Postado por

Misia Rocha

Desistir? Só se for agora!

“Eu sou brasileiro e não desisto nunca”, quem já ouviu essa frase e se identificou, levanta a mão! Não sei quem falou isso a primeira vez, mas incutiu em muitos de nós que não era possível abrir mão de um sonho. Mas, convenhamos, nem sempre acontece como planejamos, não é mesmo?

A empresa entra em dificuldades, nossa carreira vai de mal a pior, nossos planos para o futuro próximo parecem simplesmente impossíveis e o Planejamento Estratégico mais lindo ecompleto que já desenhamos está na parede e não funciona, nem para o mês que vem, imagina pra daqui cinco anos! Cada vez mais o mundo dos negócios tem pressa e as mudanças são inúmeras, ambíguas, voláteis e complexas.

Jack Welch fala que quando o ritmo de mudanças dentro da empresa for ultrapassado pelo ritmo da mudança fora dela, o fim está próximo. Ou seja, ou você muda, ou morre. E isso vale para o que planejou sim, para o que sonhou. Se tem a consciência tranquila que já tentou tudo o que pode, que trabalhou duro, se dedicou ao máximo e ainda assim está vendo seu negócio morrer na praia, pare um pouco, pense na rota que tomou e reprograme. Desistir e mudar a direção faz parte do jogo.

O recomeço se dá entendendo o que podia ter feito diferente. Analise seus resultados e identifique o momento que se perdeu e as causas envolvidas. Não precisa ir longe, essencialmente tratará de uma ou mais das seis causas apontadas por Ishikawa: Materiais, Mão-de-obra, Máquinas, Métodos, Medição, Meio-ambiente. E direcione para que seu novo sonho não se encontre com essas falhas, acredite, ele tem mais chance de dar certo de uma segunda, terceira ou quarta vez.

Um amigo fala sempre que nossos sonhos devem ser grandes, que devemos mirar na Lua, porque se tudo der errado, acertaremos as estrelas; e concordo com ele. Uma dessas estrelas pode ser tudo que você precisa para sonhar novamente e fazer acontecer, ao infinito e além!

O Mito do Empreendedor

 

Começar um pequeno negócio nos anos de crise foi a opção de muitos desempregados Brasil a fora. Infelizmente, muitos desses empreendimentos fecharam as portas com pouco tempo de atuação no mercado e em sua maioria por questões internas, pela gestão empírica desse novo empresário.

No livro O Mito do Empreendedor, de Michael E. Gerber, entendemos sobre as dificuldades e os péssimos hábitos das pessoas que começam um negócio sem a instrução apropriada. Muitas vezes julgam que dominar determinada atividade deve garantir o sucesso e isso é um ledo engano! Vamos dar o exemplo de uma Barbearia.

Para montar uma Barbearia é necessário saber cortar cabelos e aparar barbas, certo? Não apenas! Qualquer negócio exige tempo de dedicação e conhecimento em três esferas: a Técnica, a de Gestão e a de Empreender. É necessário conhecer a dinâmica de uma Barbearia, conhecer os cortes, os equipamentos necessários, toda a infraestrutura, e saber cortar os cabelos ou opinar sobre a qualidade do corte de terceiros; essa é a parte Técnica. Por outro lado, é preciso saber gerir o negócio, ir ao banco, saber onde investir, conversar com os colaboradores, motiva-los, atender os clientes, entender a necessidade deles, ser o Caixa, o Decorador, o Digital Influencer, ser o Gestor! Ufa!

O empresário não pode perder de vista também o futuro, o Empreender, precisa dedicar-se a sonhar e a materializar sua visão de futuro dia-a-dia. Parece fácil? Com certeza não; mas ignorar essas perspectivas dedicando-se só a cortar cabelos, não vai levar o negócio muito longe.

O novo empresário precisa entender seu papel na empresa, seu valor, por menor que a organização seja, precisa ser um bom técnico, um excelente gestor e um grande visionário. O empresário deve aproveitar a paixão que o move, ter prazer em seu negócio, fazer o que ama e emprenhar-se ao máximo. Para ter sucesso amigos, é preciso barba, cabelo e bigode!