Carlos Ferreirinha fala ao blog sobre Mercado do Luxo e suas especificades

 

O Blog No Olhar Digital entrevistou Carlos Ferreirinha, mais importante formador de opinião sobre negócio e gestão do Luxo e Premium da América Latina. Mais de 25 anos de gerenciamento de operações, desenvolvimento de negócios, marketing, comunicação e inteligência estratégica de negócios, com posições executivas seniores em empresas como EDS e Louis Vuitton – grupo LVMH, onde foi CEO Brasil e diretor sênior da América Latina. Em 2001 fundou a MCF Consultoria, uma empresa que traduz a inteligência da Gestão do Luxo em gestão, provendo consultoria, orientação, treinamento, capacitação e educação em geral.

 

Acompanhe a entrevista:

Os ricos são ricos porque sabem fazer bons negócios. O que os levam a pagar preços altíssimos por carros, joias, presentes, super viagens e restaurantes de alto padrão oferecidos e ainda continuarem com a maravilhosa sensação que sempre estão ganhando ?

Essa é uma pergunta que não está somente associado aos ricos. Por que são ricos? Pergunta ampla… dinheiro produzido? Sabem fazer bons negócios? Herdaram dinheiro? Patrimônios de gerações ? Sim para tudo. Tem tantas respostas para isso.

Evito falar de “Caro” no luxo. O luxo é o exercício excepcional. Acessar produtos e serviços excepcionais custa um valor alto e diferenciado. Temos opções diversas de consumo. Acessar o luxo tem um valor especial. 

Pagar preços mais altos é uma recorrência no consumo e não somente para os ricos. Todos de qualquer nível social paga valores mais altos em sabonetes especiais, em sucos selecionados, em queijo, em escolas, em cinema para salas mais especiais, na pipoca gourmet ou no hambúrguer… Até no McDonald’s. Ou seja, pagar a mais é em todos e para todos… o que muda são os patamares. E porque pagamos? Pelo prazer, pela vontade, pelo acesso ao raro, pela indulgência, pelo conhecimento…

Atualmente temos vários canais de contatos entre as empresas e seus clientes, tais como: redes sociais, salas de bate-papo, blogs etc. Quais são os pontos positivos para o gerenciamento de vendas  através desses canais? 

Estamos na era da hiperconectividade. Irreversível.  Assim, não se trata mais de pontos positivos ou negativos. É o mesmo quando o telefone celular surgiu e o fixo foi questionado. Quando o fax surgiu. Quando o e-mail surgiu. São novos canais de comunicação. E se estamos conectados, precisam ser usados, explorados… No passado recente como alternativa…. No hoje, essencial. Já são canais diários da comunicação e interação.

 Na era digital e as novas tecnologias de informação e comunicação ocasionou um desafio para as mídias tradicionais como tv, rádio, revista permanecerem existindo! Como você vê a necessidade de uma mídia complementar a outra? 

Pergunta de 1 milhão de dólares. Mudanças importantes e drásticas. Vejo que a mídia tradicional será cada vez mais para temas mais complexos e que demandam investigação maior, mais conteúdo e mais profundidade. E pouco a pouco se tornando mais nicho. O volume serão as mídias sociais.

Analisando o C2C Consumer-to-Consumer e outros serviços ofertados pela internet quais são os pontos negativos para a exclusividade que o mercado de Luxo se destaca dos demais mercados?  

Não há pontos negativos, pelo menos em nosso trabalho de especialização. Exclusividade como ação ou percepção é elemento primordial é essencial para as estratégias de produtos e serviços de luxo. Assim, não ter a exclusiva é que seria um ponto negativo. Ter é a essência da diferenciação.

E talvez aqui que torna a internet um caminho não natural para o luxo. Mas que precisa ser usada e tem sido o desafio, garantir exclusividade também na internet

 Quais são os principais fatores determinantes para construção/reconhecimento de uma marca no segmento do luxo ? 

São muitos os pilares. Foco na atemporalidade, construção de elementos que estimulem as percepções emocionais. Qualidade não negociável em todos os aspectos. A beleza estrategicamente construída, o coeficiente do raro e do único, matéria prima diferenciada, foco total na excelência. elementos de exclusividade, sinais de perfeição, histórias bem contadas e tradição fundamentada.

Partindo do princípio que se apresente uma verdadeira experiência luxuosa e que o produto oferecido seja da melhor qualidade, como podemos superar as expectativas desses consumidores, sabendo que o luxo varia em diferentes mercados? 

Não acreditamos no termo “luxuoso”. Experiência foçadas no luxo, experiências de luxo. E tampouco de melhor qualidade. Apenas produto de qualidade resolvida. O luxo como atividade não varia. O que pode variar é a percepção de cada um. Mas, enquanto negócio e atividade não varia.

Superação se dá pelo o que se apresenta. Conceito, concepção, produção, roteirização do atendimento e do serviço… ir além… em cada ponto de contato e interação.

 Luxo x Emoções: o consumo de luxo está ligado diretamente ao consumo Emocional? 

Apenas e exclusivamente. O consumo do luxo é uma decisão emocional. De desejo, de vontade. 

O que leva uma pessoa a sentir necessidade de consumir produtos exclusivos com custos altíssimos, se o mercado oferece produtos com características semelhantes?

Vontade, desejo, histórias, associações, diferenciação, tradição. São tantos elementos, mas, não somente no luxo. Tomamos decisões diariamente de consumir o supérfluo em todas as categorias de consumo. Do batom ao hamburguer como disse antes. Do sorvete para a gilete de barbear, do  shampoo ao cinema.

 

Sobre Carlos Ferreirinha
Presidente e fundador da MCF Consultoria

Carlos Ferreirinha é o mais importante formador de opinião sobre negócio e gestão do Luxo e Premium da América Latina. Mais de 25 anos de gerenciamento de operações, desenvolvimento de negócios, marketing, comunicação e inteligência estratégica de negócios, com posições executivas seniores em empresas como EDS e Louis Vuitton – grupo LVMH, onde foi CEO Brasil e diretor sênior da América Latina. Em 2001 fundou a MCF Consultoria, uma empresa que traduz a inteligência da Gestão do Luxo em gestão, provendo consultoria, orientação, treinamento, capacitação e educação em geral.

 

Como diretor geral da MCF, líder nessa atuação de mercado com clientes e projetos em todo o mercado brasileiro, na região da América Latina, países da Europa e África. A MCF tem um histórico relevante de projetos com grandes empresas e marcas como Bentley, Burberry, Coach, Tory Burch, Tam, Latam, Grupo Accor e os principais grupos de shopping centers como Iguatemi, JHSF, BR Malls e Multiplan. Empresas da relevância de o Boticário, Beauty Box, Natura, MAC, Recipe for Men e muitas instituições financeiras como JP Morgan, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil. GM, Lexus, Honda, Volkswagen, Whirlpool, Swarovski, Pandora e do segmento imobiliário, cyrela e muitas outras referências como Embraer, Diageo, Pernod-Ricard, Moet Henessy, Nestlé, Johnson & Johnson. A MCF e Carlos Ferreirinha também têm atuado como advisor dos principais grupos de luxo do mundo como LVMH, Kering, Estée Lauder e Richemont. 15 anos de intensa experiência lidando com a inteligência de negócios do Luxo e Premium.Carlos Ferreirinha é também o líder da ABRAEL – Associação Brasileira das Marcas de Luxo (internacionais e nacionais).

 

Colunista da revista Expressions do Amex há 8 anos e colunista convidado nas principais revista de Luxo brasileiras e da América latina, bem como consultado para os principais artigos e matérias sobre o tema. Carlos Ferreirinha é também reconhecido como um dos melhores palestrantes de negócios e gestão do Brasil, geralmente entre os 5 mais requisitados. Mais de 45 conferências, palestras e seminários anuais como especialista em Luxo são realizadas em diversos países, incluindo EUA e Europa. O curso “O Luxo Aplicado à Gestão” da MCF se tornou benchmark e tem parceria com a universidade ISEG em Lisboa, Portugal.

 

Em 2013, fundou em sociedade a BENTO STORE que já foi reconhecida entre as melhores inovações de varejo do mundo pela revista americana design:retail na lista anual “The Innovators”. BENTO STORE é parte da consultoria estratégica da MCF.

 

Você também pode gostar leia