaleza/CE, 1991, 1990);

 


MÚSICA
MÁRIO INCUDINE (IT)
Mario Incudine ( Enna , 2 de junho de 1981 ) é um cantor , ator teatral e multi instrumentista italiano. Sua primeira experiência artística é a participação no filme de Antonio Maddeo Vò Vò , filmado na Sicília no início da década de 1990 .

 
Então, ele se juntou à empresa de teatro Friends of the Theatre, com quem ele começou a se dirigir para os teatros da Itália , obtendo inúmeros prêmios como ator e autor de trilhas sonoras. Com a tampa e sinos de Luigi Pirandello , Mario ganhou o Anvil Award Finale 2004 Viterbo como o melhor show e melhor empresa, recebendo elogios da crítica pela originalidade da música.

 
Em 1996, ele fundou o grupo Janniscuru, com Franco Barbarino. Com o grupo em 2002, gravou o cd Un Natali di paci , que recolhe canções de Natal da tradição siciliana, e depois começa a tocar em várias localidades como cantor e músico (bandolim , bandolim , janor ).
Em 1999, ele fundou o trio Petri c’addumanu (“as pedras que se iluminam”), com o qual ele publica o álbum em forma de música , produzido pela cidade de Enna .

 
Em 2003, realizou um projeto solo com a criação do álbum Terra (raízes no futuro) produzido pela Região da Sicília , Departamento de Educação Pública e Patrimônio Cultural. Mario Incudine participa de inúmeros programas de TV em Rai 2 , Network 4 e Antenna Sicilia, também faz parte do prestigiado grupo de música siciliano Taberna Mylaensis com quem jogou em turnê em Ulanna , Istambule Milão .
Em 2009, ele ganhou o 10º Festival da nova música siciliana e participou, no ano seguinte, da 11ª edição , ganhando o prêmio da crítica. Em 2011, é autor de música e intérprete do show de teatro Curri l’Aria, junto com as atrizes Elisa Di Dio e Nadia Trovato.
Em 2013, ele percebeu o videoclipe Li Culura escrito e dirigido por Davide Vigore.

 

 

JULIANA LIMA (SP)
Natural de Santo André, ABC Paulisita, possui 6 CDs lançados. Artista promissora, com 20 anos de carreira e assina mais de 350 composições. Aos 10 anos em 1993 ingressou no conservatório M.O. Maia em Santo André onde estudou órgão popular. Em 1997, aos 14 anos, gravou o primeiro álbum intitulado “Procuro um amor”.

 
Em 2002 ingressou no grupo vocal “Madrigal”, onde desenvolveu e aprimorou técnicas vocais. Aos 18 anos gravou seu segundo CD: “Raios de Sol”. Em 2004, gravou seu terceiro trabalho, “Tudo e mais”.

 
Formou-se em Musicoterapia, em 2006, pela Faculdade Paulista de Artes. Ainda em 2006, passou a frequentar o Clube Caiubí (clube de compositores), projeto que contou com o apoio de Zé Rodrix, Ricardo Soares e Tavito. Junto com Rita Maria e outros compositores, ajudou a fundar as “Terças Autorais”, (encontro de compositores em Santo André) no mesmo ano.

 
Em 2007, a cantora lançou o quarto CD, “O Dom”. Esse trabalho caracterizou-se pela mistura de ritmos da música brasileira, baião, balada, samba e bossa nova, definindo assim as diversas influências recebidas pela artista desde a infância. A produção do álbum foi divida com Roger Carrer, produtor musical com experiência internacional e que já trabalhou com artistas como Belchior e Beto Barbosa.
Em 2009 é lançado o curta-metragem “Ópera de Arame”, produzido pela Escola Livre de Cinema e Vídeo, em Santo André. A trilha sonora do filme conta com a música “Mesmo sem te ver”, de autoria da cantora.

 
Em 2013 Juliana Lima lança o quinto álbum “Aquariana”, produzido por Thiago Varzé, que vem se destacando no cenário da música popular brasileira, tendo trabalhado com artistas como Max Viana, Marcelo Mariano e Pedro Mariano.

 
Em 2014 Juliana Lima se torna especialista em Gestão de Projetos Culturais pelo Celacc – USP (Universidade do Estado de São Paulo), grava o seu primeiro DVD e faz sua primeira turnê internacional na Argentina, passando pelas cidades de Buenos Aires e La Plata.
Em 2015 realizou um projeto de financiamento coletivo através do Catarse e lançou o seu primeiro DVD. Em 2015 formou-se também em Produção Musical na EM&T (Escola de Música e Tecnologia).

 
Entre novembro de 2015 e fevereiro de 2016 realizou a primeira Turnê na Europa, passando por cidades como Dublin, Madrid, Milão e Lisboa cantando um repertório autoral, além de muito samba e bossa nova.

 
​Em 2017 completa 20 anos de carreira, lança o primeiro CD do Trio Beijo de Moça, seu projeto de Trio de forró pé de serra, e prepara-se para disponibilizar seus primeiros CDs nas plataformas digitais para o seu público.

 

 

MARCOS LESSA (CE)
No final de 2013, o Brasil conheceu um novo cantor. Mais tarimbado do que sua juventude faz parecer à primeira vista. Tão técnico e consciente quanto contagiante e carismático. Uma voz cujo timbre, de tão belo e pessoal, só permite comparações com o afinco, o esmero e o respeito com que esse artista se dedica a sua profissão, seu talento, seu ser e fazer. Seu dom.

 
Marcos Lessa surgiu para o grande público através do programa “The Voice Brasil” e logo conquistou crítica e espectadores, demarcando claramente sua diferença. Em vez de agudos rascantes, repetições de tendências, ingredientes mesmos de uma mesma receita, a opção pela concisão. Pela elegância. Pelo estilo. Pelas notas certas, espontâneas, naturais. Múltiplas. Brasileiras.

 
As virtudes que o fizeram, em pouco tempo de carreira, conquistar as plateias de Fortaleza e angariar o respeito de instrumentistas, compositores, jornalistas, produtores, ouvintes, foram imediatamente reconhecidas em todo o País. Bastaram poucos minutos para que a cena musical nacional (re)conhecesse um de seus novos integrantes e lhe desse as boas-vindas. Tal qual Irene no céu, Marcos Lessa, com seu chapéu e seu sorriso e sua coragem desprovida de vaidades ou cerimônias, pôde entrar sem pedir licença. Foi acolhido por cada um que se viu surpreso e tocado pelo grave da voz de um Brasil oculto, berço de infindáveis surpresas musicais, que novamente deposita sobre um jovem artista bênçãos, alegrias e expectativas.

 

 

MEL MATTOS (CE)
Mel Mattos nasceu em Fortaleza e começou cedo na música, com forte influência de sua família que é extremamente musical, com destaque para a irmã Juliane Torres, que conseguiu visibilidade nacional no concurso Fama, da Rede Globo, em 2001.
Formada em Estilismo e Moda pela Universidade Federal do Ceará (UFC), a cantora abriu mão da profissão para se dedicar integralmente à música. Mas mesmo assim, a ligação forte com a estética está presente em tudo que Mel faz, principalmente em seu mais recente trabalho, o Démodé?!.

 
Em suas primeiras experiências musicais numa banda de baile, onde experimentou vários estilos como pop, axé, samba e MPB, a essência da música brasileira já pulsava nas veias de Mel, definindo assim, sua trajetória no estilo que ia seguir. Hoje já é reconhecida no cenário musical como a voz feminina da MPB.

 
E não é que já são mais de vinte de anos de carreira?! Mel já tem 2 trabalhos autorais, O Retratista (2010) e Démodé?! (2016), cantou na noite de Fortaleza e São Paulo, participou de uma banda de samba que lhe trouxe seus primeiros contatos com grandes públicos, cantou em micaretas, casas de shows e carnavais, chegando a uma média de 80 shows por ano. Também teve uma banda pop chamada “As Bilutetéias”, que tocava o rock dos anos 80.

 
Tornou-se conhecida nacionalmente por ficar entre as oito finalistas do reality show Pop Star’s, no SBT, em 2003. Esta experiência proporcionou o amadurecimento da cantora, onde teve audições, aula de canto, dança, além de ser preparada artisticamente para a suas apresentações e workshops com Samuel Rosa, Daniela Mercury, Fernanda Abreu e Emmerson Nogueira.

 
O primeiro trabalho autoral de Mel (O Retratista), contou com participações memoráveis do saudoso Dominguinhos, de Waldonys, acordeonista de Marisa Monte, Manassés, entre outros. “O Retratista”, na região, serviu de referência para peças teatrais infantis, palestras, além de notas, capas em jornais locais e nacionais como, por exemplo, o Jornal do Brasil. Segundo o Jornal do Brasil, na coluna da Heloísa Tolipan, Mel Mattos é uma das apostas da MPB.

 
Tem também dois projetos paralelos: “Mel com Samba”, onde canta clássicos do samba em todos os seus estilos e “Mel do Brasil”, com formações diferentes que viajam pela essência da música brasileira, cantando desde Caetano a Reginaldo Rossi, com arranjos próprios e interpretações ora irônicas, ora dramáticas.

 
Mel abriu vários shows nacionais dentre eles Marcelo Jeneci, Vanderlee, Hyldon, Tunai, Dalto e outros.

 

 

SERVIÇO:
XIX FESTVAL INTERNACIONAL SETE SOIS SETE LUAS (12 A 26/11)
*FORTALEZA l AÇÕES FORMATIVAS l ARTE URBANA*

ZED1
12 a 18 de novembro
ACIDUM PROJECT
22 a 26 de novembro
Local: Rua Padre Cícero 400
8h às 18h – Ações formativas de arte urbana e educação ambiental com jovens moradores do Bairro Rodolfo Teófilo
8h às 18h – Intervenção artística com temática ambiental

AQUIRAZ l ESPETÁCULOS MUSICAIS
18 de novembro
PALCO EXTERNO
17h- Pocket show
TEATRO TAPERA DAS ARTES
18h30– Grupo Catavento (Tapera das Artes – CE),
com participação especial Juliana Lima (SP)
19h30 – Marcos Lessa (CE) e banda, com participação especial de Mel Mattos (CE)
20h30 – Mário Incudine (IT)

AÇÕES FORMATIVAS
Local: Centro Cultural Tapera das Artes
15 a 17 de novembro
14h às 18h – Ação formativa em violão com Mario Incudine para alunos de projetos musicais
20 a 24 de novembro
08h as 12h e 13:00h às 17h – Ação formativa em artes visuais com Fernando França para alunos para alunos da Luteria.
*ACESSO GRATUITO

Informações:
Endereço: Centro Cultural e Teatro Tapera das Artes l R. Antônio Gomes dos Santos, s/n – Centro, Aquiraz – CE, 61700-000
Email: presidencia@taperadasartes.org.br
Telefone: (85) 3361-2704

Seminário em Fortaleza (CE) discute trajetória e futuro da política do Patrimônio Imaterial

O Brasil possui 41 bens registrados que representam a singularidade e a diversidade das manifestações culturais do povo brasileiro, sendo cinco deles são reconhecidos pela UNESCO como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Este resultado é consequência dos avanços da Política de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, que teve como marco à Carta de Fortaleza, elaborada há 20 anos em seminário realizado na capital cearense.

Para revisitar a trajetória da elaboração e os caminhos da implementação, bem como os avanços e futuro dessa Política, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) promove, entre os dias 08 e 11 de novembro, o II Seminário de Fortaleza – Desafios para o Fortalecimento da Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.

O evento será aberto no Theatro José de Alencar com a conferência Magna do Laurent Levi-Strauss. O francês, membro do Conselho da Europa Nostra, maior ONG europeia para a salvaguarda do Patrimônio Cultural em 43 países, lembra que quando a Carta de Fortaleza foi produzida, o Brasil estava bastante avançado em relação à maior parte da comunidade internacional. “Seis anos depois, em 2003, a UNESCO publicou a Convenção para a Salvaguarda que alcançou, desde sua consolidação, um rápido e impressionante sucesso. Ela abriu caminho para uma concepção de patrimônio cultural mais completa e ampla”, disse.

No contexto desse seminário, também acontecerá a reunião do Centro Regional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (Crespial), da Unesco, com representantes de 15 países. “O Brasil se destaca no cenário mundial pela sua atuação na salvaguarda dos bens culturais imateriais. O Iphan é uma das mais longevas instituições do país e a primeira da América Latina a se dedicar à preservação do Patrimônio Cultural”, ressalta Kátia Bogéa, presidente do Instituto.

O Seminário terá sequência no Cineteatro São Luiz com mesas redondas, debates e palestras com renomados especialistas na área do Patrimônio Imaterial. Entre eles estão alguns dos membros que organizaram o primeiro Seminário realizado há 20 anos e que participaram da elaboração da proposta técnica que resultou no atual Decreto que institui a Política de Salvaguarda.

“É muito oportuno, 20 anos depois, o Iphan realizar um novo encontro para debater a Carta de Fortaleza. Cabe agora debatermos e pensarmos nos novos desafios em torno do patrimônio imaterial no Brasil”, afirma Fabiano dos Santos Piúba, secretário da Cultura do Estado do Ceará. “A Secretaria participa de forma ativa do encontro, colaborando com o debate, compartilhando suas ações com o objetivo de aprimorar e qualificar as políticas estaduais de patrimônio cultural”, conclui.

Só no Ceará, são quatro bens reconhecidos como Patrimônio Cultural em nível federal: o Ofício dos Mestres de Capoeira e a Roda de Capoeira, em 2008; o Teatro de Bonecos Popular do Nordeste e a Festa do Pau de Santo Antônio de Barbalha, ambos em 2015.

Organizado pelo Departamento do Patrimônio Imaterial (DPI-Iphan), que também é consequência desta trajetória, o II Seminário conta com a parceria da Unesco, do Crespial, do governo do Estado, além das prefeituras e secretaria de culturas do Ceará, de Fortaleza, de Aracati e do Crato. Os apoios do Theatro José de Alencar e do Cineteatro São Luiz também contribuíram para a realização evento.

Seminário Patrimônio Imaterial – 1997

Organizado pelo Iphan na ocasião de seus 60 anos, o Seminário Internacional Patrimônio Imaterial: estratégias e formas de proteção teve como objetivo reunir especialistas e representantes de diversas instituições públicas e privadas, além da Unesco e de representantes da sociedade civil, para recolher subsídios que permitissem elaborar diretrizes e criar instrumentos legais e administrativos para a proteção do patrimônio imaterial.

O objetivo do evento era identificar, proteger, promover e fomentar os processos e bens “portadores de referência à identidade, à criação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira”, conforme determinado no art. 216 da Constituição Federal de 1988.

Serviço:


II Seminário de Fortaleza

Abertura: Dia 08/11/2017

Conferência Magna do Laurent Levi-Strauss

Horário: 18h30

Local: Theatro José de Alencar

Palestras: De 09 a 11/11/2017

Horários: de 8h às 18h

Local: Cineteatro São Luiz

Secult realiza programação especial alusiva ao Dia da Cultura , 5 de novembro

No próximo dia 5 de novembro se comemora o dia da cultura. Com o objetivo de celebrar a data, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) preparou, nos seus equipamentos, uma programação especial para receber o Mês da Cultura. Ações acontecem, principalmente, no Theatro José de Alencar e no Cineteatro São Luiz. As atividades são gratuitas e a preços populares.

“Cultura é no mínimo dois, disse certa vez Gilberto Gil, portanto só podemos pensar em fazer cultura no plural. Na nossa relação com o mundo e como outro. É o ser e estar no mundo. É o se relacionar e perceber este mundo. Domingo, 5 de novembro, é uma data muito importante, porque a gente está comemorando tanto aqueles que fazem a arte (o fazer artístico cultural), como também a sociedade como um todo, que recebe e frui intensa e vive o mundo a partir desta relação, deste encontro com a cultura. Viva a arte que é liberdade, trincheira, resistência, é sementeira, que transforma, que resignifica e tem potência”, afirma Fabiano Piúba, secretário da Cultura do Ceará.

De Fora pra dentro

No dia 3 de novembro, em parceria com o grupo As 10 Graças de Palhaçaria, o São Luiz privilegia a rua e reúne na Praça do Ferreira, um dos principais palcos de Fortaleza, diversas expressões artísticas de múltiplas linguagens e estéticas da arte e da resistência cotidiana em Fortaleza. As atividades do dia iniciam, às 12h30, com Teatro de Bonecos do Circo Tupiniquim; segue com a peça “Conversa de lavadeiras” da Trupe Caba de Chegar; e Sarau Palavras e Resistência com Edivaldo Ferrer, Yasmim Queiroz, Felipe Firmino, Alisson Thag e Livia Maria.

Isso, sem falar na “Rua de todo o dia” que, constituindo o imaginário da cidade, revela os grandes nomes que fazem da rua um lugar de efervescência artística e cultural. A mostra será guiada pela dançarina Maya, apresentando nomes que habitam a praça há pelo menos 15 anos: o Palhaço Coloral e seu parceiro Ronaldo, o artista Eduardo Show da Vida, o malabarista cearense Robert e o chileno radicado cearense Rafael Sudaka.

E não para por aí, a programação também inclui a Instalação “No Olho da Rua: partilhas do sensível na madrugada”, com registros da artista Lissa Cavalcante; Mostra Galpão com os grupos “As 10 Graças de Palhaçaria”, “Cia. Ponto”, “Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis”, “Grupo Fuzuê” e “Cia CLÊ e Inquieta Cia”; Intervenção urbana “Vendedor de amor” de João Victor; “O Riso e o Som” com “Clube da Babananas” com Rayane Mendes e Igor Cândido, “Yeah” de Maurício Rodrigues, e Batuque de ODE dos Tambores de Safo.

Fechando a programação do dia no Cineateatro São Luiz, o Curta Mais Teatro apresenta “Três Travestis”, com Silvero Pereira, do Coletivo Artístico “As Travestidas”. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

No dia 4 de novembro quem se apresenta no Cineteatro São Luiz é Silva Moura com o espetáculo teatral “À Beira de…”. A entrada é gratuita e limitada a 80 lugares (público sobre o palco).

Fechando a programação alusiva ao dia da cultura no Cineteatro São Luiz, no dia 5 de novembro, às 18h, o São Luiz recebe João do Crato e Luiz Fidélis. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

João do Crato é personalidade preciosa da cultura do Cariri. Conhecido por ser audacioso, talentoso e dono de uma interpretação visceral, o músico resgata em seu repertório grandes nomes da MPB como Marinês e Adoniran Barbosa, além dos grandes nomes da música feita no Cariri, como Abidoral Jamacaru, Pachelly Jamacaru e Geraldo Urano, entre outros. Em suas apresentações, João mistura simbolismo, ritmo e dança.

Luiz Fidelis, por sua vez, é cantor e compositor regional. Versátil, não deixa nada escapar da sua visão de poeta. Com mais de 200 músicas gravadas, seu nome é sempre lembrado quando o assunto é Forró. Fidelis está presente no repertório de grandes nomes da música popular Nordestina, como Elba Ramalho, Marinês, Mastruz com Leite e Frank Aguiar, entre outros.

TJA

O Theatro José de Alencar também traz programação especial. No dia 5, acontece, de 15h às 20h, um “Ato pela liberdade da Arte”, com programação variadas com teatro, dança e música, um palco aberto para receber atores e atrizes. Uma ação realizada
em parceria com o Fórum de Teatro que contará com apresentações de artistas de diversas linguagens com palestras, discussões e debates sobre a liberdade de expressão hoje no Brasil.
Programação Completa – TJA e Cineteatro São Luiz

DIA 03/11 | SEXTA-FEIRA – Cineteatro São Luiz

[DIVERSAS LINGUAGENS] Dia da Cultura: arte como campo de resistência

12H30 [TEATRO DE BONECOS] Curta São Luiz:  “Lutas e Paixões de Mateus, O Topador de Boi”, com o Circo Tupiniquim

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall do Cineteatro São Luiz (Foyer).

As Lutas e Paixões de Mateus o Topador de Boi, espetáculo de mamulengo, popular, jocoso, mostra as aventuras de um dançador de boi que se vê impedido pelas autoridades “competentes” de realizar sua brincadeira, enquanto Mateus vai arranjando um meio de driblar a situação e dançar seu boi, procura envolvimento com o público no intuito de arranjar uma namorada, tudo isso a base de muito humor e muito riso típico do boneco popular nordestino.

13H20 | Conversa de lavadeiras com a Trupe Caba de Chegar

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

Texto de Robson Araújo, o espetáculo é a reafirmação do riso na rua. Conta a história de três lavadeiras que têm muita disposição para o trabalho, para a fofoca e o despeito. Entre “bacias e sabões” vão lavando a maior mazela da atualidade que é a apropriação do alheio, a cobiça, a inveja.

14H | Sarau Palavra e Resistência

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

A poesia tem se mostrado cada vez mais forte na cidade, saraus brotam quase todos os dias e se firmam nas periferias de Fortaleza, ocupando também o centro e as praças da cidade buscando ainda mais integrar a linguagem das ruas por meio da poesia falada num único espaço: a poesia oral, a arte de rua e a performance. Sendo assim, espaços para livre experimentação poética, em que o microfone é aberto para o público. Os poetas Edivaldo Ferrer, Yasmim Queiroz, Felipe Firmino, Alisson Thag e Livia Maria irão embalar o microfone com suas produções.

14H20 | Rua de todo dia

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

A Praça do Ferreira é um dos principais palcos da cidade de Fortaleza, historicamente os artistas de rua tem feito desse lugar um grande acontecimento poético, constituindo o imaginário da cidade e revelando os grandes nomes que fazem da rua um lugar de efervescência artística e cultural. A mostra será guiada pela dançarina Maya, apresentando nomes que habitam a praça há pelo menos 15 anos, o Palhaço Coloral e seu parceiro Ronaldo, e o artista Eduardo Show da Vida. O malabarista cearense Robert e o chileno radicado cearense Rafael Sudaka trazem o circo e o malabarismo das ruas em performances que desafiam a gravidade.

14H30 às 18H | Instalação No Olho da Rua: partilhas do sensível na madrugada

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Os devires se definem em um campo de multiplicidade, desdobramento da diferença, onde as forças que constituem o corpo entram em uma zona de vizinhança, fronteiriça. Os registros da artista Lissa Cavalcante constituem o olhar da partilha, da troca e do encontro em um dos principais palcos da cidade, a Praça do Ferreira, que durante três madrugadas abriu suas “portas” e recebeu o Grupo As 10 Graças de Palhaçaria, onde o instante se tornou outro, e os corpos ganharam vida, dando lugar a histórias, olhares e laços que se constituem através da arte.

16H | Mostra Galpão

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Hall de entrada do Cineteatro São Luiz.

Um território em ruínas para se reerguer com toda a sua força. O Galpão da Vila é um espaço de fruição, formação, residência e resistência artística localizada no Benfica, sede dos grupos As 10 Graças de Palhaçaria, Cia. Ponto, Coletivo Os Pícaros Incorrigíveis, Grupo Fuzuê e Cia CLÊ e Inquieta Cia. De Teatros. A mostra Galpão surge da união e do atravessamento entre as estéticas e poéticas desses grupos, que habitam a cidade entre o teatro, a rua e o circo contemporâneo em uma deriva de números, performances e outros surgimentos dessa potente mistura.

16H20 | Vendedor de amor

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira e ruas do Centro.

Intervenção urbana criada em 2014 pelo palhaço, performer e psicólogo João Victor, o trabalho é resultado de uma pesquisa continuada entre as poéticas da performatividade e a arte da palhaçaria, tendo a rua como local de experimentação, o vendedor de amor atravessa as ruas da cidade com sua mercadoria, bem as vezes tido como precioso, as vezes desvalorizado. O encontro e a troca fazem parte das relações abordadas na performance e o que acontecer quem diz é o cliente.

O Riso e o Som

Entrada: Gratuita. Classificação: livre. Local: Praça do Ferreira.

17H10 | Clube da Babananas

Fechando a programação do dia, uma transa entre música e palhaçaria. O “Clube da Babananas” é construído em uma perspectiva moderna da bufonaria, é a ruptura das convenções amorosas. Desenvolvido pelo casal de palhaços Rayane Mendes e Igor Cândido, o número explora a sintetização do romantismo e o grotesco, gerando assim, um misto de sensações em seu público. O espetáculo resgata o humor ácido e burlesco dos cabarets europeus associado à palhaçaria cearense, trazendo à cena um casal que não hesita em compartilhar suas mais secretas intimidades, resultando em uma proposta moderna e hilariante.

17H40 | Yeah – Maurício Rodrigues

Um palhaço rock star, rock and roll, trocando rock por moedas, por miúdos, um rock de uma nota só. Um pedaço, um momento, rock bamba. Samba de um palhaço só. Só um palhaço, um pedaço, um momento…um momento…um momento. Utilizando instrumentos musicais como: Ukulele, baixo e bateria, Palhaço Batuta constrói o seu singelo show de rock. Transformando uma praça em um mega palco com direito à show pirotécnico.

18H10 | Batuque de ODE – Tambores de Safo

Composto por 22 batuqueiras, com alfaias, caixas, repiques, abês e agogôs, o Batuque de ODE é uma proposta de cortejo que nasceu através de oficinas de percussão realizadas pelo Grupo Tambores de Safo, com o apoio Tambor para Mulher. O grupo passeia por ritmos como o samba afro, samba de roda, coco, maracatu cearense e músicas da cultura popular.

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: “Três Travestis”, com Silvero Pereira, do Coletivo Artístico “As Travestidas”.

Entrada:  R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia). Classificação: 16 anos. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 70min. Direção: Silvero Pereira. Elenco: Silvero Pereira (Gisele Almodóvar), Rodrigo Ferrera (Mulher Barbada) e George Hudson (Betha Houston).

O Coletivo Artístico As Travestidas inova trazendo Gisele Almodóvar, Mulher Barbada e Betha Houston em um show com um repertório que vai de Caetano Veloso a Nina Simone. O espetáculo que integra a programação especial do Cineteatro São Luiz no mês em que se comemora o dia da cultura acontece no dia 3 de novembro, às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos a preços populares, sendo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). “Três travestis” dividem o palco com quatro músicos para cantar as dores e alegrias de ser quem são. Dirigido pelo ator e dramaturgo Silvero Pereira, que viveu o personagem “Nonato” na novela global “A força no querer”, o espetáculo cênico-musical é um show inspirado na música homônima de Caetano Veloso.

DIA 04/11 | SÁBADO – Cineteatro São Luiz

19H [TEATRO] Curta Mais Teatro: À Beira de… , com Silvia Moura

Entrada: Gratuita (limitada a 80 lugares – público sobre o palco).

Local: Cineteatro São Luiz (Palco). Classificação: Livre. Duração: 40 minutos.

Um estado… momentâneo ou não. Estarrecedor. A necessidade de estancar para daí conseguir falar sobre algo ou sobre uma sensação causada por várias insatisfações. O desejo do nada se estabelecendo por ter tantos cúmulos… Sons de coisas caindo no chão, estilhaços, imagens de mãos segurando algo que… quase caiu. Um processo irreversível de extinção. Esse trabalho trata da busca por um estado de presença que estabeleça com o público uma relação de casualidade. O público ilumina o espetáculo, e é levado a procurar um lugar para conseguir ver o trabalho da forma que lhe for menos arriscado. É proposto ao público segurar objetos que podem cair, escolher um lugar para ficar, escolher que parte deve ser iluminada do trabalho, a interação direta com o público é parte da composição do trabalho.

DIA 05/11 | DOMINGO – Cineteatro São Luiz

18H [MÚSICA] Duo com Luiz Fidélis e João do Crato

Entrada: R$20,00 (inteira) / R$10,00 (meia) . Classificação: Livre. Local: Cineteatro São Luiz. Duração: 90min.

DIA 05/11 | DOMINGO – Theatro José de Alencar

15H às 20H
ATO PELA LIBERDADE DA ARTE
Jardim – Gratuito
Em comemoração ao Dia Mundial da Cultura, o Theatro José de Alencar e o Fórum de Teatro um ato pela liberdade da arte. E contará com apresentações de artistas de diversas linguagens com palestras, discussões e debates sobre a liberdade de expressão hoje no Brasil.

Curta Mais Teatro apresenta “A Fábula do Monturo Velho” com a Trupe “Caba de Chegar” no dia 31 de outubro, às 19h

 

O Curta Mais Teatro deste mês apresenta programação especial para as crianças de todas as idades, um convite à reflexão sobre convivência e aceitação das diferenças em sociedade. Quem se apresenta na edição de outubro, no dia 31, às 19h, é a Trupe “Caba de Chegar” com o espetáculo “A Fábula do Monturo Velho”. A peça teatral que tem duração de 45 minutos tem classificação livre e é gratuita e limitada a 60 lugares – a plateia é acomodada no palco. A retirada dos ingressos iniciam com uma hora de antecedência na bilheteria do Cineteatro.

Com direção de  Ana Marlene e texto de Aldo Marcozzi, a história se passa num terreno abandonado, onde vários animais obedecem às ordens ditadas pelo intransigente rei Corujão, que os impedem de fazer escolhas sobre seus modos de vida. No elenco: Alcântara Costa, Cláudio Magalhães, Diego Souza, Gabriel Moraes Cavalcante, Fernanda Zeballos, Kátia Arruda, Lira Holanda, Lua Ramos e Pedro D’Silva.

 

Curta Mais Teatro

É um projeto de formação de plateia que tem como perspectiva a apresentação de espetáculos de teatro de alta qualidade artística e técnica, e que se apresenta uma vez por mês no Cineteatro São Luiz. Neste projeto já se apresentaram grupos locais e regionais como Bagaceira, Vagabundos, As Travestidas e Uma de Duas. Isso, sem falar em peças nacionais, como “Os Pássaros de Copacabana”, de Gil Vicente Tavares.

Serviço: 
 
Evento: Curta Mais Teatro apresenta “A Fábula do Monturo Velho” com a Trupe “Caba de Chegar”
(duração de 45 minutos)
Data: 31/10/2017
Horário: 19h
Classificação: livre
Ingressos: Gratuitos e limitados à 60 lugares (palco)

 

Retirada dos ingressos, por ordem de chegada, a partir de uma hora antes do início do espetáculo, às 18h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

FORTALEZA RECEBE ESPETÁCULO SOBRE ANNE FRANK

 

 

O Instituto de Ciências Médicas Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ICM) traz à Fortaleza o espetáculo Anne Frank, uma adaptação da peça teatral O Diário de Anne Frank, de Frances Goodrich e Albert Hackett, baseado no livro de mesmo nome. A peça, interpretada por um grupo de atores de Campinas (SP), será realizada dia 27 de outubro, às 20 horas, no Teatro Celina Queiroz da Universidade de Fortaleza (Unifor). A apresentação é aberta ao público.

O Diário de Anne Frank se tornou um conhecido livro de memórias escrito por Annelies Marie Frank, uma menina judia com então 12 anos de idade, durante a 2ª Guerra Mundial. A publicação narra o cotidiano de sua família e outros amigos escondidos dos nazistas num sótão em Amsterdan. Em 1947, o livro foi publicado por seu pai, o único sobrevivente do esconderijo que conseguiu resistir aos horrores da guerra. Anne Frank morreu em um campo de concentração.

Em 2017, ano em que se completam 70 anos da publicação do livro, várias homenagens foram prestadas a esta menina que se tornou internacionalmente reconhecida, inclusive com a montagem de várias peças baseadas em sua história. Isto motivou o elenco a escolher o texto, que narra os dramas do holocausto de forma vigorosa, poética e dramática, sob a visão de uma adolescente cheia de sonhos e com muita vontade de viver.

“Nossa maior descoberta com esta montagem foi a percepção de que preconceitos e intolerâncias continuam sendo temas tão atuais! A emoção em trazer os personagens “à vida”, num palco, proporcionou uma experiência ímpar aos integrantes do elenco que, comovidos, desde a estreia até agora, se emocionam quando recolhidos no camarim, comentam da responsabilidade de levar à cena essa história real, que infelizmente aconteceu”, relata uma das atrizes, a médica patologista Cecília Escanhoela.

 

A montagem de Anne Frank exigiu a dedicação de 11 atores, um preparador vocal e 5 técnicos e o cuidado com a escolha dos objetos cênicos e do figurino. Um trabalho intenso de pesquisa, desde março de 2016, realizado pela Contar Produções Artísticas, que tem como proposta a montagem de espetáculos a serem oferecidos ao público de forma gratuita. O grupo já realizou 16 apresentações, sendo várias em Campinas, outras no Teatro Itália, na capital paulista, e nas cidades de Piedade e Americana, no interior do Estado. É a primeira vez que o grupo vem à Fortaleza.

 

ICM

O Instituto de Ciências Médicas é uma instituição da sociedade civil, sem fins lucrativos, que vem se dedicando a construir um hospital de alta complexidade em cardiologia em Fortaleza. A instituição tem como foco o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e produção de tecnologia, além de serviço de qualidade. Por defender uma concepção ampliada de saúde, que não se limita à ausência de doença, o ICM investe na cultura como um importante mecanismo de produção de saúde. Uma das iniciativas nesse campo é a realização mensal do projeto Clássicos na Lagoa, que promove concertos de música erudita gratuitos às margens da lagoa do Porangabuçu.

 

 

Serviço:

Apresentação: Espetáculo Teatral Anne Frank

Local: Teatro Celina Queiroz – Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz. Universidade de Fortaleza (Unifor)

Data: 27 de outubro – sexta-feira

Horário: 20 horas

Mostra especial de cinema “100 anos da Revolução Russa” ocorre no Cineteatro São Luiz entre os dias 26 e 27 de outubro, com entrada gratuita

 

O próximo dia 25 de outubro do calendário juliano (adotado na Rússia)  corresponde ao dia 7 de novembro no calendário gregoriano, e marcará o centenário de um dos principais eventos da história contemporânea, a Revolução Russa – que levou ao poder o Partido Bolchevique de Vladimir Lênin ao derrubar o regime dos czares. Dada a importância da data, o Cineteatro São Luiz exibirá nos dias 26 e 27 de outubro uma mostra especial de cinema composta pela obras “A Mãe” de Gleb Panfilov, “Lenin em outubro” e “Lenin em 1918”, dos diretores Dmitri Vasilyev e Mikhail Romm. A entrada para as sessões é gratuita e os ingressos podem ser retirados a partir de uma hora de antecedência na bilheteria do Cineteatro.

“Essa mostra especial do São Luiz em torno dos 100 anos da revolução russa, feita em parceria com a CPC-UMES Filmes e o MOSFILM, o mais antigo estúdio da Europa, se constitui como uma oportunidade de examinar, pela ótica da sétima arte, esse episódio crucial da história contemporânea, com reverberações profundas até os dias de hoje”, diz Duarte Dias, Programador e Curador do Cinema do Cineteatro São Luiz. “Por outro lado teremos, nesses três filmes que serão exibidos, a chance de apreciar um pouco do vigor criativo e técnico do cinema russo, isso através do talento desses dois grandes mestres do cinema mundial, Gleb Panfilov e Mikhail Romm, esse último professor de cineastas como Andrei Tarkovsky, Grigori Chukhrai e o próprio Gleb Panfilov”, finaliza Duarte Dias.

 

Confira abaixo a programação completa, com todos os detalhes:

DIA 26/10 (Quinta-feira)

16h15  | A MÃE
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: livre
Direção: Gleb Panfilov | Gênero: Drama | País: Rússia | Duração: 3h10 | Ano:1989 |
Legendado

Sinopse: Retrato duro, vigoroso e pungente da Rússia pré-revolucionária, focado na transformação de Pelageya Nilovna, de camponesa submissa, escrava dos seus medos e da brutalidade doméstica, em mulher que se engaja na luta dos trabalhadores, ocupando progressivamente o lugar de seu filho Pavel, preso e encarcerado pela polícia política. Realizada por Gleb Panfilov, em 1989, e vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes, esta é a quarta adaptação cinematográfica do romance homônimo de Maksim Gorky. As outras três são de Vsevolod Pudovkin (1926), Leonid Lukov (1941) e Mark Donskoy (1956).

DIA 27/10 (Sexta-feira)

16h  | Lenin em Outubro
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: livre
Direção: Dmitri Vasilyev, Mikhail Romm | Gênero: Drama | País: Rússia | Duração:
1h48 | Ano:1937 | Legendado

Sinopse: Rússia, 1917. O filme apresenta a série de acontecimentos que culminou na saída da Rússia da Segunda Guerra Mundial. A Frota do Báltico e unidades do Exército estão contra o governo Kerenski, unindo as vozes às dos operários e camponeses que exigem paz e a saída da Rússia da guerra. Lenin, ao chegar a Petrogrado num trem vindo da Finlândia, derrota as resistências de Zinoviev, Kamenev e Trotsky para deflagrar a insurreição. Enquanto isso, as forças contra revolucionárias organizam uma caçada para matar o líder dos bolcheviques, mas nada impede que a Revolução de Outubro triunfe.

18h30  | Lenin em 1918
Entrada: Gratuita | Classificação indicativa: livre
Direção: Dmitri Vasilyev, Mikhail Romm | Gênero: Drama | País: Rússia | Duração:
1h45 | Ano:1939 | Legendado

Sinopse: Em 30 agosto de 1918, em meio às batalhas que se sucederam após a Revolução de Outubro, Lenin sofreu um atentado. Gravemente ferido, consegue se restabelecer algumas semanas depois. Nesta continuação de seu “Lenin em Outubro”, Mikhail Romm volta a conjugar personagens reais e fictícios numa trama carregada de ação, suspense, heroísmo, traição, humor e lirismo, que conduz o espectador ao centro dos acontecimentos e o envolve pela força de seu realismo.

SOBRADO JOSÉ LOURENÇÃO EXIBE MOSTRA ARTE CEARÁ

 

 

 

Neste sábado (21), o Sobrado Dr. José Lourenço, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, recebe a Mostra Arte Ceará, apresentando a partir do acervo da Secretaria da Cultura do Estado e de coleções particulares, uma narrativa histórica das Artes Visuais cearenses. O intuito é propor uma reflexão sobre a produção artística local, e mostrar os movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado.

A Mostra Arte Ceará pretende apresentar, a partir do acervo da Secretaria da Cultura do Estado e de coleções particulares, uma narrativa histórica das Artes Visuais cearense, de sorte a propor uma reflexão sobre a produção artística local, permitindo ao espectador ter uma visão desse cenário, ao longo do tempo, a partir das obras que constituem o recorte apresentado. Com obras de artistas como Vicente Leite, Aldemir Martins, Eduardo Frota, Weaver Lima, Efraim de Almeida.

O conjunto de critérios usados na escolha das obras contempla o artista, considera a importância da relação temporal de sua obra, enquanto a cronologia diz respeito à visão geral dessa produção e faz referência, em particular, aos movimentos artísticos ocorridos em nosso Estado.

Informações Gerais
Abertura: Sábado, 21 de outubro, às 10h.
Visitação: Terça a sexta, de 9h às 17h (acesso até às 16h30)
Sábado, de 9h às 14h (acesso até às 13h30).
Entrada gratuita.

 

Sobrado Dr. José Lourenço
Rua Major Facundo, 154 – Centro
(85) 3101.8827
Facebook: Sobrado José Lourenço

Exposição Memórias do Futuro em Ruínas apresenta um olhar para o litoral cearense

 
A exposição Memórias do Futuro em Ruínas apresenta um olhar para o litoral cearense a partir de um recorte anacrônico entre as Dunas desse litoral e a Praia do Futuro, em Fortaleza. A distopia do projeto futurista é deflagrada em ruínas e fragmentos de uma arqueologia que emerge das dunas e nos conecta a outro tempo, ainda presente. Em trabalhos de vídeo, fotografias e instalações a Mostra redesenha, por uma espécie de cartografia do ventos, a paisagem conhecida. Contemplada pelo edital Temporada da Arte Cearense a exposição é fruto da pesquisa de mestrado da artista Mariana Smith.

Exposição da artista Mariana Smith
Abertura na quinta-feira dia 26 de outubro de 2017
No piso intermediário do Museu da Cultura Cearense,
no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.
Visitação de 27 de outubro a 25 de novembro de 2017

O futuro não é senão o obsoleto ao reverso

Vladimir Nabokov – (Entropia e os novos monumentos de Robert Smithson)

A exposição Memórias do Futuro em Ruínas poderia ser entendida como uma conversa com o vento atravessada por seus gestos, seus rastros, seus movimentos. Em cada trabalho, Mariana Smith deixa-se mover pela natureza incerta dos ventos, captando-os sem capturá-los. É pela experiência da observação, do estar presente, do caminhar, que a artista trilha um percurso que nos permite desvelar estruturas sutis encobertas ou moduladas pelos fortes ventos do Ceará.

Como ponto de partida, a artista elege duas localidades daquela região: os campos de dunas do litoral oeste do estado, e a Praia do Futuro, ainda considerada a principal do perímetro urbano de Fortaleza. As distâncias geográficas entre esses lugares são, então, subtraídas a favor da construção de um olhar anacrônico tecido pelo vento que os aproxima. Trata-se de um fazer arqueológico interessado numa temporalidade que escape ao continuo de uma história evolutiva, abrindo frestas para pensar o presente. Contrária à falaciosa ideia de progresso, a artista volta-se para a necessidade de investigar os aspectos residuais de uma história oca. Diante da exigência de deter atenção no exercício árduo de olhar para o agora, os trabalhos de Mariana Smith provocam uma pergunta subjacente: sobre qual história estamos nos referindo, uma vez que a cidade de Fortaleza parece desmemoriada de seu passado e empenhada em um futuro inalcançável?

Muitas das fotografias que compõem a exposição revelam uma cidade em abandono, em ruína, corroída pela maresia, pelo tempo, pelos ventos. Dessas ruínas, a artista deflagra, com acuidade, o próprio tempo que ali se esconde, invadindo as estruturas arquitetônicas à deriva. As imagens carregam uma consciência do colapso e revelam uma cidade que deixa seu passado ser soterrado em prol de uma projeção de futuro que nunca chega. Nesse impasse, trava-se o embate entre as forças da natureza e a ideia de desenvolvimento para um tal progresso imaginado. Nessa luta, movida por paradigmas econômicos, os resultados são desfavoráveis para todos.

E é sob a égide de um imaginário coletivo povoado pela ideia de um “país do futuro” que surge, então, o empreendimento do bairro “Praia do Futuro” anunciado, em 1966, pela imobiliária Antônio Diogo que, com a criação de novas avenidas, via na venda de loteamentos na região uma grande chance de lucro. Contudo, em 1984, a imobiliária entra em falência e aquele futuro – que já havia sido anunciado pelo jornalista Luciano Carneiro na primeira página do Correio do Ceará de 4 de março de 1949 com a manchete “Praia do Futuro”, colapsa.

Pelos resíduos desse abandono do futuro, Mariana Smith deixa-se levar pelos ventos até os campos de dunas onde recentemente foram localizados resquícios arqueológicos soterrados pelas areias movidas pelos ventos. Numa região cuja aridez impõe ao enraizamento desafios, descobre-se que ali onde hoje são dunas antes houvera uma comunidade, talvez nômade, que vivera na região há aproximadamente 2 mil anos. Nesse mar de areia, muitas narrativas se sobrepõem como num palimpsesto sem um começo e sem um fim. Por meio de uma escuta atenta, a artista não investe esforços num enfrentamento, apenas deixa-se estar entre os fortes ventos. O trabalho de Mariana Smith propõe uma cumplicidade que potencializa a crítica à recorrente ideia de progresso e seus empenhos ferozes de tudo controlar. A exemplo da instalação de usinas de energia eólica na faixa litorânea de Barroquinha, os ventos são vistos como recurso a ser capturado para beneficiar apenas uma parcela bem restrita da população do país.

Memórias do Futuro em Ruínas torna-se, portanto, uma espécie de cartografia dos ventos que nos orienta a uma ruptura entre a exigência de manutenção de modelos econômicos tradicionais que insistem num sistema estável de referências, e a negação necessária da certeza para a articulação de novas exigências, significados e estratégias culturais no presente político como prática de resistência. Como no conto A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa, o trabalho de Mariana Smith faz-se presença silenciosa e incômoda ao potencializar outros enunciados capazes de recriar tempos e espaços, uma resistência ao desalento. (De Carolina Soares)

Mais informações: maresmith@gmail.com
 

Serviço
MEMÓRIAS DO FUTURO EM RUÍNAS
Exposição da artista Mariana Smith
Abertura: 26 de outubro de 2017 (Quinta)
No piso intermediário do Museu da Cultura Cearense,
no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.
Visitação de 27 de outubro a 25 de novembro de 2017.