Férias: período é de alerta devido ao maior risco de acidentes domésticos

 

Chega o mês de julho e com ele as férias da criançada. Os pequenos passam mais tempo em casa e as brincadeiras requerem atenção redobrada dos pais e responsáveis para que o período de diversão não acabe em transtornos.

Nos últimos anos, o Instituto Doutor José Frota (IJF) vem contabilizando, cerca de, 1.300 atendimentos por acidentes domésticos com crianças de 0 a 14 anos de idade. Durante o recesso escolar, o índice tende a aumentar, incluindo ocorrências que vão desde quedas com fraturas até queimaduras.

Muitas vezes, basta a curiosidade de explorar um cômodo da residência e instantes de desatenção para que o perigo surja. A pediatra Isa Xavier lembra que a rotina da criança precisa de atenção e uma conversa prévia é boa ideia.

“É preciso orientar essa criança. Brincadeiras dentro de casa são as que os pais têm como controlar, melhorar a situação e formular um ambiente propício e seguro. Não deixar à vista nenhum objeto que a criança possa subir e colocar protetores nas tomadas são algumas das dicas”, conta a pediatra.

A pediatra recorda ainda que nos passeios em ambientes com aglomerados de pessoas uma ideia é que a criança utilizar a pulseira de identificação com dados básicos e localização de onde os pais podem ser encontrados. A simples medida deixa pequenos e familiares mais confiantes para aproveitar o momento.

Você também pode gostar leia