Me Tenha, Distância: exposição de artista cearense mundialmente premiado chega a Fortaleza

 
Viver entre o sonho e a realidade, o possível e o impossível, o distante e o perto, questões antônimas que perpassam na vida dos seres humanos e que serão retratadas na exposição premiada “Me Tenha, Distância”, com obras consagradas em mais de 20 países do artista cearense Juca Máximo. A exposição parte de uma provocação do artista visual que apresenta a ideia de perseguir oportunidades para romper a invisibilidade e o silêncio, estabelecendo um diálogo próprio com o mercado, com o público, com a crítica e a arte em sí.
No dia 16 de outubro, a partir das 19h30 a exposição chegará em Fortaleza, no Sótão Moleskine, e trará 17 obras premiadas de Juca. As obras ficarão expostas no local até o dia 16 de novembro.
Este será o momento que o artista considera como o abraço a sua cidade, sua Fortaleza, onde sempre teve o desejo de consagrar seu trabalho. “São obras que passam sentimentos, sensações, ideias e sonhos. Quando a gente sonha, temos a opção de estar perto ou distante. Eu quero ter o desejo de estar mais perto de onde eu me projeto para o mundo”, explica Juca.
Estar perto da cidade é uma realidade cada vez mais presente, mas permanecer conquistando o mundo é um caminho que Juca Máximo quer estar perto também. Sua inspiração veio do amigo que morava ao lado, Mychel Távora, ainda com 13 anos. Este mesmo colega que inspirou traços que já foram expostos em galerias consagradas, como na Espanha, é o curador da Exposição em que Juca Máximo apresenta ao mercado cearense seu talento. “Me tenha, Distância”.
Em suas obras, o artista apresenta muito mais que imagens, Juca convida a uma apreciação que permite reflexões sobre sentimentos expostos. Prova disso são suas obras intituladas “Dança 1 e Dança 2” que demonstra o sonho de crianças moradoras de rua em dançar e “Risque a pele” que transmite uma mensagem bem atual ao sugerir, por exemplo, riscar a pele e não os sonhos.
Uma das obras de mais destaque do artista é a dupla Expressionism Woman e Expressionism Man. Ambas foram premiadas no Festival Art of Humanity em Toronto-Canadá e vêm sendo aplaudidas na capital como obras que não apenas “mostram”, mas “falam” através de pinceladas dramáticas e extremamente expressivas.
O artista:

Na adolescência, chegou a cursar artes plásticas e design gráfico, mas foi na publicidade que se formou e trilhou carreira por longos 10 anos. Filho, pai de família, adora praia e pratica esportes sobre às águas. Com muito trabalho consagrou-se hoje como o cearense que mais esteve na revista Archive, publicação austríaca mais conceituada e aclamada por ilustradores e publicitários do mundo.
Em pouco mais de dois anos, o artista tomou para sua vida profissional uma decisão: trabalhar com arte que não ficasse restrito ao apelo comercial, pela formação em publicidade e a experiência que carrega em diversas agências do Estado. Para Juca, as inúmeras conquistas representam que a arte pintada está ganhando a mente e os corações do segmento.
Países que o artista cearense teve sua arte em destaque
Expressionismo I e II
Canadá e EUA.

Dança I e II
Itália, Áustria, EUA, Espanha, Coreia, Venezuela.

Risque a pele
EUA, Alemanha, França, Itália, Indonésia, Japão, Paquistão, Índia , Budapeste, Portugal, Guiana.

Ausências
Inglaterra e EUA.
Portrait Colors
Áustria, EUA e Brasil.

Liber
Itália e EUA.

Sensuality
Áustria e EUA.
Serviço

Exposição “Me Tenha, Distância” do artista cearense Juca Máximo

Data: 16 de outubro (terça)

Local: Sótão Moleskine (Rua Professor Dias da Rocha, 578 – Meireles)

Horário: 19h30

Você também pode gostar leia